Por que Padre Pio é o oposto de Bergoglio.

O retorno dos peregrinos a Roma pelo santo estigmatizado

Por Antonio Socci, 7 de fevereiro de 2016 | Tradução: Gercione Lima – FratresInUnum.com: O “complô para mudar o Catolicismo” (título do New York Times), que é o verdadeiro projeto do Papa argentino, ou seja, transformar a Igreja em uma sucursal do jornal  “La Repubblica” e do Greenpeace, ganhou a aprovação entusiasmado de todos os mais acirrados inimigos da fé católica.

Saint_Padre_Pio

Mas, para ter sucesso nesse intento, precisa do apoio absoluto do povo católico. Só que este povo está no lado oposto dos progressistas bergoglianos e – embora bombardeados pela mídia – preferem ficar ao lado de Padre Pio do que dos “esquerdistas”.

E não foi por acaso que em 2014 caiu pela metade sua participação nas audiências de Bergoglio e já em 2015 se reduziu pela metade do de 2014. Uma verdadeira fuga.

Por isso, no Vaticano, saíram com a ideia de um novo Jubileu: era necessário inventar um meio para sanar a dramática queda no comparecimento em torno ao papa Bergoglio.

ENCONTROS “MEDIEVAIS”

Certo, o Jubileu é um ritual nascido na Idade Média, fez com que surgisse Lutero (com as acusações sobre as indulgências) e é totalmente o oposto da mentalidade de Bergoglio que ama mais a companhia de Eugenio Scalfari, do centro social Leoncavallo, de Fidel Castro ou dos teólogos da libertação do que o povo Católico Wojtyliano e Ratzingeriano.

Mas, o objetivo era mostrar que em torno a Bergoglio existe um plebiscito permanente e que, para ser bem sucedido, ele chega a suportar até mesmo o “cheiro das ovelhas Católicas”.

No entanto, o jubileu provou ser um fracasso desde o seu início. O povo cristão percebeu seu nascimento em “tubo de ensaio”, para fins “políticos”, fora da tradição (a bula é ainda ambígua sobre as indulgências). E a comparação com a afluência do Jubileu do ano 2000, de João Paulo II, foi desde o início devastadora para Bergoglio.

Até mesmo o Dia da Família, do dia 30 de janeiro, mostrou que o povo Católico ama e segue ainda os ensinamentos de João Paulo II e Bento XVI e, de fato, aquele mesmo povo se deparou com a hostilidade gelada do Papa Argentino que teimosamente o ignorou e o boicotou.

Como é que depois de tudo isso eles ainda esperavam “forçar” o povo de Deus a aplaudir os triunfos mundanos de Bergoglio?

A idéia saiu mais uma vez da mente de Mons. Fisichella, o qual é muito zeloso em agradar o Soberano: visto que os corações das pessoas batem pelos santos da Tradição, levemos a Roma as relíquias dos santos mais populares e queridos como Padre Pio.

E, de fato, o povo veio em massa: só ontem, mais de 80.000 pessoas, um mar de fiéis. O site do “La Repubblica” foi comicamente intitulado: “Multidão em São Pedro pelo Papa”.

Mas – apesar dos esforços de propaganda deste jornal – todos sabem que a enorme multidão não estava na Praça de São Pedro por causa de Bergoglio (na verdade, sua audiência da última quarta-feira estava deserta): estava lá por Padre Pio.

O evento é excepcional por muitas razões, e cria tantos embaraços.

DESPREZO DE HOJE

Antes de mais nada, é um embaraço para a mídia e intelectuais seculares que vêem Padre Pio e a religiosidade popular como uma peste. Só que é difícil desta vez ridicularizar o evento porque era o seu favorito, Bergoglio, que quis esta iniciativa.

O Oscar do secularismo foi conquistado pelo jornal esquerdista “Il Fato Quotidiano”, com um título de desprezo publicado na sexta-feira: “Quem precisa do Isis?  Nossa Idade Média está aqui com Padre Pio”.

