No dia da Senhora de Fátima, o entronizado no Vaticano é outro.

No dia da Senhora de Fátima (esquecida), Bergoglio fez com que entrasse triunfalmente no Vaticano a estátua de Lutero, o mais famoso herege, como se fosse um santo. E para a noite de Halloween (31 de outubro), prepara uma “brincadeirinha” contra a Igreja Católica. 

Por Antonio Socci | Tradução: FratresInUnum.com –  Em 2017 estaremos há 500 anos do cisma protestante (que marca o fim da unidade espiritual da Europa) e há 100 anos das aparições de Fátima, o maior evento profético na história da Igreja.

papa-francisco-lutero

“Em vida fui tua peste; morto, serei tua morte, ó papa” – Martinho Lutero.

Lutero é a origem daquele subjetivismo do qual – como ensina Jacques Maritain – nasceram, em seguida, filosofias e ideologias que vivenciamos nos tempos modernos.

As aparições de Fátima, por sua vez – onde Nossa Senhora previu a Revolução Bolchevique na Rússia, a perseguição comunista e a Segunda Guerra Mundial – advertiram sobre as consequências apocalípticas dessas ideologias contra Deus.

Existe, portanto, um antagonismo misterioso entre os dois eventos. Nestes dias se recordam duas datas importantes: 31 de outubro é o dia de Lutero, enquanto – em sentido inverso – 13 de outubro é o dia de Maria.

No dia 31 de outubro de 1517, Lutero fincou suas 95 teses na porta da catedral de Wittenberg. No dia 13 de outubro de 1917, diante de 70.000 pessoas, Nossa Senhora deu o famoso sinal que ela havia anunciado aos três pastorinhos nos meses anteriores, um sinal que a imprensa laica portuguesa havia reivindicado.

MULHER VESTIDA DE SOL

Os jornalistas presentes naquele 13 de Outubro em Fátima ficaram atordoados. Recordo – entre todos – Avelino de Almeida, editor-chefe do jornal “O Século”, em Lisboa, o mais difundido e mais secular. Ele tinha ido pessoalmente, naquele dia, à mais remota área rural de Fátima, para reportar o fiasco daquele imbróglio clerical.

Mas, ao contrário, no dia 15 de outubro se viu obrigado a assinar um artigo que já no título dizia outra coisa: “Coisas extraordinárias! Como o sol dançou ao meio-dia em Fátima”.

Exatamente por causa desse evento, a Igreja reconheceu as aparições imediatamente (e as profecias de Nossa Senhora foram pontualmente atestadas).

Mas, no Vaticano, este ano o aniversário do “milagre do sol” foi  esquecido por Bergoglio que, em vez, no dia 31 de outubro próximo, irá à Suécia, em Lund, exatamente para comemorar com os luteranos os 500 anos do cisma de Lutero.

Bento XVI, há quatro anos, tinha dado a saber que ele não iria, porque “para a Igreja Católica não há nada para se comemorar”.

Bergoglio, ao contrário, decidiu que vai. Sua escolha deixou muitos Católicos perplexos (e ainda mais preocupados com as “concessões” teológicas que ele poderia fazer por lá), e levantou um vespeiro de protestos na rede, também por causa da escolha de Bergoglio, que na última quinta-feira, dia 13 de outubro, enquanto esqueceu do “milagre do sol” ocorrido em Fátima, fez entrar no Vaticano, em uma audiência, até mesmo uma estátua de Lutero.

É verdade que nessa audiência estavam presentes também protestantes, mas o significado simbólico daquela entrada com toda pompa da estátua de Lutero no Vaticano (onde o seu retrato estava ao lado do de Bergoglio) provocou um verdadeiro escândalo. Mesmo porque – exatamente – ocorreu no dia de Nossa Senhora de Fátima, que, por sua vez foi totalmente ignorada.

LUTERO INIMIGO DA FÉ

Além do mais, a estátua de Lutero é uma verdadeira contradição. De fato, os protestantes se caracterizam pela luta duríssima contra as imagens sacras:

“Exatamente em Lund, para onde Francisco se dirige”, recordou Vittorio Messori, “todas as igrejas foram destruídas, exceto a catedral, muito embora até ela tenha sido despojada de toda a decoração para se adequar ao uso reformado. As pedras dos edifícios Católicos derrubados foram utilizadas para erguer fortificações e as muralhas da cidade”.

Obviamente, é natural e justo que hoje exista um diálogo fraterno entre Católicos e protestantes, mas o problema é precisamente o personagem Lutero sendo celebrado com aquela estátua como se fosse um santo.

