Sobre a condenação iníqua do Pe. Lodi.

Sobre a perversa condenação do valoroso combatente Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz.

O FratresInUnum.com gostaria de pedir encarecidamente que cada leitor faça uma doação, por menor que seja, ao Pro-Vida Anápolis, entidade mantida pelo pe. Lodi, a fim de alcançar o montante de R$ 60.000,00 [segundo o leitor Pedro Barreto, o valor atualizado pode chegar a mais de R$ 265 mil!] para pagamento da iníquia indenização.

Seja caridoso para com esse bom sacerdote que tanto bem faz ao nosso país, à Santa Igreja e aos indefesos nascituros.

* * *

Doações em dinheiro podem ser feitas “on line” através do PagSeguro, clicando aqui.

Ou através de depósito/transferência para a conta bancária:

Ag 0324-7 Conta Corrente 7070-X Banco do Brasil

Titular PRÓ-VIDA DE ANÁPOLIS

CNPJ 01.813.315/0001-10

Envie uma mensagem informando sua doação para fins de lançamento contábil: escritorioprovida@terra.com.br

* * *

Por Éverth Oliveira – OS PAIS DESCOBRIRAM que o filho era portador de uma síndrome rara, a qual, com certa probabilidade, inviabilizaria sua vida fora do útero materno. A família, então, pediu à Justiça (custa-me escrever essa palavra com maiúsculas em tais circunstâncias) que autorizasse o abortamento da criança. Aval concedido. E atenção, porque a lógica é aterrorizante: “A criança provavelmente vai morrer. Para que coisa tão terrível e cruel não aconteça, no entanto, façamos melhor: MATEMO-LA PRIMEIRO”. Lá estava, então, a criança, à beira da morte — morte prestes a ser provocada por um médico, com a anuência de seus pais e do Estado brasileiro.

Mas esse não é o fim da história porque, providencialmente, apareceu um cidadão — trajando, por acaso, uma batina preta — que conseguiu, graças a um instrumento chamado “habeas corpus”, impedir o assassinato do bebê em perigo. A lógica é a do bom senso, a da Constituição: todos têm… DIREITO À VIDA. Transtornos para os pais? Sim, pois a mãe tinha iniciado a dilatação para o procedimento abortivo; teve que voltar para casa; oito dias depois, talvez pelos próprios remédios que tinha ingerido, o bebê nasceu; logo depois, morreu. O filho, porém, apesar de todos os percalços, pelo menos não foi morto; faleceu naturalmente, em decorrência não de um assassinato, mas de um processo por que passam todos os seres humanos. Atenção mais uma vez, no entanto, porque não acabou. Os pais voltaram à Justiça. E para quê? Ora, para quê mais, não é, senão para pedir a condenação do “intrometido” do padre? Sim, porque… não é absurdo? O juiz já tinha autorizado o assassinato, os médicos estavam prontos para matar, a mulher pronta para ter o aborto… Como é que pode vir uma pessoa — quanto mais um padre — impedir que o Estado ou as famílias matem seus membros “inferiores” em paz? Onde está o tal “Estado laico”, não é? E os “direitos” da mulher, cadê? Esse, meus senhores, é em resumo o chilique das redes.

As minhas perguntas, no entanto, são poucas e bem simples: o que aconteceria se o bebê em questão, se o menino deficiente, que não iria sobreviver, enfim sobrevivesse? Como seria se ele estivesse vivo agora? Que atitude tomariam esses pais, face a essa nova situação? Pediriam indenização por danos morais também? E os ministros do Superior Tribunal de Justiça, por sua vez, que diriam? Condenariam o padre por ter salvo a vida da criança? Desculpem-me, meus senhores, mas ISSO NÃO É QUESTÃO DE RELIGIÃO. Que tal, se saíssemos por aí matando todas as pessoas que tivéssemos certeza que iriam morrer daqui 10 anos, 12 meses, 1 semana ou 1 dia…? Você, sendo católico, espírita, evangélico, ateu, budista ou o raio que o parta, que me diria? Que é legítimo, que “tá tranquilo, tá favorável”? Os homens definitivamente ENLOUQUECERAM. E agora, ainda por cima, querem que todo o mundo fique louco junto com eles.

Anúncios

22 Responses to “Sobre a condenação iníqua do Pe. Lodi.”

  1. Sim, seguindo a mesma lógica, por que a médica que matava pacientes de uti está prestes a ir a júri popular? Ela podia não ter “autorização” do estado laico como aqueles pais tinham, mas a prática de matar um moribundo não é diferente. Deus abençoe esse valoroso Padre.

