Pe. Joãozinho responde, e nós também.

Por FratresInUnum.com – Informamos que nossa redação recebeu uma comunicação privada (e-mail) do Pe. Joãozinho.

Nós lhe respondemos prontamente, apresentando nossa proposta de debate, a ser desenvolvido por nossos colaboradores Gercione Lima e Rodolpho Loreto.

Comunicamos ao Pe. Joãozinho que, doravante, não trocaremos mais mensagens privadas. Não aceitaremos, também, desviar o foco para outras questões. Queremos debater somente o tema a ser discutido, sem fugas para assuntos paralelos.

Propusemos a seguinte pergunta a ser debatida: “A Teologia da Libertação é marxista desde sua criação até os dias atuais?”

Proporemos que sim, enquanto os padres que não.

Sugerimos a seguinte ordem para o debate:

1. Os padres abrem a discussão com um texto expondo seu ponto de vista.
2. Faremos, então, a resposta contrária, colocando também os argumentos que justificam nossa posição.
3. Os padres poderão replicar nossos argumentos.
4. Faremos uma tréplica.
5. Cada um dos debatedores, ao mesmo tempo, deverá escrever sua conclusão do debate.

Estamos à espera de uma resposta de Pe. Joãozinho.

Enquanto isso, para não perdermos nosso habitual bom humor, escute esta linda obra de arte, que tanto evangelizou o Brasil, de Padre Zezinho e se inspire!

Anúncios
Tags:

20 Comentários to “Pe. Joãozinho responde, e nós também.”

  1. ….eu não ouvi isso…..

  2. E so trocar Jiboia por TL……. e por isso que eu nem chego perto dela…..:)

  3. A música é linda, excelente evangelizadora, recorda a “Mae Terra”, para ser cantada nos acampamentos do MST e com a voz do João Pedro Stédile, acompanhado de diversos do Vaticano na plateia o aplaudindo!

  4. Na minha humilde opinião o Fratres deveria manter seu foco no jornalismo católico, e não tentar virar um site de discussão e debate.

  5. Não posso me furtar de parabenizá-los pela oportuna qualificação – “comunicação privada” – da msg joaneia (joanina).

  6. Fazer musiquinha pra serpente tendo, de quebra, um coro infantil ao fundo, compõe um quadro musical (?) bem mais sinistro do que parece. Tem mesmo que rastejar e comer o pó da estrada a seita rebolante cujos chefetes conseguem até mesmo entrever valores na sodomia e na coabitação de machos (?). Vamos que vamos, não prevalecerão!

  7. Viva. Um debate de gente grande. Saudades do Prof. Orlando destruindo este pessoal nos debates. Infelizmente estes debates praticamente sumiram após a morte do Prof. Orlando. Por isto estou ansioso para ver o desenrolar da história. Parabéns equipe do Fratres.

  8. Muito boa a proposta do Debate. Só não aprovo brincadeiras e coisas ridículas, como a música horrível veiculada no post. É medonho, mas não precisava. O que se poderia era abrir um debate sobre os padres “celebridades”, sertanejos, pop, caminhoneiro, cowboy, etc, etc., suas roupas, suas vaidades, suas heresias.

  9. Fratres, caso esse debate ocorra mesmo, será um enorme serviço positivo para a Igreja do Brasil. Por favo, não se percam em ironias e palavras inflamadas ou apaixonadas. Há uma vastíssima documentação Católica, indo desde documentos magisteriais até análises do tema vindo de fora da Igreja ( Pe. Paulo Ricardo e o professor Olavo, são indispensáveis)

    Que Nossa Senhora, martelo contra as heresias e São José, terror dos demônios, protejam vocês e que nenhuma injustiça seja cometida.

  10. essa da jiboia foi demais

  11. Nossa mas esse padre juanico ainda está por aí? Depois da surra lascada do professor Fedeli? Meu Deus, haja carão!

  12. O Padre Zezinho veio no ano passado dar uma palestra na aqui na minha região, e teve um momento que ele falou que é da teologia da libertação, logo depois ele disse que ele chegava nos amigos ricos dele e sugava o quanto pudesse de dinheiro (de acordo com o padre para dar aos pobres), logo depois uma irmã meio assustada com a declaração disse que que a congregação dela já mais faria isso que que ela não acha isso certo. Esse tipo de atitude é bem teologia da libertação que usa o nome de Jesus, que usa os pobres para praticar estelionato.

