Escândalo Internacional: Arquidiocese de Belo Horizonte professa a Ideologia de Gênero.

Por FratresInUnum.com: Publicamos abaixo a tradução da estarrecedora notícia veiculada pelo site espanhol InfoCatólica: a Arquidiocese de Belo Horizonte assume a ideologia de gênero em suas diretrizes pastorais.

Diz o texto do documento, encontrado no próprio site da arquidiocese:

O Matrimônio, no qual mulher e homem procuram, segundo a graça de Deus, corresponder ao mais profundo de sua vocação, tem valor para a Igreja e para a sociedade, e não restringe a compreensão da existência de outras configurações familiares, oriundas de situações sociais, culturais, econômicas e religiosas diversas. Compreende-se, então, que a família é a união das pessoas na consciência do amor, ‘cuja força […] reside essencialmente na sua capacidade de amar e ensinar a amar’, constituindo um núcleo fundamental das sociedades. Como Igreja doméstica, a família precisa ser, constantemente, valorizada nas suas particularidades e pluralidades, que enriquecem a Igreja. Por isso, devemos:

“Promover ações pastorais capazes de dialogar e de acolher todas as famílias, em suas mais diversas configurações, com respeito e zelo, a fim de que elas se sintam pertencentes, de fato, à comunidade que edificam com seu testemunho de amor. Cuide-se para que essa perspectiva inclua, também, os casais de novas uniões, os casais de não casados na Igreja, os divorciados, ofertando a todas essas famílias qualificado serviço de acolhimento. Atente-se para que, nesse mesmo horizonte, sejam acompanhadas as pessoas em suas diferentes IDENTIDADES SEXUAIS (gays, transexuais, lésbicas, travestis, transgêneros e bissexuais)”.

“Outras configurações familiares”? “Identidade sexual”? “Transgêneros”? Conceitos forjados pelos autores da conhecidíssima “ideologia de gênero”.

Como assim?… A Arquidiocese de Belo Horizonte está jogando no lixo todo o trabalho do laicato católico contra a “ideologia de gênero” e a favor da família natural realizado heroicamente no último ano? Está se colocando ao lado de todos os inimigos da Igreja e da família, subscrevendo a sua ideologia?

walmoroliveira

Dom Walmor, Arcebispo de Belo Horizonte: portas escancaradas ao lobby gay.

Pois bem, a Arquidiocese de Belo Horizonte, pelo jeito, parece que resolveu aderir abertamente à ideologia de gênero. Mera ignorância ou pura malícia? Parece que a última alternativa é a verdadeira, por que isso não é de hoje, nem por acaso, mas com todo conhecimento de causa.

Como já noticiamos anteriormente, a própria PUC-BH realizou um evento para promover a ideologia de gênero, e em suas versões mais radicais, em que se fala, inclusive, de “heterossexualidade forçada” (sic!).

Ademais, através de uma portaria assinada por seu reitor, o bispo Dom Joaquim Mól (ele mesmo, aquele que fez o “grito da menina-moça”, num trio-elétrico da CUT), a PUC-BH aderiu à política do “nome social” para os alunos trans (sic!), como efusivamente noticiou o site GuiaGay.

Algumas perguntas inquietantes:


– Por que o Sr. Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo é, assim, tão complacente com o lobby gay, a ponto de colocar explicitamente no Plano de Pastoral de sua Arquidiocese algo tão escandalizante e clamoroso?

(Se algum leitor tiver alguma resposta para essa nossa intrigante dúvida, por favor, não deixe de nos enviá-la).

– Onde está o Sr. Núncio Apostólico, Dom Giovanni D’Aniello, que não tem tempo de ver essas coisas, mas teve tempo para perseguir Dom Aldo Pagotto, obrigado-o a renunciar por razões que ele mesmo desconhece? As acusações contra Dom Aldo foram bastante desacreditadas, mas, mesmo que fossem verdadeiras, nem chegam perto desse abuso: usar a Igreja para a difusão dessa ideologia!

