Momento político do País deve dominar assembleia geral da CNBB.

De acordo com o secretário ­geral d. Leonardo Ulrich Steiner, o processo de impeachment e a crescente intolerância política não constam da pauta do encontro que começa nesta quarta, mas devem ser incluídos.

Por José Maria Tomazela, O Estado de São Paulo, 5 de abril de 2016 ­ O atual momento político do País, com o risco de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), deve dominar as discussões da 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que será aberta nesta quarta-­feira, 6, em Aparecida, no interior de São Paulo. De acordo com o secretário ­geral d. Leonardo Ulrich Steiner, bispo auxiliar de Brasília, o processo de impeachment não consta da pauta, definida no mês de outubro, mas deve ser incluído durante a assembleia. “Se o conselho pastoral fizer a proposta e a assembleia aceitar, será feita essa discussão, pois a assembleia é soberana para incluir novos assuntos.”

A intolerância política que, na visão da CNBB, pode comprometer a unidade nacional, também não consta dos temas centrais, mas pode igualmente ser inserida, segundo d. Leonardo. “Temos nos pronunciado em conjunto com outras entidades sobre o que chamamos de intolerância política. Se houver inserção na pauta, será colocada em votação e a assembleia pode se pronunciar.” Segundo ele, a CNBB já se posicionou no sentido de haver respeito às manifestações e às diferenças de ideias. “Temos visto acontecerem manifestações agressivas até na relação entre pessoas da mesma família.”

De acordo com d. Leonardo, a Igreja reconhece a importância da política na vida das pessoas e os bispos devem refletir sobre a realidade nacional. “Existe uma tendência dos católicos de nos afastarmos da política. Criticamos muito os políticos e sentimos uma agressividade em relação à própria política e isso é grave. Uma sociedade não pode viver sem política e nossa participação como cristãos e católicos é muito importante. Pela política passam muitas decisões que podem ajudar na construção de uma sociedade mais fraterna e temos de pensar o Brasil a partir da ética e dos bons valores.”

A 54ª Assembleia Geral da CNBB, com o tema central “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade – Sal da terra e luz do mundo”, segue até o dia 15 de abril. A assembleia, órgão máximo da CNBB, emana diretrizes a serem seguidas pela Igreja no País, em consonância com o pensamento do papa Francisco. Este ano, terá a participação de cerca de 320 bispos brasileiros.

Intolerância. Nesta terça­-feira, 4, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho e a Associação dos Juízes Federais do Brasil assinaram com a CNBB documento em que afirmam que a polarização política cada vez mais radical está provocando “reações carregadas de intolerância e gerando o risco de uma preocupante escalada da violência, em prejuízo de toda a Nação”.

As entidades afirmaram ser preciso consolidar a luta contra a corrupção e fizeram um apelo a toda a sociedade brasileira e suas instituições “para que se engajem na incansável busca pela Justiça e pela Paz”.

Tags:

9 Comentários to “Momento político do País deve dominar assembleia geral da CNBB.”

  1. Já imagino o que vai sair dessa CNB do B.

  2. Antes de combater a tal “intolerância política” a CNBB deveria se ocupar combater a intolerância ao Evangelho de Cristo que a cada dia é mais hostilizado, inclusive dentro da igreja.

    • Nada pior que cumprir seu preceito dominical e ter que escutar um padre, ou um bispo, proferir tanta asneira referente a política, que você fica até em dúvida se o cidadão que preside a santa missa, é realmente um padre! Que se supõe que tenha um nível bem acima da média com relação aos estudos, e coisas assim… lastimável! Além de que a homília na santa missa não deveria ser hora nem lugar para discutir política, e sim a eternidade.

  3. CNBiB:

    Bando de solteirões TL infantilizados e ciumentos, com mentalidade de adolescente transtornado que chupa o polegar sujo se não se julgam no centro das atenções; gente incapaz de sair de si mesma, do seu mundinho mental de intrigas, fofoquinhas e vaidade, e por-se ao sol para tirar o bolor da sua autocomplacência e megalomania.

    Gente capaz de vender a alma, a mãe e o cachorro aleijado para galgar os postos da burocracia eclesiástica e assim conseguir dinheiro para uma vida sibarita, arrogante e afeminada.

    Gente que gosta de falar de pobre, mas, como todo esquerdopata, tem os melhores planos de saúde, não dispensam a primeira classe e uma boa mesa e companhia… Mas sabemos que quem gosta de pobre são os moços(as) da Toca de Assis, cujo testemunho desmoraliza qualquer Ordem mendicante (de lagosta, sexo sujo e caviar).

    Gostam de sindicatos, pois os sindicatos e sindicalistas têm dinheiro.

    Julgam-se a vitrine do mundo e da modernidade, os indispensáveis arautos da sensatez, mas são incapazes de articular três ideias interessantes sobre qualquer assunto, sobretudo assuntos religiosos.