  13. Sugiro convidar o Dr. Júlio Loredo que escreveu um estudo aprofundado sobre a TL – “Teologia della liberazione. Un salvagente di piombo per i poveri” (tradução livre “Teologia da Libertação. Um salva-vida de chumbo para os pobres”- e publicou com boas repercussões na Itália. Ele poderia colaborar muito para provar o caráter marxista/comunista da TL, documentalmente, como faz no seu livro, em prelo para ser lançado no Brasil.
    Quanto a musiquinha, ele não é Pe. e deveria ter algo de religioso? Ou é como a TL que usa batina, o título de Pe. somente para ter repercussão e é vazia de conteúdo religioso católico verdadeiro, sério para entrar nessa musiquinha insossa e que não evangeliza nada.
    Bem a música é meio o jeito do cantor, entendam.

  14. A música foi escrita para o público infantil e faz parte do disco LÁ NA TERRA DO CONTRÁRIO, nos anos oitenta. Se fala da jibóia como um dos animais da arca de Noé. A ironia foi totalmente desnecessária ao meu ver. Todavia o debate poderá ser interessante desde que não se desvie do seu foco.

  15. Confiram o que postei no FACEBOOK do Pe Zezinho, de Geraldo Lins, no “Escreva algo nessa página” e maiis questionamentos, sem resposta até agora!:
    11 de fevereiro às 20:57
    “A TL é um produto-síntese de laboratorios de engenharia social – algo derivado das (des)orientações da Escola de Frankfurt, esquema para repassar marxismo de forma sutil sob forma religiosa católica, em que o imanentismo e o fraternalismo são o carro-chefe. Aproveitam-se dos incautos para colocarem no poder os social-comunistas, sob o falsario esquema de “opção preferencial pelo pobres”, melhor, opção preferencial pelos idiota-uteis, que depois serão “brindados” pela ajuda com a escravização, como na “libertaria” Cuba, em que o déspota e burguês F Castro “libertou” os cubanos do imperialismo americano, mais caiu sob o ferrolho marxista. A TL e o esquerdismo são idem”!

  16. Jeferson Cordeiro Lima, padres agora viraram animadores de festa infantil?

    Padres tem que evangelizar. Deixe as musiquinhas infantis para quem trabalha com festas para crianças.

  17. Oh Fabiano! Quão lúciidaas, equilibradas e tolerantes são suas considerações sobte o nível de um eventual debate temático e a os aspectos lúdicos da canções do Padre Zezinho. Pena que a índole cômico-messianista-dizimatoria dos Fratres(?), não possibilitem tal fluxo. 0brigado pelo contraponto! Nilson

  18. Caramba, as vezes acho que muitos que tem razão em suas críticas, perdem respeito e credibilidade por fazê-las de modo errado, sem caridade e demonstrando ter um rolo compressor no lugar do coração. Incapaz de ver algo de bom em alguem que, se essa pessoa em algum ponto o desagrada.
    Criticar o padre Zezinho, ou debochar, por causa dessa música que foi postada, demonstra uma total má vontade, um julgamento pré definido antes mesmo de ouví-la. Um desejo sádico e arrogante de humilhar.

    Qual é o problema da música, afinal? É porque foi um padre que a compôs? Ela foi feita pra ser cantada na missa?

    Numa aulinha de catequese pra crianças pequenas, ou num grupinho de escola infantil, uma música dessa imprime na mente e na alma da criança, que já deve ter ouvido a história de Eva tentada pela serpente, uma idéia muito clara de que a tentação as vezes parece atraente e não hostil, mas que deve ser recusada sem ponderações, lembrando-se mais do que Deus mandou sem ligar pros argumentos de quem sugere a desobediência. É tão simples e tão forte. Na hora certa, pro público certo. Mas tem público que não entende, ou não quer entender.

    Parabéns, pe. Zezinho. Não conhecia essa música. Muito boa!

  19. na verdade, a música diz tudo: a serpente é sedutora, diz que quer ser amiga, mas está cheia de malícia; a origem de todos os males – inclusive, e principalmente a TL – está na antiga serpente; reparem bem nisso. A música parece ridícula em princípio, mas na verdade, se for ouvida e não simplesmente escutada, diz tudo: não podemos dar ouvidos à serpente e nos aproximarmos dela! É uma pena que o próprio autor da música, apesar de te-la escrito, não a ouviu!…

  20. TL diz que não é marxista? É por isso que eu não chego perto dela…kkk

    (A propósito, a música é ótima, como várias do pe. Zezinho. Usaria perfeitamente com as crianças como uma parábola sensacional contra os erros do nosso tempo, incluso a TL).

    Pax!