O Sr. Núncio vai agir ou vai esperar que as acusações cheguem à Santa Sé? O Sr. concorda com isso, Sr. Núncio?

Não deixe de expressar sua perplexidade às autoridades competentes:

NUNCIATURA APOSTÓLICA

Excelência Reverendíssima Dom Giovanni D’Aniello, Núncio Apostólico
Av. das Nações, Quadra 801 Lt. 01/ CEP 70401-900 Brasília – DF
Cx. Postal 0153 Cep 70359-916 Brasília – DF
Fones: (61) 3223 – 0794 ou 3223-0916
Fax: (61) 3224 – 9365
E-mail: nunapost@solar.com.br

* * *

SECRETARIA DE ESTADO DA SANTA SÉ:

Eminência Reverendíssima Dom Pietro Parolin
Palazzo Apostolico Vaticano
00120 Città Del Vaticano – ROMA
Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088
1ª Seção Tel. 06.6988-3014
2ª Seção Tel. 06.6988-5364
e-mail: vati026@relstat-segstat.vavati023@genaff-segstat.va ; vati032@relstat-segstat.va

* * *

CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

Eminência Reverendíssima Dom Gerhard Ludwig Müller
Palazzo del Sant’Uffizio, 00120 Città del Vaticano
E-mail: cdf@cfaith.va – Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088

* * *

 

CONGREGAÇÃO PARA O CLERO

Eminência Reverendíssima Dom Beniamino Stella
Piazza Pio XII, 3 00193 – Città del Vaticano – ROMA
Tel: (003906) 69884151, fax: (003906) 69884845
Email: clero@cclergy.va (Secretário)

* * *

SUPREMO TRIBUNAL DA ASSINATURA APOSTÓLICA

Excelência Reverendíssima Dom Dominique Mamberti
Piazza della Cancelleria, 1 – 00186 ROMA
Tel. 06.6988-7520 Fax: 06.6988-7553

* * *

A Arquidiocese de Belo Horizonte adota a ideologia de gênero em suas diretrizes pastorais

A Arquidiocese de Belo Horizonte recorreu, em suas diretrizes pastorais para os próximos cinco anos, à tese da ideologia de gênero ao abordar seus compromissos de atenção à família.

Por InfoCatolica Brasil | Tradução: FratresInUnum.com: O livreto “Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra” relativiza a compreensão da instituição familiar, abrindo-a à configurações diferentes da configuração natural, e sugere que as pessoas possam ter “identidades sexuais” que não correspondam com aquelas às quais nasceram.

O texto, de 31 páginas, apresenta dez prioridades pastorais e especifica as diretrizes que serão desenvolvidas pelas diversas instâncias eclesiais da arquidiocese. Quatro parágrafos abordam o compromisso pastoral com a família e neles estão presentes afirmações que adotam a perspectiva da chamada ideologia de gênero.

Um dos parágrafos explica que “O Matrimônio, no qual mulher e homem procuram, segundo a graça de Deus, corresponder ao mais profundo de sua vocação, tem valor para a Igreja e para a sociedade, e não restringe a compreensão da existência de outras configurações familiares, oriundas de situações sociais, culturais, econômicas e religiosas diversas”.

Em seguida afirma que “Compreende-se, então, que a família é a união das pessoas na consciência do amor, ‘cuja força […] reside essencialmente na sua capacidade de amar e ensinar a amar'”

Ao definir a família como simples união de pessoas no amor e omitir que esta surge da união conjugal de um homem e uma mulher o documento aponta para uma interpretação muito mais ampla da instituição familiar e a relativiza, no mesmo sentido que propõe Judith Butler.

