Não confundir a família com outras formas de união – Papa.

Rádio Vaticano – No discurso aos membro do Tribunal da Rota Romana, o Papa Francisco recomendou que não se confunda a família com outras formas de união…

O Papa relançou esta prerrogativa histórica ligando-a ao magistério mais recente focalizado pela Igreja sobre o tema da família e sublinhando uma certeza que não mudou:

No percurso sinodal sobre o tema da família, que o Senhor nos concedeu realizar nos dois anos transactos, pudemos fazer, em espírito e estilo de efectiva colegialidade, um discernimento sapiencial, graças ao qual a Igreja mostrou ao mundo que não pode haver confusão entre a família desejada por Deus e qualquer outros tipos de união”.

Depois retomando palavras do Papa Pio XII que considerava o Tribunal da Rota Romana, o Tribunal da Família, o Papa Francisco acrescentou que deve ser também o “Tribunal da Verdade do Vínculo Sagrado”. À Igreja toca mostrar tanto o “amor misericordioso de Deus em relação às famílias, de modo particular as feridas pelo pecado e pela provações da vida”, como também proclamar  – disse – a “a irrenunciável verdade do matrimónio segundo o desígnio de Deus”, segundo “o sonho de Deus”, aquele sonho que atribui ao matrimónio a missão de transmitir a vida e o amor recíproco e legítimo entre homem e a mulher, chamados “a completar-se reciprocamente numa doação mútua não só física, mas sobretudo espiritual”.

Por isso, concluiu, a Igreja com renovado sentido de responsabilidade continue a ajudar a compreender isso e a propor o matrimónio nos seus elementos essenciais: prole, bem dos cônjuges, unidade, indissolubilidade, sacramentalidade”.

Tags: ,

19 Comentários to “Não confundir a família com outras formas de união – Papa.”

  1. Ah, se o Papa falasse sempre assim: de modo verdadeiramente católico…
    Gostei especialmente do final: Por isso, concluiu, “a Igreja com renovado sentido de responsabilidade continue a ajudar a compreender isso e a propor o matrimónio nos seus elementos essenciais: prole, bem dos cônjuges, unidade, indissolubilidade, sacramentalidade”.

  2. “Familia Tradicional não rima com a Nova Ordem Mundial”!
    Acredito que se todas as veiculações sobre as familias estivessem dessa forma, o Vaticano estaria sob forte pressão pois a “familia tradicional não rima com a Nova Ordem Mundial” – mesmo com as Fundações Internacionais, com a ONU, grupos mercenarios avulsos pululando por aí no mesmo intuito, que propugnam expressamente pela destruição delas, e nesse de “um passo à frente outro atrás” não funciona, pois parece que a Secretaria de Estado do Vaticano usaria essa tática, de manipuladores, a da sanfona, características de esquerdistas, que à primeira vista engana.
    “Viu – o papa é a favor das familias; tudo contra o Vaticano e seus intérpretes tidos mais de uns tempos para cá como politicamente corretos são intrigas dos tradicionais e dos inimigos da Igreja!” – mas nos bastidores as conspirações continuariam com potencia máxima!
    Quero ver é se manter nesse ritmo e iniciar o desafio aos acima antifamilia, ou começar a seguir nesse ritmo e se manterem em se ajuntar aos protestantes sem exigencias, por ex. ou a outros mais heterodoxismos; nesse caso, poderia ser aquele para distrair desse!
    Se acaso ao todo forem esquerdistas, em dissimulações, golpismos e falsas bandeiras, são imbativeis experts e, se duvidarem disso, perguntem a Gramsci, Vindice e Nubius, Pe Malachi Martin, Olavo de Carvalho, Bella Dodd, Yuri Bezmenov!…

  3. Nessa guerra semântica, reconhecer os termos do inimigo é uma capitulação. Foi o que ocorreu com relação ao termo gay, que na verdade não passou de um eufemismo para que o mundo não visse com tanto horror aquilo que a palavra pederasta exprimia sem equívocos, já que a palavra gay significa apenas, na gíria, um rapaz alegre. Trata-se portanto de uma substituição. Ora, o mesmo ocorre com a expressão “outras formas de união”, reconhecer esse termo paralelamente ao termo família, é, na prática, a aceitação do lobby desses q promovem a substituição da família, começando pelas palavras.