Tinha mesmo a necessidade deste gesto simbólico que parece uma espécie de “canonização”, além de substituir a celebração de Nossa Senhora? É justo que os estudiosos se ocupem de Lutero, mas exaltá-lo como um santo no Vaticano, da parte do Papa, realmente soou como um escândalo entre os fiéis.

A Igreja sempre definiu Lutero como “herege e cismático” e o excomungou em 3 de janeiro de 1521. Além disso, ele é o protagonista de um dos episódios mais trágicos (talvez o mais trágico) da história cristã.

O grande historiador Henri Pirenne, lembrado por Messori, escreveu:

“O Luteranismo, na maioria dos países que o aceitaram, foi imposto pela força dos príncipes e nobres que tomavam os bens da Igreja, embora não tivessem o direito de sequestrá-los. A convicção religiosa teve um papel muito modesto na expansão da nova fé. Os adeptos sinceros, convictos e desinteressados, pelo menos inicialmente, eram muito poucos. Mas, imposto pela autoridade e aceito em obediência a ela, foi avante com a anexação, em grande parte forçada”.

Deste cisma, entre outras coisas, explodiu as trágicas guerras de religião: “Toda a água do rio Elba não poderia fornecer lágrimas suficientes para chorar pelos desastres da Reforma: o mal é sem remédio”, escreveu Melanchthon, o colaborador próximo de Lutero.

De resto, era Lutero que prometia “arrancar a língua do papa e mandá-lo à forca com toda a ralé que o idolatra”.

E assim esbravejava Lutero: “Declaro que todos os prostíbulos, homicídios, roubos, assassinatos e adultérios não são piores do que aquela abominação que é a Missa papista”.

Depois, tem ainda aquela pesadíssima investida de Lutero contra os Judeus (em 1543 ele publicou “Dos Judeus e suas mentiras”) que tanta discussão gerou na Alemanha.

Finalmente, Lutero é aquele das investidas contra a razão que seria – segundo ele – “cega, surda, insensata, ímpia e sacrílega”, e que – para ele – é, na verdade, “a maior prostituta a serviço do diabo.”

Tudo isso – como foi observado – conduz direto ao fundamentalismo e, de fato, um importante sociólogo protestante, Jean-Paul Willaime, escreve: “O protestantismo é um fundamentalismo”, daqui – como observou Massimo Introvigne, se chega ao absolutismo.

É por isso que São Pio X, na “Pascendi”, escreveu que “o erro dos protestantes foi o primeiro a mover o passo”.

BERGOGLIO, FÃ DE LUTERO

Não  se entende, porém, como seu sucessor atual, Bergoglio, tenha conseguido anular tudo o que a Igreja sempre afirmou. “Na última de suas conferências de imprensa, no avião de volta da Armênia, ele teceu elogios a Lutero. Ele disse que Lutero estava animado pela melhor das intenções e que a sua reforma foi ‘uma medicina para a Igreja’, passando por cima das diferenças dogmáticas essenciais ” (Sandro Magister).

Não há explicação, a não ser aquela que Paulo VI tinha previsto, ao conversar com Jean Guitton: “dentro do catolicismo parece às vezes predominar um pensamento de tipo não católico, e pode acontecer que este pensamento não-católico dentro do catolicismo se torne no futuro mais forte. Mas isso nunca vai representar o pensamento da Igreja”.

Paulo VI não podia imaginar que o “pensamento não-católico” poderia chegar até ao vértice da Igreja, onde chegou impulsionado por correntes teológicas e clericais internas fortes. Mas, existem também grupos de poder externos à Igreja que durante décadas defendem a conversão do Vaticano à ideologia do “politicamente correto”.

Ainda nesta semana descobrimos pelo Wikileaks que importantes personalidades do partido Democrata americano (no poder com Obama e Clinton) discutiam, em 2012, como “plantar as sementes de uma revolução” dentro da Igreja, obviamente, para sustentar os temas habituais “progressistas” (ecologia , sexualidade, imigração).

Um ano mais tarde, em 2013, na Igreja houve a renúncia enigmática de Bento XVI – combatido por todos os meios de comunicação e poderes do mundo – e a chegada de Bergoglio, aclamado por todos os meios de comunicação e os poderes secularistas.

Há quem acredite que a chave para esses eventos – relacionados com os “dois papas” – esteja precisamente na visão enigmática do Terceiro Segredo de Fátima: Irmã Lucia fala de um “bispo vestido de branco” e depois ela vê “o Santo Padre, meio trêmulo” que atravessa uma cidade destruída “, com passo vacilante, aflito com dor e tristeza.

