Os últimos atos de Francisco sob o olhar de um agnóstico.

Assim interpreta os últimos acontecimentos do pontificado de Francisco seu amigo próximo, o editor do jornal La Reppublica.

Por Eugenio Scalfari, 31 de janeiro de 2016 | Tradução: Gercione Lima – FratresInUnum.com: Eu queria escrever sobre a Europa de hoje e a crise que a está devastando, apesar da indiferença que tem permeado as suas instituições e a chamada classe dominante que a administra; uma crise que pareceu mais evidente na reunião de sexta-feira entre Angela Merkel e Matteo Renzi, em Berlim.

Eu falarei disso em um momento, mas primeiro tenho de fazer algumas observações sobre o encontro no Vaticano entre o Papa Francisco e Hassan Rohani, o presidente do Irã, e também sobre o pré-anunciado encontro que terá lugar em 31 de Outubro na Suécia entre Francisco e os representantes das igrejas protestantes de todo o mundo para celebrar a Reforma Luterana de meio milênio naquele mesmíssimo dia em que Martinho Luthero cravou sobre a porta da catedral de Wittenberg suas teses que partiram ao meio a religião cristã.

Quinhentos anos durante o qual foram desencadeadas guerras religiosas, massacres, fogueiras, tortura infligida a ambos os lados e com o apoio de vários governantes que usavam para a própria vantagem política essas trágicas guerras religiosas. Somente um tentou o caminho da reconciliação em 1541 e foi Carlos V de Hagsburgo, imperador da Alemanha e da Espanha, mas a tentativa falhou e as guerras religiosas continuaram a derramar sangue na Europa.

O clímax foi atingido na noite de São Bartolomeu, em 1572, quando os huguenotes (protestantes franceses) liderados pelo rei de Navarra, pelo príncipe de Condé e pelo Almirante de Coligny, foram massacrados por soldados de Catarina de Médici e seu filho Carlos IX de Valois. Eram vinte e três mil vítimas do massacre em Paris, e depois continuaram durante séculos.

Em 31 de outubro, aquele racha que dividiu em dois o catolicismo será celebrado e superado. Francisco já pediu perdão aos Valdenses, que precederam em muito a divisão Luterana e pedirá perdão também a Lutero e a seus descendentes e o perdão será mútuo, porque os protestantes também têm sua responsabilidade por tanto derramamento de sangue. O objetivo de ambas as partes é superar essas divisões tornando-se fraternos novamente em nome de Cristo. Os ritos e a liturgia permanecem distintos, mas a fraternidade será aberta no âmbito de uma Igreja pastoral e missionária que, com uma abrangência dessa magnitude, à qual devem ser adicionados uma grande parte dos anglicanos e, no futuro próximo, também as Igrejas ortodoxas do Oriente, se tornará a religião numericamente mais difusa nas Américas, Europa, Rússia, África, Ásia e Austrália.

Mas, não nos esqueçamos da visita à sinagoga de Roma feita pelo papa Francisco e do encontro com Rouhani [presidente do Irã] no Palácio Apostólico no dia 26 passado. O comunicado divulgado com a anuência de ambas as partes diz o seguinte: “Durante o colóquio, foram evidenciados os valores espirituais comuns e depois se fez referência às boas relações entre a Santa Sé e a República Islâmica do Irã. O colóquio também revelou o papel importante que o Irã desempenha, junto com outros países da região, para promover soluções políticas adequadas para os problemas que enfrentam o Oriente Médio, como o combate à propagação do terrorismo. A este respeito, foi alertado para a importância do diálogo inter-religioso e a responsabilidade das comunidades religiosas para promover a tolerância e a paz”.

Duas iniciativas: com os luteranos e  protestantes e outra com o Irã islâmico, das quais saem reforçadas a liberdade religiosa, a convergência humanitária, bem como as repercussões políticas dessas iniciativas, em grande parte tomadas pelo Papa Francisco, que em várias vezes eu defini como profético e revolucionário. Na base do seu pensamento e de sua ação está sempre a fé em um Deus que ninguém havia antes  proclamado com o vigor de Francisco e que representa a excomunhão dos fundamentalistas de todos os tipos e do terrorismo e guerras que esses fundamentalismos alimentam.

Anúncios
Tags:

12 Comentários to “Os últimos atos de Francisco sob o olhar de um agnóstico.”

  1. Aguardando o “cleaner mor” dos comentaristas rasgar seus elogios ao papa neste espaço.

    Sra. Gercione e fratres, haja paciência!

  2. Não são necessárias muitas palavras, apenas uma basta e não me importo com o resto, pois até um agnóstico como Eugenio Scalfari disse, ninguém nunca havia antes proclamado a fé em tal deus. Que deus absconditus será esse que ninguém havia ousado proclamar até então? Anticristo!!! Ei-lo aí.

