Bispo de Uruaçu reage às repercussões negativas de seu Decreto.

Por Dom Messias Reis Silveira

Com consciência e responsabilidade de pastor emiti o Decreto sobre a devoção e consagração à Nossa Senhora. O mesmo foi publicado no Portal de nossa Diocese de Uruaçu. Não quero me defender, mas apenas esclarecer. Até mesmo porque Jesus disse que a defesa vem pelo nosso Mestre interior (Lc 12,12), quando for necessária.

Nosso Padroeiro Diocesano é o Imaculado Coração de Maria. Temos dois Santuários Marianos na Diocese. O de Muquém acolhe 400 mil pessoas durante a Romaria acontecida em agosto. Temos várias paróquias dedicadas à Nossa Senhora na Diocese. O Coracäo Desta Diocese é Mariano e o meu também. A reza do terço e devoção Mariana é sempre incentivada.

As repercussões me deram a certeza que realmente o Decreto era necessário. Está claro que não se trata de ir contra a devoção e consagração à Nossa Senhora, que me acompanham desde a infância. No Batismo fui consagrado à Virgem Maria e essa consagração renovo diariamente. Cresci ouvindo pela Rádio Aparecida a Consagração à Nossa Senhora. Sempre às 15:00 estava rezando com o padre para me entregar à Virgem Mãe. A oração do terço me acompanha desde a infância.

O Decreto é para evitar grupos sectários que não caminham na comunhão. O que não é uma realidade ainda entre nós, mas que existem em outros lugares. Como alguns grupos estão surgindo, na diocese, é meu dever dar as indicações especialmente para salvar a comunhão eclesial evitando o espírito diabólico como percebemos existir, nos comentários feitos. Existem pessoas desses grupos que não aceitam o Papa e nem a Cnbb, símbolo da comunhão do episcopado. A comunhão é um projeto a ser abraçado. O Decreto é uma medida preventiva, para que não nos desviemos da meta. É preciso acolhê-lo desarmado para compreender sua mensagem. O perigo é termos uma aparência e carregarmos armas internas para usá-las quando quisermos, como percebemos na guerra acontecida ontem. Existe muita gente armada. Isso não é cristão. Verifiquei muitos comentários maldosos revelando que há uma mentalidade diabólica (que divide) em muitos dos consagrados. O Decreto é para evitar que essa mentalidade sectária cresça no meio deste povo de nossa diocese que tanto amo e que muito ama a Igreja. O acompanhamento é necessário e também a correção. Essa é minha missão. O Decreto se refere apenas à pessoas à mim confiadas. É somente para a nossa diocese. Muitos comentários vieram de pessoas de fora, o que demonstra incompreensão do significado de Igreja particular que caminha na unidade com seu pastor. Nenhum Bispo interfere em outra diocese. Existem corações aparentemente bons, mas quando quando questionados revelam grandes neuroses interiores. Revelam o que realmente está dentro deles. As reações me deixaram em paz. Era realmente necessário fazer o decreto.

Véu é uma questão pessoal, mas quando se trata de grupos usando é preciso orientar, como também é meu dever orientar outros grupos de pastorais e movimentos.

Conheço senhoras piedosas que usam o véu. Minha mãe mesmo usava.

Corrente é o que indica o termo do Decreto. Não se trata de correntinha, terços de pulso, ou pequenas pulseiras com medalhinhas, tão comum hoje em dia. Trata-se de correntes de aço com cadeados, usados por grupos. Sei de pessoas na diocese que usa esse aparato, mas é uma opção pessoal, não imposta por grupos. Quando se trata de grupos com tendências sectárias que passam usar cabe a mim como pastor, orientar. Certamente se fossemos perguntar a São Luíz, ele também nos indicaria o caminho da comunhão.

A Igreja tem nos indicado o caminho de uma relação filial com Maria. A Igreja vai atualizando a sua doutrina. O que não é dogma pode ser revisto, como a Igreja já o fez muitas vezes.

Quem me conhece e conhece a Diocese sabe que as acusações sobre Teologia da Libertação são falsas e nem precisam ser comentadas A realidade fala por si mesma.

