FSSPX – vídeo sobre novo seminário nos EUA.

Fonte: Distrito dos EUA da FSSPX.

Anúncios
Tags:

31 Comentários to “FSSPX – vídeo sobre novo seminário nos EUA.”

  1. Eu sei que não é o local mais adequado, mas vocês tem que publicar.’Padim Ciço foi ‘reabilitado’ pelo Papa Francisco. Inacreditável! O homem é condenado pela hierarquia da época e quase um século depois é reabilitado. Enquanto isso, D. Lefebvre e os padres da sspx continuam em situação irregular. Quem sabe daqui 100 anos D. Lefebvre não é reabilitado?

    • Pedro Henrique, apenas quando essa quadrilha modernista sair do Vaticano é que a justiça será feita a memoria de Dom Lefebvre e Dom Mayer. Enquanto isso, um exército de lobotomizados pela heresia conciliar metidos a apologetas católicos de blogs e facebook os chamam de cismáticos (quando o CDC prever as sagrações por estado de necessidade), heresia (qual!?) e até sedevacantismo. Mas Nosso Senhor é justo e um dia as coisas virão às claras!

    • “O homem é condenado pela hierarquia da época” Padre Cícero foi à Roma falar com o Papa Leao XIII e teve sua “excomunhao” suspensa. Quem desobedeceu foi o bispo local, que manteve o estado de excomungado, ignorando a ordem do Papa.

      Santo Atanásio também foi 4 vezes excomungado…

  2. O relógio da Igreja não funciona na base dos segundos, minutos e horas, mas em anos, décadas e séculos. A reabilitação do Padre Cícero já não era sem tempo.

    Com a graça de Deus, no futuro, teremos o reconhecimento universal do Santo Atanásio do século XX, Dom Marcel Lefebvre.

  3. Dom Lefebvre jamais fora condenado por heresia ou jamais teve sequer UMA única proposição condenada em seus livros. Isso porque tudo o que ele dizia estava baseado no magistério anterior ao CV II, a qual todos devem prestar fé. Condená-lo seria o mesmo que condenar os papas pré-conciliares.

    Já Rosmini, que foi obrigado ao silêncio, teve dois livros colocados na lista de livros proibidos do Vaticano e que depois teve 40, eu digo quarenta proposições condenadas pela Igreja, esse sim foi reabilitado e feito BEATO, pelo ‘grande’ Bento XVI, que muitos costumam exaltar a ponto de afirmar que foi o maior teólogo que a Igreja já teve, maior que Sto. Tomás e todos os outros santos e santas juntos. Sim, já teve um maluco que afirmou isso aqui no blog.

    • “Dom Lefebvre jamais fora condenado por heresia” – A FSSPX está em estado de discordância canônica por causa das consagracoes irregulares dos bispos. Eles mexeram na doutrina, nao foi uma questao disciplinar. Eu já conheci mais de um padre ex-FSSPX do fim da década de 80 e sei da gravidade do ato, nao por comentários de blogs, mas de relatos de testemunhas.

      Mesmo assim, tenho um grande carinho pela FSSPX e rezo pela reconciliacao com Roma.

  4. Pedro Henrique – Orlando Fedeli afirma em um de seus videos que Bento XVI é o papa de Fatima (era um comentario elogioso).

  5. Prezado Gabriel, com certeza o Prof. Orlando foi um grande defensor da fé, mas acho que nesse ponto ele estava equivocado, até porque Ratzinger já não é mais Papa, apesar de se vestir como tal. Ele afirmou isso por duas vezes. A primeira na renúncia e ainda veio uma segunda vez a público para confirmar. Portanto já não é mais possível que ele seja o Papa de Fátima.

    Ainda sobre as reabilitações, citamos padim Ciço, Rosmini… e isso sem falar nos novos teólogos condenados por Pio XII (condenados doutrinalmente) e que depois foram reabilitados por João XXIII e Paulo VI e tomaram posição de destaque no CV II.

    Sem falar que no período pós-conciliar a ninguém era reservada a excomunhão, por piores que fossem as heresias pronunciadas. Mesmo entre os que seguiam o CV II, esses utilizavam-no como ruptura com o passado e tratando-o como um novo começo da Igreja, um novo Pentecostes. Nada ocorriam a esses.

    Obrigação de seguir o CV II era apenas para a FSSPX.

    Paulo VI via na celebração da Missa Gregoriana a condenação do CV II e por isso, de forma afrontosa a Deus, a proibiu.

    João Paulo II, na década de 80, convocou nove cardeais para realizar uma consulta e chegar a conclusão de que se realmente Paulo VI havia de fato abolido a Missa Gregoriana. Oito de dos nove cardeais afirmaram que a missa não havia sido abolida. e que os padres tinham o direito de celebrá-la sem maiores infortúnios. O que JP II, o santo súbito fez? Colocou esse precioso tesouro nas mãos de bispos progressistas e só com a permissão desses é que os padres desejosos de celebrá-la, poderiam fazê-lo. Precisou chegar o século XXI e a coragem de Bento XVI para a justiça prevalecer, ao menos parcialmente.

