Foto da semana.

 

A picture of corals as part of art projection featuring images of humanity and climate change of Artistic rendering by Obscura Digital is projected onto the faade of St. Peter's Basilica at the Vatican

Cidade do Vaticano, Basílica de São Pedro, 8 de dezembro de 2015 – Festa da Imaculada Conceição de Nossa Senhora: o primeiro dia do Ano da Misericórdia encerrou-se com uma projeção inédita de fotos e vídeos na cúpula e na fachada da Basílica de São Pedro.

O evento ‘Fiat lux’ apresenta obras de fotógrafos e cineastas consagrados, como Sebastião Salgado, Joel Sartore (National Geographic), Yann Arthus Bertrand (Human), David Doubilet, Ron Fricke e Mark Magidson (Samsara), Howard Hall, Shawn Heinrichs, Greg Huglin, Chris Jordan, Steve McCurry, Paul Nicklen e Louie Schwartzberg.

D. Rino Fisichella, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, organismo responsável pela organização dos eventos do Jubileu (8 de dezembro de 2015-20 de novembro de 2016), referiu em conferência de imprensa que as imagens, “retiradas do repertório de alguns dos maiores fotógrafos do mundo”, se inspiram na “misericórdia, humanidade, mundo natural e mudanças climáticas”.

A inspiração chega da encíclica ‘Laudato si’, do Papa Francisco, e quer propor a “beleza da criação” por ocasião da 21ª Conferência da ONU sobre Alterações Climáticas (COP21), que começou esta segunda-feira em Paris.

“Posso assegurar que é um evento único no género, que se realiza pela primeira vez num cenário tão significativo”, acrescentou D. Rino Fisichella.

A ‘Fiat Lux: Illuminating Our Common Home’ (Faça-se a luz: iluminar a nossa casa comum), foi desenvolvida em parceria com a Vulcan Inc. de Paul G. Allen, a Fundação Li Ka Shing, a Okeanos e a Obscura Digital, sob os auspícios do Connect4Climate do Grupo Banco Mundial.

Segundo os seus promotores, quer ser “um presente de projeção arquitetónica em larga escala para o Papa Francisco” e uma alerta em favor da proteção do meio ambiente, no dia da abertura do Jubileu extraordinário da Misericórdia.

Com informações da Agência Ecclesia.

* * *

Comentários nas redes sociais:

Da série “imagens que valem por 1.000 palavras”: A imagem capturada dá a impressão de que a Basílica está em chamas, como se tivesse sido explodida. Sem descartar a possibilidade de que isso venha a ocorrer um dia, como um merecido castigo divino, a imagem representa dramaticamente o estado de autodemolição em que se encontra a Igreja, reconhecido até pelo Papa Paulo VI já na década de 70.

De Fabiano Rollim

 

Também não gostei da Basílica sendo usada de telão.

Com mensagens neopagãs pior ainda. Vejam o simbolismo degradante, no dia da Imaculada Conceição, uma apresentação de cunho ambientalista, da “Mãe Terra”. Isso é gravíssimo. Gravíssimo!

No mínimo, para ser elegante, uma pisada FEIA na bola do papa Francisco, uma vergonha que eclipsa os bailes dos Bórgia.

A basílica de São Pedro é a face da sede da Igreja católica para o mundo. Ou seja, surge uma analogia quase pornográfica, literalmente esta foi na cara da Igreja…

De Frei Clemente Rojão

Galeria de fotos com outras imagens projetadas aqui.

Anúncios
Tags:

11 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Vamos combinar…

    Usar o símbolo da Madre Igreja para ficar colocando macaquinho, peixinho, foquinha.. Que vergonhoso. Parece que em Roma em grande parte se perdeu não só a noção de Tradição, Fé, Liturgia e Moral, mas também a noção do ridículo.

  2. De fato, penso que o problema é a perda da percepção do “lugar sagrado” por excelência. O núcleo sagrado da fé, é e deve sempre ser intocável, e isso o é em todas as grandes religiões. Trata-se, infelizmente de uma mentalidade pragmática, ou seja, a intenção é boa, porém o lugar e contexto errado. Não há como negar: a Basílica símbolo do Catolicismo, transformou-se num “telão”, como tantos que brilham nas grandes cidades. Isso empobrece o significado simbólico da Basílica. Tudo tem seu lugar; a crise é exatamente a confusão “do que” e “a onde”. Eu lamento muito.

