“São os comunistas que a pensam como os cristãos”.

Por G. Pacceli | FratresInUnum.com

De acordo com o site do jornal La Repubblica, as palavras do Papa Francisco em sua entrevista foram:

“Tem se repetido algumas vezes, e a minha resposta é sempre que, em todo caso, são os comunistas que a pensam [a sociedade] como cristãos. Cristo falou de uma sociedade onde os pobres, os fracos, os excluídos, deveriam decidir. Não os demagogos, não Barrabás, mas o povo, os pobres, que têm fé no Deus transcendente ou não, são eles que deveriam ajudar a alcançar a igualdade e a liberdade.”

Depois dessa, eu que sou um pobre pecador, prefiro me calar, enquanto reflito e escrevo algo mais sensato do que o que escreveria nesse momento.

Esperamos o desmentir da sala de imprensa da Santa Sé.

25 Comentários to ““São os comunistas que a pensam como os cristãos”.”

  1. Afirmar que os comunistas “pensam como cristãos” e que isso significaria promover uma “sociedade onde os pobres, os fracos, os excluídos deveriam decidir” implica desconhecer absolutamente todas as formas de realização histórica do comunismo desde Marx até hoje, em que, com efeito, o poder decisório jamais saiu das mãos dos “demagogos” e jamais sairá. Ou haverá algum ingênuo a pensar que, por exemplo, em Cuba, são os pobres e os excluídos que decidem o que quer que seja?
    É preocupante que, vindo de uma pessoa com um mínimo de formação como é o caso do Papa, tal afirmação não se possa atribuir simplesmente à desinformação ingênua ou à ignorância invencível. Prefiro não dizer a que se pode atribuí-la.

  2. Eu estava lendo agora, no La Repubblica, mas não consegui terminar. Socorro. Melhor voltar ao trabalho.

  3. A Paz e a Graça de Jesus,

    Como o Exorcista Oficial do Vaticano, Pe. Gabriele Amorth faleceu recentemente, acredito que seja urgente e necessário nomear um novo e experiente Exorcista para o Vaticano.

    Que Jesus tenha Misericórdia de nós e em especial de SS. Papa Francisco.

    Como pecador que sou, vou seguir o exemplo de G. Pacelli : “Depois dessa, eu que sou um pobre pecador, prefiro me calar, enquanto reflito e escrevo algo mais sensato do que o que escreveria nesse momento.
    Esperamos o desmentir da sala de imprensa da Santa Sé”
    Sebastião Carvalho

  4. O Papa Francisco encontrou-se com a Eugenio Scalfari, fundador do ‘La Repubblica’ no dia 7 de novembro, esta segunda-feira, um dia antes das eleições norte-americanas, para uma entrevista onde os temas centrais decorreram do discurso do Papa aos representantes dos Movimentos Populares, no Vaticano, no dia 5 de novembro.

    Nesta conversa, o Papa foi questionado sobre o mandamento “ame o seu próximo como a si mesmo”, uma sociedade de igualdade, marxista [insinuação do interlocutor], ao que o Pontífice comentou que “são os comunistas que pensam como os cristãos” [e não o contrário].

    A frase já foi distorcida… o Papa é apresentado como que afirmando que “os comunistas pensam como os cristãos”.

    Percebem a sutileza (a má fé)?

    Continuam distorcendo suas palavras…
    O papa já firmou por diversas vezes:
    “O cuidado pelos pobres está no Evangelho e na tradição da Igreja. Não é uma invenção do comunismo.”

    “Nunca compartilhei a ideologia marxista, porque ela é falsa, mas conheci muitas pessoas boas que professavam o marxismo” (Papa Francisco, Vaticano, entrevista em 05 Mar. 14)

    O Papa explica a continuidade com a tradição da Igreja neste cuidado dos pobres. Assim, recorda que um mês antes de inaugurar o Concílio Vaticano II, o Papa João XXIII disse que “a Igreja se mostra como é e como quer ser: como a Igreja de todos e, especialmente, a igreja dos pobres”. E assim, anos depois, “a eleição preferencial pelos pobres entrou nos documentos do magistério”.

    Por esta razão, o Santo Padre disse que embora alguém pudesse pensar em algo novo, “no entanto, trata-se de uma atenção que tem suas raízes no Evangelho e já está documentada nos primeiros séculos do cristianismo”.

