Dom Tomás de Aquino, novo bispo para a “Resistência”.

Por TradiNews | Tradução: FratresInUnum.com: Dom Richard Williamson escreveu, no dia 20 de fevereiro, que irá sagrar bispo Dom Tomás de Aquino, o prior do mosteiro beneditino “resistente” de Nova Friburgo, no Brasil.

2015041429447

Dom Tomás de Aquino.

A cerimônia ocorrerá no dia 19 de março, um ano após a sagração do bispo franco-argentino Jean-Michel Faure, no mesmo lugar. Alguns deploram essa “segunda sagração”, apesar de se tratar da terceira, visto que em 28 de julho de 1991 o bispo britânico tinha co-sagrado Dom Licínio Rangel, sucessor de Dom Antonio de Castro Mayer.

Dom Licínio (que João Paulo II elevou, em 1981, à dignidade de Prelado de Sua Santidade em razão dos serviços realizados na diocese de Campos) reconciliou-se em agosto de 2001 com Roma. Um anos depois, ele [co-]sagrou Dom Fernando Rifan, antes de morrer em dezembro de 2002. Dom Tomás de Aquino será, portanto, o quarto bispo na sucessão episcopal de Dom Williamson.

Mas, a verdadeira informação, é que Dom Williamson, para anunciar a futura sagração de Dom Tomás, inquieta-se, antes de tudo, com as recentes declarações de seus confrades, Dom Tissier de Mallerais e Dom Galarreta. A sua maneira, por meio dessa sagração, Dom Williamson indica reagir em relação à regularização iminente da FSSPX, e considerar que seus dois confrades não farão oposição a ela. Visto que eles se deixam reintegrar, ele deve recriar um episcopado, que permaneça exterior à nova Roma que ele recusa.

Anúncios

24 Comentários to “Dom Tomás de Aquino, novo bispo para a “Resistência”.”

  1. Assim a razão de existir do protestantismo é atacar e difamar a Igreja Católica, da mesma forma a razão da existência da Resistência reside em atacar e difamar a FSSPX. O seu destino será uma seita com heresias e que, mais tarde, morrerá.

  2. Perfeita exposição. Sr. Ludgero.

  3. Graças a Deus! Somos resistentes tanto à Roma como a todos que fazem acordo com ela porque Dom Lefebvre condicionou qualquer acordo à antecipada conversão de Roma já que o Magistério Infalível diz, repetindo São Paulo acerca da Pregação, de que são os ungidos para serem superiores que convertem os seus submissos e não o contrário. Pode parecer contraditório, porque somos inferiores, mas guardamos o que recebemos dos outros tantos muitos mais superiores do que todos que existem agora porque guardamos a Tradição intacta como recebida dos Apóstolos e do Senhor, o que, aliás, assim recomendou São Vicente de Lerins. Para corrigir, o nosso amado Monsenhor Faure não é franco-argentino, mas franco-argelino, da Argélia, ex-colônia francesa. Sobre as declarações dos bispos acordistas, o Syllabus corrigiu suas imprecisões. Roma engolirá a FSSPX e não o contrário.

    • A pretexto de resistir a Roma, a resistência passou a combater a Fsspx, fugindo de seus padres, mas aceitando a missa no “rito extraordinário” por padres diocesanos. Só Freud na causa viu…