  3. A “melhor” das imagens é a do LOBO espreitando a porta da basílica.
    Imageticamente real.

  4. Alguem pode me dizer qual foi a religiao que promoveu isto? Budismo? Nova Era? Xintoismo?

  5. Padre Paulo Pollon diz coisas sensatas, acima. Mas, sem querer, ” amacia” os fatos. Isto de Basílica como telão, ” mãe terra” idolatrada num dia especial dedicado à Imaculada Conceição é ação demolidora desejada e buscada, não é mera inadvertência, ou colaboração inconsciente com o mal, e o que ela busca demolir é o que constitui o cerne doutrinário e moral, além de filosófico e místico, da Igreja. Carta Encíclica tentando infestar mentes com o novo instrumento do mal, a ” ecolatria” e o ecoterrorismo? Formas ” novas” de transmitir a Boa Nova, que já é Boa há milênios, e NOVA também há milênios, desde quando proclamada? Procedimentos que o ” mundo” aclama e aprova, além de divulgar em capas de revistas mundanas e depravadas? Isto é pura enganação subversiva, tentando subverter o Amor e suas naturais consequências, tentando mascarar , deturpar e desconstruir o que de bom se contém na Civilização Ocidental Cristã. Ninguém deve ser conservador.Deve CONSERVAR o que é bom, e continuar a Tradição, entendida ela no sentido de algo divino e permanente passando do passado para o futuro sem máculas nem distorções. Conservador, tradicionalista, são termos ambíguos, algumas vezes utilizados para desqualificar, juntando, num mesmo ” saco”, acomodados saudosistas e Fieis às Verdades Eternas. Bem pior do que os pseudo conservadores/tradicionalistas são os ” progressistas”, os ” modernistas”, os ” Vaticano Segundo filistas”, os ” teólogos” da ” libertação”, que de teólogos não têm nada, sendo apenas militantes de um ” espírito de reboque e pederastia intelectual”, arrastando-se lubricamente atrás das ” modernidades” e dos ” modernosos”. Uma ” roda de chorinho” ou de samba não vale nada, mas é menos devastadora que uma ” show missa” com ” padres cantores” e ” ministras da eucaristia” rebolantes.

  6. Enquanto isso…
    Os inimigos da Igreja estão satisfeitos – as pesadas críticas ao antecessor papa Bento XVI dissiparam-se completamente – os verdadeiros genocidas, devassos e abutres da humanidade ameaçando levarem a Igreja aos tribunais, como ao de Haia por “genocidio”, nem de longe na hipótese de retomarem as iniciativas!
    Tudo indicaria que a maçonaria eclesiástica estaria muito ativa dentro do Vaticano, impondo-se!
    “Minha casa tornou-se, para muitos, um teatro de divertimentos”.
    Nas revelações do Senhor Jesus a S Pio de Pietrelcina acrescenta, referindo-se aos eclesiásticos:
    “O que mais me aflige é que, à sua indiferença, esses homens acrescentam o desprezo, a incredulidade. Quantas vezes eu estive a ponto de fulminá-los, se não tivesse sido detido pelos anjos e pelas almas enamoradas de mim…”
    Caberia o abaixo ao caso?
    “Far-te-ei perecer, porque meu povo se perde por falta de conhecimento; por teres rejeitado a instrução, excluir-te-ei de meu sacerdócio, já que esqueceste a lei de teu Deus.” Os 4, 5.

  7. A princípio não consegui distinguir a imagem projetada na Basílica de São Pedro. Observando melhor vi que a foto revela no seu primeiro plano uma trilha, um caminho. Depois vem a imagem projetada. Então percebi que trata-se do fim da picada.

  8. Na autodemolição da Igreja iniciada com o CVII cuja primeira etapa foi endeusar o homem, se fosse dito que a próxima etapa consistiria em endeusar os animas ninguém acreditaria que chegasse a tal ponto. perto de Francisco até Karl Marx parece ser um direitista.

  9. “Afinal, esses homens da Igreja que dominam o Vaticano servem a quem?
    Servem a Deus ou ao espírito do mundo, ou seja, a Belial?
    “Aquele que se envergonhar de mim perante os homens, eu me envergonharei dele perante o meu Pai que está no céu.”

    Só acrescentaria um adendo: Desse Bispo de Roma com sua “encíclica” vergonhosamente humanista e nada sobre-natural, fraquíssima teologicamente, podemos esperar algo além do que temos recebido???

    As cerimônias de abertura desse Ano Santo foram patéticas, a começar na África, depois em S. Pedro, em S. João de Latrão.

    João Paulo II, totalmente debilitado pelo parkinson, agarrado ao báculo, se firmando nele, se ajoelhou assim que abriu o Jubileu do ano 2000; o Bispo de Roma Francisco não se ajoelhou uma vez… mas, dias atrás, se ajoelhou numa capela dos mártires anglicanos em sua viagem à África…

    Alguém ainda quer me convencer que Bergóglio para chamar a atenção e ser único, não é capaz de plantar bananeira para agradar e chamar atenção aos bobos da corte???? E olha que ele odeia a “lepra” da corte…rssssss

    Que ele seja o Papa legítimo não nego, mas, que ele e seus ajudantes mais próximos estão levando a Igreja por um caminho tortuoso, doloroso e até ridículo, é impossível negar…

    Só pra lembrar: No funeral do cardeal D. Carlo Furno, que foi núncio no Brasil, ele entrou no final da Missa de corpo presente celebrada pelo cardeal Sodano, como é de praxe, para fazer a última encomendação, com um báculo de pau que usou na África… Valaaaa-me DEUS!!!!! Dentro de uma Basílica como a de S. Pedro usar um báculo de pau é não ter um mínimo de bom senso…É querer ser não pobre mas pueril, diferente, e…deixa pra lá…

    Diante de Bergóglio, Montini é Pio XII…

  10. Poderíamos esperar por uma demonstração mais gráfica daquilo que Nossa Senhora disse em La Salete, que a Igreja seria eclipsada?