Foto da semana.

Paris, 3 de agosto de 2016 – A Polícia cumpre ordem judicial de desocupação da igreja de Santa Rita, enquanto o Padre Guillaume de Tanoüarn, do Instituto do Bom Pastor (IBP), celebrava a Santa Missa. O padre Jean-François Billot, também do IBP, foi agredido e retirado à força.

Segundo o Padre de Tanoüarn, em entrevista ao Le Figaro, “esta igreja foi construída em 1905 por um grupo de anglicanos que se diziam católicos, e que tinham por objetivo anunciar o fim do mundo entre os cristãos. Esse grupo espiritual, não tendo herdeiros, decidiu alugar essa igreja aos auto-proclamados galicanos, católicos dissidentes que não pagavam o aluguel. A associação [proprietária da igreja] então decidiu vender a um empreendedor. A comunidade católica, sentindo-se abandonada, pediu-me para vir celebrar a missa, o que fiz. No momento da expulsão, tínhamos duas missas cheias celebradas a cada domingo na igreja de Santa Rita”. O padre atendia aos fiéis na igreja de Santa Rita desde novembro do ano passado.

Segundo o sacerdote católico, um dos fundadores, em 2006, do Instituto do Bom Pastor, entidade de Direito Pontifício, não houve profanação das espécies sagradas. De acordo com De Tanoüarn, “a destruição programada da igreja de Santa Rita levanta a questão sobre todas as igrejas vazias na França. Elas devem ser reconhecidas como lugares sagrados e protegidas mesmo se elas não são ‘rentáveis'”.

[Atualização – 3 de agosto de 2016, às 16:45] Informação sobre a Communauté chrétienne Sainte-Rita – Paris XVème , de seu próprio site: A associação Comunidade cristã Santa Rita – Paris XV foi criada após a saída do clero galicano. Seu objetivo é representar os fiéis, promover a liturgia e a missa católica romana, preservar a igreja e conservar a sua alma. O Padre De Tanoüarn, do Instituto do Bom Pastor, aceitou vir celebrar a missa todos os domingos às 16h. Ademais, a associação mantém a igreja, organiza uma sopa popular mensal, bem como exposições, conferências, concertos e outros eventos culturais, além da tradicional benção anual dos animais.

Fotos: Le Figaro

Tags:

18 Comentários to “Foto da semana.”

  1. França, mereces o que acontece contigo.

  2. Achei esse fato bem complicado. Pelo que entendi o templo estava aberto sem trancas , sem vigia . Mas tinha dono e tinha sido local protestante. Estranho não? Chega a policia pra expulsar o povo e o padre… não teve aviso brevio não?

  3. Hoje o poder do estado francês expulsa violentamente um piedoso padre que rezava a Missa Tradicional numa igreja; amanhã, talvez o Islã expulse a própria França do mapa – basta que uma bomba atômica caia nas mãos dos militantes islâmicos, e adeus Paris… Acho que é só uma questão de tempo para que algo desse gênero aconteça, e, como disse Nosso Senhor, “não ficará pedra sobre pedra” (literalmente).

  4. E Francisco, o que tem a dizer?

  5. Imaginem (só imaginem, pois é óbvio que isto jamais aconteceria na França moderna) a mesma (a mesmíssima) estória com alguns poucos detalhes alterados: ao invés de uma igreja, uma mesquita; ao invés de ocorrer durante uma Missa, tudo se dá em meio às preces da sexta-feira; ao invés de padres, imãs sendo arrastados.

    A esta altura, o mundo estaria em polvorosa e os líderes ocidentais, em peso, estariam exigindo a cabeça de quem quer que fosse que tivesse participado do evento, e, muito provavelmente, o Vaticano já teria rasgado as vestes, escandalizado pela brutalidade do fato.

    Mas, já viram, né?

    Era só uma comunidade católica.

    Era só uma Missa.

    Eram somente padres.

    Era apenas o conjunto de elementos que forjou o Ocidente.

    Nada que atraia a atenção de nossos líderes…

  6. Se a entrada da força policial tiver sido antes do Ofertório, a Missa poderia ter sido suspensa. É claro que, de todo modo, os policiais deveriam ter esperado o final da liturgia.

    Se isso tivesse sido feito num botequim de alguma falsa religião, estaria a imprensa criticar a “intolerância” e a “brutalidade”. Mas como se deu com o culto católico, então está ótimo para ela.

    Aliás, as últimas palavras de Père Jacques Hamel não foram dirigidas contra os seus algozes, mas contra satanás, conforme relatou o arcebispo de Rouen, Dominique Lebrun, na pregação feita durante a Missa exequial:

    “- Va-t-en Satan+. Tu répètes: +va-t-en Satan!”, disse o ancião sacerdote.

    O arcebispo deixou claro que se tratava de uma ação feita por instigação do diabo (ele o citou mais de uma vez).

    Também o arcebispo de Paris, na Missa por ele celebrada em memória de Père Jacques, evocou em sua pregação uma antiga “divindade” dos gentios, o sanguinário “deus” Moloc, que se alegrava com a morte das vitimas que seus adoradores lhe ofereciam. Interessante, não…?

    Parece que Deus nosso Senhor está a mandar recados pela boca de seus ministros. Resta esperar que eles resolvam agir (finalmente).

  7. Não sei se querem ver, um vídeo ( celular ). https://www.youtube.com/watch?v=UZNvSRFYRUU

  8. Uma ação de despejo, com fundamento na falta de pagamento dos aluguéis, sem aviso prévio para desocupação voluntária com prazo anteriormente estipulado? Há que se considerar e ponderar os aspectos legais dessa desocupação forçada sob o prisma do direito francês.

    De qualquer maneira, são cenas fortes.

  9. Sendo diabolistas os marxistas, teleguiados por forças espirituais adversas que os controlam, agem similarmente aos maometanos dos quais são aliados, como o intolerante governo francês, “comandando” um país de tradição cristã, acuando como puder os adversarios, caso de opressão à Igreja católica, ou em último caso, até trucidando os que se rebelarem contra eles, pois o comunismo é uma ideologia sumamente genocida.
    O fato acima e mais investidas se assemelham aos modelos truculentos e discriminadores dos filhos da deusa pagã da lua Alah, pois desde que essa ideologia envernizada de religião foi fundada se mantém de igual forma!
    Imaginemos o caos que ambos trazem onde estão no poder, se odeiam-se entre si cada um dos grupos, que não são capazes de fazer para subjugarem os desafetos?
    Nem imaginar o rebu se um despejo desse modo sucedesse numa mesquita!
    O mesmo se pode dizer aos franceses eleitores de comunistas, acaso se cristãos: coloquem o diabo no poder e aguardem os resultados!

  10. Invadir igreja católica é fácil. Eu queria mesmo é ver a polícia francesa invadir uma mesquita e arrastar os imãs pelo chão.

  11. Dizem que o hábito do cachimbo deixa a boca torta! Depois de todos esses anos, constato que esse é o caso do Sr. Carlos Ramalhete, que não perdeu o ranço contra os Católicos e os Padres que defendem a Tradição Católica. O artigo cheio de incongruências e denotado preconceito só faltou dizer claramente que a polícia estava certíssima em meter a borduna naqueles “aloprados”:

    “Com o fracasso do golpe de Estado deles em 2015, contudo, eles passaram adiante a igreja (sempre ocupada ilegalmente para o direito civil e inexistente para o direito canônico) a uma associação preservacionista servida pelo padre Tanoüarn (o “abbé de Tanoüarn”, uma figura interessantíssima: era lefebvrista, e foi durante anos “vigário” (de quem, não se sabe) da igreja de São Nicolau, que o governo francês, para ira das autoridades eclesiásticas católicas, deu para uso aos lefebvristas. Brigou com os lefebvristas, voltou à plena comunhão com a Santa Sé, fundou o IBP, teve o comando do IBP puxado de debaixo de suas pernas num processo canônico curiosíssimo, e hoje em dia dedica-se mais à política, ao ensino e à escrita”.
    View story at Medium.com

    Deu voltas, enlameou reputações, defendeu a truculência policial e num arroubo de culpar a vítima pelo estupro ainda se saiu com essa pérola:

    “Sabendo da hora em que a polícia tinha ordens de entrar, eles começaram uma Missa para que ela fosse interrompida pela polícia, e quando perceberam que a polícia estava esperando acabar começaram outra, e outra ainda, quando finalmente fez-se a reintegração de posse. Não se sabe ainda sequer se as tais Missas sacrílegas (pois começar a celebrar a Santa Missa para ser interrompido e aparecer em filmagens é sacrilégio) estavam sendo celebradas por padres de verdade ou por galicanos sem ordens válidas.

    Quanto juízo temerário! Quanta malícia! “Sabendo da hora em que a polícia tinha ordens de entrar, eles começaram uma Missa para que ela fosse interrompida pela polícia”. Na cabeça desse senhor, o padre e o povo “armaram uma missa” pra que ela fosse devidamente profanada!
    Eu não sabia que filmar missa é sacrilégio! Será que ele vai ter coragem de dizer issso pra “Impostura Religiosa” que ele tanto defende e que não faz outra coisa senão filmar “missas sacrílegas” pra serem vistas pelo povão?
    Se “não se sabe ainda sequer se as tais “Missas sacrílegas” estavam sendo celebradas por padres de verdade”, (o que ele lá na frente contradiz ao citar o padre Tanoüarn do IBP), por que ele se arvora em defender o idefensável e condenar aquilo do qual não tem conhecimento de causa?
    Na sua sanha de atacar os padres tradicionalistas ( isso vem de longa época e eu sou testemunha!) não poupou de sua língua ferina nem a Saint-Nicolas-du-Chardonnet!
    Pois o que eu sei e vi, pelos vídeos e fotos é que ali estava sendo celebrada uma Missa Católica. Nem vou entrar na questão do rito, que segundo o nosso “Prefeito de Internet para o Culto Divino” era sacrílega e de validade duvidosa!
    O que eu piamente acredito é que com o padre validamente ordenado, matéria, fórmula e intenção válida, Jesus estava realmente presente ali. E Ele sim, seja lá sob que desculpas, foi o alvo desse ato sacrílego, dessa abominação, dessa truculência.
    De resto, a única coisa que posso repetir é a advertência de Jesus aos seus discípulos:

    “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. E acautelai-vos dos homens…” (Mt 10.16-17).

    A expressão acautelai-vos dos homens é nosso foco aqui. Jesus diz com todas as letras que devemos ter cautela no relacionamento com as pessoas. Nosso Senhor Jesus Cristo está persuadindo seus discípulos a não confiar precipitadamente nas pessoas. Se você parar para refletir e analisar com calma, uma parcela considerável dos problemas enfrentados pelas pessoas tem origem na confiança precipitada. Pessoas que confiaram demais, sem avaliar adequadamente o caráter e as circunstâncias da outra pessoa, e se deram muito mal com isso.
    As relações humanas, desde que o pecado entrou na história, sofrem com a inaptidão e defasagem da capacidade de julgamento do ser humano, que agora recebe influência de aspectos negativos da natureza humana pecaminosa, sem falar naquele empurrãozinho do Pai da Mentira.
    Vícios como perversidade, crueldade, ganância, cobiça, inveja, e coisas semelhantes a estas, estão muitas vezes ativas nas interações humanas, principalmente daqueles que ainda resistem à ação do Espírito Santo em seus corações e mentes. Daí a necessidade de Jesus alertar-nos acautelai-vos dos homens.
    Portanto, nesse dia dedicado ao Patrono dos Sacerdotes, oremos por todos os sacerdotes, principalmente aqueles mais atacados e agredidos, tanto por quem está dentro como fora da Igreja.

  12. Quando eu era muito pequeno, tinha curiosidade de entrar em outras igrejas de minha cidade, mas minha mãe nunca permitiu e sempre me falava: “não é a sua igreja”. Eu só podia ir na “minha igreja”. Por volta dos oito anos de idade, eu dizia que: “O Papa [João Paulo II] não é da minha igreja”. Jamais – digo jamais – vi os progressistas como pessoas da mesma igreja que eu. A gente sabe quem é do nosso povo e quem não é. A gente sente o cheiro e sabe se é irmão de igreja ou não.

    Quando se ataca um tradicionalista ou sedevacantista, é ao meu povo e aos meus familiares que se ataca. Quando se ataca progressistas, é a outro povo que se ataca.

    Me solidarizo à comunidade do post, mas me desculpem minha frieza, pois estou com problemas pessoais.

    Mas eu vejo os que celebram Missa Tridentina etc como irmãos de igreja, o resto não é irmão de igreja. A palavra irmão é muito utilizada pelos protestantes, mas aqui estou apenas tentando expressar um sentimento.

    Eu sei quem é minha família religiosa. Os progressistas absolutamente nunca fizeram e não fazem parte desta família. No futuro ou no presente, independentemente do que eu seja ou venha a ser, eu sei de qual família religiosa provenho, em qual fui destinado a nascer em janeiro de 1988.

    Eu sou de origem tradicionalista e nasci na “igreja cismática de Campos”, onde fui batizado e recebi tudo que entendo por Igreja Católica. Esta é minha família religiosa. Eu posso ser o pior pecador e pegar o pior dos infernos, mas esta é minha Igreja Católica, minha família religiosa. Família não se escolhe; à minha, agradeço pelo que me têm feito até hoje.

  13. Sinal dos Tempos!
    Paris, a cidade Luz mais visitada do mundo, esquece de suas tradições cristãs e persegue seus pastores, desde a implantação da Revolução Francesa até o fim-dos-tempos. Lamentável!

    Existem muitas profecias que falam sobre a destruição de Paris e outras cidades da França (sem citar Nostradamus, que inclusive escreveu várias quadras sobre a destruição de Paris):
    “A cidade com a torre de ferro (Paris) se torna a vítima do próprio povo. (espécie de guerra civil) Eles colocam fogo em tudo. A revolução é violenta. As ilhas costeiras são invadidas pelas águas, porque as águas estarão muito violentas. Vejo grandes buracos no mar, que fecham quando as enormes ondas voltam. A cidade bonita no mar azul quase afunda completamente no mar, na sujeira e na areia, que são ejetadas pelo mar. Vejo três cidades afundando no sul, no norte e no oeste. A cidade grande com a alta torre de ferro é colocada em fogo. Mas são os próprios habitantes da cidade que fizeram isso, não aqueles que vieram do oriente. E a cidade é arrasada, isto eu estou vendo bem claramente”.

    Eis as principais:

    1- Bispo Christianos Ageda (séc. XII):

    “No século XX, a união da França com a Inglaterra provará ser a sua destruição: pois haverá grande derramamento de sangue nas pessoas do Reino. Haverá guerras e fúria que durarão muito: províncias sem seu povo e reinos em confusão; muitos fortes e casas nobres serão destruídos e suas cidades e bairros serão abandonados por seus habitantes; em vários locais o solo não estará cultivado e haverá grande mortandade dos ricos; seu sol será escurecido e nunca mais brilhará novamente, pois a França estará desolada e sua líder (Paris) destruída.”

    2- Marie de Terreaux (1816-1893)

    “Quando este grande acontecimento se aproximar, fenômenos extraordinários aparecerão no céu. (…) Paris será arrasada como Sodoma e Gomorra (fogo) e o que restar de seus habitantes se refugiará em Lion. (…) A França, por um momento, será ameaçada por todas as partes por potências estrangeiras. A surpresa e o pavor que a notícia causará colocará o povo em furor e ocasionará a anarquia e a guerra civil. Os estrangeiros penetrarão na França até as proximidades de Lion. A hora do grande castigo será anunciada pelos estardalhaços de um trovão apavorante. (…) A França, Itália, Espanha e Inglaterra estarão em guerra civil. O sangue correrá nas ruas. Porque os pecados e crimes dos homens chegam até os céus. Paris será queimada e Marselha será submersa”.

    3- Condessa Francesca de Billiante (1935):

    “Quando a terra com a grande armada entrar no Mediterrâneo (Rússia e/ou muçulmanos), a Europa tremerá. Deus salvará Roma do pior (…) A França e a Espanha afundarão profundamente (…). Eu vejo guerreiros amarelos (japoneses) e vermelhos (russos) marchando contra a Europa e a Europa estará coberta de uma fumaça amarela (bomba química). O gado nos campos morrerá com esta fumaça amarela. As cidades, que se levantaram contra Cristo, serão destruídas em chamas. A fome aniquilará os que continuarem e poucos restarão na Europa.”

    4- Watrin (1885), camponês:

    “Vi Paris, com seus monumentos e igrejas, iluminada por um sol esplendoroso. Depois, de repente, com um ruído terrível, uma torrente de fogo se precipitou no centro da cidade. Pelos Santos Evangelhos, digo que uma monstruosa tempestade de fogo se precipitará, como um raio, e aniquilará todos os quarteirões do centro.”

    5- Profecia de “L’Oracle” (março de 1840)

    “A cegueira será extrema. Paris será destruída, mas eles dirão: ‘havia os subterrâneos sob Paris e o fogo não os destruiu’ e se endurecerão. A segunda cidade do reino será destruída e ainda não acreditarão. Uma terceira será destruída e começarão a pedir penitência. E quando o sangue tiver corrido, o filho do Lírio (Grande Monarca francês) reentrará na França. Ele não habitará em Paris. Ele escolherá sua capital no sul.”

    A capital no sul é Avignon de acordo com a opinião geral dos escritores de profecia. A terceira cidade, de acordo com algumas outras profecias, é Lyon, que deve ser parcialmente destruída. Haverá outras cidades destruídas na França, no sul devido às ondas (Nice, Mônaco, Canes) etc.

    6- Há profecias que mencionam os subterrâneos de Paris décadas antes da construção do metrô, como a de cima e a profecia seguinte, de Anne Catherine Emmerich (1774-1824):

    “Frequentemente tive a impressão de que Paris deveria ser também engolida: eu vejo várias cavernas sob a cidade, mas elas não se parecem com as grutas subterrâneas de Roma com as esculturas ornando-as.”

    7- Padre Nectou, jesuíta (falecido em 1777). Suas profecias foram compiladas pelo Padre Raux:

    “Paris certamente será destruída, mas antes que isto ocorra, os sinais devem ser observados, para que todas as pessoas ‘boas’ sejam estimuladas a fugir dali. Depois deste terrível acontecimento, tudo voltará à ordem; a justiça e uma época sem rebeliões reinarão no mundo.”

    8- Vidente de Vorarlberg (1922)

    “Paris será queimada e destruída. Marselha afundará em um abismo, formado ao redor da cidade, e será coberta por uma grande onda.”

    As aparições de Maria e Jesus têm advertido sobre guerras há vários anos. Nas aparições em Kérizinen, Bretanha, recebidas por Jeanne-Louise Ramonet entre 1938 e 1965, Maria disse, pouco antes da Segunda Grande Guerra, em 1938 “uma nova guerra ameaça a Europa. Eu a afastarei alguns meses…”. Sobre nosso futuro, foi dito:

    “A França será invadida e ocupada por um exército russo. Será então que os bons sofrerão perseguição da parte dos sem Deus.” (1948)

    “Compreenda também que, nos acontecimentos terríveis que virão como: guerras, inundações, tremores de terra, populações destruídas por cataclismos, a Misericórdia de Deus tem bons olhos para cada alma atingida por esta morte terrível”. (maio de 1960)

    9- São Cesário, Arcebispo de Arles (469-71/542-3):

    “O ferro e o fogo envolvem a Babilônia (Paris) da Gália, que cai em um grande incêndio, afogada em sangue. Depois, a segunda cidade do reino e ainda uma outra são destruídas. Então, brilha a luz da misericórdia divina, pois a justiça suprema surpreendeu todos os malvados”.

    10- A irmã Marianne Gaultier, também conhecida como Pastora de Saint-Afrique, faleceu em 1846. Ela deixou um documento escrito com três acontecimentos, dois já realizados. Ela profetizou:

    “Desgraça! Três vezes desgraça à França! Três vezes desgraça à Alemanha! Três vezes desgraça à Itália! A França estará em dificuldades e lhe faltará todo o socorro. (…) A grande prostituta (Paris) será destruída pelo fogo e cairá em ruínas. (…) Os transeuntes dirão, ao ver suas ruínas: ‘Tu, grande cidade, coberta de seda e pedras preciosas, estás aí coberta de lodo, destruída, em ruínas. Ninguém saberá de onde virá o fogo que consumirá Paris. Todos os maus morrerão ali, as desgraças que cairão sobre França serão tão grandes que muitas pessoas morrerão de espanto, mas isso durará pouco tempo. Nesta grande guerra, o que se julgar vencedor será vencido. (…) Todos os justos serão advertidos antes: o anjo do Senhor lhes dirá: ‘Sai, sai povo meu. Babilônia será destruída’ (…) Esta calamidade consistirá de: 1. Uma grande fuga; 2. Grande tribulações em muitas grandes cidades da França; 3. Um horrível massacre na capital, Paris. ”

    11- Padre Jérome Botin (1358-1420):
    Aparece em alguns livros de profecias como Jérome Votin. Este religioso francês recebeu mensagens do Senhor em 1410 no mosteiro Saint-Germain de Prés em Paris.

    “(…) que aqueles que não se curvaram diante de falsos deuses que fujam de Babilônia (Paris). Que todos saibam como salvar sua vida; pois virá o tempo durante o qual o Senhor demonstrará, com punições severas, a grandeza de crimes com que ela (Paris) se profana.”

    Revelação de uma visionária citada pelo Abade Curicque (1860)

    “Das ruas de Paris e de outros lugares sairão exércitos enlouquecidos e os caminhos de ferro serão interrompidos pelos bandidos… uma multidão de padres encadeados uns aos outros, os conventos queimados, as religiosas ultrajadas… O mundo inteiro me parecia estar uma ruína e uma desordem.”

    Madame Marianne Lenormand (1772-1843)
    A profecia seguinte fala de uma “teoria” dos russos, na qual os franceses acreditarão e farão a guerra civil, destruindo Paris. Estaria a teoria dos russos relacionada ao ataque na Ioguslávia ?

    “Particularmente Paris encontrará seu destino fatal. Porque está escrito: ‘O fogo dos céus suportará o ódio dos inimigos.’ O parisiense, cheio de ódio e desespero em seu coração e acreditando na teoria que os russos lhe deram, dará suporte aos esforços de ferocidade com que os bárbaros desejam destruir a rainha de todas as cidades. Tochas ardentes são lançadas nos telhados das casas. Paris estará totalmente sob um tremendo incêndio. Em minha predição profética, estou dizendo de Paris: ‘Tenha cuidado! Cidade dos filósofos, oh! Cidade infeliz! Porque um dia os arados cobrirão suas ruínas e o pai dirá para seu filho: Aqui um dia foi Paris.’ Esta triste predição não será realizada na segunda entrada de estrangeiros, apesar de poder estar parecendo. – Deus nos proteja da terceira entrada (guerra).”

    Profecia conhecida depois de 1730, provavelmente irlandesa

    “Há uma cidade fabulosa, ao longe, que se chama Paris. Seus habitantes são as pessoas mais corrompidas da face da terra. (…) Mas um certo dia do ano das justas apreciações, feito de um e de nove (1999), tempestades de fogo destruirão a imensa capital. A mais ambiciosa de todas as torres curvará como feita de palha antes de se incendiar em uma chama incandescente. O sopro terrível do vento misturará todos os incêndios em um só braseiro de onde as chamas e fumaça ligarão a terra ao céu… Se ouvirá gritos e algazarra… Palácios desmoronando, agonizantes devorados pela força das chamas, crepitação do imenso incêndio… Durante oito dias, a força dos braseiros e o bafo ardente da fumaça testemunhará ainda o lugar que tinha sido uma grande cidade…”

    No dia 20 de maio de 1999, o Jornal do Brasil publicou um interessante artigo sobre uma visão e o novo livro do conhecido estilista e escritor Paco Rabanne. Reproduzo aqui o artigo na íntegra:

    ”Paco Rabanne faz previsão catastrófica para 11 de agosto
    Paris – Conhecido por suas criações extravagantes, o estilista Paco Rabanne está convencido de que seu próximo desfile de modas, dia 11 de julho, será o último dos grandes eventos a ocorrer a Paris, pois a cidade – garante – será inteiramente destruída 30 dias mais tarde pelo choque da estação espacial russa Mir, que nesse dia se precipitará sobre o Castelo de Vincennes, transformando a capital francesa numa gigantesca fogueira.
    Certo de que o desatre se aproxima, Paco Rabanne lançou recentemente um livro, ‘1999, Le feu du ciel’ (1999, O fogo do céu), no qual explica o motivo de tão arraigada convicção. Foi a partir de um sonho que teve quando era ainda estudante, durante o qual viu Paris inteiramente tomada pelas chamas. ‘Foi uma imagem muito violenta, da qual nunca me esqueci’.
    Mais recentemente, ao ouvir notícias sobre o fim da vida útil da estação Mir, que se avizinha, ele associou a lembrança da juventude às profecias de Nostradamus e não teve mais dúvida de que o fim de Paris é mera questão de meses. Tanto assim, que aconselhou todos os integrantes de sua equipe a estarem o mais longe possível da cidade dia 11 de agosto.
    Estrelas – Nascido na Espanha mas consagrado no mundo da alta costura em Paris, Paco Rabanne tem fascínio pelo ocultismo e pelas disciplinas esotéricas desde a idade dos sete anos, quando numa noite – afirma – seu espírito saiu por alguns momentos de seu corpo, “para voar entre as estrelas”. Pelo sonho que teve mais tarde, com Paris sendo destruída pelo fogo, só umas se salvaram, as poucas pessoas que conseguiram se atirar às águas do Sena.
    Em recente entrevista, ele explicou: ‘Todas as profecias dizem que a cidade será consumada pelas chamas e, há dois anos, ao ler a de Nostradamus, eu concluí que esse fim estava próximo, causado pelo choque de uma bola de fogo, possivelmente um asteróide. Quando os cientistas russos informaram que a Mir poderá cair voltei a Nostradamus e percebi que no trecho em que ele citava ‘o fim do tempo das flores, a chegada da paz e a morte dos habitantes de uma cidade’, tive certeza de que essa era uma referência a Paris. O fim do tempo das flores é marcado pelo início do verão, em junho, e a cidade só pode ser aquela que me foi mostrada em sonho. E paz, no caso, nada mais é do que a tradução do termo russo mir’, disse.
    Segundo o estilista, nos escritos de Nostradamus existe também uma passagem sobre o Rio Tâmisa, de Londres, e sobre combatentes que falam inglês. A interpretação atual – disse – é que são soldados americanos, os quais tentarão destruir a Mir em órbita, antes que despenque sobre a terra, mas não terão sucesso”.

  14. Os europeus já estão pagando bem caro o preço da descristianização do seu continente, principalmente os gauleses. Pensaram que secularizando os Estados estariam se protegendo da religião e seu “fanatismo” (logicamente da religião Cristã), mas ao fazer isso criaram Estados ateus socialistas/comunistas e vulneráveis à ação de seitas radicais, como os maometanos. O resto da história todos temos visto nos últimos anos e é apenas o começo. Infelizmente, alguns inocentes que nada tem a ver com a onda de apostasia que assola essa terra, acabam pagando o preço, como foi o caso do Pe. Jacques Hamel, verdadeiro mártir.

  15. Sobre o martírio (?) do Padre Jacques Hamel, permitam-me:

    http://contraimpugnantes.blogspot.com.br/2016/07/jacques-hamel-martir-nao-sabemos.html

  16. Parece que essa malévola figura da impugnância não se cansa de destilar seu veneno de anátemas postiços e de de miudezas gosmentas, achando-se, decerto, a vedete da cocada preta teológica. Não bastava essa obscura figura ficar vociferando o que – qual Ismália na torre – acha ser a filosofia…! Agora, ela, a figura, decide que critérios, de sumo rigor, devem ser aplicados à morte de Padre Jacques a fim de sabê-lo mártir ou impostor post mortem… Pobre Padre!

    Só num país de trôpegos mentais, como se tem tornado o Brasil, é que figuras como esta conseguem vicejar.