    Fico pensando se desde o começo, Paulo VI permitisse a livre celebração da Missa de sempre, talvez o destino da Igreja e da sspx tivessem sido outros, pois era isso que Dom Lefebvre desejava; Fazer a experiência da Tradição numa igreja em que padres e bispos iam em direção ao Inferno a passos largos.

    Será que haverá algum dia um Papa a pedir desculpas à SSPX pelo ocorrido, já que esses progressistas adoram se desculpar (em nome dos Papas do passado, nunca por suas p´roprias culpas)?

    É esperar para ver…

  6. SOBRE O PADRE CÍCERO ROMÃO BATISTA
    A Santa Igreja não pede perdão por si mesma, pois é “toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante”*, e é justamente por ser “Santa e Irrepreensível”* que, por seus méritos, pede perdão pelos seus filhos, dentre os quais se incluem seus Ministros, que nem sempre têm condições de enxergar certas contingências. Em suma, a reabilitação do Padre Cícero não fere a Santidade da Igreja nem denigre as autoridades da época.
    ___________
    *Ef V, 27.

  7. Sr. Robson – Um Padre que faça um comentário deste sobre Nossa Senhora de Fátima e aparições em geral e também sobre o comunismo só pode ter uma visão muito limitada e outros adjetivos que me dispenso de enumerar. Como o Sr. assina Robson-DF, tudo indica que mora em Brasilia. Pe. do IBP em Brasilia, quem seria? Não é difícil de deduzir… Abram os olhos católicos tradicionais de Brasilia…

  8. Pedro Henrique – Sobre Orlando Fedeli compartilho com o primeiro paragrafo do Robson – DF no comentário acima.

    Sobre o Pe Cicero meu conhecimento é quase nada.. Pediria a vc ou alguém que leia este comentário que indicasse alguma bibliografia séria sobre o mesmo. Peço que realmente seja algo bem abalizado intelectualmente e não coisas vagas. Podem ser contrarias a ele como favoráveis.
    Sempre me coloquei se ele não foi injustiçado como Antônio Conselheiro, pelo qual tenho profunda admiração. Lendo o trabalho do Prof. Ataliba Nogueira cresceu minha admiração. Claro que não poderia faltar ataque a ele por parte de positivistas, ateus e caterva como um Euclides da Cunha. Também a Globo com filmes altamente tendenciosos procurando estigmatiza-lo como um fanático.

  9. Gabriel, tem certeza que o prof. Fedeli AFIRMOU ser Bento XVI o papa de Fátima? Em suas cartas o professor demonstra que deseja muito que este papa o seja, mas não afirma que é.

    • Paloma – Lembro-me de ter visto esta afirmação em uma palestra sobre o Papa Pio IX. Parece que foi tirada da internet, nao encontrei. Em todo caso veja em sua conferencia sobre Bento XVI (Biografia de Bento XVI por Prof. Orlando Fedeli – Raridade ) no trecho 1:15.

  10. Sr. Robson-DF, tenha cuidado ao fazer acusações tão graves, falsas e infundadas, ainda mais contra sacerdotes, isso se chama calúnia. Tal atitude é totalmente condenável pelo ensinamento moral da Santa Igreja e quem a comete com plena advertência e consentimento perfeito da vontade corre sério risco de perdição eterna.

    Sr. Gamaliel, tenha cuidado ao fazer juízos ou suspeitar mal dos outros sem um justo fundamento, ainda mais quando se trata de um sacerdote, isso se chama juízo temerário.

    O Sr. Robson-DF atribui a padres do IBP as seguintes frases e ainda as coloca entre aspas como se fossem textual e exatamente as mesmas palavras utilizadas por eles:

    “não se pode dar ouvidos nem mesmo às aparições de Nossa Senhora reconhecida pela Igreja”

    “ninguém deve se preocupar ou se empenhar no combate contra o comunismo.”

    Vejamos o que realmente dizem os padres do IBP a respeito desses assuntos:

    “…procuramos apontar três erros muito em voga entre os católicos mais sérios:
    1) A redução dos problemas ao mero comunismo, esquecendo-se do liberalismo e do modernismo, esquecendo-se da crise da Igreja. A mera redução do problema a algo político ou puramente natural, esquecendo-se de que se trata de um combate espiritual, sobrenatural.
    2) O aparicionismo, que é o apego a aparições que não são devidamente aprovadas pela Igreja ou o apego desordenado mesmo àquelas aprovadas pela Igreja. Quem sabe como virá o triunfo do Imaculado Coração mencionado por Nossa Senhora em Fátima? Virá, talvez, com os católicos procurando fazer a parte deles, talvez com cada um de nós procurando viver realmente como bons católicos, com a fé firme e as boas obras…”

    http://missatridentinaembrasilia.org/2015/01/05/sermao-provacoes-2014/

    Ainda sobre o aparicionismo e o combate exclusivo ao comunismo:

    “Reitero o cuidado com as falsas soluções do aparicionismo, do combate exclusivo ao socialismo, como se fosse o único mal (ainda mais quando esse combate é feito com o liberalismo econômico tantas vezes condenado pelos Papas) e do culto de personalidade.”

    http://missatridentinaembrasilia.org/2015/12/04/sermao-advento-as-tres-vindas-de-nosso-senhor-jesus-cristo/