  4. Convém ler essa extemporânea manifestação católica do Pontífice Francisco I à luz do próximo family day em Roma. Seria muito eloquente o silêncio de PF. E, de fato, os católicos que ainda existem na Itália já fizeram saber, a quem de direito, que do jeito que as coisas vão, vão deixar também de recolher os 8/1000 de “imposto” que a Igreja recebe na Itália… Os católicos magnatas dos Estados Unidos já mandaram, há muito mais tempo, recadinhos para os seus Bispos: não vão dar dinheiro a filocubanos gayzistas. Faça vc o mesmo se na sua paróquia reina a ambiguidade e a heresia. Ache um padre católico e dê o dízimo a ele.

  5. “5 Se alguém de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus – que a todos dá liberalmente, com simplicidade e sem recriminação – e ser-lhe-á dada.6 Mas peça-a com fé, sem nenhuma vacilação, porque o homem que vacila assemelha-se à onda do mar, levantada pelo vento e agitada de um lado para o outro.7 Não pense, portanto, tal homem que alcançará alguma coisa do Senhor,8 pois é um homem irresoluto, inconstante em todo o seu proceder.” (Tg 1, 5-8)

  6. Quem ainda leva a sério o que Bergoglio diz no famoso estilo “bate-assopra”? Nunca na Igreja, ninguém nem mesmo Lutero, fez tanto pela destruição da família tradicional como esse pontífice!
    Seus gestos concretos falam mais do que qualquer palavra saída de sua boca: o “casal” de lésbicas batizando uma criança apadrinhada por Cristina Kirchner, o famoso “quem sou eu pra julgar” no avião, sua ojeriza por “temas inegociáveis”, o ataque às famílias “que procriam feito coelho”, as mudanças no processo de anulação de casamentos pra tornar a dissolução do vínculo matrimonial mais rápido e acessível, a tentativa de promover casais em adultério e concubinato ao mesmo nível de família tradicional dando-lhes inclusive a Eucaristia, o discurso no jardim da Casa Branca dizendo que os Católicos iriam respeitar a nova lei de “casamento gay” aprovada pela Suprema Corte e agora o boicote explícito ao “Dia da Família” que se mobiliza contra a mesma lei na Itália! Isso pra não falar na tentativa de empurrar a aceitação de uniões entre sodomitas em um Sínodo da Família!
    A coisa ficou tão flagrante que na Itália o mal estar com Bergoglio já está sendo explícito por parte de muitos párocos e alguns Bispos.
    Recentemente, o pároco Dom Alessandro Moro, da Santa Maria Maggiore, na cidade de Pordenone, contratou um caminhão propaganda que já está estacionado na frente da Igreja com um outdoor na carroceria onde se vê uma foto de uma família tradicional e o slogan «Questa è una famiglia come Dio comanda. Vaticano, Governo e scuole vogliono insegnarci il contrario».
    Esta é uma família como Deus manda. Vaticano, Governo e escolas querem nos ensinar o contrário!

    http://www.milanopost.info/2016/01/27/il-parroco-anti-gay-piazza-un-camion-fuori-dalla-chiesa-ecco-la-vera-famiglia-come-dio-comanda/

    • Cara Gercione LIma, paz e bem!

      Será que eu entendi bem:

      -“Quem ainda leva a sério o que Bergoglio diz no famoso estilo “bate-assopra”? Nunca na Igreja, ninguém nem mesmo Lutero, fez tanto pela destruição da família tradicional como esse pontífice!”

      Realmente, vc não conhece NADA sobre o santo padre o papa Francisco, bem como sobre Lutero.

      Entre Lutero e São Francisco, ficarei sempre ao lado de S. Francisco que não se desligou da Igreja.

      Com efeito, a sua fala faz-nos recordar do odioso grito de revolta registrado nas Escrituras:
      “Non serviam! ― Não servirei! Subirei até o alto dos Céus, estabelecerei o meu trono acima dos astros de Deus, sentar-me-ei sobre o monte da aliança! Serei semelhante ao Altíssimo!” (Is 14, 13-14).

      Pois bem, de duas, uma:ou você há tempos não é mais Católica Apostólica Romana ou encontra-se com sérios problemas de transtornos psicológicos (pensa que é católica, mas não é). É provável também que você esteja sob influência (in) direta do Maligno (tentação, possessão…), pois seu escrito denota ORGULHO e SOBERBA (um dos 7 pecados capitais), raiz de todos os pecados.
      Pense bem, será que o Espírito Santo (Terceira Pessoa da Santíssima Trindade) e eleitor invisível do Conclave poderia inspirá-lo dessa forma esdrúxula?

      A história da Salvação registra que todos os brados de insubmissão a Deus ou a Sua Igreja são emanados de Lúcifer, o anjo que portava a luz. Tal era sua excelência que a Igreja aplica a ele as palavras de Ezequiel: “Tu és o selo de semelhança de Deus, cheio de sabedoria e perfeito na beleza; tu vivias nas delícias do paraíso de Deus e tudo foi empregado para realçar a tua formosura!” (Ez 28, 12-12).

