Diocese de Helsinki adverte aos bispos luteranos que eles não podem comungar em Missa Católica.

Em vista da participação, e possível comunhão, de Samuel Salmi, bispo luterano de Oulu, Finlândia, em uma missa católica celebrada na Basílica de São Pedro no Vaticano, após ser recebido pelo papa Francisco, o diretor do Centro de Informações da diocese [Católica] de Helsinki emitiu um comunicado no qual recorda que somente os Católicos em estado de graça podem receber o sacramento Católico da Eucaristia.

Fonte: InfoCatólica | Tradução: Teresa Maria Freixinho – FratresInUnum.comComunicado da diocese de Helsinki:

A Eucaristia na Igreja Católica não mudou

Uma informação da agência de notícias Kotimaa 24 (19 de janeiro de 2016) afirma que Samuel Salmi [bispo luterano de Oulu, Finlândia] participou de uma missa católica celebrada na Basílica de São Pedro, no Vaticano. Sem dúvida, a notícia está redigida de uma forma que poderia causar mal-entendidos. Meu objetivo é esclarecer algumas questões relativas à recepção da Eucaristia na Igreja Católica.

  1. Somente os membros da Igreja Católica em estado de graça podem receber o sacramento Católico da Eucaristia ou Sagrada Comunhão. Há algumas exceções muito particulares a essa regra. Porém, em qualquer caso, para receber a Eucaristia é necessário aceitar a doutrina Católica a esse respeito e cumprir as condições necessárias para recebê-la (por exemplo, viver em uma relação diversa de um verdadeiro matrimônio sacramental cristão é um impedimento).
  2. Atualmente, em alguns países, principalmente, no norte da Europa, existe o costume de receber uma benção do sacerdote durante a Missa no momento da Comunhão. Geralmente, este gesto é feito colocando a mão direita sobre o ombro esquerdo. Essa prática não é muito conhecida em outros lugares. Portanto, é aconselhável que as pessoas permaneçam em seus lugares durante a Comunhão caso não saibam se o ministro da Comunhão está familiarizado com ela. Se, por ignorância, o ministro da Comunhão lhes oferecer a Comunhão, elas podem recusá-la educadamente.
  3. Contrariamente às especulações de Samuel Salmi, não se pode concluir que o Vaticano tem uma «nova atitude ecumênica», baseada na ocorrência de um erro que se deu na distribuição da Comunhão. Não houve nos últimos anos ou décadas mudança da doutrina e da prática da Igreja Católica com relação a quem pode receber a Sagrada Comunhão. Se tivesse mudado, não seria «na prática», mas sim através de uma alteração da lei da Igreja e dos ensinamentos referentes aos sacramentos da Igreja Católica.
  4. A notícia também menciona que, durante a visita ecumênica a Roma, os bispos de Helsinki, Teemu Sippo SCJ (católico), Ambrosius (ortodoxo) e Irja Askola (luterano), haviam «celebrado» uma «Missa ecumênica» juntos na festa de Santo Enrique (de Uppsala). Não é bem assim. Em anos alternados, há uma missa católica na qual participam representantes de outras igrejas em espírito ecumênico, por exemplo, fazendo pregações. Nos outros anos, o que se celebra é uma Ceia do Senhor luterana, na qual pregam um bispo ou um sacerdote católico. A celebração, portanto, segue sempre a tradição e a prática da igreja correspondente. Deve-se ressaltar inclusive que nessas missas se respeita o doloroso fato de que não há Comunhão entre as igrejas.
  5. «A nova maneira de pensar» de Francisco, mencionada no artigo, não é um sinal de que a Igreja Católica vai alterar a sua prática referente à distribuição da Sagrada Eucaristia. Pelo contrário, para nós os católicos, isso é um sinal de que também devemos examinar mais detalhadamente as nossas consciências à luz do magistério da Igreja e, em seguida, discernir com sinceridade se reunimos nesse momento os requisitos para receber a sagrada Comunhão.