    Vejamos o que dizem a respeito das aparições aprovadas pela Santa Igreja:

    “Quanto às aparições que são aprovadas pela Igreja, como, por exemplo, Lourdes, Fátima, Nosso Senhora das Graças, Nossa Senhora de Guadalupe, seria muito orgulho e temerário rechaçá-las. A Igreja as examinou com rigor, a fim de estabelecer a sobrenaturalidade dos acontecimentos. Ela constatou que não há nada que se opõe à fé ou à moral. As aparições devidamente aprovadas pela autoridade hierárquica da Igreja não pertencem ao depósito da fé, mas devem ser consideradas com seriedade e respeito, em particular seguindo os conselhos dados por Nossa Senhora, que são, evidentemente, para o nosso bem espiritual.”

    http://missatridentinaembrasilia.org/2013/01/23/sermao-a-armadilha-das-falsas-aparicoes/

    Os padres do IBP jamais afirmaram que não se deve combater o comunismo. Eles afirmam sim que o remédio para a sociedade não é o mero combate EXCLUSIVO ao comunismo ou ao liberalismo (ainda mais quando católicos se unem indiscriminadamente a liberais no combate ao comunismo) mas a solução é o reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo. Vejamos o que dizem a esse respeito:

    “O remédio para a sociedade não é o simples antiesquerdismo, nem o simples antiliberalismo, tampouco a simples monarquia – que no Brasil, aliás, nunca brilhou por sua catolicidade exemplar enquanto existiu. A verdadeira solução é o reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo, que penetra a sociedade e todas as suas instituições realmente com os princípios católicos. O paganismo da antiguidade – e que já revive em nossos tempos com matizes ainda piores – não foi extirpado por uma doutrina humana, nem por um monarca, mas pela Igreja e pela submissão paulatina da sociedade a Cristo Rei e à sua Igreja.”

    http://missatridentinaembrasilia.org/2014/10/27/sermao-o-remedio-e-o-reinado-social-de-nosso-senhor-jesus-cristo/

    Deve-se tomar muito cuidado com acusações levianas!

    Alexandro Galdêncio Silva de Morais – Gama/DF

    • Alex, sou testemunha do que o padre do IBP fala em suas homilias, no site não há tudo, pois ele faz comentários em cima do texto que ele publica no site.
      Diversas vezes vejo que o padre usa esses discursos para atacar outros grupos, e usa os méritos dos outro grupo (Montfort) para desmerecer o outro(TFP). Ele fala que não pode esquecer o liberalismo e o modernismo e critica quem combate só o comunismo, ora, mas quem disse que o outro grupo da as costas para o liberalismo e o modernismo? Tudo o que o padre diz na homilia por meio de seus comentários extras (que não estão no site), fica claro que estão atacando a TFP. Tudo o que a TFP faz eles dão um jeito de criticar. Se a TFP divulga a mensagem de fátima e vai nas casas das pessoas, eles vão falar que não podemos basear nossa vida em aparicionismo, mesmo nas aprovadas pela Igreja (Já ouvi isso pessoalmente). Se a TFP coloca a mão na massa para impedir o avanço das leis iníquas, ai vão falar que estão combatendo APENAS o comunismo, o que é uma mentira. Se a TFP respeita o seu fundador, reza por ele, e estuda todas as suas teses, aí é culto de personalidade, e ainda atribuem a todos os membros da TFP uma atitude errada tomada pelo João Clá, que nem da TFP é mais e nem sequer fala mais em Plínio Correa. Ele claramente falou uma vez que “há grupos que nunca fizeram nada pela Missa Tridentina e pelas vocações no Brasil”, o que é uma mentira também, basta conversar com qualquer membro que eles podem dizer tudo o que já fizeram pela Missa Tridentina e vocações, e também o que já fizeram para combater o liberalismo, modernismo e comunismo, vocês vão ver que esse discurso da Montfort já deu dá para dar mais crédito algum.
      Eu estou há pouco tempo seguindo a tradição, e fico chateada com toda essa divisão da tradição alimentada principalmente pelo Fedeli. É tão simples para mim: Cada grupo tem o seu apostolado, o que custa cada um reconhecer que ambos fazem a coisa certa? Unidos fariam muito mais pela tradição do que ficar de picuinha! É revoltante isso. O Reinado Social de Jesus Cristo é importante sim, mas como isso vai se dar se dão as costas pro governo que só se afunda em ideologias? Os padres do IBP acham que tem que fazer só isso, ter uma família grande e ficar rezando, pois eles não estimulam as pessoas a a lutarem contra o comunismo também! Pode ter uma votação para aprovação da Ideologia de Gênero ou aborto amanhã que eles não vão falar nada. Pelo menos em todo esse tempo que frequento as Missas dos padres do IBP nunca recebi nenhum chamado para aparecer na câmara para impedir que essas Ideologias passem. Só acho que se continuarmos a seguir essa linha de pensamento daqui um tempo vai acontecer o que aconteceu na Noruega, o estado vai tomar os nossos filhos, portanto uma coisa não desconecta a outra! Um apostolado não deveria estar desvinculado com o outro! Cada grupo tem um foco maior, e isso não é motivo para desmerecer o outro. Repito: Unidos fariam muito mais pela tradição do que ficar de picuinha!