  4. Leonardo, eu não sei qual sua idade, mas me parece que você ainda está naquela fase dos “Irmãos Boanerges”. Foi este o sobrenome que Jesus deu a Tiago e João, filhos de Zebedeu, em virtude de seu temperamento impetuoso :
    – Tiago, filho de Zebedeu, e João, irmão de Tiago, aos quais deu o nome de Boanerges, isto é, filhos do trovão. (Mc.3/17).
    Este sobrenome de Boanerges pode ser um elogio, ou uma censura; mas a verdade é que muitas vezes Jesus os censurou ou os reprovou pelo seu destempero:
    ˜ Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma ? – Mas Ele, voltando-Se, repreendeu-os. (Lc. 9/54-55).
    Os “Boanerges” da Resistência rezam noite e dia para que desça fogo do céu e faça um churrasco com os Bispos da Fraternidade ou que transforme em carvão os padres que se recusaram a seguir o Bispo rebelde.
    Muitos deles, sequer haviam saído do ventre da mãe quando Dom Lefebvre ainda estava vivo, no entanto hoje se julgam com mais autoridade pra falar sobre e em nome do Arcebispoo, do que os Bispos sagrados por ele!
    O que eu sei da boca do próprio Dom Galarreta é que “Dom Lefebvre assinou um Protocolo para um Acordo com Roma. E, naquele tempo, mesmo depois de ter rompido com o Protocolo, o Arcebispo disse: “é porque as condições necessárias para nossa proteção, para a nossa sobrevivência, não estão lá. É porque eles querem nos enganar, porque não desejam nos dar a Tradição, porque desejam nos arrastar para o Vaticano II. É porque as condições não estão lá”. Ele disse: ‘Se eles tivessem me concedido as condições, as condições que eu tinha pedido, eu teria assinado”. Arcebispo Lefebvre disse isso após a consagração dos Bispos e explicou: “Se eu assinasse um Protocolo para um acordo, seria porque não havia nada nele contra a fé”.
    Então simplesmente dizer que Dom Lefebvre condicionou qualquer acordo à antecipada conversão de Roma, é ficar passando pra frente a interpretação que Dom Williamson fez das palavras do Arcebispo. Isso não reflete a realidade dos fatos, mas a contradiz.
    No tocante à essa nova sagração de Dom Tomás, o que deveria inquietar os seguidores desse movimento é o fato de tanto tempo depois de ter sido expulso da Fraternidade, Dom Williamson continua se comportando como o namorado rejeitado e obssessivo que calcula cada passo que dá em virtude do que a ex-namorada faz ou deixa de fazer!
    A desculpa dada para a sagração do bispo franco-argelino Jean-Michel Faure foi o fato do Bispo inglês estar velho, com medo de um atentado contra sua vida e com receio de deixar seu movimento sem um bispo que daria continuidade à sua versão da SSPX. Ou seja, Dom Williamson aplicou as justificativas de Dom Lefebvre para as ordenações episcopais de1988 (que visavam preservar o Sacerdócio, a Missa e os Sacramentos em sua forma tradicional) ao seu movimento pessoal.
    Agora inquieto, agitado e revoltado com as recentes declarações de Dom Tissier de Mallerais e Dom Galarreta segundo as quais Roma está inclinada a um reconhecimento unilateral da SSPX, reage criando seu próprio episcopado!
    Se para cada ato referente à SSPX, a reação pirracenta de Dom Williamson é criar mais um Bispo, aguardemos porque o próximo será o Padre Jahir na Bahia!
    Como podemos ver, onde estiver o ser humano aí estará a vaidade disfarçada em zelo. O único ser humano imune ao orgulho pela graça de ter sido concebida sem a mácula do pecado original é a Bem Aventurada Virgem Maria! É a ela que devemos recorrer nesses tempos de tribulação “para que não continuemos como crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus artifícios enganadores.(Efésios4,14)”

    Sub tuum praesidium confugimus,
    Sancta dei genitrix;
    Nostras deprecationes ne despicias
    In necessitatibus nostris,
    Sed a periculis cunctis libera nos semper,
    Virgo gloriosa et benedicta.

  5. Qualquer católico tem a obrigação de resistir aos erros modernos. Quem resiste é a Igreja Católica, na pessoa de seus ministro e de seus fiéis, regulares ou dissidentes (essa foi a definição dada à FSSPX entre os anos 70 e 90 da parte das autoridades romanas, para a surpresa de muitos que definem tanto a FSSPX como a USML de “cismáticas”). A “dita ‘resistência'”, assim como a chama o próprio mgr. Williamson, não é uma congregação, nem um movimento, mas tampouco faz parte de uma outra religião. Nem em Roma se ouve isso, embora muitos padres discordem veementemente da linha de ação de mgr. Williamson.
    Se os fiéis são problemáticos, são outros quinhentos: a FSSPX está começando a superar isso, as outras congregações já superaram: é uma questão de desorganização dos fiéis, além da confusão geral que reina na Igreja.

