Tempo de guerra e bombardeios. As mãos americanas sobre o Vaticano (e não só).

Por Antonio Socci, 18 de outubro de 2016 | Tradução: André Luiz – FratresInUnum.comÉ sempre mais evidente que o Vaticano se transformou na capelania do senhor Obama e de [Hillary] Clinton. E é infelizmente evidente que os mass media (principalmente) dão [apenas] uma versão de parte dos eventos em curso.

Exemplo hodierno. Os jornais italianos (em geral de obediência americana e de rito obamiano) hoje engrandecem o glorioso ataque a Mossul [cidade iraquiana] para libertar a cidade do ISIS. E o Corriere della Sera anuncia triunfalmente, até: “Helicópteros italianos na linha de frente”.

obama

Há apenas algumas perguntas que ninguém se põe [n.d.t.: os destaques em negrito e em caixa-alta são do autor]:

1) Por que precisamente agora, coincidentemente a vinte dias da votação das eleições presidenciais americanas? Esse movimento não terá nada a ver com o fato de que Trump há meses ataca a administração Obama/Clinton por haver deixado propagar-se organizações terroristas? Por que Obama – que está interferindo pesadamente na campanha para as eleições presidenciais – deixou Mossul por dois anos nas mãos do ISIS, permitindo que perpetrasse crimes imensos, mas três semanas antes das eleições chama a sétima cavalaria para libertar aquela mesma Mossul do ISIS? Ninguém sente cheiro de queimado e também de outras coisas?

2) Por que para libertar Mossul as milícias xiitas estão certas, enquanto para libertar Aleppo (sempre do ISIS) não?

3) Por que a mesma e idêntica operação de libertação de Mossul dos terroristas está certa se a faz o governo iraquiano e, ao contrário, é “criminosa” se a faz o governo sírio para libertar Aleppo?

4) Por que quando o governo sírio permitiu a ofensiva para libertar Aleppo leste dos terroristas, os EUA (e apoiadores) se insurgiram denunciando “crimes de guerra”, enquanto os bombardeios sobre Mossul (idênticos àqueles sobre Aleppo) são, pelo contrário, uma meritória obra de libertação? E é verdade – como acusa o governo sírio – que os americanos deixaram que os terroristas do ISIS fugissem de Mossul a fim de fazê-los ir para a Síria?

5) Por que os grandes jornais italianos como o Corriere della Sera, poucos dias atrás, no momento em que partiu a ofensiva do governo sírio, lançava manchetes do tipo “A Europa salve a sua honra impedindo o fim de Aleppo”, quando não estava em jogo senão a libertação de Aleppo? N.B.: A Europa e a Itália estão na linha de frente no ataque de hoje a Mossul, mas no Corriere vocês não lerão jamais o título “A Europa salve a sua honra impedindo o fim de Mossul”…

6) POR QUE O CAPELÃO DE OBAMA, PADRE BERGOGLIO, NOS DIAS DA OFENSIVA SÍRIA SOBRE ALEPPO SE APRESSOU A LANÇAR UM APELO PARA CESSAR AS ARMAS (EM UNÍSSONO COM A CASA BRANCA), ENQUANTO É CUIDADOSO PARA NÃO FAZÊ-LO NESTAS HORAS DURANTE A OFENSIVA SOBRE MOSSUL?

7) E POR QUE NINGUÉM NA IMPRENSA ITALIANA RECUPERA AS NOTÍCIAS DE WIKILEAKS RELATIVAS AOS PLANOS AMERICANOS SOBRE O VATICANO E SOBRE A IGREJA (OU SOBRE OS MASS MEDIA)?

8) POR QUE OS NOSSOS VATICANISTAS BERGOGLIANOS SÃO DESTA FORMA DESATENTOS E ACRÍTICOS EM RELAÇÃO AO IMPÉRIO EUA?

9) POR QUE FOI TOTALMENTE IGNORADO, SEJA PELA IMPRENSA ITALIANA, SEJA PELO VATICANO OU POR BERGOGLIO, O EXTRAORDINÁRIO E DRAMÁTICO TESTEMUNHO DO ARCEBISPO DE ALEPPO [DOM JOSEPH TOBJI, EM 04/10/2016] À COMISSÃO PARA ASSUSTOS EXTERNOS DO SENADO ITALIANO (AQUI)?

E OS INTELECTUAIS CATÓLICOS? ONDE ESTÃO AQUELES INTELECTUAIS CATÓLICOS HÁ UM TEMPO CRÍTICOS COM A TEORIA POLÍTICA E O OCIDENTALISMO?

NÃO É TRÁGICO TER-SE UM PAPA INFELIZMENTE TRANSFORMADO EM MORDOMO DA CASA BRANCA (LAICISTA E ANTICATÓLICA)?

