Editorial: O fracasso de Francisco.

Há um filme de aproximadamente dez anos, “Wag the dog” – expressão idiomática americana que equivaleria a “Desviar a  atenção” –, no Brasil entitulado “Mera coincidência”, cujo enredo era de um candidato à presidência dos EUA que, envolvido num escândalo sexual, para desviar a atenção dos eleitores, contratou um produtor de Hollywood para “criar” midiaticamente uma falsa guerra na Albânia. Não precisamos dizer que, no roteiro, o povo é enganado, embora fique sempre com aquela impressão inexplicável de que há algo no ar…

É este “algo no ar…” que queremos salientar relativamente ao suposto “sucesso” de Papa Bergoglio.

Aclamado pela mídia, ovacionado pela esquerda internacional, incensado por gays e abortistas, Francisco parece não atrair o mesmo entusiasmo por parte dos católicos.

wp-1472868388594.jpg

Na última sexta-feira, 2 de setembro, ele promoveu um “dia de oração pelo criado” (sic!). Não, não se trata do “criado” de alguém, de uma pessoa que presta seus humildes serviços a outrem, mas da “criação”, ou seja, chimpanzés, calangos e similares… Um dia de espiritualidade ecológica; não propriamente daqueles rituais druidas tão apreciados por Leonardo Boff et caterva, como abraçar-se com árvores ou tomar um descarrego com uma vassoura de alecrim, mas politicamente correto o suficiente para tirar suspiros devotos de George Soros… Sim, dele mesmo: o multimilionário americano que vive de trapaças, como destruir bancos para depois comprá-los por preço de… banana! E, nesse caso, a irmã banana que nos perdoe!

Acontece que, no tal dia de “oração pelo criado”, ao fim e ao cabo, apareceram apenas algumas dezenas de pessoas. Foi um fiasco!!!

Assim como fiasco foi a abertura do Ano Santo da Misericórdia e a própria canonização de Madre Teresa de Calcutá, que contou com a discreta presença de, no máximo, cem mil peregrinos.

Não, essa não é uma presença expressiva para a canonização de uma mulher do porte de Madre Teresa. Basta comparar com os 800.000 da canonização de Padre Pio e com os 600.000 da de Escrivá. A propósito, a beatificação – beatificação!!! –  de Mons. Portillo, em Madrid, reuniu mais de 200.000 pessoas (e quem celebrou foi o Card. Amato)…

Francisco é uma decepção de público, um repelente de católicos. Acontece consigo o mesmo que com os revolucionários franceses quando inventaram a sua “Igreja jurada”… Com discurso anticatólico, ao som de tiros para o ar e ao canto da marselhesa, criaram uma religião que os católicos e os próprios revolucionários odiavam… Parece óbvio! Francisco fala para comunistas, gaysistas, feministas e afins… E, por um acaso, essa gente gosta de Igreja?…

Na Europa agonizante, o discurso de Bergoglio consegue até entusiasmar algum grêmio da terceira idade, mas aqui na América Latina ninguém sequer toma conhecimento do que ele diz e pensa. Circulam pela internet textos apócrifos, bem naquele estilo motivacional do Dr. Cury; memes mais ou menos engraçados, com algum incentivo para o moral da galera, e pouco mais que isso.

Até entre os bispos paira um certo constrangimento: com a patrulha que corre pelas sacristias, sentem-se obrigados a falar de Francisco, mas não sabem bem sobre o que devem falar dele: não há matéria! Em tempos de Papa Ratzinger, ao menos Nouvelle Théologie nós tínhamos. Agora, temos “teologia” de chimpanzés e ativismo esquerdista, enquanto as esquerdas vão caindo mundo afora.

De fato, o Papa argentino escolheu um lado: o lado do fracasso!

As pessoas possuem apenas um estereótipo de Francisco, e um estereótipo que as mesmas vacilam em conferir com a realidade. Admitem certa simpatia por ele, mas nada mais profundo que isso! Gosta de Francisco o “católico” da Globo, que também gosta de Chico Xavier e do Faustão.

Enquanto isso, a mocidade católica continua firmemente agarrada à boa e velha tradição, que alegra a nossa juventude. E vamos continuar assim.

O entusiasmo por este papa é todo falso, midiático, artificial. Tudo nele soa fingido. Ele mesmo vive de cenas e frases de efeito – viram o clipezinho que ele gravou em Auschwitz? Poderiam ter colocado a trilha sonora de Madona: “Don’t cry for me, Argentina”. Se estivesse no Brasil, certamente teria como marqueteiro o João Santana.

Mas, é inegável, sempre fica o gostinho de “algo no ar…”, o que não deixa de intrigar e de entristecer os verdadeiros fiéis.

Francisco diz que as ovelhas têm o seu próprio instinto, e que os pastores deveriam segui-las, e não o contrário. Pois bem, como disse Nosso Senhor, “minhas ovelhas me conhecem”! Bergoglio não tem cheiro de ovelha, não! Ele tem cheiro é da elite globalista e, para estes, ele vive a “desviar a nossa atenção”.

Tags:

31 Comentários to “Editorial: O fracasso de Francisco.”

  1. “Francisco é uma decepção de público, um repelente de católicos.”

    Já pensaram por um momento que seja, que ele está a repelir os “católicos” das formalidades, do exclusivismo, da rigidez? Se assim é, que continue!

    O vosso julgamento sobre o papa em Auschwitz é de extremo mau gosto, no mínimo, para não dizer outra coisa.

    Quem sabe as pessoas “de fora”não virem mais cristãs,com a aproximação do papa, que os “cristãos” extremistas com pouco amor no coração, cheios de soberba e elitismo, que acham que a sua crença e prática sao as únicas boas…

    • André,
      segue trecho do Código de Direito Canônico art.212 §3º:

      “Os fiéis, segundo a ciência, a competência e a proeminência de que desfrutam, têm o direito e mesmo por vezes o dever, de manifestar aos sagrados Pastores a sua opinião acerca das coisas atinentes ao bem da Igreja, e de a exporem aos restantes fiéis, salva a integridade da fé e dos costumes, a reverência devida aos Pastores, e tendo em conta a utilidade comum e a dignidade das pessoas ”

      Trecho da Gaudium et Spes do Concílio Vaticano II:
      ” ….É, mesmo de desejar que muitos leigos adquiram uma conveniente formação nas disciplinas sagradas …. E para que possam desempenhar bem a sua tarefa, deve reconhecer-se aos fiéis, clérigos ou leigos, uma justa liberdade de investigação, de pensamento e de expressão da própria opinião, com humildade e fortaleza, nos domínios da sua competência “.

  2. Muito fraco o editorial, nunca ví aqui uma manifestação tão vazia.

  3. Acho engraçado, não vi criticas a Jornada Mundial da Juventude por aqui. Tive a graça de participar e garanto que foi linda e merecedora de atenção, mas como este site não teve o que criticar, preferiu se calar diante deste maginífico evento!

  4. Muito bom o texto. Infelizmente é a realidade da nossa Igreja. Francisco é uma decepção, pois está cada vez mais claro que é uma marionete do movimento globalista. Pessoalmente não creio que seja má pessoa, mas nutre extrema simpatia às ideias desse grupo que não cansa de atacar a Igreja.

  5. Um dos documentos da Alta Venda, grupo secretíssimo, que controlava tanto a Maçonaria quanto os Carbonários, dos conhecidos Vindice e particularmente Nubius, e o plano traçado então era destruir a Igreja com o concurso de um papa.
    Confiram o que dizia certo trechinho do documento.
    *”No caminho que traçamos para nossos irmãos encontram-se grandes obstáculos a vencer, dificuldades de mais de uma natureza a suplantar. Triunfaremos pela experiência e pela perspicácia; mas o objetivo é tão belo que importa abrir todas as velas ao vento para alcança-lo. Procurai o Papa cujo perfil acabamos de traçar. Estendei vossas redes no fundo das sacristias, dos seminários e dos conventos. O pescador de peixes torna-se pescador de homens; vós, vós conduzireis amigos (nossos) para junto da Cadeira Apostólica. Tereis pregado uma revolução com tiara e capa, marchando com a cruz e o estandarte, uma revolução que precisará ser apenas um pouco estimulada para pôr fogo nos quatro cantos do mundo. Que cada ato de vossa vida tenda, pois, à descoberta dessa pedra filosofal”.
    Em outra parte do documento se diz que bastava ter:
    “O dedo mínimo do sucessor de Pedro comprometido com a conjuração, e esse dedo mínimo vale, para essa cruzada, todos os Urbanos II e todos os São Bernardos da cristandade”.
    A crise da Igreja e os efeitos de certos grupos infiltrados dentro do Concílio Vaticano II facilitaram as ações dos maçonistas, não podemos deixar de admirar o grau de profetismo, da capacidade de trabalho demoníaco e do sucesso que tais planos alcançaram em pouco menos de um século, mostrando de como as hordas satânicas estão atuantes e quantos regimes governamentais, como os social-comunistas contemplam-lhes seus projetos!.
    “CONJURAÇÃO ANTI CRISTÃ – Mons Henri Delassus – 1910.

  6. Será que antes de escrever qualquer coisa que diga respeito à Santa Igreja e ao Santo Padre (que levam estes adjetivos não por acaso), certos autores rezam a fim de saber se estão mais ajudando que prejudicando o apostolado?

    Costuma-se distinguir verdade dita com caridade de desrespeito e sacrilégio.

    • Eu sempre me faço a mesma pergunta quando ouço coisas como “católicos estão obcecados com aborto”. Ou ainda quando alguém fala que a maioria dos casamentos são nulos mas algumas coabitações são casamentos. Ou ainda quando alguém manda colocar em um documento que existem coisas boas em uma união gay. Ou ainda que mães que tem muitos filhos são irresponsáveis e vivem como coelhos.

      Se eu fosse um pároco qualquer teria muito cuidado antes de proferir tais coisas tentando discernir se isto está “ajudando que prejudicando o apostolado”, mas parece que o atual Papa está dispensado de tais cuidados, pode falar o que quiser e como quiser. Já nós, nós não. O editor de um blog que alcança um público limitadíssimo dentro do Brasil tem que ter todo o cuidado, toda a prudência. Já do Papa que, quando abre a boca é ouvido pelo MUNDO INTEIRO, esse não.

      Eu acho curiosa esta assimetria.

  7. Quem está a par dos acontecimentos dos últimos tempos pode avaliar como muito bom o editorial, que descreve e comenta com solidez crítica a situação atual da Igreja e do papado. Sim, Bergoglio adora holofotes; disso não temos dúvida. Quanto à época da JMJ 2013, posso dizer que este blog acompanhou, sim, os acontecimentos (uma breve consulta na internet mostrará isso), destacando inclusive pontos merecedores de correção, como as profanações eucarísticas em Copacabana. Francisco tem contribuído para prejudicar o rebanho, a “salus animarum” e o ensino e prática da fé genuína. Quem o venera hoje são os que detestam a Igreja, os opositores da moral católica, os ambientalistas, as ONGs anticatólicas, as redes de mídia do tipo Globo, os teólogos da libertação e esquerdistas em geral (inclusive dissidentes do clero da época da atuação de João Paulo II e do então prefeito da Doutrina da Fé Ratzinger), os batizados que só frequentam a missa uma vez ou outra ou os que participam de uma paróquia ou comunidade ativamente mas que só conhecem do papa o que ouvem nas homilias bonitinhas e nas redes sociais, vários famosos, ativistas progressistas e grandes empresários (inclusive Soros, cuja fundação ficou satisfeita com a publicação da encíclica ecológica, que desvia a atenção de temas como aborto e eutanásia) etc. O Senhor se apiede de seu Corpo Místico e disperse e afaste seus inimigos.

  8. Eu me refeiro a ultimo Jornada Mundial da Joventude, na cidade de Cracóvia na Polônia, a JMJ Rio 2013 não está em pauta aqui. Não vi nada referente a Jornada neste blog. Eu Estava lá e preseciei o respeito a Liturgia, ainda mais; me encantei com a Polônia. Que fé, reverencia com a Liturgia. O Papa celebrou a missa romana de acordo com o proposto pelo CV II, em Latin. Salve Maria!!!

    • Fabricio:
      Boa tarde!
      Realmente não percebi que você se referia a JMJ da Polônia. Realmente não há comentários neste blog (caso não tenha procurando bem, peço que alguém me ajude) sobre como foi, os resultados, etc.
      Creio que neste caso entre um descaso nosso! Está muito acertado.
      Fazemos o mesmo descaso que todos os católicos que deveria está na última canonização e não estiveram, deveria está na oração pela natureza e não estiveram. Por que este descaso?
      Porque os católicos que respeitam sua religião e seguem a moral, sentem-se vítimas de um descaso que impera alguns anos desde que “alguém do fim do mundo” apareceu.

      Não há notícias da JMJ, eu mesmo não lembrava que tivemos esse evento. Talvez porque já estejamos tão acostumados com o mundo dos flashes e câmaras em torno de Francisco, que deixamos passar. Por que já sabemos como ele age, sobre o que vai falar, o que vai pregar… já conhecemos. Como sabemos que não vai mudar de conduta… deixamos no descaso.

      Um coisa apenas.
      Quando pedimos para que a missa seja em latim, que o padre use os paramentos como devem ser, que a liturgia seja celebrada de modo correto. Quando imploramos para que paróquias atendam confissão auricular, que nos deem a comunhão na boca (não de joelhos que já seria algo a mais para comprar briga). Quando ouvimos que uma senhora foi ridicularizada porque usou véu na missa e nós vamos dizer isso ao padre (e fingimos que não foi ele quem instigou)… o que acontece?
      Já não nos escutam, pois já sabem como agimos, já sabem de nossas idéias e nos lançam num descaso sem fim.

      É um briga de descasos? Talvez… Uma coisa é certa. Se católicos fazem descaso das coisas assim, será que não é pelo fato de estarem vivendo um descaso? Enfim… “Quem sou eu para julgar?”

      Apenas um último comentário. Quando tirava 10 em matemática (sempre amei os números) meu pai dizia: “Não fez mais que a sua obrigação”… E é normal pois realmente era minha obrigação. Então… Vc escreveu no fim: “O Papa celebrou a missa romana de acordo com o proposto pelo CV II, em Latin”…
      sério?!… Não fez mais que a sua obrigação!

  9. Mil vezes PARABÉNS ao Fratres in Unum pelas suas corajosas, claras, diretas, públicas e precisas críticas a Francisco! Quem dera que todos os grupos e sites/blogs ligados de algum modo à Missa Tradicional tivessem essa mesma atitude! Se o Modernismo, como o definiu São Pio X, era a cloaca de todas as heresias, Francisco, por sua vez, parece ser a cloaca de todos os modernismos. Acho que, quando no futuro tivermos um papa verdadeiramente católico, ele não hesitará em condenar severamente as ações e ideias de seu indigno predecessor Francisco e em louvar a resistência dos que tiverem combatido os erros do lobo argentino.

  10. João Bosco e outros que estão aqui exaltando Bergoglio e a JMJ. As grandes manifestações aqui no Rio de Janeiro durante a JMJ é devido que até então Berglogio era uma dúvida no pontificado. É óbvio que como novidade, e como curiosidade de muitos católicos, gerava uma esperança nos fieis presentes durante a JMJ. De lá paa cá, quantos ainda tem aquele entusiasmo?

    O que me leva a pergunta:

    Quantos daqueles que esperançosos foram ver Berglogio e hoje ainda se declaram católicos e seguem fielmente a doutrina católica de Cristo?

    • Perdão… mas não estou exaltando Bergoglio… lei bem o que escrevi… muito pelo contrário

    • Me declaro um desses, participeo da JMJ do Rio e me deu uma força a mais, estudar mais a minha Igreja. E a JMJ da Polonia so renovou aquilo que vivenciei na JMJ do Rio.

  11. Desculpe, João Bosco. Na verdade eu estava me referindo aos que defendem o comportamento estranho de Francisco.

  12. O site The Remnant tem um artigo excelente que mostra o quanto Bergoglio tem seguido a agenda imposta pela elite globalista, em particular George Soros o “chefe do Papa”.
    http://remnantnewspaper.com/web/index.php/articles/item/2718-the-pope-s-boss

  13. Perdão, eu devia ter enviado o link com a tradução:
    http://www.sinaisdoreino.com.br/?cat=1&id=5185

  14. Muito bom. A verdade ė para ser dita

  15. Outrora já fui um leitor fiel do fratres in uno e confesso que os admirava e até espalhava nas minhas catequeses a existência de um site tão inteligente; mas nestes últimos tempos tenho visto textos odiosos contra o atual papa Francisco que realmente não admito. Eu fico receoso com este tipo de comportamento por que não difere das milhões de postagens “raivosas” de cunho político presente nos demais meios de comunicação.
    “Entre vós não deve ser assim”. Prefiro esta máxima de nosso Mestre e Senhor que nos orienta sobre lutas inúteis dentro e fora da Igreja.
    Rezarei para que o fratres in uno se reencontre e continue sendo um meio de comunicação que nos leva a Cristo e não um espaço de comentários de pessoas “aparentemente” revoltadas com tudo e com todos.
    Seremos reconhecidos pela capacidade de amarmos uns aos outros.
    Amém.

  16. Ainda estou esperando as criticas a JMJ Cracóvia 2016, ou será pq N querem elogiar o evento? Muita ajuda quem N atrapalha!

    Salve Maria!

    • Fabricio:
      Salve Maria!
      Desculpe fazer-lhe esperar.
      Como lhe disse, não me recordava na JMJ da Polônia, o motivo já disse acima. Mas vi que outros o responderam e muito bem respondido por Gercione Lima.
      Mas se quer realmente que lhe diga, tenho uma crítica sim. Caso alguém concorde comigo, pediria que se manifestasse.
      Francisco age como pastor, mas um pastor que dorme junto à entrada do redil e deixa os lobos entrarem. Ou pior, vê e os convida a entrar!
      Pense na dura crítica que fez ao governo polonês que não aceitou a imigração mulçumana para a Polônia… enfim… pense o que quiser. O que nos falta é uma intervenção divina! Que não demore!

  17. O artigo é de fato muito bom.
    Os encontros ecumenicológicos de Bergoglio ainda vão espantar muitos, mas muitos católicos!
    Eles sentem o forte odor de enxofre a quilômetros de distância!

  18. A Encíclica Ecológica, Laudato si, é uma excelente encíclica. Era uma dívida dos Pontífices para com toda a sociedade e o planeta. Poderia ter ido um pouco mais além para exaltar mais os ânimos dos riquinhos mimados. É sem dúvida um grande avanço da Doutrina Social da Igreja.

    Com esta encíclica, assim como com os demais documentos da Doutrina Social da Igreja, a Igreja escancara no mundo que não são somente marxistas, ONGs ateias, maconheiros etc que se preocupam com as questões ambientais, econômicas e sociais. A Igreja, como sustentáculo da Moral, apresenta também o seu julgamento sobre estas questões de cunho moral.

    Agora, se Francisco, devido aos seus erros, é incapaz de ensinar algo de bom, também Leão X teria sido incapaz de condenar Lutero.

    Parece que o capital cegou os olhos de muitos para com os preceitos evangélicos, infelizmente…

    Que tal relerem o Novo Testamento ou mesmo a Imitação de Cristo? Seria uma boa meditação.

    Att,

  19. Críticas à JMJ Cracóvia 2016? Melhor nem começar! Ou será porque é melhor até evitar falar naquela rasteira que Bergoglio tomou de cara de Nossa Senhora de Czestochowa, Rainha e Padoreira da Polônia? Ou por que faz até vergonha mencionar o encontro fechado que ele teve com os Bispos da Polônia, estabelecendo dois pesos e duas medidas para casos de sacrilegio na Igreja? Ou seja, pra acalmar os Bispos poloneses que se uniram coletivamente em oposição à Amoris Laeticia, ele deu a entender que ficava a cargo dos Bispos implementar tal documento na Polônia, enquanto para os Bispos da Argentina deu uma diretriz diferente:
    https://fratresinunum.com/2016/07/27/vaticano-queimando-a-lingua-em-tres-dias/
    Outro fracasso de Bergoglio na Polônia foi a tentativa de enfiar goela abaixo dos poloneses a política de acolhimento de invasores muçulmanos naquele país. Algo que os poloneses são veementemente contra.
    Quanto à jornada em si, creio que deveriam se envergonhar de elogiar um evento que deveria ter sido no mínimo cancelado, dado à tragédia que se abateu sobre a Igreja como um todo por causa do martírio do Padre Jacques Hamel, assassinado por dois terroristas muçulmanos em pleno altar enquanto celebrava missa.
    O Frates fez muito bem em dar toda a cobertura naqueles dias ao martírio do Padre Hamel. Aliás, os jornais do mundo inteiro falaram menos de Bergoglio e mais do assassinato do padre francês. Quem sabe foi isso que deixou alguns participantes da JMJ melindrados? De repente se deram por conta que os holofotes não estavam sobre eles!
    Sinceramente não sei como alguém que se diz Católico ainda teve a coragem de dançar, pular, comemorar num evento dessa natureza ao invés de cobrir a cabeça de cinzas e se penitenciar por tamanho sacrilégio! Bem que se vê que quando o Filho do Homem retornar, ao invés de achar fé sobre essa terra, encontrará o mesmo que Moisés encontrou quando desceu do monte: um bando de infiéis dançando e pulando em torno de um ídolo.

  20. Fabricio, não pense que não houve críticas ao comportamento de Francisco na JMJ 2016. Ele não deixou de defender a agenda globalizante da nova ordem mundial por lá, ao cobrar que as autoridades polonesas aceitem imigrantes muçulmanos no país, veja por exemplo:
    http://www.newswithviews.com/Wall/allan204.htm
    Quanto ao evento ter sido maravilhoso, o que você esperaria de um evento católico na Polônia? A JMJ aqui também foi, e houve fortes críticas na época contra o silêncio de Francisco diante do tema do aborto, lembra como ele se calou diante da agora afastada?
    Não posso responder pelo Fratres mas esse site não veicula nem 1% de tudo o que se fala de mal de Francisco na internet, existem sites dedicados só pra isso, que documentam cada besteira, cada malícia…
    Penso que o que os editores do Fratres querem é o que todos queremos, que Francisco defenda a moral católica diante desse mundo caído e não defenda as idéias da nova ordem mundial diante dos católicos!

  21. Parabenizo o Fratres pela coragem. Seria mais conveniente ir na onda de bajulação que outros veículos ditos católicos estão fazendo e omitir a verdade, porém não é honesto pois não se trata de partidarismo ou picuinhas, mas da salvação das almas. Há diversos blogs em castelhano (inclusive argentinos) que não escondem esta triste realidade.
    A Francisco importa estar bem com o mundo, e para isto ele abre mão da doutrina de Cristo que exige uma opção clara por Ele e renúncia ao pecado.
    Ele se comporta como uma celebridade que a todo momento tem que opinar sobre a situação mundial e se esquece que é servo da Igreja e de Cristo, mas inverteu os papéis, está usando a Cátedra de Pedro para se fazer admirado e aplaudido pelo mundo, como se o papado fosse uma conquista pessoal.
    Como sucessor de Pedro ele teria que ganhar o mundo para Cristo e não para si próprio. Cristo está em segundo plano. Basta ver seus vídeos com as intenções de oração. Ele mais parece um ativista do Green Peace do que um autêntico Papa.
    Vamos lá: Quantos muçulmanos que Francisco tanto bajula pediram o batismo ou aderiram a fé católica? Quantos LGBTs resolveram mudar de vida? Pelo contrário, quanto mais são adulados, mais atacam a Igreja, templos são profanados, imagens e sacrários são violados. Será Isto não dói no coração dos que dizem amar a Mãe Igreja?
    Francisco se comove com os refugiados mas não se comove com os milhões de inocentes que são abortados, prefere manter o silêncio? Está tão difícil perceber que algo está errado?
    Mas é preciso perceber que devoção não é alienação e quem quer ser um cristão fiel lê os documentos da Igreja. Se há alguma dúvida em relação a Francisco, leia atentamente Amoris Laetitia e depois compare com Familiaris Consortio, vejam se não há diferenças.
    Fala sério, argentino fazer gol com a mão é normal, mas fazer gol contra como Francisco está fazendo…só Deus na causa!