Faleceu Madre Angélica, fundadora da EWTN.

Por FratresInUnum.com: Faleceu no último dia 27, Domingo de Páscoa, Madre Maria Angélica da Anunciação, fundadora do grupo Eternal World Television Network (EWTN) de comunicação católica, depois de 15 anos lutando com as sequelas de um derrame cerebral. Ela tinha 92 anos.

Madre Angélica era conhecida e amada por católicos do mundo inteiro, especialmente, pelos católicos conservadores dos EUA. Como poucos, ela conseguia reunir profundo amor à doutrina católica e um refinado senso de humor. Durante anos atuou como âncora de programas televisivos da maior rede de TV católica dos EUA (e talvez do mundo), ora respondendo no ar às mais diversas perguntas de telespectadores, ora dando preleções sobre tópicos da Fé Católica ou simplesmente conduzindo entrevistas com personalidades de destaque.

angelica

Apresentamos abaixo a tradução de um pequeno trecho do livro EWTN: A NETWORK GONE WRONG, de Christopher A. Ferrara. Embora crítico acirrado das mudanças progressistas levadas a cabo na emissora após o afastamento de Madre Angélica, o autor expressa seu total apreço e admiração pela veneranda religiosa. Alguns afirmam inclusive que seus derrames teriam sido causados pelas inúmeras pressões exercidas por bispos progressistas de alto escalão. Esse trecho serve para ilustrar um pouco o outro lado dos bastidores que talvez não sejam conhecidos por todos que a amavam e desejavam um canal de TV verdadeiramente católico.

* * * 

“Sete meses mais tarde, após o primeiro de dois derrames (e uma série de pequenos derrames não detectados anteriormente), Madre Angélica deixou as ondas da EWTN como âncora de programas ao vivo. Conforme observado em uma biografia de Madre Angélica, escrita por Raymond Arroyo, jornalista da emissora, “No final de 2001, o distanciamento de Madre Angélica da EWTN foi completo”. O papel da Madre na EWTN atualmente está reduzido à condução do Terço em curtos segmentos pré-gravados e à transmissão de alguns de seus antigos programas televisivos – censurados quanto à “correção teológica” pela atual administração da EWTN, que, como veremos, tornou-se decididamente modernista em sua orientação.

Talvez alguém diga que Madre Angélica sofreu um processo de “Irmã-Lucização” – mas não por conta dos derrames. Enquanto a EWTN diz que os derrames a tornaram incapaz de aparecer na televisão, na realidade ela já havia sido afastada de sua posição de controle sobre a rede que fundara por um jogo de poder episcopal orquestrado com a ajuda de uma congregação vaticana.

Tudo começou em novembro de 1997, quando a Madre fez ao vivo uma denúncia inesquecível do infame Cardeal Mahony, aquele prelado célebre que é a própria personificação do modernismo pós-conciliar e da decadência da Igreja. A Madre denunciou com toda retidão a “carta pastoral” do cardeal Mahony sobre a Eucaristia como sendo um obscurecimento da verdadeira doutrina da Missa. Sob pressão dos amigos de Mahony em serviço no Vaticano, Madre Angélica fez um pedido de desculpas ao vivo. Porém, o “pedido de desculpas” foi ainda mais provocante do que o comentário original. Durante quase uma hora a Madre “apresentou uma crítica da carta pastoral comentando ponto a ponto”, demonstrando que Mahony havia menosprezado e, dessa forma, minado a doutrina católica da transubstanciação. Furioso, o Cardeal Mahony protocolou uma queixa canônica em Roma. Arroyo cita um idoso cardeal da Cúria, que admitiu que “Madre Angélica tem a ousadia de dizer-lhe (a Mahony) aquilo que nós não temos.” No final das contas, a queixa de Mahony extraviou-se, porém, ele já havia começado a agitar a máquina do Vaticano para tomar medidas contra Madre Angélica. Arroyo cita o diretor de relações com a mídia de Mahony. Ele teria afirmado: “O Cardeal deseja que a Santa Sé faça alguma coisa a respeito de toda a atitude de Madre Angélica no sentido de esclarecer que ela não responde pela Conferência Nacional dos Bispos ou por quaisquer de seus bispos considerados individualmente.”