      Reflita sobre isso e corra para o confessionário (ou poderá conhecer pessoal e eternamente o inspirador de sua frase anticatólica:
      “Quem ainda leva a sério o que Bergoglio diz no famoso estilo “bate-assopra”?”

      Por fim, no Ano Santo da Misericórdia sugiro que vc leia sobre este maior atributo divino, disponível em:
      http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/apost_letters/documents/papa-francesco_bolla_20150411_misericordiae-vultus.html.

      Boa leitura!

    • Renato Assis,

      “Entre Lutero e São Francisco, ficarei sempre ao lado de S. Francisco que não se desligou da Igreja.”

      Entre qualquer pessoa (ainda mais um herege que você citou) e um Papa, devemos ficar ao lado do Papa!. Mas fiquei com uma duvida.

      O Papa Francisco foi canonizado Santo?

  7. Prole e bem dos cônjuges.
    Nisso Francisco se afasta de seus predecessores, com agradável surpresa, mantendo a doutrina tradicional, que invertera os fins do matrimônio, colocando o bem dos cônjuges em primeiro lugar.

  8. Seriam “outras formas de união” ou DESVIO?

  9. Nas conjunturas em que vivemos, creio que qualquer outro papa teria se expressado assim: “Não confundir a família com a legalização, (ou com realidades aceitas quase mundialmente), de pecados gravíssimos que bradam ao céu”. E estes papas citariam inúmeros textos das Sagradas Escrituras.
    A palavra de Francisco é ambígua. Viver juntas duas pessoas do mesmo sexo, (deitadas como se fossem com pessoas de outro sexo) não constitui uma outra forma de união. Constitui sim um pecado gravíssimo inclusive contra a natureza.

  10. No ano passado um Padre da minha região disse uma coisa muito interessante sobre o Papa e o sínodo da família. Ele disse que o Papa sabia que não iria conseguir fazer as mudanças na família tradicional que ele e muitas pessoas gostariam, com isso ele deveria parar de enganar (sim, ele disse que o Papa estava enganando essas pessoas) as pessoas e falar a verdade para elas. Todos sabemos que quando um Papa convoca um sínodo ela tem o intuito de fazer várias mudanças, como o Papa viu que não seria possível, agora ele que jogar para a galera, ele quer ser populista.

  11. A falta de clareza, transparência e objetividade nas falas e escritos do Papa Bergoglio denota no mínimo falta de honestidade e gera desconfiança. Por que não falar às claras? De que tem medo? Dos “teólogos” ouvirem ou lerem? Se ele quer fazer uma reforma, quer seja modernista ou não, faça logo, sem subterfúgios. Escreva sem o jogo de semântica. Pra quê adivinhar daquilo que já temos certeza: é o modernismo formal e prático. Ainda me lembro do vídeo, onde a imagem sagrada do Menino Deus colocada junto aos símbolos pagãos provocou até mesmo entre o padre modernos confusão. Naquele dia da divulgação do vídeo, um padre cantor bradava desesperadamente em um canal de tv que Jesus Cristo é o único caminho. Dada a dificuldade dele mesmo explicar o contexto. Tanto trabalho “cantando” para convencer os católicos de que a Igreja de Deus é a católica(ou ao menos disputar com a concorrência do público com os protestantes, seus principais rivais, porque padre cantor é abusar mesmo).

    Porém sobre o texto do post, ainda não foi definido nada:

    (…)
    “Bispos portugueses antecipam publicação do documento pós-sinodal

    Faro, 28 jan 2016 (Ecclesia) – Os bispos portugueses dizem que a exortação apostólica do Papa sobre a Família vai chegar num momento “muito oportuno” para a sociedade e para a Igreja Católica, tendo em conta a situação difícil de muitas famílias.”
    (
    http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/familia-exortacao-do-papa-devera-abrir-caminho-a-uma-convergencia-de-atitudes-dentro-da-igreja/)

    E mais:

    (…)
    “A informação foi avançada à Agência ECCLESIA pelo presidente do Conselho Pontifício para a Família, D. Vicenzo Paglia, durante as jornadas de atualização do clero da Província Eclesiástica do Sul, que estão a decorrer até esta quinta-feira em Albufeira, no Algarve.

    O arcebispo italiano mostrou-se convencido de que o documento do Papa mostrará uma Igreja Católica “em saída” e próxima das famílias em todos os momentos da vida.”

