Schönborn, novo prefeito para a Doutrina da Fé?

Aumentam os rumores sobre mudanças na Cúria Romana após o verão europeu. Rodríguez Maradiaga poderia dirigir o novo dicastério para os Leigos, Família e Vida.

Por Cameron Doody, 18 de julho de 2016 – Periodista Digital | Tradução: FratresInUnum.com:  Neste mês setembro, depois da JMJ em Cracóvia e das férias gerais de verão em Roma, poderiam ocorrer novas e importantes mudanças de pessoal no Vaticano. Entre elas seria a possível nomeação do cardeal Christoph Schönborn – a quem em vez do cardeal Gerhard Muller, o Papa Francisco confiou a apresentação da exortação apostólica Amoris laetitia – como novo Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

schonborn-con-la-amoris-laetitia_270x250

Schönborn com Amoris Laetitia

O primeiro passo será a substituição do cardeal Stanislaw Dziwisz, atual arcebispo de Cracóvia, por motivos de idade.  Espera-se que seu posto à frente da arquidiocese polonesa seja ocupado pelo cardeal Stanislaw Rylko – outro filho espiritual de São João Paulo II – porém, permaneceria a incógnita de quem substituiria Rylko na presidência do Conselho Pontifício para os Leigos, organismo que está a ponto de incorporar-se aos Conselhos para a Família e à Pastoral da Saúde.

Para dizer de outra maneira: a aposentadoria de Dziwisz poderia ser a ocasião perfeita para que o Papa Francisco implemente as mudanças de pessoal que durante muito tempo se espera, porém que foram frustradas por resistências na Cúria.

O nome que mais se ouve para o novo dicastério de Leigos, Família e Vida – ente que resultará da fusão dos antigos Conselhos Pontifícios – é o do cardeal Óscar Maradiaga, um dos aliados mais importantes do Papa Francisco e seu colaborador estreito no Conselho de Cardeais.

el-cardenal-oscar-maradiaga

Maradiaga

Francisco também terá que encontrar substituição para o cardeal Angelo Amato – atual Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, que já tem 78 anos – e este poderia materializar-se na pessoa do arcebispo Angelo Becciu, agora substituto ou vice Secretário de Estado do Vaticano. Esta reestruturação se completaria com a nomeação do arcebispo Gabriele Caccia, até então núncio no Líbano, como novo vice de Pietro Parolin.

Porém, talvez a nomeação que cause mais impacto no Vaticano seja a do cardeal Christoph Schönborn como novo Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, uma especulação que vem ganhando credibilidade, ao menos, por dois motivos: em primeiro lugar, a confiança que o Papa Francisco continua lhe depositando e, em segundo lugar, a aposentadoria, já faz algumas semanas, do cardeal Karl Lehmann, arcebispo de Mainz, cidade que poderia ser o novo destino do cardeal Gerhard Müller.

A volta de Muller para casa poderia ser interpretada como uma punição, porém, talvez o purpurado alemão não encare necessariamente dessa forma: o arcebispado de Mainz continua sendo um cargo de prestígio na igreja alemã e, de fato, Müller cursou seu doutorado com Lehmann na universidade da capital do estado de Rhineland-Palatinate.

el-cardenal-gerhard-muller

Müller

13 Comentários to “Schönborn, novo prefeito para a Doutrina da Fé?”

  1. Christoph Schönborn prefeito da congregação para a doutrina e a fé? Antigo tribunal do Santo Ofício? O guardião da fé? Aquele que deve preservar e salvaguardar a fé dos lobos e mestres do engano?

    É isso mesmo????

  2. Eventual nomeação do Cardeal Schöenborn para o cargo do Cardeal Müller para Prefeito da Congregação da Doutrina e da Fé seria inoportuna para a Igreja, haja visto que aquele tem demonstrado forte apreço ao modernismo e ao relativismo, nalgumas entrevistas já demonstrou afagar os casais gays, usando o argumento de um amparar o outro em caso de enfermidade, portanto, nada confiável.
    Será que o papa Francisco não teria avaliado os possíveis riscos dessa possível decisão de deslocar o competente D Müller desse tão importante cargo e instalar D Schöenborn, com diversos antecedentes comportamentais heterodoxos?
    Seria por D Müller ser um “politicamente incorreto”, além doutros similares serem enquadrados no mesmo esquema?
    No Sínodo pp, a grande maioria dos Padres sinodais tiveram reiteradamente afirmado serem oponentes a certas decisões tomadas, incluindo-se contrarios, ainda que respeitosamente, ao papa Francisco; bem diferentemente, o Cardeal Christoph Schoenborn de Viena é um dos que, entre os compartilhadores de seus posicionamentos, enchem-no de elogios por causa da sua nova mentalidade de abertura aos tempos atuais, de liberdade e genuíno “discernimento” pelos novos direcionamentos do Vaticano – apesar de serem dirigidos para o liberalismo.
    Se o papa Francisco, ao acaso o remover para outra função, tal substituição poderia indicar que não estaria nada satisfeito com as posições contraditorias contra ele adotadas pelo cardeal Müller; seria evidente, inclusive a releitura da Exortação Apostólica “Amoris Laetitia”, que o teria constrangido por um contraponto a seus ensinamentos!

