Reflexões sobre temas da Sagrada Escritura: Restaurar em Cristo todas as coisas.

“É n’Ele (Jesus Cristo) que temos a redenção pelo seu sangue, a
remissão dos pecados, segundo as riquezas de sua graça, a qual
derramou abundantemente sobre nós, em toda sabedoria e prudência; a
fim de nos tornar conhecido o mistério da sua vontade, segundo o seu
beneplácito, que tinha estabelecido consigo mesmo, de restaurar em
Cristo todas as coisas…” (Efésios I, 7-10).

Por Padre Élcio Murucci | FratresInUnum.com

“… A volta das nações ao respeito da majestade e da soberania divina, por mais esforços, aliás, que façamos para realizá-lo, não advirá senão por Jesus Cristo. De feito, o Apóstolo adverte-nos que ninguém pode lançar outro fundamento senão aquele que foi lançado e que é a Cristo Jesus  (1 Cor III, 11). Só a ele foi que o Pai santificou e enviou a este mundo (S. João X, 36), esplendor do Pai e figura da sua substância (Heb. I, 3), verdadeiro Deus e verdadeiro homem, sem o qual ninguém pode conhecer a Deus como convém, pois ninguém pode conhecer a Deus como convém, pois ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo (S. Mateus XI,  27).

São Pio X.

São Pio X.

“Donde se segue que restaurar tudo em Cristo e reconduzir os homens à obediência divina são uma só e mesma coisa. E é por isto que o fito para o qual devem convergir todos os nossos esforços é reconduzir o gênero humano ao império de Cristo. Feito isto, o homem achar-se-á, por isso mesmo, reconduzido a Deus. Mas – queremos dizer – não um Deus inerte e descuidoso das coisas humanas, como nos seus loucos devaneios o forjaram os materialistas, senão um Deus vivo e verdadeiro, em três pessoas na unidade de natureza, autor do mundo, estendendo a todas as coisas a sua infinita Providência, enfim legislador justíssimo que pune os culpados e assegura às virtudes a sua recompensa”

“Ora, onde está a via que nos dá acesso a Jesus Cristo? Está debaixo dos nossos olhos: é a Igreja. Diz-no-lo com razão S. João Crisóstomo: ‘A Igreja é a tua esperança, a Igreja é a tua salvação, a Igreja é o teu refúgio’. Foi para isso que Cristo a estabeleceu, depois de adquiri-la ao preço do seu sangue; foi para isso que Ele lhe confiou a sua doutrina e os tesouros da graça divina para a santificação e salvação dos homens”.

… “Trata-se de reconduzir as sociedades humanas, desgarradas longe da sabedoria de Cristo, reconduzi-las à obediência da Igreja; a Igreja, por seu turno, submetê-las-á a Cristo, e Cristo a Deus. E, se pela graça divina nos for dado realizar esta obra, termos a alegria de ver a iniquidade ceder lugar à justiça, e folgaremos de ouvir uma grande voz dizendo do alto dos céus: Agora é a salvação, e a virtude, e o reino de nosso Deus e o poder de seu Cristo (Apocalipse XII, 10).”

“Todavia, para que o resultado corresponda aos nossos votos, mister se faz, por todos os meios e à custa de todos os esforços, desarraigar inteiramente essa detestável e monstruosa iniquidade própria do tempo em que vivemos e pela qual o homem se substitui a Deus; restabelecer na sua antiga dignidade as leis santíssimas e os conselhos do Evangelho; proclamar bem alto as verdades ensinadas pela Igreja sobre a santidade do matrimônio, sobre a educação da infância, sobre a posse e o uso dos bens temporais, sobre os deveres dos que administram a coisa pública; restabelecer, enfim, o justo equilíbrio entre as diversas classes da sociedade segundo as leis e as instituições cristãs.”

“Tais são os princípios que, para obedecer à divina vontade, nós nos propomos aplicar durante todo o curso do Nosso Pontificado e com toda a energia de nossa alma” (…)

São Pio X indica, a seguir, os meios para formar em todos Jesus Cristo e assim n’Ele restaurar todas as coisas:

– Formar Cristo nos sacerdotes;

– Daí todo cuidado com os Seminaristas;

– Cuidado com os novos Sacerdotes;

– Necessidade do ensino religioso;

– Fazer tudo isto com caridade cristã;

É preciso que todos os fiéis colaborem.