    A atenção pelos pobres está no Evangelho e está na tradição da Igreja, “não é uma invenção do comunismo e não deve ser ideologizada, como às vezes aconteceu na história”, adverte o Pontífice argentino.

    Para concluir a entrevista, o Santo Padre disse que “a Igreja está longe de qualquer interesse político e de qualquer ideologia: movida apenas pelas palavras de Jesus, quer oferecer sua contribuição para a construção de um mundo onde se guardem uns aos outros e onde se cuidem uns dos outros”. (Papa Francisco, 28/10/2014)

    • Sr. Maurício, o seu pensamento é um pouco confuso qual é a distinção entre “são os comunistas que pensam como os cristãos” e “os comunistas que pensam como os cristãos” ? Na segunda de depreender-se o verbo ser.
      Mesmo assim gostaria de saber desde quando é que “são os comunistas que pensam como os cristãos” ? Será que eles também têm fé em Cristo como redentor? Será que eles esperam um eterno Céu após a morte na presença de Deus? Será que eles pensam e apregoam “ame o seu próximo como a si mesmo”? Será que eles têm mesmo referência pelos pobres ? Onde é que isso aconteceu, fale-me dum exemplo da história?
      Qualquer semelhança do comunismo com Cristo é pura fantasia e quem diz tais disparates está a enganar as pessoas com má fé e intenção de as levar ao engano.
      Continuando gostaria que me dissesse onde é que no Evangelho diz que “Cristo falou de uma sociedade onde os pobres, os fracos, os excluídos, deveriam decidir. ..”? Fico à espera.
      Onde está no evangelho “… o povo, os pobres, que têm fé no Deus transcendente ou não, são eles que deveriam ajudar a alcançar a igualdade e a liberdade.”?
      Da mesma que os fariseus levaram o povo a gritar por Barrabás. Hoje Bergoglio faz o mesmo, enganando a todos ao dizer que os “são os comunistas que pensam como os cristãos” levando-nos a escolher Barrabás, o comunismo assassino.

    • Maurício,

      O “contexto” para se interpretar algo duvidoso ou ambíguo são os “lugares paralelos”, sejam textuais ou factuais.

      A inclinação, ou, antes, o meio ideológico e herético em que vicejam e de onde promanam as atitudes e pronunciamentos do atual ocupante da Santa Sé nos obrigam, digo, aos católicos, a uma criteriosa precaução acerca de TUDO o que proceda dele

      Sua exegese verdadeiramente rabínica ou bizantina abstrai as “condições de contorno” do assunto. Patina no vazio.

      Um sujeito que leva consigo um foicefixo para casa (no caso, “ocupação”) e recebe um “casal” de sodomitas DEIXANDO-SE FOTOGRAFAR em tal situação, não merece crédito algum por parte dos católicos.

  5. Só faltava essa!
    Estamos entrando nos Tempos Finais.
    Quem viver, verá!

  6. Parece que desmentiram já

  7. O que o Papa disse foi a inspiração distorcida de certas correntes ideológicas sobre a obra de São Tomás Morus(“A República”). O Papa não é comunista pois se o fosse não seria Papa e sim excomungado.

  8. Não lembro de Cristo dizer que “são pobres que devem decidir”.
    Não lembro nem de Cristo falando em “sociedade”. Lembro dele falando em alma.

    O que será isso? Ser pobre é sinônimo de ser iluminado político? Já fui pobre demais e não lembro de receber iluminação.

    Na filosofia, não lembro desse argumento em São Tomás de Aquino, nem em Platão, nem mesmo em Karl Marx.
    E também não lembro de “pobres comunistas” no poder, na história humana. Lembro sim de inúmeros ladrões comunistas.
    Quanta estupidez.
    Rezemos.

  9. Essa é fortíssima. Espero realmente que não seja assim …

  10. Se for verdade tal afirmação é um tapa na cara dos milhares de cristãos que foram perseguidos, encarcerados e mortos nos regimes comunistas de países como Ucrânia, Romênia, China e Coréia do Norte.

  11. Nenhuma surpresa. Esse senhor é o retrato perfeito do atual episcopado (e uma das coisas que mais me incomoda como católico é ver essa gente usando os paramentos da Igreja).

