CNBB profética.

cf97

1- Pela fome, muito cedo,
Fui violento, fui violado.
Feito Dimas, estou preso
Sem espaço feito gado
Conto os dias, todo dia
Na agonia me lamento
Sopra um vento que me arrasta
Me devasta em meu tormento

2- Eu sou vítima da dor
Desses crimes mais violentos
É difícil ter amor
Por quem traz tal sofrimento
Mas aqui eu venho, oh Pai,
Libertar-me da prisão
Desta dor que eu sei que são,
se eu abrir meu coração.

3 – Pela droga, ainda criança
Caminhei caminhos tortos
Torturei minha esperança
Estou preso e os sonhos, mortos
E do fundo deste abismo
Cismo, penso que sou feito
De uma dor e que um deserto
Foi aberto no meu peito

Hino da Campanha da Fraternidade de 1997.

Anúncios
Tags:

5 Comentários to “CNBB profética.”

  1. CNBB Profética!

    Lula vai cantar essa música na cadeia.

  2. Com todo o respeito aos digníssimos bispos do Brasil, mas… já era previsto. Catolicismo e Marxismo são absolutamente opostos, e a tentativa de sintetizá-los é absurda. O que se consegue com a síntese entre Catolicismo e Marxismo, é uma nova religião; ora, o Marxismo, em suas premissas essenciais, não reconhece qualquer agente divino, qualquer relação de autoridade baseada na hierarquia. Portanto, o que resulta desta união não pode ser definido como Catolicismo. Não é possível purificá-lo. Do contrário, deixaria simplesmente de ser o que é.

    Se me permitem ainda um comentário ao hino desta CF de 1997, por que não enfatizam também os nefastos frutos da violência e da criminalidade, que ceifam vidas de trabalhadores honestos e destroem famílias? Estão presos por acaso? Até que ponto estas iniciativas sociais se preocupam com a *conversão* dessas pessoas?

    Vítima da dor, ou causador da dor? Dois pesos, duas medidas.

  3. A eco-humanista CNBB foi realmente profética, pois do hino dessa Campanha da Fraternidade prenunciou sua compartilha pela omissão de denunciar os promotores da maior parte das prisões há décadas: adoção do relativismo via ideologias, tráfico e consumo de drogas, inclusive um avantajado número de mulheres e mães de familia engajadas nessa devassidão!
    Assim, nela deveria ter soado por primeiro em “Tempo Quaresmal de Conversão do Coração”, denunciando as mazelas desses governos promotores das alienações caso do PT, apoiador de liberação das drogas com os quais desde sua gênese tem se associado – os social-comunistas, subsidiarios da maçonaria, destacando-se idem as marxistas Cuba, Venezuela etc..
    Quantos desses estão apenados, numa vil situação por omissão dessa Conferencia Episcopal que tem como obrigação primeira defender as ovelhas dos não poucos lobos rapaces que acossam o rebanho à nossa volta?
    Porém, preferiu se inserir no apoio a governos diabólicos, avessos à fé cristã que se sucedem, como o PT aliado dos narcotraficantes das FARC e da bandidagem geral, como do CV, PCC etc., todos arquiinimigos do Senhor Deus e de sua Igreja, portanto extremamente deleterios; nem por isso se convenceu do erro e acabou por se inserir no:
    E Nossa Senhora do Bom Sucesso fez à sua dileta filha Madre Mariana declarações terríveis:
    “Tempos funestos sobrevirão, nos quais (…) aqueles que deveriam defender em justiça os direitos da Igreja, sem temor servil nem respeito humano, darão as mãos aos inimigos da Igreja para fazer o que estes quiserem (II, 98)
    “Quase não se encontrará a inocência nas crianças nem pudor nas mulheres, e nessa suprema necessidade da Igreja, calar-se-á aquele a quem competia a tempo falar” (II, 7).
    Essa grave omissão é repetida por Nossa Senhora na aparição seguinte, em 2 de fevereiro de 1610:
    “Campearão vícios de impureza, a blasfêmia e o sacrilégio naquele tempo de depravada desolação, calando-se quem deveria falar” (II, 17).
    E mais censuras à CNBB:
    … *”Em vez de zelosamente propagar a fé, pregando com coragem a doutrina de Cristo, sendo firmes na defesa da verdade e da moral, as reuniões das Conferências Episcopais, frequentemente, lidam com questões que são estranhas à natureza do ofício dos sucessores dos apóstolos”.
    … *”Em nossos dias, a voz da maioria dos bispos se assemelha ao silêncio dos cordeiros diante de lobos furiosos, os fiéis são abandonados como ovelhas sem defesa. Cristo foi reconhecido pelos homens como alguém que falava e agia em uníssono, que tinha poder e é este poder que Ele concedeu a Seus apóstolos. No mundo de hoje, os bispos precisam se libertar de todos os laços mundanos e – depois de terem feito penitência – converterem-se novamente a Cristo, para que fortalecidos pelo Espírito Santo possam anunciar Cristo como o único Salvador. Em última análise, deve-se prestar contas a Deus por tudo o que foi feito e por tudo o que não foi feito”.
    A CNBB, se procedesse como católica, deveria há tempos estar numa cruzada nacional contra as programações gerais televisivas relativistas, como as sexo-novelas, BBBs e similares, despudoramento das mulheres, corrupções infindas no governos, sem os apoiar pelo silencio ou compartilha, para que não perdesse uma de suas finalidades – de servir o rebanho!
    * ** Carta de um arcebispo sobre a crise na Igreja.
    .

    .

  4. Deus te ouça, Heitor!

  5. Nenhuma palavra pelas vitimas do encarcerados? Ate oarece que nada fizeram para estar la’