    Fico feliz da maneira como foi publicada a notícia: de maneira sucinta, como deve ser.

  6. O que escrevi em 2013:

    https://fratresinunum.com/2013/02/28/24590/#comment-57365

    Reproduzo:

    Muito boa essa oração a São Pedro.

    ‘guardai-me sempre unido a vós e fazei que antes me seja arrancado o coração do peito do que o amor e plena submissão que vos devo nos vossos sucessores, os Pontífices Romanos.’

    Me faz lembrar uma passagem muito boa, que retrata muito bem a situação atual, do livro ‘História das variações das igrejas protestantes’ de Bossuet. Não deixem de ler. Transcrevo:

    Havia duas classes de cristãos que pediam a reforma. Os primeiros tinham um espírito verdadeiramente pacífico, e eram verdadeiros filhos da Igreja, os quais deploravam os males sem virulência, propunham com respeito a reforma, cuja dilação toleravam também com humildade; e longe de querer procurá-la por meio de um ROMPIMENTO, olhavam ao contrário este rompimento como o ápice de todos os males: em meio dos abusos admiravam a Divina Providência, que sabia, segundo suas promessas, CONSERVAR A FÉ DA IGREJA; e se parecia que se lhes recusava a reforma dos costumes, não obstante sem exasperar-se nem decompor-se, se davam por contentes com que nada os impedisse de verificá-la neles mesmos.
    (…)
    Porém havia também alguns espíritos soberbos cheios de um humor melancólico e intransigente, que surpreendidos com as desordens que viam reinar na Igreja, e principalmente entre seus ministros, não criam que as promessas de sua eterna duração pudessem subsistir em meio de tantos abusos, sendo assim que o Filho de Deus havia ensinado a RESPEITAR a cátedra de Moisés, apesar das más obras dos doutores e dos fariseus que se assentavam nela. Dominados estes pela soberba, chegavam a fazer-se fracos, sucumbiam à tentação que induz a aborrecer a cátedra em ódio dos que a ocupam. (…)
    __

    Representa ou não a situação presente que vivemos? Grupelhos de Dom Williamson vós vos encontrais na segunda classe de cristãos

  7. Excepcional noticia! Já não era sem tempo que Dom Tomás fosse declarado Bispo, para glória de Deus e da Sagrada Tradição. Homem íntegro, honesto, de espiritualidade elevada, manso e humilde. Berglolio não conseguirá destruir a Igreja, pois existem Bispos que a defendam!

  8. Para a mim a ordenação deste senhor significa tanto quanto as ordenações luteranas ou anglicanas, ou seja, absolutamente nada. Essa “resistência” já nasceu com características fortes de uma seita.

    • Caro Carlos, independente da questão da Resistência ser boa ou ruim, o fato é que os anglicanos ou luteranos não possuem mais sucessão apostólica, enquanto que Dom Williamson sim. Ou seja, a sagração será válida. Portanto, não dá pra dizer que não muda nada. A Igreja ganha mais um Bispo.

  9. Depois do foicefixo e do encômio à sodomia do pré-sínodo, é difícil avaliar as reais condições da Igreja, digo, a extensão e a gravidade da situação. É manifesto que não se pode esperar nada de promissor por parte dos atuais ocupantes da Santa Sé. Portanto, a eventual regularização canônica da FSSPX parece, mais do nunca, algo temerário. Aliás, fica difícil julgar a liceidade das sagrações de 1988 a partir do argumento que se apresentou à época, o “estado de necessidade” (que supriria a falta de mandato apostólico). Pergunta-se: acabou o “estado de necessidade”? Se “acabou” é de se perguntar se ele realmente existiu. Que vantagem adviria à FSSPX com sua regularização canônica? Algum Bispo lhes daria espaço? Igrejas? Colégios? Que bobagem! Muitos bispos não governam mais as dioceses: quem governa é o temido “conselho presbiteral” (que é consultivo só no nome). E os padres? Vão querer algum “lefebvriano” no clero?