  11. Pouco ou nada sei de Padre Cícero. Dizem, porém, que, morto, ele faz mais que os vivos. Sem o Padre Cícero, a lepra protestante já teria consumido o Nordeste. O mesmo, por analogia, poderia ser dito de Lefebvre e Castro Mayer em um âmbito BEM maior,

  12. Não sou “especialista” sobre Padre Cicero, mas gostaria de deixar aqui meu ponto de vista por ser este um assunto de meu interesse há muitos anos, até por ter parentes no sertão nordestino que são devotos de Padre Cícero.

    Um bom livro que recomendo é o escrito pelo professor Luis Wanderley Torres, intitulado “Vida e morte do Padre Cícero”. Tanto por este livro, quanto por outra fontes (inclusive um livro que possuo onde estão reunidos os relatos de uma simples senhora que foi uma dos muitos afilhados do padre) e mesmo pelas cartas por ele escritas, relatos de pessoas que com ele conviveram ou que dele ouviram sermões e conselhos, etc…. enfim, por tudo isso penso que Padre Cícero foi sim um santo homem, ou ao menos tentou sê-lo.

    Realmente não sei como avaliar sua vida política, até onde acertou ou errou em suas escolhas ou decisões após ter sido suspenso de ordens, mas uma coisa é certa: irrepreensível era sua fé e conduta como sacerdote, assim como inegável era seu amor pela Igreja.

    É muito curioso o fato de que progressistas, modernistas e mesmo os socialistas TL´s utilizem a figura de padre Cícero para suas agendas quando Padre Cícero foi totalmente o oposto do que estes movimentos pregam e defendem. Padre Cícero era o que hoje se chamaria de “retrógrado”, “fanático” e “intolerante”: Pregava a Fé católica com paixão, condenava TODAS as outras religiões como falsas, precavia os pobres cristãos sertanejos contra elas para que sequer delas se aproximassem sob risco de se condenarem ao inferno (suas pregações eram duríssimas, inclusive contra o protestantismo). Em relação à moral, severíssimo era (combatia os locais de danças e bebedeiras, onde conta-se que mais de uma vez adentrou recintos do tipo para acabar “na marra” com bailes de forró, inclusive quebrando instrumentos).

    Por outro lado, era amável e caridoso para com aqueles que o buscavam, exercendo a verdadeira caridade cristã: muito de sua fama se deve à ajuda que dava aos famintos, através de esmolas, alimentos e mesmo ensinando-os tecnicas de plantio e cultivo em meio à seca. No entanto, isso não se resumia a mero assistencialismo, mas antes estava intimamente ligado à prática da Religião, pois Padre Cícero fazia questão de ensiná-los a Fé Católica, as práticas devocionais, a frequência aos sacramentos, etc.

    Outro fato que me convence da santidade de Padre Cícero foi sua postura após a suspensão por parte das autoridades eclesiásticas. Seu amor à Igreja é demonstrado em diversas situações, seja por sua tristeza de morte diante do desenrolar de seu processo, sobretudo quando lhe é proibido administrar os sacramentos, seja quando se refere à Igreja de maneira apaixonada (inclusive quando foi à Roma e expressou sua comoção por ter assistido à Missa celebrada pelo Papa Leão XIII e por ter sido por ele recebido em audiência). Mas, sobretudo, pela sua obediência e resignação diante da decisão dos superiores eclesiásticos: enquanto sabemos como reagem os hereges e canalhas que se revoltam e (ainda que tenham razão) passam a atacar quem os condenou (vide Boffs, Betos e afins) padre Cícero obedeceu o que foi decidido e sempre enfatizou aos seus fieis a necessidade de “amar e obedecer a Santa Igreja católica Apostólica Romana”. Alguns que se revoltavam por julgar ser uma injustiça cometida contra o “padim”, Padre Cícero os repreendia severamente. “Devemos amar, respeitar e obedecer a Igreja como se fosse o próprio Deus que está no Ceu”, dizia ele.

    Por fim, com bem lembrou acima o Paulo, mesmo após sua morte, “sem o Padre Cícero, a lepra protestante já teria consumido o Nordeste”.

    Portanto, sinceramente, acredito que Padre Cícero foi um homem santo. Não digo que mereça ser canonizado, tampouco quero dizer que devam ser condenados aqueles que o puniram: só Deus sabe o que os motivou a agir dessa forma, talvez excesso de prudência e zêlo, as vezes equívoco? não sei… mas acredito ser justa sua “reabilitação”, ainda que saibamos que os motivos daqueles que a estão promovendo possam ser outros.

    Mas se há algo que creio firmemente é que Padre Cícero não pode ser colocado no mesmo saco em que se encontram alguns hereges e padrecos inimigos da verdadeira Religião. Padre Cícero foi sim umverdadeiro e fiel sacerdote, verdadeiro católico e verdadeiro filho da Igreja.