A professora do departamento de retórica e literatura comparada da Universidade da Califórnia, em Berkeley, aponta em uma entrevista ao periódico argentino Página 12 que “deve-se distinguir família de parentesco […] estas instituições devem abrir-se a mundos mais amplos, não é necessário estarem unidos por sangue ou pelo matrimônio para que sejam essenciais uns para os outros”

Manipulação do ponto 53 de Amoris Laetitia

Na definição de família oferecida no documento da arquidiocese faz-se referência, como se fosse fundamento, ao número 53 da exortação apostólica Amoris Laetitia.

Entretanto, ao recorrer ao texto pode-se constatar que há uma evidente tegiversação das palavras do Pontífice. O número 53 afirma que “Avança, em muitos países, uma desconstrução jurídica da família, que tende a adoptar formas baseadas quase exclusivamente no paradigma da autonomia da vontade.”

Também indica a necessidade de não depreciar o verdadeiro sentido do matrimônio, pois “A força da família «reside essencialmente na sua capacidade de amar e ensinar a amar”. Portanto, as palavras citadas entre aspas nas diretrizes diocesanas estão claramente fora do contexto em que foram originalmente apresentadas.

Outro parágrafo aborda a necessidade de acolher todas as famílias “em suas mais diversas configurações, com respeito e zelo, a fim de que elas se sintam pertencentes, de fato, à comunidade”

Orienta-se que nesta perspectiva incluam-se os divorciados em uma nova união civil, os que não estão casados na Igreja e os divorciados oferecendo-lhes um “qualificado serviço de acolhimento”. Até aqui as orientações de acolhida estão em consonância com a atitude solicitada pelo Papa Francisco de acolher e acompanhar aqueles que estão feridos.

Porém, a última linha do parágrafo afirma “Atente-se para que, nesse mesmo horizonte, sejam acompanhadas as pessoas em suas diferentes identidades sexuais (gays, transexuais, lésbicas, travestis, transgêneros e bissexuais)”.

Esta frase adota de forma plena, sem utilizar o termo gênero, a perspectiva ideológica da “gender theory” ao utilizar o conceito de “identidade sexual” como passível de diversas variantes das entidades feminina e masculina.

Também não utiliza o termo “tendência sexual” ou “orientação sexual”, que possibilita entender que não devem ser excluídos de acompanhamento pastoral as pessoas que experimentam atração por pessoas do mesmo sexo.

Fala-se de “identidades sexuais” elencando, entre as possibilidades, o “transgênero”. Como é sabido, isto se refere a pessoas que afirmam ter uma identidade que não corresponde ao sexo biológico. Exatamente um dos aspectos essenciais da ideologia de gênero, que até leva à reivindicação do reconhecimento de um “nome social”.

Apesar disso, na carta de apresentação do documento, o arcebispo de Belo Horizonte, Mons. Walmos Oliveira de Azevedo, afirma que o foco, eixo e ponto de partida para a evangelização em sua diocese é “proclamar a Palavra de Deus”.

Nas primeiras páginas do documento adverte que se assumiu um novo paradigma pastoral desenhado sobre os pilares da eclesiologia “resgatada” pelo Concílio Vaticano II:

“O Concílio elaborou a compreensão da Igreja como Povo de Deus, que dialoga com a sociedade […], distanciando-se do eclesiocentrismo medieval, do clericalismo e da romanização do catolicismo tridentino, assumindo, assim, uma eclesiologia de comunhão”

O “Projeto de Evangelização Proclamar a Palavra”, aprovado pelo Arcebispo de Belo Horizonte e que leva como data de publicação a 8 de Dezembro, pode ser lido na página da web da arquidiocese.

Os parágrafos destacados que abordam o compromisso com a família estão nas páginas 18 e 19.

De acordo com o arcebispado, o documento em questão é a síntese das contribuições oferecidas pelo clero aos fiéis em um amplo processo de consulta denominado 5a Assembléia do Povo de Deus.