E TUDO ISSO NÃO LANÇA UMA ESTRANHA LUZ SOBRE A MISTERIOSA DEMISSÃO DE BENTO XVI, QUE ERA UM HOMEM LIVRE E NÃO SUBMISSO AOS VALORES DE NENHUM IMPÉRIO?

Antonio Socci

Lo Straniero, 18 out. 2016.

Anúncios

7 Comentários to “Tempo de guerra e bombardeios. As mãos americanas sobre o Vaticano (e não só).”

  1. Obama, assim como Lula, subiu com a grande ajuda dos bispos, jesuítas e outros….

  2. Isso seria tão parecido com obras iniciadas, muito importantes, paradas na vigencia de eventual prefeito ou governador etc., e que são concluídas rapidamente nas cidades ou nas rodovias por ex., bem próximas ás eleições…
    As esquerdas e apoiadores são mestres no discurso de apresentar resultados em horas críticas e decisivas para simularem o que não são, honestos e coerentes, mas entendem bastante de encenações teatrais e de falsas propagandas…
    EUA x RUSSIA: na complexa guerra da Siria composta de dezenas de grupos se enfrentando, são cerca de 280 mil soldados sob Bashar al-Assad da seita wahab pro Russia e ajudado pelo Irã e + grupos diversos xiitas ajuntados ás suas forças aliadas contra o EI e a mais diversos grupos rebeldes dentro do país, e + dezenas de milhares de jihadistas estrangeiros!
    O detalhe é que existem diversos grupos são autônomos, mal conhecidos e que alternam de que lado estão, como Ahrar al-Sham e Faylaq al-Sham, além de grupos jihadistas como a Frente Fateh al-Sham, antes chamada Al-Nusra Front, – ex parte da Al Qaeda.
    Regime sírio: O governo de Bashar al-Assad pró Russia controla cerca de 35% do país, incluindo áreas estratégicas como a capital Damasco, Homs e Hama, a costa e uma grande parte de Aleppo. 60% da população vive sob as leis do regime, enquanto o EI grupo controla cerca de 35% da Síria, a maior parte regiões desérticas.
    Enquanto isso, os curdos pró EUA tanto atacam o EI como se defendem da Turquia que não quer que sejam autônomos, que também ataca o EI ao lado dos EUA e mais países, como A Saudita.
    Já os Estados Unidos querem que Assad saia do poder, mas seus esforços agora estão concentrados na luta contra o grupo EI para se sobrepor à influencia russa.
    Pareceria que Moscou insiste que Assad não seja deposto e busca uma vitória diplomática ao competir com Washington na elaboração das negociações entre o regime, os rebeldes e tomar essa região sob sua influencia.

  3. Servo dos servos de Deus, ou servo do poder que quer destruir a Igreja?

    Lanço a dúvida: poderia isso – a priori – invalidar Bergoglio como Papa?

    Uma coisa é ter vida escandalosa, outra é ter “opiniões” estranhas à Fé… OUTRA é, na prática e veladamente, agir CONTRA o rebanho, CONTRA a Igreja.

    Fechar os olhos aos fatos é terrível.

    • Jairo,

      Eventualmente sim. Mas apenas um futuro Pontífice, nem mesmo o colégio de cardeais, pode declara-lo anti-papa. Até lá, é nosso Pontífice e Vigário de Cristo na Terra.

    • Linda e maviosa candura a dos sedeocupasionistas (sic…) que aclamam a um herege contumaz e insolente como cabeça visível da Igreja. Façam-me um favor! Ou dois! Não poder destituir B. é bem diferente de aclamá-lo servilmente como Vigário de Cristo. Esse senhor nem sabe o que é isso, e se soubesse decerto não aceitaria o título. Lutero aceitava? Algum “pastor” pentecostal, desses bem chinfrim, aceita?

  4. Durante uma década inteira o cavalo de batalha da Esquerda mundial aliada à sua sucursal americana (Partido Democrata) foi a Guerra no Iraque. Alegavam que Bush havia invadido um país que não apresentava nenhuma ameaça aos Estados Unidos. Criticavam a política intervencionista dos neocons do Partido Republicano, criaram uma crise financeira às vésperas da eleição do Obama pra gerar pânico e facilitar sua eleição…etc.
    Mas após quase uma década de Obama vemos um cenário ainda pior! Depois da invasão do Iraque, os americanos sob o comando do incompetente Obama e sob os aplausos da Esquerda mundial e pseudo-pacifistas retiraram as tropas de lá deixando a população e as minorias à mercê dos terroristas do ISIS.
    Essa mesma Esquerda que chora lágrimas de crocodilo por causa da morte de um só terrorista disfarçado de refugiado, se recusa a assumir a responsabilidade pelo genocídio contra os cristãos do Iraque e da Síria.
    Como se não bastasse, o prêmio nobel da paz Barack Obama, segundo revelações do Wikileaks, forneceu armas a grupos terroristas pra derrubar regimes como o de Muammar Gaddafi na Libia e de Bashar al-Assad, presidente da Síria. Sem falar no apoio descarado à Irmandade Islâmica no Egito!
    Onde está o clamor das Esquerdas e de seus arautos na mídia por causa dessas intervenções em países que não apresentavam nenhuma ameaça aos Estados Unidos? Por que continuam incensando Obama e Hillary Clinton apesar de todos os seus crimes?
    A verdade é que guerras, genocídios, massacres são apenas desculpas para as Esquerdas avançarem seus planos. Os erros que nasceram da Revolução Russa precisam se espalhar ao máximo: destruição da família, controle populacional via aborto, ateísmo com a apostasia da fé, destruição da civilização cristã, propagação do hedonismo, legalização de drogas e disseminação da cultura da morte.
    Assim que Barack Obama foi eleito e nomeou duas juízas iníquas pra Suprema Corte Americana, o casamento entre sodomitas foi aprovado em todo território americano e começou a perseguição aos cristãos que se opõem a essa abominação. Assim que Bergoglio foi eleito e soltou o seu famoso “quem sou eu pra julgar”, a mesma agenda gay começou a ser promovida e implementada desde os altos escalões da Igreja até a mais remota paróquia modernista.
    Com Barack Obama o contribuinte americano viu seu dinheiro ser canalizado pelo Governo para a maior organização aborteira, a Planned Parenthood. Enquanto isso Bergoglio no Vaticano derrubava os “princípios não-negociáveis”, atacando os Católicos que segundo ele, são muito obsecados com temas como aborto e homossexualismo.
    A derrubada de Governos no norte da África via intervenção direta e ilícita do USA e da UE geraram um vácuo de autoridade naquela região deixando o caminho aberto para a invasão da Europa por refugiados econômicos. Enquanto isso, Bergoglio usa a autoridade da Igreja pra chantagear e forçar os Católicos europeus a aceitarem essas hordas de imigrantes de maioria muçulmana em seus territórios.
    Novamente, a resposta a tudo isso está em II Tessalonicenses 2:

    “No que diz respeito à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e nossa reunião com ele, rogamo-vos, irmãos, não vos deixeis facilmente perturbar o espírito e alarmar-vos, nem por alguma pretensa revelação nem por palavra ou carta tidas como procedentes de nós e que vos afirmassem estar iminente o dia do Senhor.
    Ninguém de modo algum vos engane. Porque primeiro deve vir a apostasia, e deve manifestar-se o homem da iniqüidade, o filho da perdição,o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar lugar no templo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus. Não vos lembrais de que vos dizia estas coisas, quando estava ainda convosco?
    Agora, sabeis perfeitamente que algo o detém, de modo que ele só se manifestará a seu tempo.Porque o mistério da iniqüidade já está em ação, apenas esperando o desaparecimento daquele que o detém”.

    O que detinha o poder das trevas era a Igreja, mas com Bergoglio estamos vendo o mistério da iniqüidade em ação, o ocaso de uma Igreja cuja hierarquia se rendeu aos poderes desse mundo tenebroso e anda de mãos dadas com eles promovendo sua agenda.

  5. A verdade sobre a crise na Síria

    Os meios de comunicação estão realizando uma imensa desinformação sobre a crise na Síria, a verdade é que se trata de uma luta para a criação de dois gasodutos que levariam o gás do imenso campo Pars para a Europa. Se esses gasodutos forem criados e ouver escoamento do gás, a europa se libertará do monopólio do gás russo exercido pela Gazprom. Os dois gasodutos foram propostos pelo Qatar (a chamada linha sunita) e pelo Irã (a linha xiita), os dois países que tem acesso ao campo para, ambos os gasodutos tem que passar necessariamente pela Síria. Bashar El Assad vetou a construção da linha sunita alegando que isso contrariaria os interesse da Rússia, sua aliada. Desde então, os países do golfo (Qatar e Arábia Saudita) vêm financiando a criação do grupo de rebeldes na Síria e até do estado islâmico para que derrubem o governo sírio e instalem um governo fantoche que permita a criação do gasoduto. Os russos vêm interferindo fortemente para proteger o governo de Bashar El Assad e desse modo manter o imenso mercado de gás europeu sobre seu controle. Isso explica porquê as potências ocidentais tem falhado até agora em combater o estado islâmico, não o farão enquanto Bashar El Assad estiver no poder pouco se importando com o custo humano.
    Pesquisem na internet sobre o campo Pars e a crise Síria para se informarem mais, vejam por exemplo:
    http://www.desenvolvimentistas.com.br/blog/blog/2015/12/08/siria-a-guerra-radical-do-oleogasodutostao/