  13. Também não sei muito sobre o Pe. Cícero, apesar de ser oriundo do nordeste, onde ele é muito conhecido e venerado por muitas pessoas. Mas obtive informações de pessoas da região, conhecedoras do assunto, dando conta de que o problema crucial do Pe.Cícero reside no fato de que ele, temendo o avanço do comunismo, por meio da coluna Prestes, e mal orientado no campo político, acabou apoiando o bando de Lampião, tendo sido ele, o Pe. Cícero, quem deu a Lampião o título de Capitão, com a condição de que Lampião e seu bando defendesse o nordeste contra uma iminente investida dos comunistas.
    O problema é que Lampião não deu a mínima para os comunistas e usou o seu bando e o título que recebera do Pe. Cícero para cometer crimes comuns contra as populações do nordeste.
    O curioso é que o bando de lampião causava o maior terror em todos os estados do nordeste, com exceção do Ceará, por respeito ao Pe. Cícero. Lá ele e seu bando era protegido.
    Desse modo, quanto mais Lampião causava o terror nas cidades do nordeste, mais o nome do Pe. Cícero era manchado nos Estados circunvizinhos.
    Além disso, há registro de um suposto milagre de uma hóstia que sangrou quando foi posta na boca de uma fiel pelas mãos do Pe. Cícero. Para uns foi um milagre, mas para outros foi uma farsa. Não se sabe ao certo se isso foi inventado por leigos para limpar o nome do Pe. Cícero ou se, realmente, foi um fato verdadeiro. Esse assunto foi parar em Roma.
    É muito provável que esses fatos tenham sido fundamentais para a Igreja aplicar uma sanção canônica ao Pe. Cícero.

  14. Prezado Sr. Robson-DF,
    Talvez eu não tenha sido muito claro. Na verdade, falei sobre o ensinamento moral da Santa Igreja. Quando eu me referi à calúnia, não me referia ao crime de calúnia tipificado no Código Penal e sim ao pecado da calúnia, cujo conceito pode ser encontrado, dentre outros lugares, no Catecismo de São Pio X. Veja o que o Catecismo diz:

    “452) Que é a calúnia?
    A calúnia é um pecado que consiste em atribuir maliciosamente ao próximo culpas
    e defeitos que não tem.”

    Eu não quis dizer que você imputou falsamente ao padre um fato definido como crime, é óbvio que dizer as palavras que você atribuiu ao padre não seria um crime. Eu simplesmente quis demonstrar que foram atribuídas ao padre culpas e defeitos que ele não tem. Ora, você afirmou que tais proposições foram ditas durante a Missa, no entanto os discursos proferidos nas Missas podem ser encontrados no blog http://missatridentinaembrasilia.org/ , estão todos lá. E não se encontra nada que ao menos insinue que as aparições aprovadas pela Igreja não devem ser creditadas. Se conseguir encontrar algo do tipo, me mostre.

    O que o padre disse a respeito das aparições aprovadas foi simplesmente que, apesar de não pertencerem ao depósito da fé, seria um ato de orgulho não dar-lhes crédito. Disse também que não devemos nos apegar a revelações privadas não aprovadas e que não devemos nos apegar DESORDENADAMENTE a revelações aprovadas, ou seja, em detrimento do depósito da fé. Leia os sermões, isso está muito claro neles. E está em perfeita consonância “ipsis litteris” com o ensinamento tradicional da Igreja, veja o que diz o Pe. Adolfo Tanquerey sobre as revelações privadas no seu famoso Compêndio de Teologia Ascética e Mística, no número 1490:

    “…Estas revelações [as revelações privadas] não fazem parte do objecto da fé católica, que se apoia unicamente sobre o depósito contido na Escritura e na Tradição e confiado à interpretação da Santa Igreja. Não se impõem, por conseguinte, à crença de todos os fiéis; quando a Igreja as aprova, não nos obriga a crê-las, mas permite somente, diz Bento XIV, que sejam publicadas para a instrução e edificação dos fiéis: o assentimento, que se lhes deve dar, não é, pois, um acto de fé católica, mas um acto de fé humana, fundado em que estas revelações são prováveis e piamente críveis…”

    Em nenhum momento o padre minimizou as aparições de Fátima ou o combate ao comunismo como coisas sem importância, mas apenas alertou para a maneira correta de acolher as aparições e de combater o comunismo. Penso que teria sido mais conveniente, antes de acusar publicamente o padre, você ter ido conversar com ele pessoalmente para entender o que ele quis dizer ou até mesmo, se fosse o caso, para que ele corrigisse o que disse.

    Bom, Sr. Robson-DF, a minha intenção foi simplesmente tentar alertá-lo para o perigo de cometer uma grande injustiça contra um sacerdote fiel à Santa Igreja.

  15. Robson – Estava esperando um momento para responder ao Alex. Como vc (ou Sr.) e Maria Guadalupe deixaram bem claro, me congratulo com os dois. Muito boas considerações. Nunca assisti Missa do Pe. Daniel Pinheiro nem o conheço, mas pelo que consta no site reproduzido pelo Alex, bem como suas considerações, fica claro a que veio o referido Padre. Consciente ou inconscientemente faz papel de quinta coluna no meio tradicionalista ai em Brasilia. Se não for atacado pelos progressistas ou semi-progressistas e começar a ter apoio de altos escalões do mundo oficial, fica confirmada minha suspeita.

