Pode vir quente. 

Que Francisco está fervendo. 

Segundo o bem informado Edward Pentin, fontes de dentro da Casa Santa Marta atestaram que o papa Francisco está “fervendo de raiva” com as críticas que tem sofrido por conta de sua Exortação Apostólica Amoris Laetitia.

Nosso plantão permanente continua em alerta durante o fim de semana. 

15 Comentários to “Pode vir quente. ”

  1. A circunstância é triste. A Igreja não se dividirá, mas a instituição humana já está dividida, e por culpa das indefinições do Bergóglio e dos ardis dos seus seguidores. Prova: Entre tantos outros, eu também, por necessidade da fé, estou tomando partido em favor dos quatro cardeais.

  2. Por que ele simplesmente não responde?

    • Porque nenhum jesuíta é idiota, se ele fala abertamente se põe em maus lençóis, então a estratégia dele é enrrolar os católicos mornos e os neocons. Nosso Senhor disse que os filhos das trevas são mais espertos que os filhos da luz.

    • Porque os cardeais fecharam o cerco de tal maneira que não existe o que ele possa dizer sem dar razão para os cardeais ou contrariar a fé.

  3. Desde o começo deste pontificado, tenho falado que Bergoglio é populista, tal qual Lula, Dilma, Evo Morales, Hugo Chaves e Cristina.
    Os líderes populistam se acham acima do bem e do mal, e quando “questionados”, respondem com fúria, demonstrando assim, sua falsa caridade e afabilidade.
    Alguém esperava comportamento diferente de Bergoglio?

  4. A Hilary perdeu – isso deve te-lo deixado irritado também….

  5. Ué, Papa, basta responder. “Seja sua palavra sim sim ou não não”.

  6. A intolerância dos tolerantes.

  7. Literalmente para mim esse homem não está a serviço de Deus. Mas usa de Deus para serviço próprio!

  8. O fato é que, se ele não responder a divergência, conviverá para o resto da vida com essa espada de Dâmocles na cabeça. E para ser sincero, ele está apenas começando a colher os frutos do caos e relativismo que semeou. Que sinta na própria pele a tragédia.

  9. “A cruz está pesada demais e está difícil segurar a ira do Senhor que se aproxima”. Cada vez mais sinais. Cada vez mais escândalos. Cada vez menos sensibilidade. A busca pela santidade cada vez mais rara e mais pesada. O clero cada vez mais impotente diante dos desafios e o silêncio do Senhor cada vez mais ensurdecedor. Meus irmãos e irmãs, leitores deste website, eu acredito no vosso amor pela Igreja. Por favor, rezem por nós, Padres. Não está fácil: http://www.diarionline.com.br/index.php?s=noticia&id=89755

    • Padre Joel, asseguro minhas pobres orações como o senhor nos pede. Deus tenha misericórdia da alma do pobre Padre Rosalino, Deus sabe o que o levou ao desespero, e ele há de não ter perdido sua alma. Agarremos firmes na mão que o Senhor nos lança para tirar-nos das águas neste grande naufrágio do mundo. A travessia é difícil, mas Deus não nos nega suas graças para chegarmos salvos a um bom termo, isto é: o céu. Peço ao Senhor Padre que também se mantenha firme e bem atado ao seu ministério e, bem assim, à Nossa Senhora, à Santa tradição católica, pois muitas almas dependedem sua fidelidade. A sua bênção.

    • A situação calamitosa em que se encontram tantos padres é de conhecimento dos bispos, os quais muitos e em geral, continuam a tocar a máquina burocrática com os olhos fitos em si mesmos e nas coisas desse mundo. Lembram-se dos padres (apenas) na hora de recolherem o dízimo diocesano e mais nada. Não os visitam, não querem saber deles e, nas reuniões do clero, enfeudam-se rapidamente com os outros bispos e fogem do clero como se apertar as mãos dos padres fosse um perigo para as suas sacrossantas, argentárias e flácidas mãos.

      Sei de padres que padecem não só de depressão, mas de pura falta de fé. Não há quem cuide deles.
      Os seminários funcionam como uma espécie de cursinho supletivo onde, no mais das vezes, se aprende a minar as bases da fé e corromper doutrinalmente os candidatos ao ministério. Ensina-se de tudo, menos o que é certo ou proposto pela Igreja. Sem falar na pressão psicológica dos “superiores” que, não raro também, são tipos psicopatas carreiristas prontos a eliminar ou vender a própria mãe para alcançar a passageira glória (?) do episcopado.

      Enfim, os bispos que realmente se interessam pelos candidatos ao ministério deveriam morar no seminário e lhes transmitir o ideal do sacerdócio. Deveriam também ser verdadeiros pais do seu clero e não publicanos cobradores de impostos. Mas o que fazer, se a maioria esmagadora deles não tem a mínima ideia do que é o sacerdócio? Pois só sentido em falar de sacerdócio onde há altar, sacrifício, expiação e vítima. É isso que propõe a “liturgia” ong-comunitarista de Paulo VI? A liturgia de Paulo VI celebra a “vida do povo a caminho” (do nirvana búdico). Eis ao que conduziu o sínodo herético e cismático que eles chamam de “concílio vaticano dois”: à mais completa e acabada ruína das instituições católicas. Apenas os amentais, os desonestos e possessos do diabo é que acham que a Igreja nunca esteve tão bem. E destes não podemos e não devemos esperar nada.

    • Concordo com você Paulo, e acrescentaria, se escondem no Papa Francisco onde todos os holofotes estão dirigidos, eles mesmos atuam como lobos em pele de cordeiros. Lamentável.

  10. Caro Pe. Joel!

    Conte com as minhas orações.
    Realmente, estamos todos passando por tempos de provação, pois estamos vivendo a última hora!
    Tenha força, tenha coragem, tenha fé para superar tantos ataques do malígno que nos ataca 24h.
    Deus está conosco, a quem temeremos? .