Em seguida, Madre Angélica envolveu-se com outro prelado liberal, Dom David Foley, o ordinário de sua diocese no Alabama. Foley não tinha autoridade real sobre o apostolado da Madre, as Pobres Clarissas da Perpétua Adoração. Contudo, ele insistiu que nenhuma missa fosse celebrada da maneira tradicional – ad orientem – ou seja, voltada para o altar, para Deus ou na direção do oriente, em vez de voltada para o povo, no novo Santuário do Santíssimo Sacramento que a Madre estava construindo em Hanceville, Alabama. Quando a Madre recusou-se a obedecer a essa exigência ilegal, em outubro de 1999, Foley emitiu um decreto absurdo, no qual afirmava que a Missa voltada para o altar – uma tradição contínua da Igreja desde seus primeiros dias – era uma “inovação ilícita ou sacrilégio” e que qualquer pessoa “culpada” deste “sacrilégio” estaria sujeita a “suspensão ou destituição de faculdades”. Todas as missas de sua diocese, declarou Foley, daquele dia em diante seriam celebradas em um altar destacado da parede e … o padre se viraria para as pessoas.”

Em um ato corajoso de resistência a esse abuso de poder, Madre Angélica boicotou a dedicação do novo Santuário, em dezembro de 1999, presidida por ninguém menos do que o próprio Foley, que celebrou missa voltado para as pessoas. Arroyo relata que Foley, visivelmente humilhado, chamou a Madre ao pódio para dizer algumas palavras. Porém, “em protesto silencioso”, ela permaneceu com suas irmãs na área enclausurada atrás do altar, recusando-se a servir de apoio a Foley. Claramente determinado a vingar-se, Foley foi ao Vaticano como representante da Conferência Nacional dos Bispos Católicos para exigir uma medida contra a Madre Angélica (sem dúvida com a bênção de Mahony). Foley, com o conselho do Cardeal Medina, dirigiu-se à Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, no Vaticano, promulgou “normas que baniam a transmissão televisiva de qualquer Missa voltada para o oriente (ou seja, voltadas para o altar) em sua diocese e exigindo que a missa fosse voltada para as pessoas. A EWTN cumpriu essas “normas”, mesmo que elas fossem tão absurdas e ilegais como o decreto anterior de Foley, pois Foley não tinha autoridade para banir a prática imemorial da Igreja, na televisão ou não.

Porém, a coisa não parou por aí. Foley também induziu a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e sociedades de Vida Apostólica a enviar um visitador apostólico, o Arcebispo Roberto Gonzales de San Juan, Porto Rico, ao Alabama, para investigar toda a operação da EWTN. Logo ficou claro que o objetivo da visita (que ocorreu em fevereiro-março de 2000) era estabelecer que a congregação de Madre Angélica, as Pobres Clarissas, era proprietária de ativos da EWTN, incluindo o novo Santuário, e não o conselho de administração civil da EWTN, do qual a Madre era a Diretora-Presidente com pleno poder de veto sobre as decisões do conselho. Se ficasse provado que as ações pertenciam à congregação da Madre, então, todo o empreendimento da EWTN poderia estar sujeito ao controle eclesiástico, incluindo a possível nomeação de um substituto “progressista” para a própria Madre.

Desesperada, Madre Angélica tomou uma decisão prudencial que em retrospecto foi um grande erro: temendo que o relatório do Arcebispo Gonzalez ao Vaticano recomendasse uma tomada de controle eclesiástico obre o seu apostolado, Madre entregou todo o controle da EWTN aos leigos que a dirigem atualmente. Em uma reunião de emergência do conselho, em março de 2000, ela renunciou ao cargo de Diretora-Presidente da EWTN, cedendo seu poder de veto, e com isso seu controle sobre os assuntos da EWTN. Na mesma reunião, o conselho da EWTN alterou o estatuto social, para garantir o controle leigo e impedir qualquer controle futuro por bispos, padres ou religiosos. Assim, em vez de continuar sua resistência direta aos prelados liberais, Madre Angélica pensava que poderia derrotá-los através de um retiro estratégico.”

* * *

Para mais informações sobre a biografia de Madre Angélica, ver aqui.

* * *

Uma amiga nos escreve:

Esse foi um dos vídeos da madre Angélica que enfureceu os bispos progressistas. Ela solta verbo contra uma apresentação em que uma mulher fez papel de Cristo na JMJ em Denver e diz que uma abominação dessas não aconteceria para representar um presidente dos EUA ou Maomé. O vídeo é de 1993. Ela fala de maneira veemente que está farta dessa igreja liberal da América e enumera todas as suas mazelas. Ela diz que tudo isso que está acontecendo não é por acaso, mas sim uma ação orquestrada.