Deixemos de lado a referência ao ISIS… Um conhecimento mofado é a única idéia aproximada da Idade Média. Deveríamos responder-lhes que, de fato, a Idade Média está sempre entre nós e nos deixou um enorme patrimônio artístico (do qual gozamos e que com ele lucramos).

Mas está também no meio de nós porque os hospitais, universidades, bancos e catedrais foram inventados precisamente nas “trevas” da Idade Média. E da mesma forma, a idéia de Europa, a liberdade comunitária, a economia de mercado e a soberania popular.

A cultura clássica nos foi transmitida a partir da “perversa” Idade Média e ali também nasceram a tecnologia e a ciência, junto com a música (em sua forma moderna).

Mesmo a Divina Comédia – que talvez alguns leigos acreditam ter nascido de Roberto Benigni – vem do gênio medieval de Dante Alighieri, que literalmente  “inventou” a língua italiana.

DESPREZO DE ONTEM

Aquele povo de hoje, reunido em torno a Padre Pio, é o mesmo povo Católico que há 70 anos foi ridicularizado pelos intelectuais “iluminados” que zombavam da “Itáliazinha das procissões e das Madonnas peregrinas “.

E enquanto os “intelectuais” (que muitas vezes tinham sido fascistas) se enfileiravam com a Frente Popular Togliatti e Stalin, os quais preparavam para a Itália um futuro de Tchecoslováquia, as pessoas humildes e camponesas, ouvindo seus párocos e Pio XII, salvaram o país ao votarem pela Democracia Cristã. Foram elas que colocaram o país para sempre no ocidente da democracia e da liberdade.

Por causa disso, um verdadeiro liberal, Benedetto Croce, após o 18 de Abril de 1948, era capaz de dizer àquela  intellighentsia: “Agradeça àquelas beatas das quais vocês riem, pois se não fossem por elas,  hoje vocês não seriam livres”.

Em suma, enquanto os intelectuais “iluminados” estavam do lado daqueles que ameaçavam a liberdade e a civilização, foi justamente o povo devoto e desprezado que salvou o país.

Isso também foi possível graças à personalidade daqueles que como Padre Pio contribuíram decisivamente para que naquela eleição o comunismo fosse derrotado.

HORROR COMUNISTA

Padre Pio conhecia bem os crimes dos regimes comunistas, a devastação espiritual do ateísmo marxista e a mentira repugnante dos partidos comunistas que enganavam os pobres. E não se calava.

E mesmo nessas coisas, o santo capuchinho é exatamente o oposto de Bergoglio que nunca perde uma oportunidade de “flertar” com os piores tiranos comunistas, seja os irmãos Castro em Cuba (onde o Papa argentino desprezou dissidentes e perseguidos enquanto homenageou o déspota) seja o regime vergonhoso comunista chinês, um regime genocida, sobre o qual Bergoglio deu uma entrevista nos últimos dias ao “Asia Times”,  no mínimo constrangedora.

Nessa entrevista ele ficou totalmente calado sobre as questões da liberdade e sobretudo da liberdade religiosa, mas não poupou palavras – como foi observado por Sandro Magister – para absolver efusivamente a China de seus pecados do passado, presente e futuro, exortando-a a ser “misericordiosa consigo mesma” e a “aceitar seu próprio caminho para o que devia ser” como “água corrente” que purifica tudo, até mesmo as milhões de vítimas que o Papa nunca menciona, nem mesmo veladamente.

Um pronunciamento que foi recebido com entusiasmo pelos opressores comunistas. Os carrascos são sempre preferidos às vítimas.

Mas Padre Pio e Bergoglio são o oposto, sobretudo porque Padre Pio representa aquela Igreja Católica fiel à sua doutrina e à Tradição que Bergoglio quer ver desmantelada.