31115498620_ab0330f5bb_z

28 Comentários to “Escândalo Internacional: Arquidiocese de Belo Horizonte professa a Ideologia de Gênero.”

  1. …”porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será.” Nosso Senhor Jesus Cristo

    Tenho impressão, com todas essas coisas acontecendo, onde não era pra acontecer, que estamos somente no início das dores e tribulações.

    Ó IMACULADA! Protegei-nos!!!

  2. “Se estais condenados a ver o triunfo do mal, nunca o aplaudais; nunca digais do mal ‘isso é bom’; nunca digais da decadência ‘isso é progresso’; nunca digais da noite ‘isso é luz’; nunca digais da morte ‘isso é vida’.”
    Cardeal Pie de Poitiers

  3. Ou o povo responde, protestando nas Missas com camisetas, faixas, expressando publicamente sua rejeição ou a palhaçada vai aumentar. Antes obedecer a Deus que aos homens. Se houver adesão, aposto que eles recuam. Eles só têm medo de uma coisa: perder o povo. Ameaça formal e aberta: SE NESTA PARÓQUIA NÃO FOR ENSINADA A DOUTRINA TRADICIONAL SOBRE O CASAMENTO E A FAMÍLIA, EU NÃO VENHO MAIS.

  4. Dom Walmor agiu covardemente até hoje em relação ao caso Van Balen, acobertando o herético Van Balen: https://fratresinunum.com/2014/02/07/apelo-a-dom-walmor-pela-suspensao-de-frei-claudio-van-balen/

  5. Ruim é a FSSPX! Esses aí, são tudo de bom!

    • …e bom é ser um covarde de minha média que acredita em lorotas como a “hermenêutica da continuidade”. Continuidade só se for com a Torre de Babel ou com a Revolução Francesa isso sim.

  6. E nós, leigos católicos, temos de lamber as sagradas solas do chinelinho havaiana dessa malta, dentre os quais há MUITOS abusadores de crianças e adolescentes. Eis no que deu a “primavera conciliar”: levar crianças e adolescentes à Igreja passou a ser perigoso, pois não se sabe mais o que vai ser ensinado ou o que vai acontecer.

    E toda essa eclosão infernal devemo-lo, por um lado, à fuga mimimi de Bento XVI e, por outro, à inépcia e à corrupção moral e doutrinal franqueada e promovida pelo antipapa Bergoglio. Ou não foi esse senhor a receber um casal de transviados na nunciatura, deixando-se fotografar na ocasião dessa visitinha de comadres?

    Reclamar, meus caros, só para o Senhor da Messe. Pelas reações e também pela falta de reação dos Bispos, resta aceitar que o episcopado quase todo apostatou. Ou arrisca cair no inferno por clamorosa omissão.

    http://edition.cnn.com/2015/10/02/us/pope-gay-washington/

  7. “O Anjo mostrou para mim um rio de água viva; era brilhante como cristal; o rio brotava do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da praça, de cada lado do rio, estão plantadas árvores da vida; elas dão fruto doze vezes por ano; todo mês elas frutificam; suas folhas servem para curar as nações.
    Nunca mais haverá maldições. Nela estará sempre o trono de Deus e do Cordeiro, seus servos lhe prestarão culto..” (Ap 22:1,2,3)

    “Felizes aqueles que lavam as suas vestes para ter direito à árvore da vida e poder entrar na cidade pelas portas. Fora os cães, os envenenadores, os impudicos *, os homicidas, os idólatras e todos aqueles que amam e praticam a mentira!”(Ap 22:14,15)

    * Impudicos, tradução do grego “πόρνοι” = Fornicadores – devassos – sodomitas – homossexuais.