  16. Jose Santiago e A.R. C – Agradeço seus comentários muito na linha do que desejava sobre o Pe. Cicero. Pretendo fazer uma conferencia sobre o assunto e estou levantando dados. Quanto ao livro referido pelo José Santiago, pergunto se ele tem o mesmo. Vou tentar comprar em algum sebo. Caso não consiga pergunto se pode me fornecer uma xerox, como reembolso é claro.

  17. Sra. Maria Guadalupe, eu não entrei em questões referentes à polêmica Montfot/TFP, não sou membro nem de um nem de outro grupo, não pesquisei sobre o assunto e nem me interessa pesquisar, pois vejo que não será de grande valia para minha vida espiritual. Sou um simples fiel que teve sua vida mudada pelo apostolado de padres do IBP em Brasília.
    O que me fez entrar nessa discussão foi ver atribuírem publicamente ao padre Daniel Pinheiro dizeres que não correspondem ao seu pensamento e isso é grave. A senhora que como eu é testemunha dos sermões e avisos do padre durante as Missas teria coragem de afirmar que ele disse alguma vez que não se pode dar ouvidos nem mesmo às aparições de Nossa Senhora reconhecidas pela Igreja? O que pode ter afirmado é que não se pode pautar toda a vida unicamente nas aparições, o que é bem diferente. Ou a senhora teria coragem de afirmar que o padre disse alguma vez que ninguém deve se preocupar ou se empenhar no combate contra o comunismo? O máximo que escutamos é que o comunismo não é o único mal a ser combatido.
    Com relação ao reinado social de NSJC, sugiro que leia os sermões dele nas festas de Cristo Rei. Mas o melhor, penso eu, seria procurá-lo para conversar e tirar suas dúvidas.

    Sr. Gamaliel, não entendi o que para você ficou tão claro do que consta do site e de minhas considerações, até porque você não se preocupou em demonstrá-lo, mas, para ser sincero, nem me interessa saber. Não me interessa saber de suspeitas temerárias ou não, confirmadas ou não.

    O que me deixa triste é a falta de cuidado que paira na internet, entre católicos, com relação ao 8º Mandamento da Lei de Deus.

  18. Alex – Sair-se com esta “não me interessa saber” é fácil… É palpável a impregnação de uma infestação, imperceptível para quem não quer ver, em certos grupos que promovem a divisão nos meios tradicionais. Seria interessante além de defender o Revmo. Pe. em questão, verificar se as observações feitas por ele são justas, corretas e de acordo com o bom senso católico. Não é porque é sacerdote e reza a Missa Tridentina que se torna infalível não podendo se discordar dele.
    Leia as considerações que faz a Maria Guadalupe e o aviso que consta no site citado por vc que, tendo um pouquinho de percepção, verá a metralhadora giratória usada pelo padre http://missatridentinaembrasilia.org/2015/12/04/sermao-advento-as-tres-vindas-de-nosso-senhor-jesus-cristo/ e que chocou vários frequentadores da referida Missa. Tendo visto não precisaria exigir de mim que demonstre tudo novamente. Vamos lá, apenas dois exemplos que constam de seu comentário para a Maria Guadalupe:
    – Vc atribui ao padre “não se pode pautar toda a vida unicamente nas aparições”, e quem defendeu esta tese? Está sendo atingido alguém nisto com certeza. Só não vê quem não quer. Não é juízo temerário dizer que alguém defendeu isto desta maneira? Outra, “ o comunismo não é o único mal a ser combatido.”. quem afirmou isto? Também houve intenção de atingir alguém ai. Foi tirado a limpo que este alguém defende esta ideia? Onde consta isto?
    Esta fúria do Pe. no aviso e sua em atribuir desrespeito ao 8o. Mandamento da lei de Deus não fere o mesmo Mandamento e também o “amar ao próximo como a si mesmo”?

    • Só para não acharem que é coisa da minha cabeça os ataques ao IPCO, esqueci de dizer que nesta homilia ele também disse que grupos de leigos celibatários não são da Igreja, por que na Igreja ou se é padre, freira, irmão ou casado. Dá a entender que o pessoal do IPCO não é católico.
      Alex, também fui muito beneficiada pelo apostolado do Pe Daniel, me converti em uma Missa dele praticamente, admiro o trabalho dele com as famílias e com as pessoas assim como também admiro o trabalho do IPCO aqui em brasília, e me sinto muito desconfortável quando o Pe. fica atacando o grupo, acho injusto, pois vejo bons frutos no IPCO.
      Quanto a mensagem de Fátima ser “particular”, o assunto é bem longo, recomendo a leitura de alguns livros para esclarecer que a mensagem de Fátima é uma mensagem boicotada pelos modernistas, que o terceiro segredo está escondido e é classificada por alguns teólogos como uma mensagem pública devido ao Milagre do Sol testemunhado por muitas pessoas. Os livros são: O segredo por revelar, do ferrara, O quarto segredo, do Socci e O derradeiro combate do demônio, do Kramer. Obs: Se não me engano, o Socci foi escrever um livro para proteger os modernistas dos ataques das pessoas que diziam que o 3 segredo não foi revelado e que estavam escondendo, porém quando ele começou a investigar, acabou mudando de lado e vendo que realmente a mensagem de Fátima estava sendo boicotada.