MISERICÓRDIA

O próprio nome que o frade de Gargano – Pio, tomou à entrada da vida religiosa –  foi destinado a homenagear São Pio X, ou seja, o Papa que mais combateu o Modernismo,. Exatamente o Papa mais odiado pelos progressistas que hoje estão no poder das salas do Vaticano.

Bergoglio afirma que ele trouxe as relíquias de Padre Pio a Roma para o Jubileu, como um símbolo de misericórdia. Mas a misericórdia testemunhada por Padre Pio – ao contrário da de Bergoglio – era inseparável da justiça e da verdade.

Padre Pio dizia temer a misericórdia, porque dela se pode abusar. Seu ensino espelha o de João Paulo II (com Santa Faustina) e Bento XVI.

O santo frade acrescentou: “A caridade sem verdade e sem a justiça que é a Verdade não pode existir. Deus é a Verdade, mesmo antes de ser Caridade”.

Palavras intragáveis para o partido bergogliano acariciado pelo radical chic.

De resto, assim como Padre Pio foi “perseguido” por certos eclesiásticos “iluminados”, igualmente hoje Bergoglio persegue duramente os mais autênticos filhos espirituais de Padre Pio, ou seja, os frades Franciscanos da Imaculada de Padre Stefano Maria Manelli que foram quase liquidados pelo papa Argentino.

Hoje Padre Pio está sendo “usado” por Bergoglio como atração para trazer a multidão em torno de si próprio, mas corre o sério risco de ser interpelado por algumas de suas “surpresas”. Poderia muito bem acabar que Padre Pio faça o milagre de converter alguém no Vaticano.

Tags:

22 Comentários to “Por que Padre Pio é o oposto de Bergoglio.”

  1. Que texto ruim…

  2. Os ensinamentos da Sagrada Palavra, e amplamente divulgados pela Santa Madre Igreja, em todos os seus séculos de existência, sempre foram de amor e tolerância.
    No entanto, existem algumas almas perdidas, que se aproveitam desse amor e tolerância, para desvirtuar os dogmas e ensinamentos de Nossa Igreja.
    Me sinto triste que uma pessoa, que detenha poder nas mãos, para fazer Nossa Igreja voltar a ser admirada e respeitada, faça tudo para que o oposto ocorra.
    O atual pontífice está levando Nossa Igreja para um caminho que, tenho certeza, não é o desejado por Cristo!
    Que possamos, com nossa Fé, derrotar toda e qualquer tentativa de desvirtuar e desencaminha a Igreja Católica Apostólica Romana, nem que isso signifique um coup d’etat!

  3. Eu invejo a época em que eramos taxado de rad trads.
    Agora parece que virou coisa comum sermos comparados a grupos terroristas do islã.
    Aliás, eles só nos qualificam assim porque sabem que não explodiremos uma bomba em suas residências ou redações.
    E tem gente que acha que com Francisco houve um novo vigor ao Pontificado. Que Bento XVI, por faltar-lhe energia de espírito fez certo em renunciar. Socci desmascara essa tese mostrando a fuga, a cada ano, das audiências de Bergoglio.

  4. Una parte strana della Chiesa continua combattendo, maltrattando e usando spudoratamente Padre Pio!!!

  5. palavras duras de Socci…que infelizmente não temos como discordar!!! Santo Padre Pio, rogai por nós!