  2. Acabo de transferir R$200,00.

    Vou agora mesmo enviar e-mail para escritorioprovida@terra.com.br conforme solicitado.

    Salve Maria!

    Vem, Senhor Jesus.

  3. Impressionantes são os pais que procuraram a Justiça para condenaram a Ass. Pró Vida a pagar essa iniquiíssima quantia para repararem os “danos” contra a familia, de igual forma muito lamentável a sentença deferida contra o Pe Lodi!!
    Receber esse dinheiro, bem possível poderia servir para se esbaldarem e depois verem em que erro gravíssimo incorreram; todavia, poderia ser arrependimento tardio!
    “Há seis atitudes que o Senhor odeia, sete atitudes que ele detesta: olhos arrogantes, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que maquina planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que espalha difamações e aquele que provoca contendas entre irmãos”! Prov 6 16-19.
    Colaboremos todos!

  4. Isso deve ser divulgado internacionalmente para outros grupos Pró-Vida pelo mundo afora e estabelecer uma conta no Gofund.me urgente!

  5. Amigos, o valor está incorreto. Foram R$60.000,00, mais juros de mora e correção monetária.

    Deve estar por volta de R$ 265.203,78, segundo os cálculos do TJ-SP (e não do TJ-GO).

    Como vocês podem ver, o valor é bem mais alto…

  6. O bispo diocesano de Anápolis, D. João Wilk, tem de manifestar apoio ao padre. A diocese de Anápolis é muito rica.São impressionantes as instalações da cúria, do palácio episcopal, etc. É hora de o bispo ajudar o padre. E os católicos devem dizer isso ao bispo,.

  7. Já fiz minha doação pelo PagSeguro, mas pelo link do site Próvida de Anápolis, pois o link do Fratres mostrou um erro (pelo menos no meu acesso). Que Nossa Senhora proteja o nosso bom Padre Lódi e todos os nascituros do Brasil e do mundo. Salve Maria!

  8. Uma pergunta: não resta ainda recurso junto ao Supremo?

  9. Independentemente às doações, o Padre Lodi deve entrar com Recurso Extraordinário junto ao STF e, se possível, peticionar junto à OEA por clara perseguição religiosa do Judiciário brasileiro.

  10. Essa condenação é absurda e inconstitucional. Ela, provavelmente, fere o princípio da inafastabilidade do controle jurisdicional. Sendo una a jurisdição, então ela não está isenta de responsabilidade no suposto dano moral à mulher que queria o aborto, visto que foi a mesma jurisdição que concedeu o HC em favor do feto a impedir o aborto. Será que o Padre Lodi não está sendo orientado juridicamente?

    • Acredito que você está certo, Rogério Amaral Silva. O culpado do suposto dano moral seria o Estado que concedeu o habeas corpus, e não o Padre que apenas o impetrou.

  11. A CNBB vai ajudá-lo?

  12. ALÔ, ADVOGADOS CATÓLICOS!
    ONDE ANDAM Vs?
    Apresentem-se dando aquela força e orientação ao nosso Pe Lodi, como se o crime dele fosse defender a vida!
    Se eu fosse o nosso querido Pe Lodi recorreria até à última instancia, ir parar no STF (demora até 10 anos) e até internacionalmente no TrIbunal de Haia, OEA, ONU, o que fosse, como disse Gercione!
    Ele acabaria pagando essa “indenização” dia de São Nunca, depois das 18 00 H!

  13. Alguns anos atrás eu conheci o Padre Lodi e fiz um curso de bioética ministrado por ele, com a duração alguns meses. Gostaria de testemunhar, com base nessa experiência, que o referido padre seguramente é uma das pessoas mais sérias e mais respeitáveis que conheci em toda a minha vida. Ele é ardentíssimo no combate ao pecado e na promoção da virtude, e extremamente inteligente. Merece por demais que o ajudemos com nossas orações e socorros financeiros.
    E, a propósito especificamente da luta contra o aborto, gostaria de aproveitar esta circunstância para indicar a todos um livro bastante antigo (data de 1774), em espanhol, cujo título se pode adaptar assim: “Tratado da obrigação que todos têm de cooperar com a salvação eterna dos nascituros”. Aqui o link para o pdf da obra: https://books.google.com.br/books?id=O-WAq6GF_XcC&printsec=frontcover&dq=curas&lr=&hl=es&cd=52&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false

  14. Conversei ontem com a diretoria da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família no sentido de formar um grupo de advogados para auxiliar Pe. Lodi no recurso junto ao STF, e reforçar ao apelo que todos se unam para ajudá-lo financeiramente.