      Rezem pela união da Tradição no Brasil e fiquem com Deus!

  19. Quanto ao fato da hóstia que sangrou na boca da religiosa, que fato mais inusitado.

    É de fé que quando comungamos as espécies consagradas, realmente nos alimentamos de Cristo. Seu Corpo, Sangue e também Alma e Divindade. Mas isso sob as espécies do pão e do vinho, de modo que sentimos no paladar o sabor do pão e do vinho.

    Causa repugnância alguém beber sangue de outra pessoa,sangue vivo. Isso nos conduz a crenças pagãs de sacrifícios humanos.

    Se tal fato causa tanta repugnância, Cristo jamais poderia realizar tal ato. Tanto é, lembro de passagem, que no Evangelho, quando Cristo promete sua carne como comida e seu sangue como bebida, as pessoas se assustaram, entendendo assim, que ele poderia arrancar pedaços de sua carne e derramar seu sangue, para que pudesse dar para as pessoas.

    “Muitos dos seus discípulos, ouvindo-o, disseram: Isto é muito duro! Quem o pode admitir?”

    E quem aqui comeria pedaços da carne de Cristo e beberia seu sangue derramado.

    Ora, que o sangue se materialize na hóstia consagrada, nas mãos do sacerdote, como um milagre da presença real é perfeitamente aceitável e já ocorreu na história da Igreja. Que o sangue se materialize na boca de uma religiosa e ela sinta gosto de sangue, aí é outra história.

    Mas quanto ao fato, há dois pareceres. O primeiro, parece-me aceita a origem sobrenatural do acontecimento. Mas o bispo titular da época, não satisfeito, pediu maiores investigações e esse segundo parecer, mostrou que o acontecimento se tratava de uma FRAUDE.

    O bispo acatou a segunda hipótese.

    O Vaticano nunca se pronunciou de forma contrária ao parecer do bispo, que eu saiba. Se alguém tiver informação que prove o contrário, que o diga.

  20. Padre Cícero e Orlando Fedeli. Por onde passaram produziram discórdias. Um é digno personagem para cordel. Outro para ópera.

  21. Maria Guadalupe – Se o Pe. Daniel realmente disse isto, está contrariando o ensinamentos dos Papas e da Santa Igreja. Não acredito que vc esteja inventando, mas pode ter entendido mal o que ele disse. Veja esta encíclica de Pio XII
    6. A castidade perfeita é a matéria de um dos três votos constitutivos do estado religioso (6) e exigida aos clérigos da Igreja latina para as ordens maiores (7) e também aos membros dos institutos seculares.(8) Mas é igualmente praticada por grande número de simples leigos: homens e mulheres há que, sem viverem em estado público de perfeição, fizeram o propósito ou mesmo o voto privado de se abster completamente do matrimônio e dos prazeres da carne para mais livremente servir ao próximo, e mais fácil e intimamente se unirem com Deus.

    CARTA ENCÍCLICA
    SACRA VIRGINITAS
    DO SUMO PONTÍFICE
    PAPA PIO XII

  22. Prezados Sr. Robson-DF, Sr. Gamaliel e Sra. Maria Guadalupe,

    Preciso tentar esclarecer algumas coisas e fazer alguns “mea culpa”.

    A intenção é algo interno, não se pode conhecer a intenção de uma pessoa ao fazer algo, a menos que ela a externalize de alguma forma. Bom, já falei aqui um pouco sobre a minha intenção ao entrar nesta discussão, mas quero tentar deixar isso mais claro. Minha intenção primeiramente foi defender um padre que muito estimo, pois foram-lhe atribuídas palavras que não correspondem ao seu pensamento. Minha intenção também foi tentar alertar o Sr. Robson e o Sr. Gamaliel do perigo de estarem cometendo uma injustiça contra o padre. Não foi minha intenção afirmar categoricamente que o Sr. Robson estava cometendo o pecado de calúnia e que o Sr. Gamaliel estava cometendo o pecado de juízo temerário. Por isso peço perdão por ter dado a entender, pela maneira equivocada como me expressei, que estava afirmando categoricamente. Queria somente alertá-los para tomarem cuidado com isso. E na verdade, nem era possível categoricamente afirmar que o Sr. Robson cometeu o pecado da calúnia, pois pelo conceito de calúnia que vimos, calúnia não é somente atribuir a outra pessoa culpas e defeitos que não tem, mas atribuí-los maliciosamente. E para saber se agiu maliciosamente, eu precisaria conhecer suas intenções, o que seria impossível para mim.

    Outra coisa que precisamos esclarecer é que está havendo um problema em nossa comunicação. Parece que não estamos debatendo a mesma coisa. Existem dois pontos que foram colocados em questão:

    A- Se o padre disse que não se deve dar ouvidos as aparições, ainda que reconhecidas pela Igreja. E se o padre disse que ninguém deve se preocupar ou se empenhar no combate contra o comunismo.

    B- Se o padre comunga da opinião de Orlando Fedeli e da Montfort a respeito da TFP. E se é justo ele expor essa opinião.