  8. Dia 12/06/15 em “Principios e Ideologias, o Arcebispo D Walmor O de Azevedo e noutros artigos mais deixa claro que rejeita a Ideologia de gênero. Em 02/12/16 em “Acolher uma nova vida” e mais, de igual forma mostra-se reticente à aceitação do aborto, reportando que não contempla com nenhuma dessas aberrações, adotadas por ideologistas.
    Por outro lado, há informe de alguém dessa cidade que vem a esse site que D Walmor estaria enfermo e que a Arquidiocese às sombras estaria sob o conhecido D Joaquim G Mol – Reitor da PUC-MG, aquele da campanha do PT, CUT e mais vermelhos associados, querendo implantar a ditadura comunista por meio da golpista “Reforma Política para Eleições Limpas”, o mesmo que dia 07 pp no “Grito dos Excluídos” subiu num veículo de propagandas da famigerada CUT subserviente dos comunistas do PT para denunciar o “golpe”, cabível apenas nas mentes de comunistas e apoiadores que jamais admitem ser interpelados de seus procedimentos, todos nefastos.
    Será que D Joaquim G Mol teria concordado e/ou patrocinado o abaixo?
    “A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) realiza nesta cidade um ciclo de debates do Grupo Interdisciplinar de Pesquisas Feministas que promovem abertamente a ideologia de gênero em uma de suas versões mais radicais.
    O 3º Ciclo de Debates do Grupo Interdisciplinar de Pesquisas Feministas da PUCMG aborda o tema “feminismo descolonial”, e a abertura da conferência está a cargo de Rita Laura Segato, Ph.D. em antropologia pela Universidade de Brasília (UNB), uma militante abertamente a favor do aborto e contra o que ela chama de “heterossexualidade forçada”.
    Nesse tempo, manifesta-se a Arquidiocese de BH negando adesão à Ideologia de Gênero nas Diretrizes Pastorais, esclarecendo que as informações contidas na matéria publicada inicialmente no site InfoCatólica não condiriam com a realidade.
    Tentativa de golpe contra D Walmor? Calunia? Texto fraudado para o comprometer?
    Seria necessario ter o informe oficial para conferir se nele constariam os textos grifados e outros comprometedores.

    • “Por outro lado, há informe de alguém dessa cidade que vem a esse site que D Walmor estaria enfermo…”
      “Tentativa de golpe contra D Walmor? Calunia? Texto fraudado para o comprometer?
      Seria necessario ter o informe oficial para conferir se nele constariam os textos grifados e outros comprometedores.”

      Não entendi? O print da tela original esta na matéria, o link do site da diocese com a matéria também. Só não conferiu quem não quis. O nome de Dom Walmor Oliveira de Azevedo consta no documento, se não foi ele, é da responsabilidade dele. O fato de supostamente ele estar doente não o isenta, à menos que estivesse em coma ou com debilidade mental.
      Alias, consta no próprio site da Diocese que Dom Walmor abençoou o presépio do Palácio Cristo Rei, fato que aconteceu nessa quarta dia 7 (você pode conferir aqui: http://www.tvhorizonte.com.br/noticias/dom-walmor-abencoa-e-inaugura-presepio-no-palacio-cristo-rei/ ). Hoje 08/12/2016 ele esteve no programa de rádio “Encontro com o Pastor” onde falou sobre a Imaculada Conceição (você pode ouvir aqui: http://www.arquidiocesebh.org.br/site/audios/2016/dezembro/e_08.mp3 ). Parecia estar gozando de perfeita saúde física. A “suposta” doença deve ser espiritual.

  9. Fratres,

    Boa noite!

    Lamentável e deplorável as diretrizes “pastorais” do Sr. Arcebispo de Belo Horizonte, com a distorção total do conceito verdadeiro de família, e portanto, mediante a isso o Tribunal Arbitral Empresarial – Taemp estará oficiando junto à Congregação para os Bispos para que o referido Arcebispo seja declarado excomungado e imediatamente deposto do cargo de Arcebispo Metropolitano.

