A aposentadoria de Lombardi.

Papa nomeia ex-correspondente da Fox News como porta-voz do Vaticano. Greg Burke irá assumir o cargo juntamente com Paloma Garcia Ovejero, como vice-responsável por uma revisão geral da operação de comunicações.

Por The Guardian | Tradução: FratresInUnum.com: O Vaticano nomeou um ex-jornalista da Fox News e membro do controverso grupo Opus Dei como seu principal porta-voz, enquanto uma jornalista espanhola atuará como vice.

 

2670

Pe. Lombardi e Greg Burke.

A nomeação de Greg Burke, 56, foi anunciada seguindo a renúncia de Federico Lombardi, padre jesuíta que atuou como porta-voz do papa Francisco e de seu predecessor, Bento XVI.

Burke trabalhou mais de uma década como correspondente da Fox News em Roma antes de ser contratado pelo Vaticano, em 2012, como assessor de comunicação. Em dezembro, o americano foi instalado como vice-diretor do escritório de imprensa.

Embora Burke não seja membro do clero, o Vaticano ressaltou, na segunda-feira, que o nativo da cidade americana de St. Louis é proveniente de uma família católica tradicional. Como estudante na Universidade de Columbia em Nova York, ele se tornou um membro do Opus Dei, uma organização católica conservadora que tem enfrentado críticas por causa de sigilo e de seus métodos de recrutamento.

Em outra mudança considerada dramática para a Santa Sé, a espanhola Paloma García Ovejero foi contratada como o vice-diretora da Sala de Imprensa. Em seu papel como porta-voz para a mídia do mundo, García Ovejero, 40 anos, natural de Madrid, em breve se tornará uma das mulheres mais proeminentes na hierarquia do Vaticano.

García Ovejero, desde 2012, atua como correspondente no Vaticano para mídia espanhola e também possui experiência americana, tendo estudado na Universidade de Nova Iorque.

A nomeação de dois estrangeiros marca uma mudança significativa na administração do Vaticano, conhecida como a Cúria Romana, que por séculos foi dominada pelos italianos. Ambos são poliglotas e falam o idioma do pontífice argentino, o espanhol, enquanto García Ovejero, segundo dizem, também tem conhecimento da lingua chinesa, uma habilidade notável, já que Francisco manifestou o desejo de visitar a China.

Elogios foram derramados sobre Lombardi. O porta-voz de 73 anos, que se encontra de saída, vinha diminuindo sua carga de trabalho e em fevereiro deixou o cargo de diretor-geral da Rádio Vaticano.

Thomas Rosica, assistente da assessoria de imprensa de língua inglesa, disse que ele tinha compartilhado “experiências eclesiais profundamente comoventes” com Lombardi nos últimos anos. “Eu aprendi muito com sua maneira suave, calma, o seu sensus Ecclesiae, o seu humor e sua capacidade de versatilidade com tanta serenidade,” Rosica escreveu no Facebook.

O padre jesuíta James Martin, editor da revista America, agradeceu Lombardi por seu ministério “incansável”. “Amável, trabalhador, orante: um modelo de jesuíta”, escreveu Martin no Twitter.

Anúncios

9 Comentários to “A aposentadoria de Lombardi.”

  1. Alguém que chama o Opus Dei de uma “organização católica conservadora”, entende de alguma coisa?

  2. Não seria preciso o dom do temor nem a prudência infusa para que uma consciência honesta e bem formada recusasse o convite de porta voz da confusão. Isso prova, mais uma vez, que os “conservadores” são os primeiros a trair a Igreja. Basta chacoalhar o sino do oportunismo, que lá vão eles vender a alma, as calças, o catecismo e a própria mãe.
    Deus se apiede dessas almas caricatas

  3. O Pe. Lombardi era, como já foi aqui dito, o “desmentidor oficial” do Papa Francisco. Contudo, a grande questão consiste em saber se o Papa queria mesmo ser desmentido.

    Tantos casos como, por exemplo, o telefonema à mulher adúltera ou algumas das frases mais polémicas… Se o Santo Padre quisesse de facto corrigir as suas atitudes e frases (aparentemente) mais imprudentes, tê-lo-ia feito ele próprio, mas não o fez.

    Resta saber então se o Santo Padre via no Pe. Lombardi um imprescindível auxílio para as suas fragilidades e incoerências ou, pelo contrário, um estorvo ou obstáculo que distorcia as mensagens que ele queria mesmo passar à população… O tempo o dirá!

  4. É impressionante como os católicos vão se acostumando a categorias simplesmente inexistentes, por exemplo, cogitar (tendo ao fundo uma infrene banda de tecnobrega) se cabe a um papa ter à sua disposição um “desmentidor oficial”. Perdeu-se, de direito e de facto, não somente o senso do ridículo, mas sobretudo o senso de realidade: quero ver o vulcão explodir e consumir as baratas.

  5. Seria uma incógnita os motivos por que o papa Francisco teria colocado logo nesse posto tão relevante, como porta-voz oficial do papa, dentro do Vaticano, alguém que foi um simples correspondente de uma agencia noticiosa, de repente, ocupando um cargo dessa natureza, função essa que mais deveria ser desempenhada por um clérigo!
    Seria avançar no esquema de laicização da Igreja – o papa Francisco aprecia o termo “revolucionario” – encetando certas reformas que a nivelariam gradativamente às seitas protestantes?
    Aliás, nesses aglomerados religiosos protestantes, os pastores não passam de mais um dentre os seus, sendo seitas sem magisterio definido e em que cada um é o auto espírito santo a se iluminar – até mesmo dispensando-se pastores para doutrinarem – sendo esses acreditados ou contestados em suas homilias e ensinamentos, a criterio de cada um “fiel”!
    .

  6. Como foi estranha a nomeação do leigo Burke e sua vice, uma mulher, logo num cargo tão delicado e confiado a pessoas comuns do jornalismo, por mais que fossem católicos; para mim seriam 2 estranhos no ninho, e logo ele vindo da OPUS DEI?

  7. O porta-voz de São João Paulo II, por anos a fio, mais de vinte salvo engano, foi também um leigo, e ligado ao Opus Dei: o professor espanhol Joaquín Navarro-Valls.

  8. Não posso julgar os novos membros da administração do Vaticano. Mas uma coisa eu sei. Com o Bergóglio, as suas idéias são ambíguas. Imagine um capitão de uma nau, que dê ordens imprecisas e contraditórias a todo o momento!

  9. A cada dia me surpreendo FAVCRAVELMENTE com o papa Francisco.
    O pe. Lombardi, também jesuíta, já foi tarde!
    Excelente ideia papal de nomear um membro da OPUS DEI para o cargo.
    Papa Francisco, você é dez!!!