    Mons. Williamson tem ideias muito estranhas. Sua imprudência ao falar de assuntos controversos e delicadíssimos talvez tenha custado a cabeça de Bento XVI. Isto é: pediram a cabeça de quem, muito mal assessorado, estendeu a mão a um revisionista! Ninguém advertiu Bento XVI que Williamson era revisionista?

    Além disso, os fieis que secundam Williamson nos EUA são muito esquisitos. Parecem dominados pelo mito da supremacia branca WASP e outras parvoíces eivadas de racismo e eugenismo. E isso não é nada católico. Então, devagar com o andor …

  10. “regularização” da FSSPX… quem precisa ser regularizada é a hierarquia modernista adepta do Concílio Vaticano II. Quem não tem comunhão com a Igreja Católica é essa pseudo-seita do vaticano II. Por essas e outras que D. Williamson se viu obrigado a fazer o que faz. Um dia, a Igreja aplaudirá de pé o quê Bispos como ele está fazendo.

  11. O Brasil, depois de 15 anos órfão, (dom Licínio fez o acordo em 2001 e Dom Rifan terminou de afundar tudo) e há exatos 25 da morte de Dom Antônio de Castro Mayer e Dom Lefebvre, volta a ter um Bispo católico. Quem conhece esse monge beneditino sabe que a escolha de Dom Williamson não poderia ser melhor! Uma enorme graça para o Brasil e Américas. Um filho de São Bento para continuar a Igreja! As portas do inferno nao prevalecerão!

    • Henrique, que comentário mais infeliz. O Brasil possui, se não me falha a memória, mais de 400 bispos da Igreja Católica. Você afirma que no Brasil não há bispos católicos? Se não há bispos católicos, então não há sacerdotes católicos, e consequentemente não há Eucaristia há 15 anos no Brasil, segundo a sua lógica… Aproveite a quaresma e reflita sobre a gravidade do que você disse meu caro.

  12. Fiquei muito feliz quando soube da notícia. Dom Tomás é um padre muito santo. Será um grande bispo.

  13. A única resistência de verdade é com relação à FSSPX. Já escutei várias vezes “por fontes seguras” que o acordo já foi assinado. E que seria tornado público (sim! é um segredo…) no Pentecostes de 2012, depois na festa da Assunção de 2012, depois no Natal… É sempre assim: cada vez que a profecia não se realiza, se “garante” outra data. Lembra-me aqueles que previram o fim do mundo em 1900, depois 1910… Essa resistência nasceu de uma mentira (acordo Roma-FSSPX) que, como disse, deveria ter acontecido em 2012. É a “Resistência” à verdade dos fatos e em “continuidade” da enganação de padres e fiéis que se deixam levar por “coisas que estão para acontecer” e não por fatos.

    • Se há acordo pronto ou não, eu anão sei. Mas o silêncio da SSPX diante da crise é gritante, sobretudo nos últimos três anos quando essa se aprofundou. O cenário atual é talvez mais grave do que o da década de 70. Era de se esperar um atitude firme dos senhores bispos da SSPX. Dom Marcel Lefebvre denunciará se vivo estivesse?

  14. Acordo “Discreto, mas não secreto”
    http://salveregina.altervista.org/blog/arquivos/607

  15. Louvo a Deus por tal notícia, e só tenho bons presságios ao pensar que Dom Tomás de Aquino será um bispo que resistirá veementemente aos ardis de Roma, que há muito tem sido repaganizada com o ecumenismo sob a tese de coexistência pacífica.