Em suma, devo acrescentar que para os católicos a Eucaristia é «fonte e ápice» de nossa vida cristã. Ela é, por assim dizer, o nosso credo. Preparemo-nos cuidadosamente para receber a Comunhão, confessemos nossos pecados graves e jejuemos (embora por pouco tempo) antes de recebê-la. Ajustemos nossas vidas para poder receber a Comunhão dignamente, sabendo que «Portanto, o aquele que come o pão ou bebe o cálice do Senhor indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor» (1Co 11,27).

Apesar do que foi dito anteriormente, nem todas as pessoas que administram a Comunhão conhecem cada ponto do magistério e da prática da Igreja, e é possível que se cometam erros. A intenção de criar comunhão (entre as igrejas) baseando-se na própria autoridade, em todo caso, dificulta ainda mais os esforços autênticos das igrejas para se aproximarem. Portanto, seria bom respeitar o enfoque de cada igreja a respeito desse assunto.

Marko Tervaportti

Diretor do Centro de Informação Católica

7 Comentários to “Diocese de Helsinki adverte aos bispos luteranos que eles não podem comungar em Missa Católica.”

  1. O que se produziu, com efeito, foi um erro de lógica: da premissa particular segundo a qual luteranos comungaram em uma missa na Basílica de S. Pedro, chegou-se à conclusão universal de que o Papa ordenou aos ministros que oferecessem o Sacramento àqueles.

    Quem já foi ao Vaticano, em grandes celebrações, certamente no momento da comunhão ouviu nos alto-falantes, em várias línguas, a advertência de que a Eucaristia se reservava somente aos católicos.

    De fato, como diz o texto, foi mera especulação. Parece ser o que mais se faz na Igreja hoje.

  2. É impressionante como devemos lembrar o próprio Papa o básico sobre um sacramento tão importante…

  3. Eis o tipo do ecumenismo mal entendido: forçar existir união entre igrejas com o catolicismo e ainda divergindo em pontos cruciais; cada uma das seitas tem uma tendencia e direcionamento religiosos, todas e cada uma em desacordo com a Igreja católica.
    Hoje a mentalidade vigente que é a grande debilidade dos nossos tempos é considerar tudo relativo, meio provisório, tudo renegociável, longe de compromissos definitivos; troca-se de lado ao sabor de conveniencias, sem a menor cerimônia.
    As grandes ideologias então são assim: estão hoje de um lado da trincheira, mas amanhã podem estar do lado oposto.
    Paralelamente, as outras diversas religiões se apresentam como supostos locais de salvação e de manifestação divinas, no entanto, somente a Igreja Católica tem a inteireza da doutrina, e a garantia plena da presença da graça.
    Por outro lado, infelizmente, certos líderes da nossa Igreja têm se silenciado a respeito de verdades, ausentes em outras denominações para não “ferirem ou constrangerem” o suposto ecumenismo, fundamentado talvez em interesses escusos, defendidos a partir de certos hierárquicos que seriam infiltrados na Igreja.
    Qual é o resultado dessa atitude de “compreensiva” mal compreendida? É a geração de uma imensa confusão na mente de muitos fiéis, e os mal informados podendo ficar sem saber distinguir com quem está a verdade!
    Parece que a meta dos “ecumenistas” seria essa: semear a confusão e dispersar os fieis!

  4. Se Francisco deixa…. quem vai dizer o contrário?

  5. Eu nem sei mas a que Igreja pertenço………… Ainda tem algo rígido, sólido, imutável???

  6. Vc já viu um vídeo da missa protestante,luterana ou episcopal? Mesmo ritual da atual missa,chamada de Paulo VI. Mas, ao contrário do que se pensa, foram os católicos modernos,
    que foram aprender a novíssima, com os protestantes.

  7. Os luteranos que estão à espera de PF para a comemoração dos 500 anos da Pseudo-Reforma na Suécia (próximo 31 de outubro)

    Antje Jackelén: “bispa” luterana que ordena mulheres desde 1960.

    Dois “bispos” luteranos que abertamente sodomitas.

    Eva Brunne, “bispa” luterana de Estocolmo, lésbica declarada, que mandou tirar os crucifixos de uma igreja destinada a receber refugiados mafométicos, além de lhes assinalar a direção de Meca para suas orações.

    http://www.revue-item.com/10570/10570/