Antonio Socci

Libero, 16 de outubro de 2016

Anúncios
Tags:

14 Comentários to “No dia da Senhora de Fátima, o entronizado no Vaticano é outro.”

  1. É preciso que haja escândalo no mundo, disse Jesus, porque, imperfeitos como são na Terra, os homens se mostram propensos a praticar o mal, e porque, árvores más, só maus frutos dão.
    Muito triste a situação que o Vaticano chegou!!!

  2. Impressionante. Desde o primeiro instante, nunca gostei de Bergoglio… e chega a ser no mínimo risível a existência de uma “estátua de lutero”… quem a elaborou: algum católico? algum luterano? Qualquer uma das duas respostas vai permanecer cheia de dúvidas e contradições.

  3. Discordo em um ponto do Sr. Antonio Socci: Paulo VI não podia imaginar que o pensamento não católico chegaria ao vértice da Igreja. Podia, sim,
    Na verdade, o hamletiano Montini combatia os que se opunham ao pensamento não católico dentro da Igreja e fez de tudo para favorecê-lo. Mandou, por exemplo, silenciar a Mons. Piolanti
    Bergoglio é um admirador sincero de Montini que o era de Congar, que o era de Lutero. Como hoje Ratzinger é um admirador de Bergoglio, que o é de Lutero.

    • O. L: Muito cuidado v e outros imprudentes que aparecem aqui e noutros lugares atribuindo erros ao nosso santo papa Bento XVI; ele pegou o trem andando, e quando entrou, sabia da situação e da recepção interna péssima que teria lá dentro!
      Pensem bem antes de sairem caluniando ele sem saberem dos fatos, pois é muito grave sua e de mais a acusação dele admirar o papa Francisco e até o dinossauro Lutero!
      Confira para ver o que digo a todos vs, imprudentes, FALAM PARA DEPOIS ANALISAREM O QUE DISSERAM no artigo abaixo:
      http://www.sensusfidei.com.br/2016/03/17/papa-emerito-bento-xvi-quebra-o-silencio-fala-de-crise-profunda-que-a-igreja-enfrenta-pos-vaticano-ii/#.WAeyDOArLIU.
      No fim da vida do papa Paulo VI, se v achasse a quantidade de lamentos prevendo o pior dentro da Igreja, v mudaria de ideia dele que não pensava num futuro triste dentro da Igreja, tá?

    • O epíteto de “Hamlet de Brescia” atribuído a Paulo VI deve-se ao inteligente e astutissimo João XXXIII.
      Montini não padecia de hesitação, mas de remorsos. Paulo VI, o bombeiro pirômano, já foi julgado. Já entrou em sua eternidade.

  4. O papa Francisco tencionaria neste fim de outubro ir à cidade de Lund, na Suécia, num comportamento que seria reprovável ao comparecer à entronização do arquiinimigo heresiarca Lutero, idem simpático á maçonaria, onde “presidirá uma comemoração conjunta com os adotantes da relativista e alienante “Reforma Protestante” – “Reforma” afinal, de quê?
    A imagem do politicamente correto Lutero que em vida procedeu como os comunistas, agora pondo as patas dentro do Vaticano, e como esses “fazem o diabo”, tem estado pessimamente vista!
    Dessa forma, em 31/10, ele se confraternizará-se com nossos irreversíveis até ao presente inimigos de fé desde o século XVI, os luteranos e múltis seitas subsequentes, abrangendo aprovação simultaneamente às mais de 30 000 seitas, dissensas entre si, apresentando um cristianismo marginal, falsificado, subjetivista, em que cada um é o auto espírito santo a se iluminar e a dirigir seus passos – embora discordantes inclusive dentro de cada seita!
    De igual forma, os protestantes em nada se dispõem a se converterem, e muito menos aceitarem a Igreja católica como Mãe e Mestra, extensão do Corpo de Cristo, dO qual é biblicamente a Igreja católica; atiraram até a biblia janela abaixo!
    Como se recorda, foi nessa data, 1517, que o falso profeta Lutero afixou as suas 95 teses na porta da igreja do castelo de Wittenberg, rebelando-se, não contra os erros de certos membros da Igreja, mas querendo com seu orgulho, soberba e arrogancia ser o novo legislador – atrevidamente esse impostor se ousar se passar com superior ao Divino Mestre, Jesus!
    A comemoração compartilhada desse fato histórico da insensatez do diabólico, comportamentalmente devasso e excomungado Lutero de parte do papa Francisco, no entanto, será entronizar, incensar seus desvarios como dignos de louvor e imitáveis!
    Ao inverso, será da forma justa e merecidamente que nós católicos festiva, reverente e filialmente comemoraremos em 2017 o centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima, vindo nos alertar dos perigos que nos acercam à vista de todos – inserido-se no contexto dos sumamente rejeitaveis o infernal protestantismo!
    CONFIRAMOS, DENTRE MAIS, ÀS RAIAS DA LOUCURA A QUE PONTO CHEGOU O SINISTRO E GENOCIDA LUTERO:
    Tal “doutrina” é-nos mostrada na carta de Lutero a Melanchthon em 1521:
    “Se você é um pregador da misericórdia, não pregue uma misericórdia imaginária, mas a verdadeira. Se a misericórdia é verdadeira, você deve levar em conta um verdadeiro pecado, não um pecado imaginário. Deus não salva aqueles que são apenas pecadores imaginários. Seja um pecador, e peque fortemente, mas que sua confiança em Cristo seja mais forte, e alegre-se em Cristo, que é o vencedor do pecado, da morte e do mundo. […] Basta que através da glória de Deus reconheçamos o Cordeiro que tira o pecado do mundo. Nenhum pecado pode nos separar d’Ele, mesmo que matemos e cometamos adultério milhares de vezes por dia. Você acha que tal Cordeiro exaltado pagou apenas um pequeno preço com um magro sacrifício pelos nossos pecados? Reze forte porque você é um grande pecador. No dia da Festa de São Pedro Apóstolo, 1521”.(9)
    Em outro local, confiram com que audacia redigiu o peçonhento Lutero:
    “É conveniente que nós nos tornemos injustos e pecadores, a fim que Deus seja reconhecido justo em suas palavras”.(10).
    Lutero, o “(de)reformador”, teria mandado trucidar mais de 100 000 anabatistas apenas no sul da Alemanha e/ou onde se tornava religião oficial, ou onde se instalavam!
    Dá para se recordarem de diversos carniceiros comunistas de comportamentos similares de Lutero que ainda continuam atuantes onde se instalam, uns muito mais, outros em menos números aos assassinatos de Lutero, recordando-se tais como Stálin, Lênin, Pol Pot, as dinastias dos burgueses e imperialistas Kim Jong, Fidel Castro…
    A pressão em cima do papa Francisco, se de fato comparecer à Suecia como previsto, logo para prestigiar o sabotador da fé Lutero, que se elevaria à estratosfera, pareceria ser fato…

  5. O mal que este homem está fazendo é pavoroso. E o mais impressionante é ver como uma enorme parcela do clero simplesmente abdica de toda a teologia e doutrina para falar nos sermões apenas ‘segundo o papa Francisco’, etc. Ou seja, dentro da própria Igreja está nascendo uma religião subjetivista, na qual o que vale é a opinião e os atos de Bergoglio, AINDA QUE sejam contrários à doutrina e teologia.

  6. E, enquanto Bergoglio bajula os protestantes e se esquece de Nossa Senhora, aqui bem perto de onde moro, na cidade do Rio de Janeiro, um nicho-altar de Nossa Senhora de Fátima, que havia na mesma rua de um santuário a Ela consagrado (era um nicho incrustado numa parede de pedra, artisticamente decorado e antigo), foi destruido durante a noite de 13 para 14 deste mês de outubro corrente, e suponho que tenham sido protestantes que o fizeram, visto que, no lugar da imagem de Nossa Senhora, deixaram um exemplar da bíblia protestante… Vejam só como são ‘fraternos’ e ‘respeitosos’ esses “irmãos separados” que Bergoglio bajula ao ponto de entronizar a imagem do fundador deles no Vaticano…

  7. Cães sadios percebem se o alimento é saudável. Por pouco que este esteja estragado, ele o evita movido por um instinto infalível. Mas se o focinho estiver gangrenado, tudo fica muito difícil.

  8. “…quando virdes a desolação no lugar santo…”(Mt 24:15). Kyrie eleison!