Formar Cristo nos Sacerdotes:

“Que meios importa empregar para atingir um fim tão elevado? Parece supérfluo indicá-los, tanto eles apresentam à mente por si mesmos. Sejam os vossos [dos bispos] primeiros cuidados formar Cristo naqueles que, pelo dever da sua vocação, são destinados a formá-lo nos outros. Queremos falar dos sacerdotes, Veneráveis Irmãos. Porquanto todos aqueles que são honrados com o sacerdócio devem saber que têm, entre os povos com que convivem, a mesma missão que Paulo testava haver recebido, quando pronunciava esta ternas palavras: ‘Filhinhos, a quem eu gero de novo, até que Cristo se forme em vós’ (Gálatas IV, 19).

Ora, como poderão eles cumprir um tal dever, se eles próprios não forem primeiramente revestidos de Cristo? E revestidos até poderem dizer com o Apóstolo: ‘Vivo, já não eu, mas Cristo vive em mim’ (Gal. II, 20). ‘Para mim, Cristo é a minha vida’ (Filipenses I, 21). Por isso, embora todos os fiéis devam aspirar ao estado de homem perfeito, à medida da idade da plenitude de Cristo (Efésios IV, 3), essa obrigação incumbe principalmente àquele que exerce o ministério sacerdotal. Por isto é ele chamado outro Cristo; não somente porque participa do poder de Jesus Cristo, mas porque deve imitar-Lhe a imagem em si mesmo”.

“Se assim é, Veneráveis Irmãos, quão grande não deve ser a vossa solicitude para formar o clero na santidade! Não há negócio que não deva ceder o passo a este. E a consequência é que o melhor e o principal do vosso zelo deve aplicar-se aos vossos Seminários, para introduzir neles uma tal ordem e lhes assegurar um tal governo, que neles se veja florescerem lado a lado a integridade do ensino e a santidade dos costumes. Fazei do Seminário as delícias do vosso coração, e não descureis coisa alguma daquilo que, na sua alta sabedoria, o Concílio de Trento, prescreveu para garantir a prosperidade dessa instituição”.

Em seguida São Pio X lembra aos bispos algumas advertências das Sagradas Escrituras:

‘Não imponhas precipitadamente as mãos a ninguém, e não te faças participante dos pecados dos outros’ (1 Timóteo, V, 22).  ‘Guarda o depósito, evitando as novidades profanas na linguagem, tanto quanto as objeções de uma ciência falsa, cujos partidários com todas as suas promessas faliram na fé’ (1 Timóteo VI, 20 ss). São Pio X conclui sua encíclica lembrando a misericórdia divina: “Que Deus, rico em misericórdia (Ef. II, 4), apresse, na sua bondade, essa renovação do gênero humano em Jesus Cristo, visto não ser isso obra nem daquele que quer, nem daquele que corre, mas do Deus das misericórdias’ (Romanos IX, 16). (Este artigo são excertos da Encíclica “E Supremi  Apostolatus” – 1903).

Tags: ,

4 Comentários to “Reflexões sobre temas da Sagrada Escritura: Restaurar em Cristo todas as coisas.”

  1. S Pio X em sua clarividencia sabia que, se algo não fosse instaurado ou restaurado sob o Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo estaria fadado ao desgaste e ao desaparecimento, recordando a construção de uma casa sobre areia movediça: mais cedo ou mais tarde ruirá.
    Hoje em dia, em paradoxo com seu pastoreio, tenta-se quase tudo por meio de artificios humanos, mesmo dentro da Igreja por certos “movimentos eclesiais”, e as bases espirituais tradicionais mais deixadas de lado, resultando em se envolverem em ideologias; praticamente criariam uma nova Igreja à margem dessa e acompanhada do caos doutrinario; nada dá certo de forma estável e as querelas entre propositores disso ou daquilo podem mesmo resultarem em seitas.
    Para que sejam capazes de levar adiante uma catequese séria e duradoura, para afastarem a ignorância religiosa dos filhos da Igreja, deverão ensinar a partir do exemplo pessoal e viver uma caridade pastoral sem limites, assim como levarem uma sólida e profunda vida espiritual atuante para se gerarem frutos perenes de conversão, era seu direcionamento pastoral.
    Idem, têm de educar com firmeza a uma observante disciplina, e o sentido do dever e o ardente desejo de servirem ao Senhor deviam levá-los a assumirem com radical amor e fidelidade suas responsabilidades, e esse precisamente era o depoimento que ele mesmo dava a partir de si aos clérigos, e por tal preocupação promoveu a reforma dos seminários, que em seu tempo floresceram.
    Radical anti modernista, sempre apascentando a grei do Senhor e velando pela pureza da doutrina cristã, S Pío X atuou com firmeza frente ao modernismo; de suma importancia foi a publicação do decreto Lamentabili em 1907 em que condenava numerosas teses exegéticas e dogmáticas influenciadas por aquela heresia de moda, e sua encíclica Pascendi em 1907 na mesma direção, condenando outras teses modernistas.