  10. Com certeza Roma tomará providências: dom Walmor será cardeal.

  11. O título me pareceu mais escandaloso do que o conteúdo em si. No texto está escrito que as pessoas de diferentes identidades sexuais devem ser acompanhadas. E isso o próprio Papa Francisco já disse “gays devem ser respeitados, acompanhados pastoralmente”. A Arquidiocese de BH não declarou reconhecer a união homoafetiva, ela chamou de família casais de segunda união, divorciados… E apenas colocou uma observação ratificando a própria declaração do nosso Santo Papa. Os gays também são filhos de Deus e devem ser orientados da melhor forma possível na Igreja. Não adianta dizer que é errado e bater a porta na cara. A homossexualidade não é uma mera invenção do demônio, a ciência explica até, não devemos promover “cura gay” (não existe) e sim convidá-los a viver a castidade por amor. Cristo veio para os piores e como cristãos não estamos aqui só para aceitar os “santinhos”.

  12. Penso que houve erro de objeto por parte dos autores da postagem, pois o que o Plano da Arquidiocese mineira adotou não foi a ideologia de gênero – ao menos isso não está explicitamente em nenhuma parte do que foi destacado – mas sim ampliar o conceito de família para além dos moldes tradicionais. No que tange às pessoas com diferentes tendências afetivas, o verbo utilizado no documento foi “acompanhar”, que é bastante genérico.

    Se é para acusar, acuse-se o pretenso réu com a matéria correta. Garanto, pois, dada a resiliência da redação, que não será fácil comprovar o desvio doutrinário que se pretende nesta postagem… Mesmo que um tribunal antes nunca visto tem a quase-certeza de o fazer

    • “mas sim ampliar o conceito de família para além dos moldes tradicionais”.

      E o que é isso senão o objetivo da ideologia de gênero, meu rapaz?

      Como se não soubéssemos, paralém do textos, o que é a “práxis” da novigreja… é o que faz a PUC sob total conivência do ordinário local.

      Como bem disse sr. Wimmer, só reclamando para o Senhor da Messe.

    • Mas qual o parâmetro dessa ampliação? Que o funesto Bergoglio e sua malta reconheçam a pretensa legitimidade do concubinato adúltero, nós já o sabemos à saciedade. Do alto da sua malícia sofística e da sua desonestidade intelectual, Bergoglio insiste em dizer que os que vivem em concubinato adúltero “não estão excomungados”. Ora, stricte loquendo, não estão mesmo, pois a esse grave pecado contra a justiça e a caridade não corresponde tal pena no Código de Direito Canônico. No entanto, também os fornicários, os traficantes, os homicidas e os abusadores de criança não estão excomungados, embora NÃO possam participar da comunhão sem o arrependimento e a absolvição, bem como a devida penitência imposta pela disciplina eclesiástica.

      Além disso, em boa hermenêutica, não se pode compreender devidamente um texto à margem do meio que o produziu. A chave de leitura pode e deve ser buscada no quadro mais amplo que lhe deu origem. É sob essa luz que devem ser entendidas as ambiguidades e as duplicidades da matéria em apreço.

      É bom que os católicos GRAVEM e FILMEM esses convescotes promovidos pela clerazia transviada, pois nem tudo elas põem por escrito. Agindo sempre dentro da lei, devemos marcar nossa ostensiva presença, atazanar e combater sem a mínima trégua os nossos opositores, adversários e inimigos.

      A sabemos de que lado está a vitória. Não podemos esmorecer.

  13. Só pra lembrar: dom Walmor expulsou os padres do IBP da capital mineira. Foi também quem contratou o ateu e comunista Oscar Niemeyer para aberrar Belo Horizonte e o mundo com uma “catedral” em forma de pinça de unha.

    A Arquidiocese de BH afronta a lei de Deus, da Igreja e, até onde eu saiba, o magistério do próprio Papa Francisco que (por enquanto) é contrário à ideologia de gênero. Esperamos que o Santo Padre aja com a mesma energia e crueldade com que destituiu dom Fernando Llivieres, dom Aldo Pagotto, dom Mário Olivieri, etc.