  9. O papa Bento XVI não aprovou nada do protestantismo!
    ..“No entanto, o papa decepcionou as expectativas”, (Erfurt, 2011), afirma o jornal de Munique, acrescentando julgamentos muito severos: “Ele não deu nenhum sinal de aproximação entre as confissões, não mostrou nenhuma perspectiva para uma celebração comum do 500º aniversário da Reforma, em 2017. Ele não viajou para a sua pátria com presentes de hóspede, e a religião não pode ser objeto de negociações. Quando se trata de fé, esse papa descarta qualquer compromisso”.
    http://blog.comshalom.org/carmadelio/26550-papa-bento-xvi-nao-reabilitou-lutero-afirma-porta-voz-do-vaticano.
    Ele não prestigiava oficialmente nenhum dos Congar e Martini das esquinas, mas algumas ideias deles e parecidos que podiam aproveitar, pois alguns pontos de vistas desses relativistas serviam, apesar de no geral não prestarem.

  10. Geraldo, não tem nada de “cuidado!”. Cuidado você com esse romantismo acerca da imagem do Papa Bento XVI, que é tão neomodernista quanto seus 3 antecessores e seu sucessor. Só porque era aparentemente mais piedoso não significa que fosse ortodoxo em sua doutrina, e foi um dos artífices da desfiguração da Igreja sim, goste você ou não. Se não sabe disso, procure saber sobre sua doutrina, seus atos políticos enquanto cardeal e sobre quem foram os seus inspiradores e sobre suas (péssimas) escolhas de nomes para ocupar cargos cruciais na Cúria, que estão repercutindo até agora… Vide a louca tragédia chamada “Amoris Laetitia” e seu mais autorizado patrono, Kasper. E não se iluda achando que ele “não sabia de nada”. Ninguém melhor que ele sabia o estado de coisas no Vaticano desde os tempos de Paulo VI. Poderoso ele sempre foi.
    Não se está com isso dizendo que não se honre sua pessoa, afinal foi um Papa e que abriu o baú de fotos da Tradição Católica para as gerações que nunca ouviram falar dela porque as velhas bruxas do clero a sonegaram (e a sepultariam se pudessem). Tampouco se trata de não reconhecer algo de certo que ele tenha dito, ou algum gesto político mais ousado, pelo que foi muito atacado. Mas por favor… Aprofunde-se um pouco antes de alegar que ele era tradicional só porque usava manípulo.