  2. Padre Élcio, a sua bênção. O senhor escreve muito bem!
    Adoro seus textos!

  3. Daise Moreira, que Deus a abençoe copiosamente! Obrigado! Mas, na verdade, o que eu faço é copiar. Aceitei escrever uma coluna neste conceituado blog pensando justamente em citar as Sagradas Escrituras, os Santos Padres e o Magistério Vivo e PERENE da Santa Madre Igreja. Peço as orações de todos para sempre escolher o que mais for para o bem das almas nos tempos atuais. Aliás agradeço ao Isaías pelos seus comentários que têm enriquecido os meus artigos, aplicando-os às conjunturas hodiernas.

  4. Agradeço ao Senhor, Revmo Pe Elcio pelas palavras – muito bem instruído e atuante como ja disse anteriormente, aproveito-lhe bastante dos seus profundos artigos – exemplar antimodernista sacerdote, e se tivéssemos similares em abundancia no Brasil, hoje não estariamos sob as patas dos diabólicos marxistas de varios partidos, como PT, PSOL, PSTU, PC do B, PCO, Rede da Sustentabilidade (do marxismo) da melancia Marina Silva, PSB etc., e mesmo sob o PSDB socialista que apenas difere em métodos, mas o objetivo é o mesmo: instalação é a descristianização, destruição das familias para favorecer a instalação do comunismo total – FHC apologizava o aborto e mais tais quais, apenas não são stalino-trotskistas como o truculento PT, que chega virando a mesa, dos tais que matam para depois perguntarem, lembram?!
    Quantas dezenas de milhares de católicos por ignorancia e falta de pastores que os instruissem da radical perversidade de suas ideologias elegeram por inadvertencias, a principiar de omissão muitos da Alta Hierarquia, cujas vozes silentes, favorecem-nos sobremodo, pois nós cá em baixo temos pouco impacto nesse sentido.
    A CNBB, por ex., desde sua gênese tem favorecido o marxismo, conferindo-se as interpelações por cartas do Atanasio brasileiro, D Manuel Pestana, advertindo a CNBB favorecer os comunistas, e dentre elas dirigidas diretamente a D Luciano Mendes!
    As interpelações de leigos têm restrito impacto na questão de uma reflexão e atitudes serias dos leigos sobre problemas atuais, e cito as bem fundamentadas denuncias da *”CARTA ABERTA DE UM ARCEBISPO SOBRE A CRISE DA IGREJA”, real e atualíssima, refletindo o presente momento como já anotei aqui.
    Treis trechinhos que remetem ao caso atual de um Brasil “católico”, sob o ferrolho marxista, entrando fundo em sua agenda e os que deveriam questionar, em cima do muro – portanto favoraveis a eles!
    “Canes non valentes latrare”?
    *… Infelizmente, em nossos dias, está ficando cada vez mais evidente que o Vaticano, por meio da Secretaria de Estado, tomou a estrada do politicamente correto. Alguns Núncios tornaram-se propagadores do liberalismo e do modernismo. Eles se tornaram especialistas no princípio “Sub secreto Pontifício”, através do qual manipulam e calam as bocas dos bispos”.
    **.. .Pode-se observar em todos os níveis da Igreja uma diminuição evidente do espírito do “sacrum”. O “espírito do mundo” alimenta os pastores. Os pecadores é que dão à Igreja as instruções de como ela tem que servi-los. Constrangidos, os Pastores se calam sobre os problemas atuais e abandonam o rebanho, enquanto cuidam de alimentar apenas a si mesmos”.
    *** “Em nossos dias, a voz da maioria dos bispos se assemelha ao silêncio dos cordeiros diante de lobos furiosos, os fiéis são abandonados como ovelhas sem defesa. Cristo foi reconhecido pelos homens como alguém que falava e agia em uníssono, que tinha poder e é este poder que Ele concedeu a Seus apóstolos. No mundo de hoje, os bispos precisam se libertar de todos os laços mundanos e – depois de terem feito penitência – converterem-se novamente a Cristo, para que fortalecidos pelo Espírito Santo possam anunciar Cristo como o único Salvador”.
    Estou cansando de ouvir deles falarem em crises, violencia, caos apenas de forma genérica – os efeitos – mas as raízes dos causadores caóticos COMUNISTAS protagonistas martelo e foice, como Lula, Dilma e assessores no poder jamais são se recordados!
    Temores de retaliações, conivencias?