  6. Texto horrível! Deus tenha misericórdia!

  7. Disse tudo José Antônio.

  8. Não existe nenhuma manipulação dos fatos da parte de Socci. Ele apenas teceu comentários encima de fatos incontestáveis.
    Mesmo blogs e jornais católicos progressistas favoráveis a Bergoglio não negam o fracasso de comparecimento a Roma para esse jubileu da misericórdia, relatando inclusive as reclamações das Associações de Hotéis de Roma pela queda do turismo na cidade Eterna. Eles se prepararam para o evento e os peregrinos não estão comparecendo como era o esperado.
    http://ncronline.org/blogs/roman-observer/bread-and-circuses-during-year-mercy-no-grazie
    O homem que Bergoglio deixou encarregado para coordenar os eventos do Ano Extraordinário da Misericórdia é o Arcebispo Rino Fisichella, o qual também foi responsável pelo que estão chamando de “Operação Padre Pio” pra tentar fazer decolar esse jubileu:
    http://www.repubblica.it/vaticano/2016/01/29/news/giubileo_operazione_padre_pio_il_papa_sceglie_mille_missionari_per_perdonare_con_manica_larga_-132294919/
    No mais, se você acessar outros blogs de lingua inglesa como o Rorate, irá se deparar com títulos como “O Golpe de mestre Tradicional do Papa para trazer as multidões ao jubileu”.
    http://rorate-caeli.blogspot.com/2016/02/the-popes-traditional-masterstroke-to.html
    No tocante à falta de apoio de Bergoglio ao Family Day, creio que falar disso é chover no molhado: contra fatos não há argumentos. Se amordaçar Bispos, ameaçar padres, proibir missa para os manifestantes e não dar sequer uma bênção aos participantes não é boicote explícito, então não sei mesmo o que vem a ser um boicote.
    Padre Pio era sim o oposto de Bergoglio em tudo! Eram diferentes até no conceito de misericórdia, pois qualquer um que tenha lido a biografia de Padre Pio e São Leopoldo Mandic, ou que tiveram a graça de se confessar com algum desses santos confessores, sabem muito bem que eles jamais usaram o confessionário como “spa de massagem espiritual”. O mesmo podemos dizer do Santo Cura DÁrs.
    Ora, o que Bergoglio propôs aos capuchinhos, filhos espirituais de Padre Pio?

    Come ai cappuccini nella Messa di martedì scorso, Bergoglio ha chiesto dunque ai preti della Capitale di “non bastonare la gente”, ma di “accarezzare, come ci accarezza Dio” o “come si fa in ospedale, che se sa accarezzare la suorina infermiera o il dottore buono, le ferite non fanno male, no?”. Ancor di più “la carezza della parola di un prete fa tanto bene, tanto bene!”, ha assicurato il Pontefice, “fa miracoli, eh?”.
    https://it.zenit.org/articles/perdonate-non-bastonate-il-papa-incontra-e-confessa-a-sopresa-i-sacerdoti-di-roma/

    Traduzindo: “Como aos Capuchinhos na Missa de Terça-Feira passada, Bergoglio pediu aos sacerdotes da Capital “não cacetem o povo”, mas os acariciem como Deus acaricia ou como se faz no hospital onde a freirinha enfermeira ou o bom doutor não machucam ainda mais a ferida, não”? E mais ainda “a carícia da palavra de um padre faz um bem tão grande! Assegurou o Pontífice, “faz até milagres”!

    Fujam desses confessores como o diabo da cruz! Eles são como a serpente do Eden que pra levar nossos primeiros pais à queda, vieram com aquele mesmo papo da “jibóia de Padre Zezinho”:
    _ “Com toda a certeza não morrereis!
    Confessor bom é aquele que age como Nossa Senhora de Fátima com os pastorzinhos. Mostra-lhes a gravidade do pecado e o inferno para onde vão os pobres pecadores impenitentes.

    • “Não existe nenhuma manipulação dos fatos da parte de Socci. Ele apenas teceu comentários encima de fatos incontestáveis.”

      Sim, há. Num caso, ele deduziu a atitude do Papa de um gesto e no outro não.

      “Mesmo blogs e jornais católicos progressistas favoráveis a Bergoglio não negam o fracasso de comparecimento a Roma para esse jubileu da misericórdia”

      Nem que o mundo inteiro achasse, a comparação se tornaria legítima. Lógica não é democracia.

      “No tocante à falta de apoio de Bergoglio ao Family Day, creio que falar disso é chover no molhado: contra fatos não há argumentos.”

      De fato. Contra fatos não há argumentos. Portanto, se o fato é que Bergoglio instituiu Pio e Leopoldo como baluartes de misericórdia, está a propô-los como exemplo de confessores sim.