  3. E qual seria o primeiro ato do novo prefeito do Santo Ofício? Trazer de volta para aquele dicastério o sodomita Krzysztof Charamsa que há nove meses vive em concubinato sodomita com seu parceiro catalão na cidade de Barcelona, afinal Schöenborn durante o Sínodo da Sodomia, defendeu esse tipo de convivência “estável” citando um “casal” de amigos dele:

    “Depois de vários relacionamentos temporários, eles agora estão numa união estável. O que já é uma grande melhoria. Eles compartilham uma vida, alegrias e sofrimentos, eles se ajudam um ao outro…o julgamento negativo da Igreja sobre os atos homossexuais é necessário…mas a Igreja não deve olhar para o quarto em que dormem em primeiro lugar, mas para a sala de jantar…acompanhar as pessoas”.
    http://www.catholicherald.co.uk/news/2015/09/11/stable-gay-relationship-is-better-than-a-temporary-one-says-cardinal-schonborn/

    • Estamos realmente numa “crise” tremenda, não acredito que isso saiu da boca de um Cardeal (esqueceram da Doutrina do Nosso Senhor Jesus Cristo… estão cegos!!) Faz pouco tempo que acompanho o Fratrers, mas aprendo muito aqui e parabenizo os seus comentários Sra. Gercione, sempre com muita coragem denunciando os “lobos em pele de cordeiro” e defendendo a Fé Católica com verdadeiro amor. Pena alguns católicos “jujubas” confundirem a Defesa da Fé (Sã Doutrina do Nosso Senhor Jesus Cristo) com a falsa concepção de “julgamento temerário”, e muitas vezes apoiarem a “falsa misericórdia”, isso porque não conheceram a verdadeira CARIDADE ensinada pelos grandes Santos da nossa Igreja. (Refiro-me a outros posts e comentários, pois sempre acompanho suas inteligentes colocações).

      Rezemos pelo Santo Padre e pela Santa Igreja.

      “Por fim, o Meu Imaculado Coração Triunfará”.

      Salve Maria Imaculada!

  4. É o quê? Fernandinho Beira-Mar Ministro da Justiça?

  5. Cardeal Schöenborn como Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé seria como colocar José Dirceu para presidir comissão que apurará a corrupção na política brasileira.

    Que Deus possa nos livrar de mais essa chacota para com a Igreja, já tão avacalhada.

    Exsurge Domine!

  6. Dar o cargo de prefeito para a Doutrina da Fé a Schönborn é quase equivalente a dar a guarda dos três porquinhos ao lobo mau. Pior que isso, só se Francisco assumisse ele mesmo o cargo.

  7. O Cardeal Schöenborn é um grande divulgador de Medjugorie. Se ele for nomeado prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, acredito que um parecer final sobre essa aparição, que ao que tudo indica é falsa, vai ser tornar ainda mais incerto.

  8. seria o mesmo que por o lobo mau a tomar conta das ovelhas.

  9. O papa Francisco só está formalizando uma situação que na prática já acontece. De agora em diante o trabalho não será nos convencer que o papa disse aquilo que gostaríamos de ouvir e sim de que acolhamos docilmente o que Francisco quer nos fazer engolir: a doutrina da neo igreja que se consolida no Vaticano. São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!

  10. Não duvido nada. Esses rumores quando vêm assim, é porque tem base forte. O Cardeal Muller,a quem muitos criticaram no inicio, vêm fazendo um belíssimo trabalho à frente da Congregação da Doutrina da fé, mantendo os princípios de ação desta. Punindo quem tem que ser punido, e sempre se expressando claramente sobre os temas da fé, quando necessário e muitas vezes quando o Papa Francisco declarou coisas estranhos. Se o Cardeal Schonborn for nomeado para doutrina da fé, haverá uma mudança total nos princípios de ação da fé católica a nível mundial, os modernistas e heresias não serão refutadas, e os dogmas da verdade católica, não serão defendidos. Seria bem a cara deste Pontificado.

    Cardeal Maradiaga é outro modernista, e que representaria mudanças principiológicas se for nomeado.

    Esses dois são a frente do time modernista do atual pontificado.

    Mas além de comentar, que é nosso dever e de conscientizar às pessoas, a nossa maior arma está na oração. Oremos pela Igreja. Parece que a terceira parte do segredo de Fátima está acontecendo na íntegra; a apostasia está tomando conta da cabeça da IGREJA.

    Rezemos!!!!

  11. Pois já é dada como certa a transferência de Dom Orani Tempesta para a Cúria em setembro, inclusive o clero do Rio já está ciente. Nos resta saber qual será o cargo do cardeal Tempesta, dito ‘conservador’. Eu diria que ele substituirá o focolar cardeal de Aviz na Congregação dos Religiosos, visto que ele é religioso e o atual prefeito não. Há também a possibilidade da substituição de cardeal Amato, que já conta 78 anos, na Causa dos Santos. Nos resta esperar e rezar para que estas mudanças não sejam tão más quanto imaginamos…

  12. Tudo isso é castigo. A infidelidade começou com o pisoteamento da doutrina perpetrado pelo sínodo que chamam Concílio Vaticano dóis e continuou com o sapateado tresloucado de Paulo VI em cima da liturgia da Igreja (tanto faz a posição do celebrante).Resta-nos fazer penitência e aceitar o que era inevitável: a indignação de Deus.