Sobre Missa Sertaneja, não é nossa realidade. Existe um padre que celebra Missas para pessoas de Cultua Sertaneja, mas segue nosso Diretório Litúrgico. A Liturgia é cuidada aqui com muito zelo, pela Dimensão Litúrgica Diocesana.

A Igreja caminha no meio da tempestade e nessas horas nossa fé é provada para verificarmos se, se trata de uma atitude interior, ou algo apenas externo.

Vamos juntos viver as alegrias do Reino acontecendo entre nós. Nossa Igreja Diocesana é bonita.

Rezem por minhas fraquezas, perdoem a minhas falhas.

Tenham um Feliz e abençoado Natal.

Glórias a Deus nas alturas e paz na terra às pessoas que Deus tanto ama e salva.

Dom Messias dos Reis Silveira
Bispo de Uruaçu GO

18 Responses to “Bispo de Uruaçu reage às repercussões negativas de seu Decreto.”

  1. Desses maus pastores, fariseus, que têm língua bífida, usam de falsa misericórdia com o erro e condenam e falseiam toda a verdade católica, e a varreriam do globo se pudessem, que nada esclarecem mas só fazem confundir os fiéis, e operam a serviço do pai da mentira, LIVRAI O POVO DE URUAÇU E TODAS AS DIOCESES DO BRASIL SENHOR!

    Senhor, dai-nos santos sacerdotes….
    Livrai-nos dessa raça de víboras, que tomou Vossa Santa Igreja de assalto!

  2. Infelizmente, lobos como este são bispos e o Brasil! Moro na Arquidiocese Primacial, não é um mar de rosas, temos problemas aqui, mas nada que chegue a tamanho ódio à Fé e à Tradição como os atos que este bispo de Uruaçu cometeu! Cabe a nós, fiéis, sabermos discernir a ambiguidade de discursos como este e desmascará-los à luz do dia! Então não pode ser escravo de Maria, usar véu e tampouco usar cadeia, mas missa “sertaneja”, com todos os seus abusos e desrespeito a Nosso Senhor, pode, não é, seu indigno sucessor dos apóstolos? Homens como V. Ex.ª, infelizmente, causaram e ainda causam um dano extraordinário na Igreja, quer fazendo muitos fiéis se afastarem da Igreja e se tornarem ateus e outros a irem para as seitas! merecem ser instados à conversão ou, se persistirem, ser combatidos! Nenhum bispo cometeu tamanha sandice! Mas será debalde todo esforço do demônio, pois, no fim, “Meu Imaculado Coração Triunfará”!

  3. Todo esse mimimi porque elas estavam usando o véu? O clero modernista está mesmo desesperado pois por mais que lutem para matar a Igreja Católica, ela insistem em reaparecer, enquanto que os hereges modernistas caminham para a morte.
    O povo está cansado desse clero modernista, maçônico, comunista e homossexual, querem é a devoção de verdade, querem é a verdadeira Igreja Católica!
    Até quando ó falso clero modernista lutareis com a realidade?
    A morte vos aguarda e além dela o Juiz máximo! Ireis dedicar a vida inteira a essa insanidade?

  4. Caso, por ventura, paire qualquer duvida sobre a consagração ao Imaculado Coração de Maria segundo o método de São Luis Grignon de Montfort, há a possibilidade de se dissipar estas dúvidas consultando diretamente as edições das obras deste grande Santo. Estas edições originais estão facilmente acessíveis para qualquer um aqui mesmo pela internet, via google books, por exemplo.
    Em seu “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, São Luís Grignion de Montfort imortaliza e propõe a doutrina e a espiritualidade da “SANTA ESCRAVIDÃO”. Em si, São Luis Grignon de Montfort não é o responsável pelo surgimento desta pratica devocional, pois a existência dela no seio da Igreja antecede o próprio nascimento deste grande santo mariano. A questão é que em São Luís Grignon de Montfort, a “SANTA ESCRAVIDÃO” teve seu grande divulgador e incentivador. Por sinal, a “SANTA ESCRAVIDÃO DE AMOR” inspirou e continua a inspirar incontáveis pessoas que simplesmente se identificaram com esta radical forma de entrega a Deus. Mas… Muito preocupado com questões de semântica o bispo da diocese de Uruaçu por meio de seu decreto, estabelece o seguinte:

    ” Que o termo Escravo de Nossa Senhora não seja empregado, tendo em vista que não vos chamo escravos (õovilovç), porque o escravo (5ov2oç), não sabe o que faz seu senhor; mas Eu vos chamo de amigos”, (Jo 15,15); nem vos tenho como “escravo (cSov2ov), mas muito mais do que um escravo ((ovilov), como irmão querido” (Flm 15-16).”

    Vejam bem o nível do absurdo, são citados originais gregos para a palavra escravo (ou servo) e também uma citação bíblica para tentar descredibilizar a multissecular pratica devocional da SANTA ESCRAVIDÃO (uma citação bíblica sem nenhuma intertextualidade com o sentido da palavra “escravidão” no “Tratado da Verdadeira Devoção”). O termo empregada por São Luis Grignon de Montfort, como pode ser facilmente verificado em suas obras, é verdadeiramente o termo “Escravo de Nossa Senhora” mesmo sim. Ser “escravo” significa exatamente isso: Estar submetido a vontade de outrem. O que São Luis Grignon de Montfort nos propõe é nada mais que isso, que nos submetamos à vontade de Deus. É de se lamentar que alguém que fala em querer “orientar”, como este bispo da Diocese de Uruaçu, tenha a audácia de contradizer um Santo da Igreja e uma obra tão emblemática da espiritualidade mariana. Que os religiosos desta diocese tenham a lucidez de não obedecer a este despautério.

    • Interessante que o bispo esquece de mencionar duas passagens do evangelho de São Lucas em que o termo “escravo” é utilizado de uma forma que contradiz a interpretação que ele quis passar: A primeira é quando Nossa Senhora se declara “escrava do senhor”; a outra, no capítulo 17, quando cristo diz que seus discípulos devem se considerar “escravos inúteis”. Em ambos os casos, a palavra grega citada pelo bispo é utilizada.

  5. Quem esses homens ainda querem enganar com esse discurso fajuto de “problemas interiores e sectários”? Esses homens que engolem os mosquitos do indiferentismo religioso, da apostasia pública, da suposta “igreja de Cristo” que não é mais a Igreja Católica, tudo isso amparado num conciliábulo feito por hereges a cinquenta anos atrás que esses mesmos homens teimam em guardar e impor com tirania as pobres pessoas. Não sou dessa diocese e fui um daqueles que comentaram contra esse decreto ridículo. E dou graças a Deus por não ser. Pois pelo menos o lobo que se diz bispo da que resido não é tão ativo contra tudo que é mínimamente católico.

  6. Para ver a realidade de um dos Santuários de que fala o bispo é só assistir o seguinte documentário de 20 min.
    http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/tv/materias/DOCUMENTARIOS/421779-RUMO-AO-MUQUEM.html

  7. O que mais me impressiona é o linguajar vazio e a absoluta falta de conteúdo com que habitualmente se expressa o “clero”. Todos falam do mesmo jeito: do seminarista ao cardeal, todos têm a mesma forma macarrônica, inócua e imbecilizante de se expressar. É tão grande a falta de ideia e de talento, que, se precisassem trabalhar em telemarketing, creio que fossem dispensados em menos de meia hora.

    Seria interessante uma abordagem científica que relacionasse o vazio semântico da clerazia com o vazio da mente desses senhores e o consequente ESVAZIAMENTO ESTATÍSTICO da Igreja católica.

    Em outros tempos, isto é, antes de a Igreja ter sido jogada nessa situação miserável e ridícula, o misericordioso prelado de Uruaçu não conseguiria nem mesmo ter sido irmão leigo dos Redentoristas.

    Enfim, essa gente não tem futuro algum.

