Dom Orlando Brandes, novo arcebispo de Aparecida.

Caixa de comentários aberta aos fiéis de Londrina para suas impressões.

* * *

Por A12 – O Papa Francisco aceitou nesta quarta-feira, dia 16 de novembro, a renúncia do Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis. E, nomeou como novo arcebispo Dom Orlando Brandes, transferindo-o da Arquidiocese de Londrina, no Paraná.

Dom Damasceno havia apresentado renúncia em fevereiro de 2012, quando completou 75 anos, conforme prevê o direito canônico. E, até a posse do novo arcebispo, marcada para o dia 21 de janeiro de 2017, ficará na Arquidiocese de Aparecida como Administrador Apostólico.

Em entrevista ao vivo a Rádio Aparecida, na manhã de hoje, Dom Orlando falou sobre sua transferência para Aparecida. “Quero acolher essa nova missão que me foi confiada pelo Papa Francisco. O primeiro objetivo é conhecer o rosto da Arquidiocese de Aparecida”.

“Me sinto muito feliz por tê-lo por sucessor. Terá uma especial proteção de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil. Lhe desejo que tenha um ministério muito frutuoso em Aparecida”, afirmou Dom Raymundo Damasceno a Dom Orlando.

Dom Orlando Brandes

Dom Orlando Brandes

Foto: D. Orlando Brandes em celebração no Santuário de Aparecida por ocasião da Festa da Padroeira 2016 em outubro – Thiago Leon

Dom Orlando Brandes nasceu em 13 de abril de 1946 em Urubici, SC. É filho de Gregório Brandt e Hilda Morais Brandt (falecidos). Tem seis irmãos. Após o curso primário ingressou no Seminário João Vianney, de Lages. Em 1968 concluiu Filosofia na UCP em Curitiba. Fez seus estudos teológicos na Universidade Gregoriana e na Academia Alfonsiana (Roma) especializando-se em Teologia Moral em 1973.

Recebeu a ordenação sacerdotal em Francisco Beltrão (PR) em 6 de julho de 1974. Foi professor de Teologia Moral e Dogmática no Instituto Teológico de Santa Catarina (Itesc) de 1974 a 1994.

Vice-diretor do Itesc (1974-1982) e seu diretor (1982-1984). Diretor do Seminário Teológico (1987-1987), orientador do Seminário Dom Honorato Piazera (1990-1994), presidente, vice-presidente e Juiz do Tribunal Eclesiástico Regional de Florianópolis.

Assistente Espiritual do Seminário Nossa Senhora de Guadalupe da Diocese de Joinville, em Florianópolis. Pregador de retiros espirituais. Auxiliar na Catedral Metropolitana. Animador de diversos cursos de teologia e, por espírito missionário, passava suas férias escolares em diversas paróquias carentes no Estado e também na Bahia, Mato Grosso, Acre e Piauí.

Foi eleito pelo Papa João Paulo II no dia 9 de março de 1994 como 3° bispo diocesano de Joinville. Escolheu como lema: “Somos operários de Deus” (1 Cor 3,9).

A ordenação episcopal e posse ocorreu no dia 5 de junho de 1994 na Catedral São Francisco Xavier em Joinville, dia de São Bonifácio. No dia 10 de maio de 2006, o Papa Bento XVI nomeou Dom Orlando Brandes Arcebispo de Londrina. A tomada de posse como 4º Arcebispo da Arquidiocese de Londrina aconteceu no dia 23 de julho de 2006.

Anúncios

11 Comentários to “Dom Orlando Brandes, novo arcebispo de Aparecida.”

  1. “Dom Orlando Brandes: católicas pelo direito de decidir.”