  3. “Antes do advento de Cristo, a Igreja deve passar por uma provação final que… desvendará o “mistério de iniquidade” sob a forma de uma impostura religiosa que há de trazer aos homens uma solução aparente a seus problemas, à custa da apostasia da verdade…. (Catecismo da Igreja Católica – ATUAL)

  4. …sua ação está sempre a fé em um Deus que ninguém havia antes proclamado …
    Com certeza que não – esse deus inventado ninguém conhece…

  5. … “Na base do seu pensamento e de sua ação está sempre a fé em um Deus que ninguém havia antes proclamado com o vigor de Francisco e que representa a excomunhão dos fundamentalistas de todos os tipos e do terrorismo e guerras que esses fundamentalismos alimentam”.
    Esse deus nunca proclamado e que o atribui ao papa Francisco resume todo seu desabafo e afeição pelo recém chegado, porém, velho como nunca – apesar de no momento estar muito bem maquiado!
    Enganou-se, “seu” Scalfari: esse tal deus nunca antes proclamado está aí, idolatrado, entronizado de todas as formas, a começar do sr., que o tem junto de si e que o orienta a dessa forma proceder..
    Esse deus é o mesmo das religiões pagãs, defensor dos degoladores dos cristãos, do ISIS e doutros na mesma direção, como a da deusa da lua Alah, do “Alcorão da paz”; no entanto, que odeia os cristãos, apesar dos imãs e mullahs muçulmanos enganosa e convenientemente prefiram dizer ser o mesmo Senhor Deus de Israel!
    Assim sendo, sabemos que o acima não corresponde à realidade, pois esse deus deles manda odiar e exterminar os judeus e Verdadeiro Senhor Deus de Israel que ratificou uma aliança com esses, cuja religião precedeu à “religião” muçulmana, que foi fundada em 622 DC.
    Idem, esse deus nunca proclamado está nas ideologias gerais que abominam o Verdadeiro Senhor Deus e se atribui no direito de praticar a religião de cunho imanentista, portanto satanista, a mesma que tentam nos impingir sob a forma antropocêntrica, dentro das propostas dos partidos de ideologias marxistas, representadas pelos partidos comunistas, ou da maçonaria, farinhas do mesmo saco!
    Daí, nesse mundo de mortos ambulantes, almejam construir um reino – como diz o poeta – eterno, enquanto dure!!
    Mesmo nas seitas das mais diversas cores e matizes que pululam por aí. cada qual mais verdadeira que a outra, trazendo a cada um seu modo proprio de salvação e chegada de um reino, cujas qualidades básicas serão o sincretismo religioso, a alienação, o relativismo, consequentemente, de como se chafurdar no diabolismo – já em adiantado estagio de implantação, ou já sedimentado!
    Vá fundo, invista nesse seu deus “nunca proclamado”, Scalfari!

  6. LA “GRANDE GUERRA DELLE FORME” DELLA CHIESA: LA FORMA PASTORALE CONTRO LA FORMA DOGMATICA.COME E PERCHÉ.
    http://enricomariaradaelli.it/emr/aureadomus/attualita/articolo_18.html

  7. Tristíssimo tudo que está acontecendo. A religião ecumênica do Anticristo vai sendo aplaudida pelo mundo inteiro, mas nosso Deus e Salvador já prometeu que iria abreviar esse tempo sinistro por causa dos eleitos.
    Vem, Senhor! O sofrimento já está demais!!!

  8. Caro Saulo, trabalho de “cleaner bergogliano” no Brasil é fácil onde a ignorância religiosa abunda e a bajulação por quem detém o poder oblitera as consciências dos que não cultivam o amor à verdade mas sim o próprio ego.
    Quero ver é fazer esse trabalho de cleaner na Itália onde os jornais Católicos e blogs não poupam palavras pra criticar os desmandos desse Pontificado!
    Se eu fosse traduzir todos os artigos que me são indicados por fontes italianas, como o artigo “Il Caso Bergoglio” saído na Confederazione Italiana, passaria o dia inteiro sentada em frente ao meu computador: http://www.laconfederazioneitaliana.it/?p=2135
    Mas hoje é Dia da Purificação de Nossa Senhora e eu tenho compromissos com um Deus que nunca deixou de ser proclamado com todo o vigor por sacerdotes e leigos fiéis…O Deus que alegra a minha juventude…Ad Deum qui laettificat juventutem meam!
    Que Nossa Senhora das Candeias, a Candelária, acenda em cada um de nós a luz de Cristo… para que nessa hora difícil pela qual passa a Igreja, “possamos iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir nossos passos no caminho da paz”.

  9. Alguém pode me informar ou indicar fontes sobre esse perdão aos Valdenses???

  10. Cada vez mais tenho certeza que devo partir para o lado de Dom Tomás, OSB, e Dom Richard e Dom Faure.