CNBB – De Collor a Dilma.

Estado de SP

O Estado de São Paulo, 30 de agosto de 1992.

Anúncios

3 Comentários to “CNBB – De Collor a Dilma.”

  1. Ela tem de renunciar :D

  2. O engraçado é o tal “A CNBB liberou”. É um conluio sujo esse entre a mídia e a CNBB para passar a impressão de que a CNBB é a voz da Igreja no Brasil.

  3. Se Dilma KGB sair quem entra será o PSDB? Do socialismo fabiano de FHC? Então que fique a Dilma pois o barco deve afundar com seu capitão. Com efeito, desde a Constituição de 1988 que o Brasil vem se transformando num país comunista, chegamos hoje ao que era esperado, empresas fechando e demissões em massa de funcionários. Se você está na “pindura” esse ainda não é estágio final do socialismo.

    Ou o Brasil faz como os ucranianos e colocam os politicos ligados a KGB do Putin debaixo da terra e os demais no lixo, não vai ser impeachmant ou intervenção militar que resolverá o problema atual: