Terremoto na Academia Pontifícia para a Vida. Com uma limpeza dos Não-Alinhados.

Por Sandro Magister, 26 de outubro de 2016 | Tradução: FratresInUnum.com: Conforme anunciado no dia 13 de outubro pelo blog Settimo Cielo, amanhã não será o cardeal Robert Sarah a inaugurar o novo ano acadêmico do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família.

paglia1O discurso de abertura será proferido pelo próprio Papa Francisco. Mas ele não se dirigirá até a Pontifícia Universidade Lateranense, e sim receberá os membros do instituto na Sala Clementina do Vaticano, às 11 da manhã.

A mudança dramática de pessoa foi lida por todos como o início oficial de um novo rumo para o instituto, agora mais em linha com a “abertura” de Jorge Mario Bergoglio e, a pedido de seu novo grão-chanceler, que desde meados de agosto é Dom Vincenzo Paglia.

Enquanto isso, na adjacente Pontifícia Academia para a Vida, também entregue pelo Papa aos cuidados de Dom Paglia, a limpeza dos membros não-alinhados já é visível.

Nos termos dos artigos 5º § 2 dos estatutos, os membros ordinários, todos nomeados pelo Papa, e quase todos nomeados por João Paulo II, ficam no cargo continuamente até completarem 80 anos. São, portanto, irremovíveis. Mas, Dom Paglia já obteve do Papa Francisco o sinal verde para mudar o estatuto, reduzindo a 5 anos ou pouco mais que isso o mandato, como já ocorre com os chamados membros “correspondentes”. Ele está se preparando para fazer com que a nova norma tenha efeito retroativo.

Entre os acadêmicos de renome que correm o risco de expulsão estão, por exemplo, o austríaco Josef Maria Seifert e o inglês Luke Gormally, ambos culpados de terem feito críticas radicais à exortação pós-sinodal “Amoris laetitia”.

Entre os cardeais membros estão na mira Carlo Caffara, que também foi o primeiro presidente do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família, e Willem Jacobus Eijk, que é arcebispo de Utrecht e Presidente da Conferência Episcopal Holandesa, mas que também é um médico e teólogo moralista de valor, culpado também de criticar a “Amoris laetitia” e talvez mais ainda por ter assinado a famosa carta dos treze cardeais que tanto  irritou Papa Francisco no início do último sínodo.

Inseguros também estão os membros mais comprometidos com os movimentos pró-vida, começando pela batalhadora Guatemalteca-americana Maria de Mercedes Arzu Wilson, de quem se recorda uma áspera polêmica com Dom Rino Fisichella, então presidente da Pontifícia Academia para a Vida, por causa de um artigo escrito por ele no “L’Osservatore Romano” muito compreensivo com relação ao caso de um aborto feito por uma adolescente e mãe solteira brasileira.

Um destino diferente, ou seja, a reconfirmação, está prevista para outros membros da academia se estes forem cientificamente qualificados, mas que sustentam posições – em matéria de bioética – não exatamente de acordo com o ensinamento da Igreja, pelo menos o de antigamente.

Um deles é, por exemplo, Felice Petraglia de Siena, ginecologista e editor-chefe da revista internacional “Human Reproduction Update”, fundada por Robert Edwards, um dos pais da fertilização em tubo de proveta e membro do órgão oficial da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, que apoia a fertilização “in vitro”, o diagnóstico e seleção genética de embriões, pílulas abortivas e outros semelhantes.

E outro é o ginecologista francês Charles Chapron, um amigo de Petraglia, membro de várias sociedades internacionais de obstetrícia e ginecologia, também favorável ao anterior em tudo, e que no entanto foi admitido como membro correspondente da Academia.

Um estratagema no qual Paglia está trabalhando, para associar membros desse naipe à Academia Pontifícia para a Vida e para incluir outros nos próximos anos, seria o mesmo que eliminar do estatuto o que está disposto nos art. 5 § 4º, alínea b:

“Os novos acadêmicos são convidados a subscrever a Declaração dos Servidores da Vida, com os quais se comprometem a promover e defender os princípios sobre o valor da vida e da dignidade da pessoa humana, interpretados de modo consistente com o Magistério da Igreja”.

Com isso, estaria aplainado o caminho para convidar a fazer parte da Academia Pontifícia para a Vida também Angelo Vescovi, muito ligado a Paglia desde quando ele era bispo de Terni e ajudou-o a estabelecer na cidade a sede central sua criação, a Fundação de células-tronco. Angelo Vescovi não é Católico e participou da campanha do plebiscito de 2005 para defender a lei 40, fortemente desejada pelo Cardeal Camillo Ruini. Mas, fora isso, ele nunca se destacou na defesa pública da vida humana nos círculos científicos dos quais ele é membro. Além do mais, é conhecida a sua posição ambígua sobre as questões de células-tronco embrionárias.

Tags: ,

16 Comentários to “Terremoto na Academia Pontifícia para a Vida. Com uma limpeza dos Não-Alinhados.”

  1. Hoje foram nomeados diversos membros para a Congregação do Culto Divino: http://www.news.va/pt/news/340260
    Seria interessante levantar se são prelados que realmente dão valor ao culto divino…

    • Sorrentino, hoje bispo de Assis, mas, então, secretário do Culto Divino, circulou um manifesto anti-liberação da Missa Tradicional num sínodo dos bispos às vésperas de Summorum Pontificum. Foi, logo depois, retirado da Congregação e mandado para Assis por Bento XVI.

      Piero Marini, bem, não é preciso dizer nada…

  2. O Cardeal Sarah, na conferência inaugural do evento Sacra Liturgia na Grã Bretanha que aconteceu em Londres, em 5 e 6 de julho pp, afirmou que “é muito importante que voltemos o mais rápido possível a uma mesma direção, dos sacerdotes e de todos os fiéis na mesma direção: para o oriente ou pelo menos para o tabernáculo”.
    Dentre mais, o Cardeal Sarah tem andado por aí tomando a defesa de certas posições não ultimamente bem cotadas pelo Vaticano, sendo um caso o de se opor às celebrações versus populum e mais, que no momento se considerariam ultrapassadas, quem sabe, heterodoxas, pois existiria por aí uma nova mentalidade, pela qual a ativa participação dos fieis “seria parte” da celebração!…
    Ele e todo o episcopado africano pareceriam estar na “contra mão”…

  3. Não me espantaria se a degola atingisse do Pró-Vida de Anápolis.

  4. Compreende-se com isso as inúmeras e tão grandes dificuldades que tenho enfrentado à Frente da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família, como tem sido cada vez mais difícil o trabalho como exortado por S. João Paulo II, Jerôme Lejeune, Humberto Vieira e tantos mais. Ano passado, estive na Pontifícia Academia para a Vida, e me disseram lá que mudanças viriam, e que o verdadeiro apostolado pró-vida e católico, padeceria por uma via mais estreita, para se manter fiel á sã doutrina.

  5. Mas tenho feito apontamentos de todas essas dificuldades e as publicarei no momento certo, situando inclusive quem é quem nesse contexto de grande provação que vivemos, enquanto católicos.

  6. Há muito tempo, muitos já queriam ter me “abortado” do movimento pró-vida, mas tenho resistido, na esperança ainda de ver aprovado no Congresso Nacional, a PEC pela Vida. Estou no limite das minhas forças, mas nada do desprezo da mesquinharia e das humilhações, me abalarão a fé e a disposição de defender o Evangelho da Vida, apesar de tantos padecimentos. Peço orações para que haja perseverança e fortaleza.

  7. Digo: se a degola atingisse o Pró-Vida de Anápolis.

  8. É preciso banir da nossa linguagem todo e qualquer laivo dessas novidades inventadas por essa cambada de novidadeiros translumbrantes.
    Que estória é essa de “evangelho da vida”? Que expressão equívoca! A vida do nascituro deve ser defendida de todos os modos. Acima, porém da vida natural, está a vida da graça e a adoção sobrenatural que vem pelo batismo.
    Se a vida em si, digo a do adulto, fosse o máximo bem, muitos outros bens seriam evitados e preteridos.
    Apenas os neopagãos acham que a vida é o máximo bem. Nao espanta que sejam pacifistas quando se exige a guerra.