  9. Deus tenha misericórdia sim, mas da sua Santa Igreja, nas mãos desse papa terrível.

  10. …como sempre…

  11. Não entendo o motivo do choro de alguns dizendo que o texto é ruim, o texto é ótimo.
    A diferença ente o Padre Pio e o Papa Francisco são gritantes.
    Citando por exemplo o comunismo, eu fico abismado com a proximidade entre o Papa e a família castro, o sorriso de ela dá ao ver o Raul, os elogios que ele faz a cuba e a o ditador. A afinidade que o Papa tem com ditadores (todos claro de esquerda) me assusta muito. O Papa não demonstra a mínima preocupação com o povo cubano, mostrando assim o quanto ele é ideológico e político, em nem um momento ele se propôs a receber o povo e nem a oposição ao regime comunista. E também não podemos esquecer que ele está fazendo um acordo com um ex KGB que segue todas as ordens de Putin, e esse acordo além de ajudar a ditadura castro (dando mais poder a uma ditadura) também irá prejudicar a Ucrânia e os religiosos que lá residem.

  12. “Hoje Padre Pio está sendo “usado” por Bergoglio como atração para trazer a multidão em torno de si próprio”. Francamente que não gostei do artigo. Podemos e até devemos combater o erro, mas julgar as intenções, nunca; porque isto só a Deus pertence.
    O Sacramento da Penitência é a obra prima da misericórdia divina, e o Padre Pio foi, como o tinha sido o Santo Cura d’Ars, um santo confessor passando horas infindas no confessionário.

    • Exatamente, Pe. Elcio. Como disse acima a Sr.a Gercione: “contra fatos não há argumentos”. Eu acrescentaria: nem hermenêuticas arbitrárias.

  13. Surpreende-me que, antes da região destinada aos comentários, há um grande aviso orientando que estes mesmos comentários sejam respeitosos, entre outras características, mas que, na própria publicação, o que se lê são construções frasais que põe o Papa como a perdição da Igreja e alguém que só nos quer o mal, numa tendência desrespeitosa para com a sua pessoa e ministério.

    Dito isto, que não deve ser briga, mas apenas um apontamento de minha parte, pergunto ao Fratres in unum sobre onde, nos ensinamentos de Bergoglio, como recorrentemente se usa neste post ao se relacionar ao Papa Francisco, onde no ensino do Papa Francisco se lê pronunciamentos que vão de encontro ao ensinamento da Fé e da Moral da Igreja.

    • Que tal voltar aos primórdios e lembrar ” não creio num Deus católico ” ou ,”para a salvação basta que cada um siga sua consciência”….

    • Surpreende me que, sendo diácono não já tenha ouvido que os comunistas ou quem os defende ou apóia são escomungados automaticamente. Dito isto aconselho a ir devagar com a “misericórdia fácil só com quem me é simpático” (tudo bem se é um ditador responsável por centenas de milhares de mortes na América Latina e África ou um sodomita expalhafatoso e impenitente ou melhor ainda se é um Imã mandando seus fanáticos cortar o pescoço dos Cristãos dentro dos jardins vaticanos mas “nem te vejo” se são 2 milhões de Catolicos tradicionais defendendo Cristo). Padre Pio ficava horas no confessionário mas, várias vezes, expulsou de lá pessoas que não tinham se arrependido e decidido mudar de vida e PARAR DE PECAR! Por sinal, quem tinha praticado o aborto enfurecia o Santo enquanto não se arrependesse verdadeiramente! O que se está tentando fazer (apesar que tenho certeza que o senhor, diácono, sabe muito bem!) é distribuir bilhetinhos de: “Eu te absolvo de qualquer pecado, pecadinho ou pecadão!” e não é isso que as pessoas procuram, ao confessar, elas precisam aliviar a dor da alma por ter ofendido Deus. Sem hipocrisias demagogas para atrair “simpatizantes, porque não são esses estrumes que Jesus mandou evangelizar. Graças a Deus por Padre Pio não sofrer mais a persecução física do demônio e de seus servos escondidos em algumas batinas mas ainda se tenta usar a Fé que ele desperta. Cuidado, quem conhece Padre Pio sabe que é perigoso tentar engana-lo, se corre o sério risco de ser milagrosamente convertido à verdadeira Fé Católica!