    (…)
    [2:49] por isto então até houve esta celeuma a respeito daquele cd da verbum films onde estas pessoas tinham sido também convidadas para dar a sua opinião exatamente contrária ao aborto e esse cd foi retirado do comércio exatamente por não serem pessoas católicas e estarem então usando e um argumento ou argumentos contrários a nossa doutrina. [3:20]
    (…)

  2. Este homem é a favor do aborto? Foi isso mesmo que eu entendi?

    • Carlos Antonio,

      Da play no vídeo, infelizmente o titulo do vídeo da a entender que o Bispo é a favor do movimento, mas no vídeo ele diz que essas pessoas que fazem parte desse movimento não são católicas.

  3. Será um episcopado de “transição”, haja vista que D. Orlando Brandes já tem mais de 70 anos? Teria ele um projeto de longo prazo para a Arquidiocese? É plausível que não. Oxalá pusesse um freio naquele teatro em que a Basílica (e agora Catedral) se converte a cada celebração um pouco mais solene.

  4. No video, D Orlando Brandes foi bastante evidente que não é favorável ao grupo esquerdista dissimulado de “Católicas com o direito de decidir”, no entanto, corresponderá à realidade a: “caóticas com o direito de assassinar”!
    Bom seria se se recordasse que, se acaso fossem católicas, teriam se excomungado desde à aceitação do infanticidio – herodianas.
    A essas hipócritas recomendaria que retirassem as máscaras e se congregassem à IURD em que o dono da seita é confesso abortista!
    Porque não “iurdianas com o direito de decidir”?

  5. Conheci Dom Orlando quando ele era padre em Florianópolis. Inteligente e didático, era de uma clareza de expressão invejável. Em retiros e encontros carismáticos, seus dons de ciência, discernimento e cura, afloravam.
    Homem de hábitos simples e com olhar para os humildes, deixa amigos por onde passa.
    O Papa Francisco escolheu um Santo para cuidar da Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil.
    Ganham Aparecida e os fiéis de todo o país.
    Dom Orlando, um homem de Deus.
    Hamilton Schaefer
    Florianópolis.

  6. Dentro da mesma linha de defesa da Verdade Cristã:

  7. Pela alegria que vejo na esquerda “católica”, por ser bispo que passou pelo Paraná (Infelizmente, com tristeza no coração), pelo histórico da Rc”c” nos comentário e por ser indicado por Francisco, não vejo com bons olhos esta nomeação. Acho que será mais um para nossa lista de orações para conversão.

  8. Vamos lá. Justiça seja feita. Tenho reparado que de anos para cá, Dom Orlando tem sido bem mais zeloso na condução da Arquidiocese de Londrina. Tem isolado os padres mais radicais TL, tem clara defesa pró-vida e até mesmo liturgicamente tem melhorado muito. Já houve período que não deixava fiéis comungarem na boca, hoje não apenas permite, como orienta os sacerdotes a não negarem (embora que suspendeu durante o surto do H1N1). ATUALMENTE ele tem sido bem mais zeloso. Continua apenas radicalmente contra a Missa Tridentina, como sempre foi. Nisso, se mantém intransigente. Mas aquelas aberrações que tínhamos em Londrina de Missa Afro e assemelhados, já faz tempo que não se tem mais notícias. Além disso, tem demonstrado forte devoção mariana.

    Se puxarem o histórico de Londrina aqui no Fratres poderão ter uma imagem errada do que Dom Orlando é hoje. Vejo nele um homem honesto que procurou se retificar. Uma pena mesmo que tenha proibido a Missa Tridentina aqui. Não fosse isso, teria muito por que agradecer pelo que dom Orlando TEM SIDO de alguns anos para cá.

    Eu há 5 anos atrás nunca imaginei que pudesse dizer isso, mas ressalvada a ferrenha proibição da Missa Tridentina, Dom Orlando é merecedor da promoção. Que Deus o abençoe grandemente e que repense a situação da Missa Tridentina.

  9. parabéns ao dignissimo \o/ Gostaria de saber se o Dom Orlando quando em estudo na época de seminarista pertenceu a congregação dos redentoristas?