    O problema é que eu questionei A e vocês responderam ao meu questionamento quase sempre com B. Tiveram algumas exceções a isso. O Sr. Robson afirmou que ouviu com os próprios ouvidos e com testemunhas que o padre afirmou em alto e bom tom durante a Missa que nem mesmo as aparições reconhecidas devem ser creditadas. E a Sra. Maria Guadalupe disse que nem tudo que é dito pelo padre é publicado no blog. No entanto, eu também sou testemunha, assisto as Missas todos os domingos e algumas vezes na semana, e nunca ouvi o padre afirmar tal coisa. E mais, como o padre poderia afirmar algo num sermão escrito e publicado na internet e depois afirmar exatamente o contrário de maneira improvisada sem posterior publicação? Não faz sentido. Penso que quanto a isso só pode ter havido um mal entendido da parte do Sr. Robson.

    Com relação ao assunto B, quero deixar bem claro que não sou apto para debater sobre o assunto, não conheço bem a complexidade do problema. E como falei, penso que inteirar-me do assunto não seria útil para mim. São centenas de páginas dos dois lados para poder entender a questão. Não vejo como o empenho de tanto tempo de minha vida para conhecer o assunto poderia ter uma utilidade proporcional.

    Com relação aos questionamentos do Sr. Gamaliel no ultimo comentário, quando o padre, por diversas vezes, diz que não se pode pautar toda a vida nas aparições, sobre tudo nas aparições não reconhecidas, ele geralmente não se refere a um grupo especifico e nem quer dizer que alguém defende essa tese. Ele está exortando pessoas que na prática vivem assim ou têm essa tendência a se corrigirem. Do mesmo modo, quando diz que o comunismo não é o único mal, não está dizendo que alguém afirmou que o único mal é o comunismo. Na verdade, está fazendo um alerta a muitos católicos que de boa vontade querem lutar contra o comunismo, PT, Dilma, Lula e etc. e acabam se unindo sem critérios a grupos liberais, como por exemplo MBL e outros. Claro, algumas vezes, acredito eu, ele se dirige mais especificamente a algum grupo, como no caso do aviso citado, porém não sem um motivo justo.

    Com relação à suposta fúria, saiba que eu e certamente o padre não agimos por fúria, mas por caridade, por preocupação com a salvação das almas. Este Mandamento é sim muito esquecido e se falei isso, foi para que zelemos por nossa salvação.

  23. Alex – Sobre sua mensagem ultima, amena e conciliadora tenho a dizer o seguinte;
    1- Considero que as explicações dadas não satisfazem, mas pro bono pacis, que desejo e parece sua intenção, não dou andamento a polemica. A não ser que algum fato novo venha a tona.
    2- Quando colocamos algo a publico, seja por escrito ou sermão de um Revmo. sacerdote, temos que prever as consequências e os dissabores. Do contrario vamos acabar adotando a velha surpresa “que bicho estranho é este, quando a gente o ataca ele se defende”.
    3- A acusação contra mim foi de “juízo temerário”. Nosso Senhor nos Santos Evangelhos nos ensina VIGIAI E ORAI. Pelo que vi não é ORAI E VIGIAI. O colocar Vigiai antes do orar não me parece que foi por acaso na intenção de Nosso Divino Redentor. A vigilância precede a oração. Se algum grande mestre da vida espiritual me provar que o contrario é o certo, abaixo a cabeça e me submeto. Quando vemos alguém tomando posições (consciente ou inconscientemente), e estas posições começam a dividir aqueles que lutam pela Cidade de Deus, ficamos com a guarda levantada. Melhor dizendo, obedecemos ao Redentor Divino, vigiamos. Quantas excelentes obras católicas fracassaram por falta de vigilância.
    Quando fui desafiado a ver os comentários no site citado, vi que tinha coisa estranha… Fiz mal em alertar? O que estava escrito, estava escrito… Alertei os que batalham pela causa da Santa Igreja Católica Apostólica Romana a VIGIAREM. Isto, pelo que sei, não é juízo temerário.
    Peça ao Revmo. Padre com quem tem relações pessoais que coloque a intenção em uma Santa Missa pelos seus “inimigos”. Diga a ele que estes reverenciam o seu sacerdócio mais do que ele imagina.

  24. Está clara a posição do padre daquela capela – Capela Nossa Senhora das Dores – que mantem um link na coluna da direita do seu blog(http://missatridentinaembrasilia.org/), onde remete ao site da Associação Montfort. E logo, no acesso ao site desta associação, se encontra uma matéria contra o IPCO.

    Mas concordo com Alex-DF no “B” quando levanta a questão e seguinte.

    Questão:
    “B- Se o padre comunga da opinião de Orlando Fedeli e da Montfort a respeito da TFP. E se é justo ele expor essa opinião.”

    Seguinte:
    “Com relação ao assunto B, quero deixar bem claro que não sou apto para debater sobre o assunto, não conheço bem a complexidade do problema. E como falei, penso que inteirar-me do assunto não seria útil para mim. São centenas de páginas dos dois lados para poder entender a questão. Não vejo como o empenho de tanto tempo de minha vida para conhecer o assunto poderia ter uma utilidade proporcional.”

    Eu, que aqui comento, não sou membro de nenhum grupo, mas não dá pra deixar de se observar que os que mais odeiam o IPCO não são os membros da Associação Montfort, mas o clero modernista – óbvio.