    Enquanto exercem sua insaciável sede de espetáculo histriônico, parte notável do SEU clero não tem FÉ em mais nada, não tem liderança, não sabe pra onde ir, não tem a quem recorrer, não consegue uma audiência com o deus-bispo-narciso-redivivo e onipotente. Não causa surpresa que esse mesmo clero descambe no desespero e no vício, e muitos abandonem o ministério sem nem mesmo comunicar ao deus-bispo-narciso-redivivo e onipotente.

    Façam-me o favor! Sumam do planeta que ninguém dará falta.

  4. Esse “papinho” cnbebístico” já é bem conhecido.

    É de uma chatice insuportável.

    Melhor ignorar essa entidade…Isso faz bem para a saúde.Do corpo e da alma.

  5. Como sabemos, a “Fôia”, a Folha de S Paulo é a folha de recadinhos do PT, ou adotaria uma outra banda mais à direita, como admissão do RA em seus quadros, às sextas feitas, da VEJA, ou jogaria dos 2 lados: qualquer um dos dois no poder, no caso da saída forçada de Dilma, sairia-se bem!
    Traduzamos para o politicamente incorreto o texto acima – por sinal, excelente trabalho de engenharia social!
    Momento político {corrupção geral etc.} do País deve dominar assembleia geral da CNBB.
    …De acordo com o secretário ­geral d. Leonardo Ulrich Steiner, o processo de impeachment e a crescente intolerância política {=intolerancia à corrupção, desmandos na política, despotismo e destruição do cristianismo católico o qual deveria ser o prioritario nessa reunião…} não constam da pauta do encontro que começa nesta quarta, mas devem ser {deveriam compulsoriamente} incluídos.
    …“Temos nos pronunciado em conjunto com outras entidades sobre o que chamamos de intolerância política {=intolerancia à bandidagem}. Se houver inserção na pauta, será colocada em votação e a assembleia pode se pronunciar.” Segundo ele, a CNBB já se posicionou no sentido de haver respeito às manifestações e às diferenças de ideias {“muito bom”; =mantenhamos os comunistas no poder, a começar pelos idiotas-úteis da CNBB, ). “Temos visto acontecerem manifestações agressivas até na relação entre pessoas da mesma família.{=Lamento, D Leonardo Martelo & Foice, atacarem os empobrecidos e nada têm com a situação os diversos membros da familia Lula da Silva, quis dizer isso?…}
    … Pela política {=desde não praticada pelos patifes comunistas, totalitaristas, conspiradores contra a fé e o povo) passam muitas decisões que podem ajudar na construção de uma sociedade mais fraterna {=desde quando Satã como patrocinador via ideologia foi, é ou será fraternal; onde aprenderam isso?} e temos de pensar o Brasil a partir da ética e dos bons valores {=a partir da ética-moral do tronco judaico cristão e não de Marx, Engels, do PT, das FARC, de Cuba, do PCC…}.
    ”Intolerância. Nesta terça­-feira, 4, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) – {=sua banda esquerdista, por sinal inexpressiva} a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho e a Associação dos Juízes Federais do Brasil {=idem aos anteriores, da banda comunista} assinaram com a CNBB {=com a BANDA PODRE da CNBB} documento em que afirmam que a polarização política cada vez mais radical está provocando “reações carregadas de intolerância {=com a corrupção} e gerando o risco de uma preocupante escalada da violência {=propagada pelos que querem a paz comunista, ditatorial, a politicamente correta; eu mando, v obedece!}, em prejuízo de toda a Nação {=em imenso lucro da nação ao serem desempoleirados os gatunos}!
    Até a OAB que antes era do PT mudou de ideia, agora pró impeachment!
    Como a “Fôia” sabe destilar veneno de forma camuflada, que engenharia social da pesada; dá rasteira em cobra e nó em goteira!
    BRÉSIL: CECI N’EST PAS UN COUP D’ÉTAT!..
    NEM O ESQUERDISTA “LE MONDE” CAIU NA CONVERSA DE DILMA E DE SEU PTRAPACEIRO!
    Golpe de Estado? Conversa!
    A golpista Dilma querendo acusar os outros de golpe para defender que seja ela e seu peste mortal PT!
    Eis a arcaica e manjada tática esquerdista dos zumbis do PT para se defenderem, atacando os outros, velho esquema da malandragem do PT e está muito manjada; foi descoberta há muito tempo!

  6. Se a CNBB fosse Católica realmente, o socialismo/comunismo nunca teria flagelado nosso país. As desgraças advindas desse governo revolucionário tem solidariedade dos comunas que dominam tal entidade, que aliás é parece uma espécie de sindicato. Que os Bispos Católicos sejam valentes e defendam a Verdade e a Justiça.

  7. Sr. Alex Silva,

    não me leve a mal e perdoe-me de antemão,
    mas ler em seu comentário “o cidadão que PRESIDE a santa missa” dá-me profunda tristeza pela ignorância dos católicos atuais em não saber o que é a Santa Missa nem quem a celebra – in persona Christi..

    Pax.