  15. O queridíssimo Padre Lodi está pedindo, pessoalmente, que ninguém faça qualquer espécie de depósito em razão da condenação. Antes de qualquer depósito, por menor que seja, façam contato com o Padre Lodi para que não atrapalhemos a ideia dele quanto ao processo.

    • Prezado Sr. Ney, o pedido de doação foi uma iniciativa totalmente espontânea nossa. Se o padre não deseja receber quantias diretamente para custear a indenização, ele certamente compreenderá que os fiéis se sentem comovidos pela trágica situação e desejam ajudar o Pró-Vida de Anápolis. Enfim, o montante arrecadado pode ser utilizado para outras finalidades da entidade, que é reconhecida como idônea por todos. Aí é com ele.

  16. E-mail que recebi pessoalmente do Padre Lodi.

    Caros amigos

    Salve Maria!

    Alegra-me ver que vocês se alegram comigo e sofrem comigo.

    No entanto, peço que não façam doações para pagar a indenização por danos morais a que fui condenado pelo STJ (http://naomatar.blogspot.com.br/).

    E isso por dois motivos:

    1º) Fui eu que fui condenado, não o Pró-Vida de Anápolis. Nenhum dinheiro depositado na conta do Pró-Vida poderá ser usado em meu benefício.

    2º) Ninguém pode ser executado acima do próprio patrimônio. Se eu sou condenado a pagar R$ 1.000.000,00 , mas só tenho R 1,00 , pago R$ 1,00 e o processo se extingue. Assim, não se preocupem comigo. Não tenho, nem de longe, o patrimônio que a advogada da parte autora deseja de mim. Os livros que possuo não são penhoráveis. A escova de dentes? O guarda-chuva? Vai se muito difícil encontrar alguma coisa além de decepção.

    Portanto, não se preocupem.

    Continuamos precisando muito de doações, sim, mas elas irão para as gestantes, para os bebês, enfim, para o Pró-Vida de Anápolis, não para pagar condenação judicial.

    Avisem isso aos amigos, por favor.

    Deus lhes paguem.

    Alegrem-se comigo! Estamos sofrendo por Jesus e com Jesus.

    O escravo de Jesus em Maria,

  17. Caros amigos, paz e bem!

    ASSUNTO: Pedido de ajuda permanente (Pe. Lodi)

    Levo ao conhecimento de todos que recebi este pedido de ajuda permanente do santo padre Luis Carlos Lodi da cruz (via e-mail: provida2@terra.com.br) solicitando uma ajuda permanente em prol da vida.
    Segue mensagem:

    ‘Prezados amigos

    Salve Maria!

    Eis a evolução do nosso saldo durante o mês de setembro:

    Os motivos são vários: a greve dos bancários, a queda na contribuição dos associados desde a nossa mudança de sede, a necessidade de novas despesas como a compra de um sacrário para a clausura das irmãs, a impressão de novos livros para a venda…
    Mas não é agradável a cada necessidade lançar um apelo pela Internet como quem chama um bombeiro para apagar o fogo.
    Precisamos de fontes estáveis de renda.
    Nossas receitas sãos:
    Doações avulsas => como diz o nome, são avulsas; nem sempre podemos contar com elas.
    Vendas de impressos => os impressos são vendidos a preço de custo ou quase de custo.
    Contribuição dos associados. => Esta é a receita que deveria realmente sustentar a instituição. Mas tem sido muito pouca.

    Você quer ser um associado?

    Primeiro leia a Carta de Princípios da Instituição (http://www.providaanapolis.org.br/images/artigos/cartprinc.pdf) e veja se você está de acordo com tudo.

    Caso afirmativo, preencha, assine seu nome e envie-nos. A partir daí, você pode contribuir mensalmente com qualquer quantia: grande, pequena, ou mesmo simbólica. Com seis meses consecutivos de contribuição, seu nome será inscrito no livro de associados contribuintes.
    Outras perguntas podem ser respondidas em http://www.providaanapolis.org.br/index.php/quem-somos-nos

    Os depósitos ou transferências podem ser feitos na agência 0324-7 CC 7070-X Banco do Brasil Titular Pró-Vida de Anápolis, CNPJ 01.813.315/0001/10

    Os bebês e as gestantes agradecem

    Deus lhes paguem”

  18. Voltarei a contribuir mensalmente com a Pró-Vida de Anápolis. Mesmo sendo o péssimo católico que sou.

Trackbacks