  9. Tudo isso não é senão um plano muito bem orquestrado e a longo prazo. Previsto em todas as suas etapas. Uma verdadeira revolução na Igreja se faz de cima, a partir do topo. Só não pensamos que chegaria tão longe em sua ousadia. Mas, eles (os que fizeram esse plano e o aplicaram já no século XIX) sabiam perfeitamente aonde chegaríamos.
    Depois de fazer o trono de São Pedro ser ocupado por um liberal (na verdade, por mais de um), o próximo passo é afastar a oposição de alguns Bispos conservadores ao ensinamento do Pontífice. Não há novidade nessa estratégia. Paulo VI já havia feito isso quando implantou sua revolução que colocou a Igreja para servir o homem. Francisco Bergoglio está dando o mesmo passo, porém para afundar ainda mais a Barca da Santa Igreja.
    De uma coisa podemos ter certeza: esses liberais não vão parar e não vão ceder um milímetro no terreno conquistado.
    O patrão deles deve estar muito contente…
    Nunca se esteve em um momento tão bom para eles.
    Enquanto isso, Nosso Senhor está em silêncio… um silêncio tão profundo, que esses homens da Igreja, esses liberais, pensam que a Igreja é deles e podem fazer dela o que bem entenderem. Por isso, estão tranqüilos em suas maquinações, ganhando mais poder para perder as almas, propondo-lhes um largo caminho, que não é outro senão o do inferno.
    Estão certos de que nada lhes há de acontecer nem nesta vida nem na outra (e em cujo castigo eterno não acreditam). Como se não houvesse um Senhor a quem um dia prestarão severas contas dos seus atos. Aliás, o mesmo acontecerá com todos nós.
    Nosso Senhor parece dormir profundamente, como na barca com os Apóstolos, na assustadora noite da travessia do Mar da Galiléia. Quanto terror em meio à escuridão. Como era forte o medo e a idéia de morte! Os Apóstolos pensavam que o barco afundaria e eles iam morrer.
    Mas, eis que o Senhor se levantou e repreendeu as ondas e o vento. E fez-se grande calmaria.
    Ele há de fazer o mesmo contra a tempestade que há mais de 50 anos se abate sobre a Barca da Santa Igreja.
    A Voz do Senhor se faça ouvir, repreendendo duramente os ventos e as ondas da modernidade anti-cristã, que prega a adoração ao homem no lugar de Deus, e que desde o Vaticano II ameaça destruir a Fé e a Igreja de Jesus Cristo.
    E que será de nós quando essa repreensão vier e atingir a todos, bons e maus, no dia em que o Senhor descer Seu Braço Poderoso e Justo sobre os maus administradores da Sua Vinha e sobre o rebanho rebelde? Ninguém pode fazer impunemente o que os liberais em altos cargos eclesiásticos estão fazendo com a Santa Igreja.
    Tão certo quanto o dia sucede à noite, esse dia do Senhor chegará. E parece cada vez mais próximo. Embora devamos sofrer (e talvez morrer) no castigo vindouro (o qual, segundo as profecias, virá na forma de guerras e catástrofes naturais espantosas), rezo agora para que ele venha, pois, juntamente com os bons, os maus também perecerão. E entre esses maus, estão os que espalham o erro e a heresia entre os membros do Corpo Místico de Cristo. Assim, o Senhor limpará Sua Casa e, ao mesmo tempo, abrirá nossos olhos e nossa inteligência para a Doutrina de sempre, tal como a Igreja sempre ensinou constantemente através dos séculos.
    E enche-me de esperança que a Igreja Católica, depois da duríssima provação destes dias maus, ressurja resplandescente da Luz do Senhor, para retomar a evangelização do mundo.

  10. Aumentam as chances de que as próximas “fumaças” sejam sempre vermelhas.

    # Falando em terremoto, Deus está enviando sinais à Roma.

  11. Se você não é relativista, muitos que se dizem católicos, (interessados muitas vezes apenas no carreirismo) optam pelo patrulhamento, pela conspiração do silêncio e pelo boicote, pela não solidariedade. O nível de boicote à nossa atividade na Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família tem sido tão grande, que, por exemplo, o blog Sempre Família, escolheu dez entidades pró-vida que, segundo o blog, devem receber contribuições, e sequer fez menção á existência da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família. [http://www.semprefamilia.com.br/10-instituicoes-pro-vida-com-as-quais-você-pode-contribuir/] Disseram que a exlcusão não foi proposital, mas uma olhada pelo blog percebe-se que simplesmente ignoram a existência da Associação. Mas não deixaremos de perseverar na missão, e agradecemos aos poucos colaboradores que tem permitido, com a graça de Deus, prosseguir com nossos trabalhos e procurar honrar o voto de confiança dado pelo saudoso Prof. Humberto Vieira.

    • Reclamaremos com o site acima, Prof Hermes, e o sr. junto com o Pe Lodi valem mais que a CNBB que pró vida e pró familia não está nem aí!

    • Basta navegar pelo blog Sempre Família pra ver que lá não se lê UMA menção ao trabalho da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família, é como se a associação simplesmente não existisse. Isso é estranho porque eu sei que a associação é a PRECURSORA das entidades pró-vida e família a fazer um trabalho relevante em nível nacional, que preparou o futuro para estas novas entidades que nasceram a partir dela e com o apoio dela, especialmente do Professor Humberto Vieira, que confiou sua sucessão ao Professor Hermes Rodrigues Nery, quem vem trabalhando pela PEC da Vida no Congresso Nacional. Vejam no link: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/DIREITOS-HUMANOS/514536-DEPUTADO-VAI-APRESENTAR-PEC-PARA-ASSEGURAR-DIREITO-A-VIDA-DESDE-A-CONCEPCAO.html​

      A associação é notória pelo trabalho diligente e perseverante com excelentes resultados. Acho injusto indicar entidades dignas de serem financiadas pelos Católicos e ignorar a Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família.