  16. Prezados Carlos, deixe-me explicar melhor. Quando me refiro a Católico, quero dizer em todo sentido que essa palavra expressa, ainda mais quando se refere a um descendente dos Apóstolos.
    Não exagero ao dizer que no Brasil não exista um único Bispo sequer que:
    Guarde a Fé Católica íntegra e inviolada, recebida dos Apóstolos e ensinada desde o Concílio de Niceia até o Vaticano I.
    Que seja anti liberal e denuncie os erros revolucionários e suas falsas liberdades.
    E que fique contra os erros que nasceram do Concílio Vaticano II: liberdade religiosa, ecumenismo e colegialidade.
    Foi nesse sentido que eu disse: o Brasil agora terá um Bispo Católico.

  17. Aí eu pergunto: precisa mesmo disso?
    O CDC diz que qualquer sagração episcopal sem o consentimento de Pedro é excomunhão automática… que Igreja é essa?
    Eu fico com muita pena de D. Edney, porque ele é um bispo bom, mas tem que aturar essas briguinhas infantis e demonícas. Porque esses que causam divisão e discórdia não se unem à D. Rifan para o bem das almas? Poderíamos ter missas tridentinas na Diocese de Friburdo em comunhão com a Igreja.
    Eu amo a Missa Tridentina, sempre que estou em Campos participo, mas a Missa “nova”, que era a Missa que S. Justino descreveu (portanto não tão nova), quando bem rezada e sem espetáculos também nos permite viver a “Atualização da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo”.
    Paulo discordou de Pedro em vários momentos, mas não separou-se dele. Tanto Lutero quanto os que hoje sagram bispos sem a bênção de Pedro cometem o mesmo erro: a desobediência, que por sinal foi o mesmo pecado de Adão e Eva.
    D. Fernando escreve tantos artigos esclarecendo as posições de Francisco de acordo com o magistério da Igreja, mas parece que os cegos não querem ver, e continuam fora da barca. Como dizem, nós precisamos escutar o que o Papa disse, não o que dizem que ele disse. Me parece que precisamos, mais do que nunca, escutar o que o Papa disse à luz do magistério da Igreja.
    Muitos reclamam que a CNBB é comunista, mas algum bispo zeloso trabalha para dela ser presidente? Se aqueles que defendem a sã doutrina não tabalharem dentro da igreja, de nada adianta. Eu sou catequista e estou fazendo a minha parte, mostrando o catecismo autêntico. O clero também poderia fazer a sua.
    De nada adianta reclamar da fumaça de Satanás na igreja se nada fazemos para apagá-la.
    Qual o objetivo de ficar nadando fora do barco se podemos estar dentro dele? Se acreditamos que fora da igreja não há salvação, precisamos estar Na igreja ajudando as almas a conhecer a verdade Dentro da Igreja; não fora…

  18. A resistencia é um grande de um mimimi. Assim como UMA das razões de ser da Montfort era atacar a TFP e a FSSPX, a razão de ser da Resistencia parece ser atacar a FSSPX. Tanto é que não há nada que os contenta mais do que esperar um entrevista de algum padre ou Bispo da FSSPX para dissecá-la e encontrar as mais sordidas intenções nas virgulas e exclamações. Quando se escuta claramente as posições de Dom Fellay e de outros Bispos eles dizem: ” ah não…mas na verdade ele não está sendo duro o suficiente”. O maldito direcionamento demoniaco que toma conta de varios grupos na Tradição: A exigencia de santidade dos outros, sem olhar para o proprio umbigo. Quem escuta os motivos de Dom Williamson de sua saída da FSSPX percebe que faltam conexões, ele ja sabia desde sempre a motivação de sempre se escutar o que Roma tem a dizer….desde 2003, 2004….e saiu so depois de 2012….que interessante né? Isso não convence ninguem, a nao ser aqueles que querem ser mais herois que os outros e não aguentam a prudencia da direção da FSSPX…querem “quebrar tudo”, por que “sou tradicional, tenho a Virgem Maria e Deus esta comigo, posso quebrar tudo!!!” e assim vão indo. Inventam mentiras de sacerdotes, ficam promulgando varias mentiras das quais eu sou testemunha. Pegaram audio de um padre da FSSPX dos EUA e traduziram como quiseram e disseram que tal padre disse que não faz mal ser parte da Maçonaria…deveria fazer aula de ingles antes para entenderem que esta interpretação é patética. (o padre disse “É possivel, POSSIVEL, que alguem esteja na maçonaria sem estar em pecado).

