Papa Francisco encontra os peregrinos luteranos.

Rádio Vaticano – O Papa Francisco recebeu na manhã desta quinta-feira, dia 13 de Outubro, na Aula Paulo VI, do Vaticano, cerca de mil membros que participam da peregrinação luterana em Roma. “Estou feliz por vos receber por ocasião da vossa peregrinação ecuménica, iniciada na região de Lutero, em Alemanha, e terminada aqui junto da Sede do Bispo de Roma”, disse o Santo Padre no seu discurso sublinhando sobretudo a necessidade de “dar graças a Deus, disse, porque hoje, luteranos e católicos, estamos caminhando juntos pelas vias que vão do conflito à comunhão. Já percorremos, juntos, um importante percurso de estrada. Ao longo do caminho provamos sentimentos contrastantes: dor pela divisão que ainda existe entre nós, mas também a alegria pela fraternidade reencontrada. A vossa presença aqui, no Vaticano, assim, tão numerosa e tão entusiástica, é um sinal evidente desta fraternidade e nos enche de esperança que podemos continuar a fazer crescer a compreensão recíproca” entre nós sublinhou Francisco.

papa-francisco-lutero

“Em vida fui tua peste; morto, serei tua morte, ó papa” – Martinho Lutero.

Francisco aproveitou da ocasião para informar aos presentes que, se Deus quiser, no fim deste mês de Outubro, efectuará uma visita apostólica a Lund, na Suécia, para, juntamente com a Federação Luterana Mundial, prestar homenagem à memória dos cinco séculos do início da Reforma de Lutero e agradecer ao Senhor pelos cinquenta anos de diálogo oficial entre luteranos e católicos.

O santo Padre sublinhou que esta comemoração terá essencialmente o olhar orientado para o futuro, com vista a dar juntos, um autêntico testemunho cristão ao nosso mundo de hoje, que necessita tanto de Deus e da Sua misericórdia e que deste ponto de vista, disse Francisco, o mundo de hoje “espera que sejamos capazes de tornar visível a misericórdia de Deus para connosco através do serviço aos mais pobres, aos doentes, aos que abandonaram as suas terras para procurar um futuro melhor para si e para os seus entes queridos. E em pormos juntos ao serviço dos mais necessitados, nós experimentamos de estar já unidos: é a misericórdia de Deus que nos une”, disse o Santo Padre, que concluiu assim o seu discurso dirigindo-se aos numerosos jovens presentes na delegação:

Pope Francis

Pope Francis delivers his message during an audience with Lutheran pilgrims in the Paul VI Hall at the Vatican, Thursday, Oct. 13, 2016. (L’Osservatore Romano/Pool Photo via AP)

<< Queridos jovens, eu vos encorajo a ser testemunhas da misericórdia. Enquanto os teólogos levam avante o diálogo no âmbito doutrinal, vós continuais a procurar com insistência, ocasiões para encontrar-vos, para se conhecerem. melhor, rezar juntos e ajudar-vos uns aos outros e a todos aqueles que estão em situação de necessidade. Assim, livres de qualquer preconceito e confiando unicamente do Evangelho de Jesus Cristo, que anuncia a paz e a reconciliação, sereis verdadeiros protagonistas de uma nova estação deste caminho, que com a ajuda de Deus, conduzirá à plena comunhão. Eu vos asseguro a minha oração, e por favor rezais por mim, que preciso tanto da vossa oração. Muito obrigado”.

Tags:

39 Comentários to “Papa Francisco encontra os peregrinos luteranos.”

  1. Ai ai. Quando é que vai cair os meteoros e o papa santo vai aparecer? Não agüento mais esperar.

  2. Como ler nas entrelinhas e entender a sacrílega oração bergogliana:

    “Queridos jovens, eu vos encorajo a ser testemunhas da pseudo misericórdia: esqueçam esse negócio de dar bom conselho; ensinar os ignorantes; corrigir os que erram, consolar os aflitos; perdoar as injúrias; sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo e rogar a Deus por vivos e defuntos.
    Enquanto os teólogos levam avante um diálogo no âmbito doutrinal (que no fim não vai dar em nada mesmo), vós deveis continuar a ignorar a Doutrina e o Catecismo e procurar com insistência, ocasiões de pecado como encontrar-vos em reuniões sacrílegas para se conhecerem melhor, rezar juntos orações ecumênicas que em muito ofendem Nossa Senhora e seu Filho e ajudar-vos uns aos outros e a todos aqueles que estão em situação de necessidade material, obviamente.
    Assim, livres de qualquer preconceito ( porque afinal de contas os preceitos bíblicos agora se tornaram preconceitos) e confiando unicamente no Evangelho bergogliano que usa Jesus Cristo como fachada, que anuncia a paz e a reconciliação sem Cristo, sereis verdadeiros protagonistas de uma nova estação deste caminho rumo à Nova Ordem Mundial, que com a ajuda dos MEUS ( kasper, Stella, Maradiaga, Spadaro, Cupich…etc), conduzirá à plena comunhão. Eu vos asseguro a minha oração, e por favor rezais por mim, que preciso tanto da vossa oração. Muito obrigado”.

    • Gercione : Na “mouche” !

    • Sra. Gercione,

      Hoje é dia do Professor no Brasil e venho mais uma vez agradecer por suas participações neste blog, tenho aprendido bastante contigo e com vários comentaristas daqui. Vida longa a ti e muito obrigado!

  3. Isso aconteceu no dia do aniversário do Mialgre do Sol em Fátima. No dia 13 de Outubro. Ao invés de relembrar ao mundo a mensagem de Fátima o Papa resolveu honrar Lutero.

  4. Ele recebe com todas as honras e afagos os luteranos, mas nega-se a um simples encontro com os peregrinos católicos tradicionais, que a cada ano acorrem a Roma, na peregrinação Summorum Pontificum.

  5. Alguém sabe informar de quem é a imagem na foto com o papa Francisco?

  6. … “dar graças a Deus, disse, porque hoje, luteranos e católicos, estamos caminhando juntos pelas vias que vão do conflito à comunhão. Já percorremos, juntos, um importante percurso de estrada”…
    Que saiba, nada há de novo nesse caminho: os Dogmas da Igreja e sua doutrina são inaceitaveis para esses relativistas; os protestantes não demonstram nenhum sintoma de interesse de retorno à casa; nós irmos para lá em nome do “ecumenismo”, juntarmo-nos aos hereges?
    … “Ao longo do caminho provamos sentimentos contrastantes: dor pela divisão que ainda existe entre nós, mas também a alegria pela fraternidade reencontrada”.
    Não sei também se a fraternidade foi reencontrada: constantemente vêm obreiros e pastores protestantes ás nossas portas, cada qual mais alienado que o outro – ouvem poucas e boas e saem cuspindo marimbondos – querendo nos cooptar: que fraternidade seria essa, se o ideal para esses proselitistas é que nos uníssemos nas suas seitas?
    … “prestar homenagem à memória dos cinco séculos do início da Reforma de Lutero e agradecer ao Senhor pelos cinquenta anos de diálogo oficial entre luteranos e católicos”.
    Pareceria-me que houve é a Rebelião Protestante contra o Divino Mestre Jesus-Igreja e o termo “Reforma” nesse caso não prevaleceria, pois tudo não culminou senão na “Rebelião Protestante”, hoje dividida entre si talvez por mais de 30 000 seitas divergentes, degladiando-se entre si, e ainda consta que muitas delas são fundadas diariamente, fora as de fundo de quintal…
    …”Queridos jovens, eu vos encorajo a ser testemunhas da misericórdia…
    Se os encorajados a praticarem a misericordia agirem sob o modelo do mentor deles à la Stálin-Pol Pot-Lutero-Calvino-Fidel Castro-Mandela etc., da forma como a concedeu aos desafetos, trucidando só no sul da Alemanha mais de 100 000 anabatistas, não saberia aonde chegariam seus discípulos em termos de misericordia!…
    A EXSURGE DOMINE do papa Leão X excomungando o relativista protestantismo ainda vige!
    S Pio de Pietrelcina nos admoesta seriamente de sermos muito condescendentes com o infernal protestantismo: inexiste quem possa argui-lo!

  7. É bom distinguir as coisas: que os luteranos tenham ido a Roma, isto é ótimo, pois Roma é a casa dos Cristãos.
    Agora, que tinham ido lá para serem confirmados nas suas heresias pela “igreja conciliar” isso é péssimo.
    Ao menos a fúria iconoclasta parece ter diminuído, uma vez que levaram aquele bafomé de cachecol que parece representar o heresiarca Lutero.

    Interessante mesmo é a foto, com B. sempre desengonçado nas vestes de papa, tendo o bafomé Lutero de cachecol à retaguarda.

    Enfim: a seita que se apossou da Santa Sé inventa sempre novas maneiras de ultrajar a memória e a doutrina dos Santos Padres, Doutores e dos verdadeiros servos da vinha do Senhor. Mais que isso: querem que aplaudamos o circo de horror em que celebram o seu abjeto Sabá naturalista. Se nos recusamos a fazê-lo balançam suas pelancas e nos apontam o dedo torto de bruxa velha desgrenhada.

  8. Mas vocês estão estranhando o que? CATÓLICOS E LUTERANOS ESTÃO REALMENTE CAMINHANDO JUNTOS: PARA A EXTINÇÃO!!!! Na Alemanha, a cada ano, diminui em 1% o número de católicos e luteranos…. Em trinta anos acabará o Cristianismo na Alemanha, como já acabou nas outras nações luteranas: Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia, Islândia, Estônia…. E os católicos de lá são todos imigrantes, em geral poloneses…
    Não se espantem com o óbvio!!!

  9. Fim dos Tempos !!! Caros irmãos !!!

  10. Imagem para futura canonização do “santo” de Wittenberg:

    http://www.padremarcelotenorio.com/2011/06/mascara-mortuaria-de-lutero/

  11. como ex luterano posso confirmar que a corrente teológica predominante no Brasil é a teologia da libertação que prega abertamente marxismo, homossexualismo e etc.

  12. Que visão nojenta do Bispo de Roma com o HERESIARCA MOR de todos os tempos, aliás, será que Lutero ainda é o maior e o pai de todas as HERESIAS???

    Penso que não….Bergóglio, apesar, da pouca inteligência que tem conseguiu ultrapassar, na prática, nas suas atitudes insanas e estúpidas, o PAI da DEFORMA PROTESTANTE…

    Ele já entronizou Lutero na Sala Paulo VI, diga-se de passagem horrorosa com aquela arte moderna, mas faz juz ao nome, pelo menos nisso ela é fiel, para entronizá-lo na Basílica São Pedro, inclinar-se, incensá-lo, e canonizá-lo falta pouco….

    Meu Deus, que Papa chegou a assumir o Papado!!!!!!

    E lá vai ele a Suécia humilhar mais uma vez a Santa Igreja….

    “Interessante mesmo é a foto, com B. sempre desengonçado nas vestes de papa, tendo o bafomé Lutero de cachecol à retaguarda.
    Enfim: a seita que se apossou da Santa Sé inventa sempre novas maneiras de ultrajar a memória e a doutrina dos Santos Padres, Doutores e dos verdadeiros servos da vinha do Senhor. Mais que isso: querem que aplaudamos o circo de horror em que celebram o seu abjeto Sabá naturalista. Se nos recusamos a fazê-lo balançam suas pelancas e nos apontam o dedo torto de bruxa velha desgrenhada.”

  13. “Em vida fui tua peste; morto, serei tua morte, ó papa” (Martinho Lutero.)

    Pena que Bergóglio, pela culturaaaaaaaaaaaa que tem nunca deve ler lido essa pérola….

  14. Deplorável situação. Mais uma do papa Francisco. Realmente é o calvário da Santa Madre Igreja. Gostaria de saber o que tem a dizer os padres que tem presença nesta página.

  15. da igreja luterana

  16. Um passo avante, graças a Deus! Os filhos de Lutero já não estão embebidos do furor do pai contra o Vigário de Cristo.

  17. Lutero… vermelho!!!

  18. As vezes eu fico pensando se essas coisas que leio a respeito do Vigário de Cristo são reais mesmo. Não quero, nem vou falar mal do Santo Padre, nós devemos apenas rezar por ele. Mas lendo isso, dá uma tristeza no coração, quanto flagelo na Santa Madre Igreja! Que Deus tenha Misericórdia de nós! Só com muita oração e penitência poderemos ter alguma esperança, conforme nos pediu a Santa Mãe de Deus em Fátima. Mas, infelizmente, na data de comemoração da sua última aparição em Fátima, a Igreja lembrou esse episódio lamentável que vemos. Nossa Senhora apareceu naquela época falando do INFERNO, DO PURGATÓRIO (onde uma “jovem” daquela época, ficaria até o fim dos tempos). Hoje em dia, não vemos mais padres, pelo menos nas paróquias atuais, falando da importância da vida de oração e de fazer penitência, de fugir e lutar a todo custo contra o pecado, pregando os NOVÍSSIMOS, falando da importância da verdadeira conversão. Modificaram o pecado, o Evangelho, relativizaram tudo… para onde iremos assim? MISERICÓRDIA SENHOR!

    Salve Maria Imaculada!

    A Paz de Cristo!

  19. Há um padre português (aliás, vários, muitos) que acredita num levantamento da excomunhão de Lutero.

    “Assim, [o Papa] estará na Suécia no dia 31 de Outubro próximo, para participar na celebração da Federação Luterana Mundial para comemorar os 500 anos da Reforma. Penso que não é de excluir, no próximo ano, o grande gesto que seria o de levantar a excomunhão a Lutero”

    http://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/anselmo-borges/interior/um-papa-sem-ferias-e-com-oposicao-5369891.html

    Veremos… Mas a verdade é que os tempos também evoluíram e temos de atender os contextos. Se o papa entender isso, e se for para um bem maior, que seja…

    Terá sido a Igreja de então demasiado severa? Será a de agora demasiado branda? Talvez seja preciso ela adequar-se a cada tempo, em nome da paz, principalmente entre religiões, pois as guerras ridículas entre religiões são, infelizmente, uma das ameaças à paz mundial…

    Se tudo isso tiver um bem maior, como a paz, seja!

    • Levantar a excomunhão de Lutero valeria o mesmo que desacreditar na S Eucaristia, ter como um símbolo como no protestantismo e abolir os outros sacramentos, fazer da Igreja um puxadinho protestante.
      Outra é saber se ela teria efeito; tenho minhas dúvidas.

    • Nao ha des-excomunhao postuma. Mas com Francisco tudo eh possivel. Seria otimo… para os sedevacantistas.

  20. E nao vejo em que o levantamento da excomunhao de lutero contribuiria para a paz mundial.

  21. Preocupante essas atitudes do Papa Francisco! Que Deus nos proteja dos males que nos aflingem e dos que possam ainda vir!

  22. Sou o André que fiz o comentário… “As vezes fico pensando…”

    Não concordo com a opinião do outro André sobre Lutero (concordo com Geraldo)…

    Salve Maria Imaculada!

    A Paz de Cristo!

  23. Às vezes penso que se as coisas estivessem em ordem dentro da Igreja, isto é, se a Igreja estivesse sendo servida por um clero realmente zeloso e exemplar; se as instituições católicas estivessem realmente a serviço do bem comum, e não a serviço privado dessas caricaturas de religiosos que delas se apossaram a fim de manterem uma vida escandalosa e mundans; se os leigos tivessem acesso a uma verdadeira evangelização e fossem confirmados na fé em vez de serem corrompidos com o besteirol entediante que o clero, quase todo, lhes despeja na cabeça, então, sim, os dissidentes seriam irremediávelmente atraídos de volta e muitíssimos já teriam voltado ao seio uberrimo da Santa Igreja.
    Mas desde de o infame modernista João XXIII e de seu amicíssimo companheiro de tramóia, Paulo VI, a Igreja de Deus é vilipendiada e humilhada por um bando de amentais e de oportunistas cuja última ocupação é lembrar-se de que existe algo além de sua fatuidade e narcisismo, que existe algo além de sua sequiosidsde de poder e exaltação pessoal.

  24. Faltou em cima da cachola do Lutero de vermelho atrás do papa Francisco uma placa:
    100 000
    O números dos inimigos que mandou matar só na Alemanha por não aceitarem ele como “enviado do Senhor”, os anabatistas!

  25. Agora vejam o que pensam os bispos (católicos) de países luteranos sobre essas comemorações:
    “Apesar de todas as razoáveis explicações, a Reforma criou uma divisão no cristianismo que sofreu e sofre ainda hoje. Devido a esta divisão, a Igreja Católica nos países nórdicos pôde começar a viver novamente somente depois de vários séculos”, e, portanto, “os 500 anos da Reforma não podem ser festejados, mas devem ser comemorados em um espírito de arrependimento”.
    (http://www.news.va/pt/news/bispos-escandinavia-comemorar-reforma-com-espirito)
    (http://www.nordicbishopsconference.org/fileadmin/NBK/pdffiler/Hirtenbrief_Reformation/Endfassung_deutsch.pdf)

  26. O que está acontecendo com o povo, que não consegue ver o que nos é tão patente?
    O demônio cegou os Católicos de tal maneira, que nem aquilo, que é contrário a Bíblia, salta aos olhos à esses como escândalo. O que a Igreja post-conciliar prega é infame, é abominação. Senhor, quão cego é o mundo; e tampouco fazem “caso” quando alguém lhes mostra o erro, ao contrário, as rejeita como algo imundo!
    E me deixa ainda mais triste, ver o Bispo que D. Lefebvre sagrou, insistir em encontrar-se com essa falsa igreja, por um “reconhecimento” e “aproximação”, totalmente suja, com essa Roma asquerosa!
    A FSSPX não pode continuar com esse rumo…
    Que Deus tenha misericórdia de nós!

  27. A dissertação de mestrado de Christian David Soares Bitencourt, defendida no Mackenzie, nos dá as seguintes informações sobre as intenções dos luteranos em relação a Igreja Católica. Soares Bitencourt estuda o caso do teólogo (?) luterano George Lindbeck que participou como “observador” do concílio “à esquerda do altar principal da catedral de São Pedro, numa posição similar à dos cardeais”.

    Relata-nos Bitencourt:

    “Com a conclusão de seu doutorado em 1955, com foco na teologia filosófica de John Duns Scotus, a pesquisa de Lindbeck passou a transitar entre temas como o desenvolvimento das doutrinas, formas de conciliação entre padrões doutrinários distintos e ecumenismo em geral. É neste contexto que, a partir do contato com o teólogo luterano dinamarquês E. K. Skydsgaard, num ano sabático na Europa, em 1959, Lindbeck passa a defender a idéia de que o

    “luteranismo fora uma vez e deveria se tornar novamente um movimento de reforma dentro da Igreja Católica do Ocidente, ao invés de um corpo eclesiástico separado” (Lindbeck, 2004, p. 395).

    Tal defesa, alinhada ao seu conceito de ecumenismo de convergência, fez de Lindbeck um importante personagem no diálogo luterano-católico romano. Em virtude disto, além do fato de ser um norte-americano que dominava latim, alemão e francês, bem como teologia e filosofia medievais, George Lindbeck foi escolhido um dos três delegados observadores luteranos ao Concílio Vaticano II (Lindbeck, 1994, p. 44)4. Como conseqüência, começou a se dedicar inteiramente às tarefas de observador, passando a morar com sua família, entre 1962 e 1964, na cidade de Roma – a terceira estação de seu itinerário particular.

    Os anos passados por Lindbeck em Roma, junto de sua esposa e filha, e o contato íntimo com a hierarquia católica, além dos muitos teólogos, “foram uma experiência a que ele se referiria repetidamente nos anos seguintes” (Eckerstorfer, 2004, p. 401). A importância do Vaticano II é tal a ponto de Lindbeck (2004, p. 396) dizer que “a maior parte do que escrevi nas últimas quatro décadas está direta ou indiretamente relacionado a ele”. Assentados à esquerda do altar principal da catedral de São Pedro, numa posição similar à dos cardeais, os delegados observadores interagiam diretamente com os participantes do Concílio.

    Por razões como esta, segundo Lindbeck (2004, p. 397), o Concílio representou o ponto mais alto de sua carreira ecumênica. O Unitatis redintegratio, decreto sobre o ecumenismo produzido pelo Vaticano II, foi, de acordo com Lindbeck (2005, p. 28), um dos principais marcos do ecumenismo do século XX5. Neste documento, percebe-se claramente uma abordagem semelhante ao ecumenismo de convergência (ou “ecumenismo unitivo”) proposto por Lindbeck. Para o teólogo luterano, portanto, a busca pela unidade da igreja havia alcançado seu ponto máximo (Lindbeck, 2004, p. 397). Esta unidade, entretanto, deveria necessariamente passar pela reconciliação doutrinária. Tal reconciliação soou possível a Lindbeck a partir da atuação de tuas tendências presentes no Vaticano II: o ressourcement, da nouvelle théologie, e o aggiornamento (“atualização”). Enquanto o ressourcement propugnava um retorno às fontes antigas, o aggiornamento insistia numa abertura ao mundo moderno. Apesar de distintas, de acordo com Lindbeck (1994, p. 45), as duas tendências deveriam ser vistas como 4 Ao final do Concílio Vaticano II, havia mais de NOVENTA delegados observadores das mais variadas confissões cristãs não-católicas ATUANDO nas sessões (Lindbeck, 2004, p. 404)”.

    LINDBECK, George. “Paris, Rome, Jerusalem: an ecumenical journey”. Journal of
    Ecumenical Studies, v. 41, n. 3/4, 2004, pp. 389-408.

  28. “Vou convencer a outro que seja católico? Não, não, não.”
    (Papa Francisco, minuto 3:49)