    Seja como for, e fazendo menção ao artigo (infra) sobre Genéscio Boff, quero apenas dizer que a figura mestra desse pauperismo demolidor, insuflado na Igreja a partir do vaticano dois, chama-se Ernesto Buonaiuti, o erudito e vaidoso colega de seminário de Angelo Roncali (depois João XXIII).

    Buonaiuti foi excomungado três vezes.

    A demolição da “Igreja imperial e constantiniana” é maquinação – oh! quanta conspiração ! – de um grupelho de intelectuais da virada do século XX. Não por acaso, Buonaiuti escreveu um livro sobre o Joaquim de Fiore (Gioacchino da Fiore. I Tempi, La vita, Il messaggio) e o relacionou com as heresias pauperistas do franciscanismo radical do século XIII e outras heresias, posteriores, já no Renascimento.

    Roncali, inteligentíssimo e ardiloso, esperou bastante e cuidou de tudo. Até do próprio embalsamamento.

    O “Pacto das catacumbas”, à época do vaticano dois, diz muito a respeito (a demolição da “Igreja imperial e constantiniana” “aliada aos ricos e poderosos”). O excelente livro “Igreja Popular” de D. Frei Boaventura Kloppenburg OFM, analisa o afloramento desse chorume no âmbito da T.L. Tudo isso, pois, fermentou por mais de 50 anos, desde os atos Magisteriais de Pio X condenando o modernismo, e eclodiu em toda a sua putrefação a partir do aggiornamento de João XXXIII.

    E não há nenhuma paranoia nisso, como delira certo apedeuta, chamando de paranoicos aos tradicionalistas. Pobre diabo! Deveria ter ficado plantando jerimum (como todos os seus). O hábito não faz o monge. Nem um chapéu, um autêntico bispo da Igreja católica.

  12. O papa já afirmou por diversas vezes:
    “O cuidado pelos pobres está no Evangelho e na tradição da Igreja. Não é uma invenção do comunismo.”

    “Nunca compartilhei a ideologia marxista, porque ela é falsa, mas conheci muitas pessoas boas que professavam o marxismo” (Papa Francisco, Vaticano, entrevista em 05 Mar. 14)

  13. E isto é verdade ? Bergoglio era leitor assíduo de 2 revistas comunistas : Nuestra palavra e Propositos.
    http://www.estadao.com.br/noticias/geral,a-historia-de-amizade-com-uma-comunista,1055439

  14. Bergoglio tira a conclusão do que disse Roncali há mais de 50 anos na Pacem in Terris: os católicos devem colaborar com os movimentos sociais e correntes ideológicas que trabalham para que haja paz e justiça no mundo.
    Na ocasião da publicação da encíclica de João XXIII, o partido comunista italiano divulgou o documento nefasto. Cf. Nikita Roncali, de Franco Belegrandi.

  15. A questão não quer calar: por que o Papa continua dando essas entrevistas – ainda mais para o notório picareta do Scalfari – que somente causam confusão e perplexidade? Se as palavras são sempre distorcidas, por que não se ater aos canais de comunicação do Vaticano? Alguém pode explicar?

  16. Dizer que os comunistas pensam como os cristãos no que diz respeito ao próximo, aos pobres, é falso. Basta verificar a história do comunismo e a atuação da igreja nos países onde o comunismo prevaleceum e se vê que são duas coisas bem diferentes. O projeto de sociedade comunista é materialista e anti religião, onde todos os os cidadãos devem submissão total ao partido, e aqueles que não se submeterem a essa autoridade são mandados para os gulags. Já os cristãos pensam a sociedade em conformidade com a lei divina, onde a igreja, com suas obras de assistência, buscam ajudar os pobres em suas necessidades materiais sem esquecerem do bem maior que é Deus, vide o caso de tantos sacerdotes e leigos que sofreram o diabo para manter a fé nos países comunistas. PorTanto, ainda que o papa no tenha dito que os cristãos pensam como os comunistas, o inverso também está errado.