  11. Eu simplesmente não acredito que alguns “ignoramus”, depois do panorama de terra arrasada que se abateu sobre a Igreja, ainda tenham a pachorra de vir aqui defender o Conciliábulo Vaticano II!
    Jesus disse: “pelos frutos os conhecereis”. Mas tem gente que é tão cega e obtusa que nem vendo os frutos, conseguem reconhecer se a árvore é boa ou má!
    Acompanham o blog pra quê? Se lêem e não aprendem nada, melhor seria frequentar apenas a câmera de eco dos blogs modernistas que não fazem outra coisa senão colocar sal em carne podre ou remendos estropiados em roupa nova!
    Se a Igreja reconhece as aparições de Fátima, Lourdes e La Salette como autênticas, se as colocou no calendário da Igreja e lhes presta culto, a má fé fica por conta daqueles que criticam os devotos e peregrinos com esse ar de desdém e superioridade intelectual.
    As mensagens de Fátima, La Salette e Fátima devem ser levadas a sério por todos os Católicos simplesmente porque uma vez que o Papa como representante da Igreja julgou e reconheceu que uma profecia anunciada, na verdade, vem de Deus, deve-se obedecer, não ao profeta, mas ao próprio Deus!
    Numa conferência em 1965, o Bispo alemão Dom Graber que é um especialista em Fátima, disse: “Uma distinção cuidadosa deve ser feita entre revelações pessoais . . . e aquelas em que a mensagem se dirige à toda humanidade. A primeira pode ser ignorada com equanimidade, porém a segunda tem que ser levada a sério, E Fátima pertence a esta segunda categoria.”
    O Padre Paul Kramer, outro sacerdote católico do Centro de Fátima explica: “O Céu tem que ser obedecido de uma forma absoluta, quando se tem certeza moral que o Céu falou. Assim, ainda que Fátima não seja um dogma de fé, não obstante, temos a obrigação moral de acreditar na mensagem e obedecer inteiramente aquilo que Deus manda, através do pedido de Nossa Senhora”.
    Desta maneira, o Santo Padre declarou, em Fátima no dia 13 de Maio de 1982, na presença de um milhão de pessoas. . . “que a mensagem de Fátima impõe uma obrigação sobre toda a Igreja e é dirigida à raça humana inteira.”
    A verdade é que por sua própria definição, a mensagem de Fátima não é “particular”, mas é antes dirigida a todo o mundo.
    Assim, Lúcia pediu à “Senhora de branco” “para fazer um milagre com que todos acreditem que Vossemecê nos aparece”, porque as autoridades locais, que eram anti-católicas, e outros críticos não cessavam de ridicularizar as aparições e espalhar que as crianças eram mentirosas e embusteiras. A uma certa altura, Lúcia e os primos foram literalmente sequestrados e levados pelo administrador maçon de Ourém, para a sede da circunscrição judicial local. As crianças foram ameaçadas de tortura e morte se não desmentissem o que tinham visto e ouvido.
    Então, para silenciar os críticos e os perseguidores das crianças, Nossa Senhora prometeu que no dia 13 de Outubro, data da última aparição na Cova da Iria, faria “um milagre que todos hão-de ver, para acreditar”.
    Se Nossa Senhora fez esse milagre que é reconhecido pela Igreja e deixou bem claro: “um milagre que todos hão-de ver, para acreditar”, então é muita cara-de-pau da descendência da serpente aparecer por aqui dizendo:
    _ Ninguém tem obrigação de acreditar!
    Não temos obrigação de acreditar nem no que foi registrado e confirmado pela história? Nem naquilo que se cumpriu fielmente? Isso é simplesmente irracional.
    Se eu disser que não acredito que 6 milhões de judeus morreram no genocídio na Alemanha, serei acusada de negacionista e anti-semita. Aparecerão até autoridades judaizantes do Vaticano pra me excomungar. Mas se eu disser que não acredito na autenticidade da mensagem de Fátima que se cumpriu em quase tudo, sou o quê?
    Sabemos bem que todas as calamidades que a Santíssima Virgem anunciou nas duas primeiras partes do Grande Segredo aconteceram de fato: terminou a I Guerra Mundial, a II Guerra Mundial devastou o globo, a Rússia espalhou os seus erros por todo o globo com o Comunismo internacional, nações foram aniquiladas ou anexadas, por todo o mundo, houve e há perseguições contra a Igreja, muitos bons cristãos foram e continuam sendo martirizados e o Santo Padre teve e terá muito que sofrer.
    O cumprimento destas profecias confirma a autenticidade da Mensagem com ainda maior eficácia do que o Milagre do Sol, porque a autenticidade da profecia se verifica por revelar sem erro o que ainda virá a acontecer.
    O fenômeno ocorrido em Fátima recebeu, da parte da Igreja – que, geralmente, é muito cautelosa em relação a fenómenos sobrenaturais – um reconhecimento que não tem igual na História do Cristianismo. É realmente impossível, depois de tudo isto, continuar a falar em ‘revelação privada’, menosprezando a Mensagem de Fátima e o Terceiro Segredo em particular, como se tratassem de uma simples ‘revelação privada’ e no pior dos casos “teoria de conspiração”.
    Não só é impossível como completamente irracional.
    Ninguém joga pedra em árvore que não dá fruto, portanto só pelo modo como os filhos das trevas se levantam furiosos ou desdenhosos toda vez que se menciona Nossa Senhora e a mensagem de Fátima, é pra mim motivo mais que suficiente para acreditarmos na autenticidade da mensagem e divulgá-la urgentemente.

  12. Leonardo Paes,creio não ser preciso responder ao seu comentário pois a Sra Gercione Lima, brilhantemente e, como sempre,acabou respondendo por mim …(como tenho aprendido com esta alma) Ai ai…rsrs…Mas,só vou te dizer duas coisas: sinceramente,muito obrigado por me chamar de “extremista”! Se caso me chamasse também de tradicionalista, ai ai…ficaria ainda mais satisfeito! Ser chamado assim(seja por quem for) nestes tempos em que o “bacana” é ficar em cima do muro,para mim é um grande elogio. Para estes,Jesus já deu a sentença: são vomitáveis!…Extremista esse Jesus, não?
    E, como eu não te conheço e nem o Sr me conhece, te digo a outra coisa: sou apenas Católico Apostólico Romano, sem rótulos. Aceito tudo o que a Igreja ensinou infalivelmente e dogmaticamente…e, sem as tais doutrinas de “evoluções de dogmas e etc.Porém, certas “novidades e surpresas que , ultimamente tem nos causado mais SUSTOS…(não ao Sr ,pelo que parece) olha eu tenho rezado um rosário de “ai ais..” que o Sr. nem imagina…ai ai…
    E como São Pio de Pietrelcina tenho horror ao protestantismo…Horror!!! Nisso sou extremista sim!
    Salve Maria…de Fátima,de Lourdes e de La Salette!