    Portanto…a Resistencia nasceu de um orgulho (e eu entendo claramente e acredito que a maioria deles não percebe que isto é orgulho e chama isso de fidelidade à Tradição e à Santa Igreja) e assim vai indo. O espirito é um espirito combativo (o que é otimo) mas não de combate aos inimigos, é um espirito de combate incessante contra todos e qualquer um que não pensam como eles. Os bispos e padres da FSSPX são claros…mas sempre há um vidro torto da resistência por onde a luz passa e se divide em 10, entortando tudo. Porque não querem entender. Querem continuar pois querem ser a verdadeira expressão da Obra de Msr Lefebvre. Se a FSSPX para eles virou Neo-FSSPX eles são a Super-FSSPX, a mais que demais, a FSSPX de verdade, o legitimo, puro e frio extrato da azeitona Lefebvriana, se telefonarem para Dom Williamson, ele tem a receita de como resolver a crise da Igreja. E ainda falam aqui que os bispos da FSSPX se calam diante da crise que estaria pior que nos anos 70. E os textos recentes da FSSPX contra o sinodo? Ah não…Dom Fellay precisa dar uma entrevista na CNN denunciando tudo…um simples texto da DICI não serve para nada. Vejamos então o barulho que Dom Williamson tem feito contra essas recentes atrocidades??? Nada….tudo coisa gravada que outros gravaram ou tomaram nota. Então são todos argumentos tolos estes…e agora Msr Wiliiamson é o Super-Lefebvre e Dom Tomas, que também excelente nos sermões e nos pensamentos, vai aceitar esta sagração…pois afinal a Super-FSSPX precisa de mais supers…o mundo precisa ser salvo…e será, pela uniao dos supers, a UMSL! Uhul!

    A dificuldade da Super-FSSPX é que ela é um super-heroi conta o qual ninguem quer lutar, quase como aqueles que usam fantasias em festas infantis. Eles são só mais um como varios grupos sedevacantistas com seus proprios bispos (Como Sonborn por exemplo), como varios grupos protestantes que também estão aqui como verdadeiros representates de Jesus e que vão destruir o mundo do mal, pois são supers!

    A Historia recente prova: Grupos que se unem a Roma caem, pois fizeram concessões. Ainda não teve grupo que se uniu a Roma sem fazer concessões. Se a FSSPX se unir sem concessões, e daqui a 6 meses, os super-inteligente romanos pedirem para eles rezarem a Missa NOva, eles vao dizer “Não”. Roma vai expulsa-los novamente e pronto. A mesma FSSPX continuará sendo FSSPX com ou sem concessões dentro ou fora da Igreja. E se rezarem a Missa Nova? Duvido muito…mas se o fizerem, aí o racha dentro da FSSPX ocorrerá oficialmente e e muitos sairão dela (e eu junto) e com certeza muitos padres e ate algum dos Bispos sairá para manter a posição de sempre. É simples. E é este momento que a SUper-FSSPX(USML) poderia ter esperado, pois a Historia recente prova mais esta > Não houve acordo, embora todos acham que houve, que Dom Fellay foi tomar vinho e assinou um acordo em 2012 so nao contou pra ninguem ate 2016..e ainda nada. Mas que tolice. E se assinou? Se assinou algum dia vamos todos saber, eles sairá como grandissimo traidor e aí sim, a USML seria criada, sugiria de mandeira espontanea e com toda representatividade e importancia do mundo…e sem orgulho. Foram precipitados. Se saíssem depois de um acordo de fato, aí sim sairiam com moral.

    É uma pena. Enquanto isso a FSSPX segue tranquilamente fazendo seu trabalho e se alguem escrever num papel que ela é católica, que bom! E por outro lado a Super-FSSPX segue forte e voraz destruindo todos os inimigos que estão por aí…enquanto a FSSPX só brinca…