  8. Se os Escravos da Virgem trocassem os símbolos Católicos dessa devoção Mariana por símbolos muçulMANOS , eles seriam protegidos por esse falso pastor com unhas e dentes . E ninguém ousaria perturba-los .

  9. O que podemos dizer de um Bispo que diz que é “diabólico” quem discorde do Papa (do Bergoglio obviamente), e da CNB do B?
    Obviamente que se trata de um bispo em comunhão com o “mundo”, a Teologia da Libertação, etc.
    Para se ter uma idéia estive recentemente no Santuário Diocesano de Nossa Senhora D’Abadia em Muquém, santuário citado pelo dito bispo. A atração do Santuário neste Natal é uma trilha de motocross com apelo a “evangelização”. Parece piada mas não é. Percebe-se claramente que toda heresia será tolerada, e estimulada, menos a missa e os santos costumes católicos.
    Combate a maçonaria? Nem pensar. Na Capela de adoração do Santíssimo dentro do Santuário, atrás do altar, foi feito uma outro, meio escondido, maçônico.
    Por fim, cabe comentar aqui que a antiga igreja, onde a imagem miraculosa ficou por 300 anos, foi demolida em parte, tendo a sua nave transformada em cozinha e depósito. Em frente doi erguida uma nova “igreja” tipo galpão que mais parece um templo protestante.
    Que Nossa Senhora D’Abadia interceda por nós e que Jesus Cristo venha em nosso socorro. VINDE SENHOR JESUS!

  10. É bom frisar, Revmo D Messias, que o número de espíritas, terreiristas, sincretistas e supersticiosos “católicos” é bastante grande, e esses usam indevidamente a devoção a N Senhora como no animismo africano repleto de exteriorismos, casos da Umbanda, Candomblé & Cia, sob a deusa ou entidade espírita Iansã!
    Nas igrejas já me deparei com muitas devoções de “correntes” e mais práticas cabiveis a esses acima!
    … “Existem pessoas desses grupos que não aceitam o Papa e nem a Cnbb, símbolo da comunhão do episcopado”…
    Se aceitarmos tudo que o papa Francisco nos propõe, basta perguntar aos 4 cardeais que lhe pedem esclarecimentos, (ajuntados mais a uns 4, a varios bispos, presbíteros) e ele não lhos fornece, se concordariam sem restrições a certos ensinamentos dele, particularmente sobre os recasados ainda vinculados e a S Comunhão permitida a eles irregularmente, more uxorio…
    “Quem me conhece e conhece a Diocese sabe que as acusações sobre Teologia da Libertação são falsas e nem precisam ser comentadas. A realidade fala por si mesma”.
    E fala sim; a comunhão entre a TL, CNBB, PT e mais PCs por si mesma expressa a realidade! A CNBB se entende muito bem com marxistas desde D Hélder, seguintes e, recentemente promovia sua “Reforma Política”. Tentou impedir o impeach da vermelha e amiga do ISIS, a ex Dilma, além de que jamais os atacou; o comunista PT nasceu no seio da esquerdas “católicas”, as CEB!
    Se o saudoso D Manuel Pestana estivesse vivo, quanto continuaria a admoestar a CNBB por apoio aos comunistas, como dizia, transformando o Brasil numa antecâmara do comunismo…
    Ao inverso, ela os avaliza por silenciar-se ou defesa de seus planos e ideias! Já imaginou um episcopado e comunistas sem se estranharem?
    D Hummes se diz amigo pessoal e anda aos abraços em fotos com o vampiro Lula, e nas reuniões e Congressos da TL, sempre os ex freis Boff, Betto etc., o PT, o MST e mais conhecidos comunistas clérigos estiveram presentes, além doutros esquerdistas!

