Dom Odilo rejeita mudanças na Missa por conta de H1N1: “Paranóia”.

Medo de pegar H1N1 na igreja é ‘paranoia’ , diz arcebispo de São Paulo

D. Odilo Scherer afirmou na abertura da 54ª Assembleia da CNBB que a recomendação dada às dioceses é a mesma das autoridades

Por José Maria Tomazela – O Estado de São Paulo: ­ O arcebispo de São Paulo, d. Odilo Scherer, considerou “paranoia” o medo das pessoas de pegar a gripe H1N1 ao frequentar a igreja.

Como registrou o Estado, algumas dioceses, como a de Taubaté e São José dos Campos, no interior de São Paulo, estão mudando os rituais nas missas e batizados, que incluem abraços e orações de mãos dadas, para reduzir o risco e evitar possível debandada dos fiéis.

“Por que a igreja deveria espalhar H1N1 mais do que outros lugares? Isso é paranoia. As pessoas deveriam antes ter medo de ir para o banco, o metrô, o cinema, o estádio e o restaurante”, afirmou.

Na abertura da 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Aparecida, nesta quarta­-feira, 6, d. Odilo disse que não haverá uma recomendação para que a igreja mude seus rituais por causa da gripe.

“Ninguém está obrigado a receber a hóstia na boca, mas isso não deve ser visto com preocupação. Não creio que a igreja seja um lugar perigoso para se espalhar doenças. Não gostaria de espalhar essa psicose. Acho muito maior o risco em outras circunstâncias e situações.”

Segundo ele, a recomendação passada às dioceses é a mesma das autoridades sanitárias, válidas para quaisquer circunstâncias em que há risco de doenças: evitar o contato com pessoas que têm o problema, lavar bem as mãos depois do contato físico e evitar aglomerações em locais com pouca ventilação.

“Essas são as orientações do Ministério da Saúde que nós adotamos. Nas igrejas, geralmente, os espaços são amplos e bem ventilados. Não é na igreja que alguém vai pegar H1N1.”

Anúncios

5 Comentários to “Dom Odilo rejeita mudanças na Missa por conta de H1N1: “Paranóia”.”

  1. Foi bastante interessante a colocação de D Odilo, a prevalecerem as ideias disparatadas de nas S Missas se apanhar a gripe que assola varios lugares, a H1N1,. Dessa forma, todos estarão proibidos de entrarem em estabelecimentos comercias, clínicas médicas para se consultarem e não sei mais quantos locais onde existirem acúmulo de pessoas!
    Talvez o ar esteja tão empestado nas ruas que nem possa mais sair de casa…
    O Plenario da Câmara nos próximos dias, com todos esbravejando, será local perigosíssimo pois perdigotos estarão infestando o ambiente dos parlamentares e assistentes!

  2. Parabéns, Dom Odilo.

    Sou da mesma opinião.

    Maria Conceição Pinto Nunes

    ________________________________

    • Esse medo é exagero pena que dêem mais importância ao vírus, que à Eucaristia! Não condis com a fé.

  3. Sou de São Paulo e estas palavras de Dom Odilo poderiam ser lidas pelo meu pároco, que na missa do ultimo domingo cortou o abraço da paz e ordenou que todos comungassem nas mãos. Disse aos que tem a “devoção da comunhão na boca” que não há “nenhum problema” em comungar nas mãos e que muitas vezes a “boca está mais suja” que as mãos. Eu optei por ficar sem a Eucaristia no ultimo domingo.

  4. Não por causa do H1N1, mas já está na hora de cortarem abraços e mãos dadas nas missas do Novus Ordo brasileiro simplesmente por bom senso.