Após esse vídeo, os ataques de bispos liberais começaram. Alguns puxaram a orelha dela dizendo que ela estava pegando pesado.

Anúncios
Tags:

10 Comentários to “Faleceu Madre Angélica, fundadora da EWTN.”

  1. O video com legenda em portugues:

  2. Estou acompanhando a missa de réquiem. Há mulheres com véus. Madre Angélica e a EWTN incentivavam a missa tradicional?

    • LuizR – Em resposta ao teus post (30 março, 2016 às 1:17 am):
      Acompanho a EWTN em espanhol no canal 439 da Vivo TV. Pelo o que percebi, eles apoiam sim a Missa Tradicional. Aliás, o catolicismo nos Estados Unidos, como não foi abalado pela Teologia da Libertação, ele é menos “liberal” se comparado ao nosso da América Latina.
      Inclusive a missa diária transmitida no rito ordinário é celebrada com um admirável decoro litúrgico.
      Eu diria que em conteúdo, a EWTN em nada se assemelha às nossas TVs “católicas” (Canção Nova, Rede Vida, Século XXI, Aparecida).

  3. O grande problema enfrentado pela genial Madre Angélica foi não se adequar ao politicamente correto, hoje tão em alta na igreja modernista, paralela à Igreja católica; aquela parece-se bastante com com essa, mas na essencia difere-se bastante dessa.
    Madre Angélica possuía um estilo enérgico e direto e as suas opiniões ortodoxas conquistaram-lhe uma legião de admiradores, mas também de críticos, particularmente depois do Vaticano II, donde os modernistas puderam dar asas a seus revolucionarismos e acharam internamente varios que os apoiassem na implantação do relativismo!.
    Dentre diversos que se insurgiram contra ela, advindos mais de clérigos progressistas contaminados com o vírus pestilento do modernismo, conhecemos Raymond Schroth, sacerdote jesuíta, que publicou um artigo no National Catholic Reporter, em 1994, em que anotava de forma inconveniente e pejorativa que “qualquer pessoa que veja o EWTN tem que concluir que o catolicismo é uma Disneylandia de pseudomilagres com uma devoção que exalta Maria sobre Jesus, mais determinado a sufocar o Espírito que a permitir-lhe falar”.
    As acusações contra ela não se justificavam por os seus desafetos pertencerem a correntes que propunham uma Igreja católica adaptada à modernidade, mais “atenta e adaptável” às “necessidades e problemas” desse tempo e pouco afeita a seu passado!

  4. Impressionante como a hierarquia da Igreja é mansa e humilde de coração.

    Ironias a parte,que tristesa…

  5. Madre Angélica nasceu dentro do Catolicismo Tradicional e não obstante a ingenuidade de quem defendia os ambíguos documentos do Vaticano II tentando interpretá-los à luz da Tradição, viveu e morreu como filha da Igreja. Ela foi uma espécie de Teresa de Ávila dos tempos modernos, desbravando as fronteiras do Catolicismo num campo que nenhuma outra mulher havia ousado antes fazer. Fundou a primeira emissora Católica americana e enquanto viveu foi uma excelente catequista, contribuindo pra fortalecer e edificar a fé de muitos Católicos espalhados pelo mundo. Que Deus dê a ela o repouso eterno e que a luz perpétua brilhe para ela. Amem!

  6. Madre Angélica foi a mais significativa personalidade do catolicismo americano desde o bispo Fulton Sheen e do Cardeal Spelmann. Sua morte está destacada em todos os sites católicos do mundo. Já há quem peça: “santa súbito”. Quanto a Mahoney ou Foley, nem sei se ainda estão vivos. Mahoney quase foi preso por acobertar pedófilos e deixou a cátedra em desgraça. Madre Angélica será sempre lembrada e amada. Foi alguém realmente na linha de uma Catarina de Siena ou Teresa de Ávila, capazes de enfrentar papas e bispos em nome da verdade e do “Sensum Fidelibus”.

  7. Faço o registro de que um brasileiro, polemista católico de renome internacional, Raymond de Souza, faz parte dos quadros da EWTN. Estará fazendo uma conferencia em Portugal neste sábado, na cidade de Viseu a conviete de monarquistas lusitanos, para tratar do tema “Revolução Cultural no Mundo Ocidental”. Detalhes do evento podem ser vistos neste endereço:

    http://realbeiralitoral.blogspot.com.br/2016/03/convite-para-conferencia-revolucao.html

  8. Descanse em paz, grande serva de Deus e cooperadora da verdade!