  11. Impressiona como Bispo de Uruaçu veio correndo se justificar de maneira tão pueril, acusando pessoas que usam véus e usam correntes com cadeados, como devoção incondicional à Mãe de Deus e Imaculada Conceição. Mas é tolerante com as ditas ‘Missas Sertanejas’ que nada mais são que expressão da decadência da Liturgia e uma expressão nefasta de um modernismo libertário e demente.
    Esse Bispo é mais um infiltrado na Santa Igreja que alcança um lugar no clube do episcopado destruidor. Defende Bergoglio e a CNB do B, redutos do socialismo idealizado por Gramsci. Os argumentos que usa, como que a sua pureza infantil de devoção ainda fosse a mesma, mas que foi corrompida nos anos de falso estudo teológico que cursou, mas que na verdade foram anos de doutrinação marxista maquiada de pietismo barato e funesto.
    Tenho pena do povo dessa Diocese, em ter que suportar tão grande descaso e um homem que ofende a Tradição e a própria Igreja. Gostaria eu de estar enganado, mas os fatos são incontestes e denunciam quem é esse senhor de mitra na cabeça.

  12. Eu reconheço a autoridade dos bispos, mas a pergunta que eu faço é a seguinte:

    “Julgai vós mesmos: é decente que uma mulher faça oração a Deus não tendo o véu? (I Cor. XI, 13)

    Quem deu a este bispo a autoridade para desmentir São Paulo?

  13. Essa é a “Igreja em saída”: em saída para o buraco…

  14. Olha aí o “medão dele”:

    “O Decreto é para evitar grupos sectários que não caminham na comunhão. O que não é uma realidade ainda entre nós, mas que existem em outros lugares. Como alguns grupos estão surgindo, na diocese, é meu dever dar as indicações especialmente para salvar a comunhão eclesial evitando o espírito diabólico como percebemos existir, nos comentários feitos”.

    Já pensou se esses “grupos sectários” ainda resolverem reinvindicar uma missa tridentina na famigerada diocese? É capaz dele baixar outro decreto à revelia do Summorum Pontificum!
    O medo dele são grupos que não caminham na “comunhão”. Ele só esqueceu de mencionar “comunhão” com o quê? Com as “campanhas da fraternidade” da CNBB? Com missas sacrílegas? Com a imodéstia que rola nessas missas? Com os discursos políticos e até abomináveis de padres que apoiam desde partidos como o PT à ideologia de gênero? Com dancinhas profanas durante as missas?
    Interessante que ao invés do dever episcopal ser o de salvaguardar a sã doutrina, na opinião desse impostor é “salvar a comunhão eclesial” com o espírito do Vaticano II!! E ainda tem a ousadia de chamar “espírito diabólico”, justamente o sensus fidei daqueles que buscam salvar a própria alma!
    Eu tenho muita pena das ovelhas que estão sob os pés desses mercenários, pois graças ao bom Deus tenho padres e Bispos que fazem questão de fazer cerimônias públicas de imposição do Escapulário do Carmo e da Medalha Milagrosa, cerimônia de consagração ao Imaculado Coração de Maria segundo o método de São Luis Grignon de Montfort e que deixam claro que o uso do véu faz parte do código de vestuário e da modéstia feminina.

  15. Mais eles batem, mais nós crescemos. Seja crítico, pense, reflita. Quando foi a última vez que você ouviu um Bispo brasileiro ou a CNBB (no caso desta seria um verdadeiro milagre) falar aumentar no povo a PIEDADE, a SANTIDADE, a PUREZA, a DEVOÇÃO, a ADORAÇÃO ao SANTÍSSIMO SACRAMENTO? Não existe esse tipo de pronunciamento e é justamente isso que estamos querendo. Eles fingem não entender porque é mais cômodo, e ficam com MI MI MI ou aquela velha “conjuntura atual usando o método histórico-crítico ver, julgar e agir”. É só isso que esse povo de Mitra sabe falar e mais nada. E depois dizem não saber porque o número de católicos diminui. Faça-me o favor… A comunhão que nós queremos é entendemos é aquela de sempre: de joelhos diante do Senhor e diretamente na boca, como homens e mulheres adoradores em espírito e verdade, como nos disse o Salvador, o resto é balela e conversa pra boi dormir. Hoje, seguindo o ensinamento da CNBB, estaríamos todos de braços dados, unidos em comunhão e caminhando pro inferno, isso sim.

Trackbacks