  14. Padre Elcio Murucci disse tudo!!!!

  15. Será que o Papa Francisco não esta tentando fazer algo para salvar a Igreja como fez São Francisco de Assis ? São Francisco , passou por rejeições parecidas , a que o Papa Francisco esta passando agora .Quando São Francisco quis restaurar a igreja , teve a oposição dentro da própria igreja . Porque naquela época , já tinha materialismo , ambição desmedida dentro da igreja . Quando Deus quis que São Francisco restaurasse a igreja , era para restaurar a própria religião que justamente estava correndo riscos por causa dessa ambição desmedida dentro do próprio Vaticano . Chegando lá o que ele encontrou ? Ao invés de apoio , Bispos e até o Papa da época no luxo , que não chegava nem perto do povo humilde . Quando aqueles Bispos e até o Papa viu aquele jovem simples , cobrando uma posição deles a respeito de todo aquele luxo e a falta de humildade para com o povo , se sentiram humilhados porque aquele jovem colocou o dedo na ferida deles . São francisco , só queria levar o amor , a paz , a humildade , a caridade , a fraternidade entre os povos , e em momento algum ele mencionou nome de religião , era só o amor e fraternidade entre os povos . E agora pergunto : Será que o Papa Francisco , ao ver que , muitos sacerdotes , Bispos , e até Cardeais estão se esquecendo de sua verdadeira missão , que é pregar o Evangelho , e estão fazendo do sacerdócio uma profissão pessoal ? Vejo ele sendo duramente criticado , por ir em países considerado comunistas e tentando o diálogo entre os governantes , querendo simplesmente a paz , a fraternidade entre os irmãos , não importa a religião , ou o que representam aqueles governantes , ele esta fazendo o que muitos padres , Bispos e Cardeais deveriam fazer , levar a paz unir os irmãos , nós o povo queremos só isso . O que o Papa Francisco esta fazendo é aquilo que Jesus fez : Levar o amor , a fraternidade a todos , só espero que ele consiga pelo menos 50% , de seus objetivos , e que jamais aconteça com ele , o que fizeram com Jesus , que só queria o amor e a paz . Lembrem -se que Jesus náo foi traído só por Judas , ele foi condenado pelos próprios doutores ou sacerdotes daquela época . E o que me deixa mais chocada é ver que dentro da própria igreja existem pessoas parecidas com aqueles doutores , que condenaram Jesus ,

    • Sra. Maria do Carmo, São Francisco sempre buscou a conversão dos pecadores, jamais colocou a fé a nível das heresias e falsas religiões ( chegou até pregar para um sultão mulçumano para converter-lo), pregou contra as heresias que assolavam a Europa em sua época. Creio que não é possível ver essas coisas em novo atual pontífice. Como já foi exposto anteriormente em outros comentários, o que vemos é o povo católico vagando como ovelhas sem pastor. Como fez São Dom Bosco quando se viu diante dos erros liberais do papa Pio IX, devemos fazer atualmente: de joelhos,” orar pro Pontífice nostro!”

  16. Aplicar silogismo agora é viajar na maionese. Ah, sim maionese grega aristotélica…

  17. Antonio Socci se superou. Mais uma vez. Ele faz críticas fortes e contundentes, mas inquestionáveis e fundamentadas. Mesmo quando parece julgar intenções, demonstra fazê-lo com absoluta objetividade, baseado unicamente nos fatos e até com uma certa amargura por perceber tais fatos. Mas não ofende, não desrespeita, não baixa o nível. É perfeito.