  17. Li essas declarações do Pontífice. Terríveis comparações de quem não sabe do que fala. Terrível.

  18. Se for verdade… se realmente foi isso o que o Papa disse, só tenho algo a exclamar:

    Canal…, canal… canal…! [Neves. Tancredo]

  19. Interessante: a entrevista foi dada ao famoso jornal de esquerda La República.
    Após essa famigerada frase (“os comunistas pensam como os cristãos”), polêmica e inconsequente, ficaram algumas dúvidas, tais como:

    – Será que Jesus foi o primeiro revolucionário?
    – O papa do “fim do mundo” seria um infiltrado da KGB?
    – Será que, na bíblia dos teólogos da libertação, S. Paulo disse: “não sou eu quem vive, mas Marx que vive em mim” ?

  20. Os recentes e supostos “MOVIMENTOS SOCIAIS” de diversos países que foram se encontrar com o papa Francisco são os esquerdistas de varios países – são os “MILICIANOS COMUNISTAS” – como o quadrilheiro Stédile dos anarquistas do MST aliado do terrorista PT, aliado doutros dinossauros, como ao Rei da Marijuana, o ex guerrilheiro tupamaro, o vermelho Mujica e a mais mafiosos!
    Todos os pertencentes ao esquerdismo associam-se aos 3 irmãos gemeos comunonazifascistas, iguais no básico: material-ateístas, fortemente opressores e totalitaristas, subsidiarios da maçonaria.
    Abaixo, 2 parte do discurso – começo-fim – de um carinhoso e fraterno acolhimento aos acima.
    DISCURSO DO PAPA FRANCISCO
    AOS PARTICIPANTES NO ENCONTRO MUNDIAL
    DOS MOVIMENTOS POPULARES
    Ex-Sala do Sínodo
    Terça-feira, 28 de Outubro de 2014
    De novo, bom dia!
    Sinto-me feliz por estar convosco, e faço-vos uma confidência: é a primeira vez que desço aqui, nunca tinha vindo cá. Como dizia, sinto grande alegria e dou-vos as calorosas boas-vindas.
    Agradeço-vos por terdes aceite este convite para debater os problemas sociais muito graves que afligem o mundo de hoje, vós que viveis na vossa pele a desigualdade e a exclusão. Um obrigado ao cardeal Turkson pelo seu acolhimento, obrigado, Eminência, pelo seu trabalho e palavras.
    Este encontro dos Movimentos populares é um sinal, um grande sinal: viestes apresentar diante de Deus, da Igreja e dos povos uma realidade que muitas vezes passa em silêncio. Os pobres não só suportam a injustiça mas também lutam contra ela!
    Não se contentam com promessas ilusórias, desculpas ou álibis. Nem sequer estão à espera de braços cruzados da ajuda de Ongs, planos assistenciais ou soluções que nunca chegam, ou que, se chegam, fazem-no de maneira a ir na direcção de anestesiar ou domesticar, o que é bastante perigoso. Vós sentis que os pobres não esperam mais e querem ser protagonistas; organizam-se, estudam, trabalham, exigem e sobretudo praticam aquela solidariedade tão especial que existe entre quantos sofrem, entre os pobres, e que a nossa civilização parece ter esquecido, ou pelo menos tem grande vontade de esquecer…
    Quase ao findar o discurso:
    Queridos irmãos e irmãs: continuai a vossa luta, fazei o bem para todos nós. É como uma bênção de humanidade. Deixo-vos como recordação, como prenda e com a minha bênção, alguns rosários que foram fabricados por artesãos, cartoneros e trabalhadores da economia popular da América Latina.
    E ao acompanhar-vos rezo por vós, rezo convosco e desejo pedir a Deus Pai que vos acompanhe e abençoe, vos cumule com o seu amor e vos acompanhe no caminho, dando-vos abundantemente aquela força que nos mantém em pé: esta força é a esperança, a esperança que não desilude. Obrigado..
    https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2014/october/documents/papa-francesco_20141028_incontro-mondiale-movimenti-popolari.html

  21. Tem um contexto, caros: http://pt.churchpop.com/desmentindo-mais-uma-mentira-sobre-o-papa-francisco/

    Aconselho que façamos download do aplicativo “The Pope App”, que é oficial.

  22. Que confusão! São Pio X, que era firme e claro em suas palavras e ações, rogai pelo Papa Francisco e por nós também, tão sôfregos estamos em meio a tanta desinformação e viciados nos meios de comunicação! Oh, Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!a