    (http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/igreja-exortacao-apostolica-do-papa-sobre-a-familia-vai-ser-publicada-ate-marco/)

    • Concordo com tudo Diego Azevedo, falta clareza em relação com ao que o Papa faz, fala, e escreve, é tudo muito ambíguo.
      Sobre o vídeo ecumênico realmente é um escândalo relativizaram o catolicismo e puseram todas as religiões no mesmo patamar.
      Sobre as decisões eu não sabia que ainda eles não tinham sido tomadas de forma definitiva e que irá sair uma nova exortação apostólica, se essa exortação for no mesmo caminho das outras duas estamos fritos. Oremos!

    • Naqueles tempos de trabalho do sínodo para as famílias já se noticiava que o Papa iria produzir um documento sobre suas impressões colhidas dos trabalhos realizados. Não se dizia exatamente que tipo de documento seria: Decreto, Exortação…Apenas se noticiava que seria um especie de texto de conclusão em o Papa daria ao sínodo. O termo “definir” que usei, não é no sentido teológico para os documentos papais. Está em sentido geral.

      Se falava muito em um “decreto de indulto” para que os recasados divorciados pudessem comungar, como se estivessem em estado de graça santificante. Agora se noticia que será uma exortação em sentido geral para esses casos. Acolhimento, participação nas ações pastorais, catequese e outros.

      E eu? Não consigo entender nada disso.

      Uma digressão, se me for permitido.

      Alguns anos após o termino do CVII, se falava muito, no Brasil, em acabar com o sacramento da confissão à pretexto de que os padres não tinham mais preparo para ouvir e dar os devidos conselhos(falar em pecado mortal, inferno e como o demônio age…) Como não se poderia fazer isso abruptamente, devido a piedade católica da época, foram aos poucos tirando o móveis das confissões e o mesmo também ocorreu nas comunhões, queriam que os comungantes ficassem em pé e tomassem a Divina Hóstia na mão, daí tirarem também os genuflexórios. Ou seja, sem tais móveis, confessionários e genuflexórios, tacitamente está se dizendo não comunguem de joelhos e nem se preocupem com a confissão.

      Assim, induziam muitos incautos a comungarem da forma errada e em pecado grave.

    • (Respondendo a Diego Policarpo de Azevedo 31 janeiro, 2016 às 1:33 pm)
      Diego, qualquer documento seja decreto, ou exortação, provavelmente será na mesma linha dos outros dois documentos, serão altamente contestáveis e dolosos.
      Se os divorciados puderem comungar isso sera altamente prejudicial para a própria Igreja e para os casais.
      Estou tentando entender também.
      A intenção do CVII sempre foi relativizar, e tirar a responsabilidade das pessoas sobre o pecado, torço para que nunca acabem com o sacramento da confissão pois isso seria a derrocada da Igreja.

  12. Renato Assis escreveu:

    —Pois bem, de duas, uma:ou você há tempos não é mais Católica Apostólica Romana ou encontra-se com sérios problemas de transtornos psicológicos (pensa que é católica, mas não é). É provável também que você esteja sob influência (in) direta do Maligno (tentação, possessão…), pois seu escrito denota ORGULHO e SOBERBA (um dos 7 pecados capitais), raiz de todos os pecados.
    Pense bem, será que o Espírito Santo (Terceira Pessoa da Santíssima Trindade) e eleitor invisível do Conclave poderia inspirá-lo dessa forma esdrúxula?—-

    Não sou médica psiquiatra, mas me parece que o único que encontra-se com sérios problemas de transtornos psicológicos (pensa que é católico, mas não é) é exatamemte aquele que me acusa daquilo que ele mesmo é. De duas uma, ou o sr Renato Assis padece de analfabetismo crônico e não consegue fazer uma simples interpretação de texto ou a papolatria lhe cegou a tal ponto que confunde alhos com bugalhos.
    Desculpem-me ter que responder ao seu “ad hominem” com a mesma linguagem que o senhor Renato Assis se dirigiu-se a mim, mas o fato é que o coitado não conseguiu negar os fatos que são públicos e notórios:

    “o “casal” de lésbicas batizando uma criança apadrinhada por Cristina Kirchner, o famoso “quem sou eu pra julgar” no avião, a ojeriza de Bergoglio por “temas inegociáveis”, o ataque às famílias “que procriam feito coelho”, as mudanças no processo de anulação de casamentos pra tornar a dissolução do vínculo matrimonial mais rápido e acessível, a tentativa de promover casais em adultério e concubinato ao mesmo nível de família tradicional dando-lhes inclusive a Eucaristia, o discurso no jardim da Casa Branca dizendo que os Católicos iriam respeitar a nova lei de “casamento gay” aprovada pela Suprema Corte e agora o boicote explícito ao “Dia da Família” que se mobiliza contra a mesma lei na Itália! Isso pra não falar na tentativa de empurrar a aceitação de uniões entre sodomitas em um Sínodo da Família”

    e assim, como os cães e os porcos dos quais Nosso Senhor nos adverte no Evangelho de Mateus, ele não apenas calcou com os pés tudo o que eu escrevi como também, voltando-se contra mim tentou me dilacerar com o veneno de suas palavras” (Mt 7. 6)
    Outra acusação do “discípulo da misericórdia”: É provável também que você esteja sob influência (in) direta do Maligno (tentação, possessão…)
    Ora, sr. Renato, nesse caso minha situação é deveras irremediável porque a “igreja conciliar” que o sr. defende com unhas e dentes, também não acredita mais em influência (in) direta do Maligno (tentação, possessão…) e tudo que sugere nesses casos é uma visitinha ao psiquiatra. Se o sr. conseguir achar um exorcista ativo por aí, por caridade, me indique!!! Não creio que o sr esteja em condição de diagnosticar casos de possessão diabólica…ainda mais pela internet!
    E onde foi parar o famoso “quem sou eu pra julgar”? Não aprendeu nada com Bergoglio? Pois bem, o sr. Renato Assis do alto de sua caixinha de sabão não apenas diagnostica que eu sofro sérios problemas de transtornos psicológicos ( passível de punição pelo Código Penal que trata do assunto, art. 282 (exercício ilegal da medicina) e possessão diabólica, como também deu um veredito: seja lá qual for o caso a raiz de todo meu mal reside no ORGULHO e SOBERBA!
    Mas analisando cuidadosamente a mensagem, chego a ter pena de uma pessoa assim. Ela reflete exatamente aquela passagem em que Jesus desembarca, vê uma grande multidão e compadeceu-se dela, porque eram como ovelhas sem pastor. As ovelhas comumente se perdem devido a sua própria ignorância. Sem um pastor que lhes guie elas perambulam sem destino.
    Pasmem que o sr. Renato Assis acredita piamente que o Espírito Santo (Terceira Pessoa da Santíssima Trindade) é o eleitor invisível do Conclave!! Será que ele de vez enquando lê os textos que eu traduzo para o Frates?
    https://fratresinunum.com/2014/10/08/e-o-espirito-santo-quem-elege-o-papa/
    Caro sr. Renato de Assis, eu frequento o confessionário com muito mais frequência do que o sr. imagina e se é verdade que estou prestes a conhecer pessoal e eternamente Aquele que me inspira a não levar a sério o homem da iniquidade, “o que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar lugar no templo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus”( 2 Tessalonicenses 2) isso pra mim é motivo de alegria e esperança e não matéria pra confessionário.

    • E aí, Gercione, já leu a bula papal sobre o Ano da Misericórdia? Ainda há tempo.
      Ou prefere se dedicar o seu tempo lendo obras sobre Lutero, que segundo suas próprias palavras, fez menos estragos (será???) à família tradicional como esse pontífice! Só se foi na sua família, pois na minha família ocorreu o oposto. A título de informação, minha família é tradicional (sou casado há 21 anos com minha esposa, tenho filho e sempre o matriculei num colégio confessional), vamos á missa juntos, recolhemos o dízimo etc.

      E qto a você, conte-nos sobre sua vida, sua família e suas atividades cristãs, além de criticar SISTEMATICAMENTE o santo padre o papa Francisco.

      O papa Bento XVI (que vc deve admirar, como eu tb admiro), cunhou um frase histórica que se ajusta prefeitamente à sua personalidade:

      – “Os ataques ao Papa e à Igreja não vêm só de fora, os sofrimentos da Igreja vêm do seu próprio interior, do pecado que existe na Igreja.”

      Finalmente, a Organização Mundial de Saúde- OMS definiu a saúde como: “um estado de completo bem-estar físico, MENTAL e social e não somente ausência de enfermidades”.

      A Igreja Católica Apostólica Romana alerta:
      Católico que critica SISTEMATICAMENTE o seu líder espiritual devem correr para os confessionários ou procurar ajuda psicológica ou, na pior da hipóteses, pedir uma avaliação “in loco” de um exorcista.

      Tenho dito!

  13. “Refl(e)tindo”

    Pena mesmo que o Papa Bergoglio prefira todas as falsas religiões ao catolismo. Em nome do ecumenismo moderno – reunião de todas as heresias em desfavor do catolicismo(dilapidação de todo tesouro da fé) -, o Papa Bergoglio faça preferencias aos dos santos da Igreja.