  14. “ciência exiplica”. Poderia explicar melhor isso? Quais seriam as explicações da ciência para a problemática da homossexualidade? Por que não se pode promover a “cura gay? (Talvez porque cura diz respeito a doença. Será?)

  15. Participei dessa “5° Assembléia do povo de Deus”. Absolutamente o povo se mostrou fiel aos costumes, quando nao criíicado sarcasticamente foi ignorado o tema de diversidade sexual. O povo clamava claramente por espiritualidade e catequese.
    Triste saber que nao estão querendo ouvir a vóz do povo, uma vez que sabemos de quem ela é.

  16. Isso é só o efeito Francisco. Isso não me escandaliza mais a partir do momento que se chega a simples e lógica conclusão que lidamos com hereges. Deus tenha misericórdia das pobres almas ignorantes no olho do furacão desse lixo conciliar!

  17. Apenas a título de informação: por volta de 2003/2004, um ex-seminarista belo-horizontino me disse com todas as letras: “Te garanto que cerca de 50% do clero da arquidiocese de BH é composto de padres gays. E sei inclusive de paróquias onde há padres que vivem com ‘companheiros’, sem nenhum remorso”.

    • Dá pra entender pq boa parte do clero é tão “indulgente”é entusiasmado com essa estória de gênero, e também pq acham eles que pode se dar a comunhão pra quem vive de qualquer jeito. Tiram suas conclusões a partir da vida dupla e esquizofrênica que levam. Como se sentiriam à vontade para cobrar algo de alguém?

    • Meu caro,
      Isso de ouvir dizer é “papo de comadre”.
      Não tem provas, não se manifeste.
      Se tem provas, por que não denunciou nesses 12/13 anos???

  18. A reportagem do InfoCatólica não aprofunda no Projeto e portanto, a nota da Arquidiocese está corretíssima; inclusive tendo a paciência de se colocar à disposição para os devidos esclarecimentos.
    São por publicações desse nível que blogs tradicionalistas não são levados a sério.

    Acredito que, se procurassem realizar um trabalho sério e não apenas compilação de matérias editadas a milhares de km pelo menos não cairiam novamente no descrédito. BH é logo ali, a 1h00 de vôo da maior cidade do País. Por que não ir atrás apurar pessoalmente?
    Fala sério!

    • A nota chama a atenção para o escândalo ser internacional, ou seja, a dimensão que alcançou. E não pelo fato de ser próximo ou que seja logo ali, a uma hora de São Paulo.

      Alguém que se disponha a fazer uma reportagem no local e que tenha o aparelhamento necessário para isso daria uma bela contribuição para o aprofundamento daquilo que já estamos careca de saber.

      É sério?

  19. “A Igreja sempre se opôs a estes erros; muitas vezes até os condenou com a maior severidade. Agora, porém, a esposa de Cristo prefere usar mais o remédio da misericórdia do que o da severidade. Julga satisfazer melhor às necessidades de hoje mostrando a validez da sua doutrina do que renovando condenações.”( São João XXIII).

    • Leopoldo,

      Procure uma biografia de João XXIII. Uma não, várias. Depois, procure entender que tipo de mentalidade estava por trás de uma sentença tão aparentemente “bela” como esta. Procure saber quem foi o Cardeal Rampolla, “padrinho” do Bispo de Bérgamo, Mons. Jacomo Radini-Tedeschi, o qual, por sua vez era protetor de Angelo Rocalli, o futuro João XXIII. Procure saber, sobretudo, quem foi o triplamente excomungado Padre Ernesto Buonaiuti, colega de seminário de Angelo Roncalli e seu padrinho de ordenação.

      Ernesto Buonaiuti: notifique-se, Leopoldo, da bibliografia de Buonaiuti. Você vai começar a entender o porque do antidogmatismo de João XXIII e de que inferno saiu toda essa doutrina maldita que devastou a Igreja católica.

      Feito isso, vc entenderá o REAL sentido do texto que vc citou.