Cegueira total.

​”Se o nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a luz do Evangelho” (2 Cor. 4-4).

Palavras de São Paulo que sintetizam bem a cegueira do triste secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, em entrevista à Folha de São Paulo.

Tags:

23 Comentários to “Cegueira total.”

  1. Eu não tenho paciência pra ler o lenga-lenga desse Steiner. E outra, eu não acredito no Datafolha. Se o Datafolha disser que o céu é azul (com margem de erro de 15 pontos percentuais), eu saio na rua pra ver se o céu, por acaso, não mudou sua cor para verde.

  2. Alguém saberia me dizer a que “loja” D. Steiner pertence?

    • Pergunto o mesmo: à qual loja pertence o “seu” Steiner??

      Adiante à malsã “entrevista” do filo-maçom Steiner, cabe notar a última questão, aquela que aponta para o motivo da saída dos Católicos da Única e Verdadeira Igreja: a resposta derradeira é, sem sombra de dúvidas, aquela que aponta para um verdadeiro Restauracionismo da Igreja pela via da Tradição ( Doutrinal, Moral, Disciplinar e Litúrgica ) e, simultaneamente, para a execração total do cvii.

      Pelo amor que as pessoas daqui dizem ter a Nosso Senhor e à Nossa Senhora: prestem atenção àquela última questão! “Igreja Católica Apostólica e Romana” e “cvii” são termos antagônicos!

      Já passou do tempo de as pessoas se aperceberem que, conforme a lógica ecumenista-irenista do cvii ( condenada por Gregório XVI, Pio IX, Leão XIII, São Pio X, Pio XI e Pio XII ), a missa de motu de Ratzinger é tão somente pedra de tropeço, na medida que pede a aceitação do mesmo cvii para ser concedida ( vide a “Instrução Sobre a aplicação da Carta Apostólica Motu Proprio Summorum PontificumI” ).

      Um grande abraço a todos.

    • Prezado Gabriel

      É uma notável injúria levantar suspeita sobre esse excelentíssimo Prelado. Onde já se viu inferir que S.Excia pertence à loja do “quem sou eu pra julgar” e “Deus não é católico”?

      E esse não é o único disparate que ouvi! Já chegaram a me dizer que tão egrégio pastor e solícito cura d’ almas é portaestandarte da escola de samba “Joaquimitas de Forquilhinha”, recentemente desfalcada e também DJ da banda “Imanentismo, Revolução e Sauna”! Onde já se viu tanta injustiça!?
      Outra difamação é que os nossos santos pastores viajam em primeira classe nos voos TRANS-continentais (sem hífen) e que alguns recebem abusivas doações da Conferência Alemã!

      E tem mais: dizem que a dimensão a dimensão pastoral “vamos falar de pobre” tem sido regada com bons Frascatti, levemente resfriados no verão!
      Certos maldizentes ultra-tradicionalistas insinuam que os nossos zelosos pastores teuto-descendentes sentem um embaraço ao falarem alemão, pois misturam o rude dialeto do século XIX, o de seus acentrais plantadores de girimum da Pomerânia, com aquele aprendido ao longo de seus justíssimos cursos sobre Hockeimer, na Alemanha, em fins da década de 1960! Onde já se viu!!?

      Outro boato é que muitos bispos e agentes de pastoral estão a encampar as teses do GT “Desconstrução do macho branco opressor”, nova vertente da teologia pé no chão contra toda forma de opressão.

      Também não creio que Steiner padeça de alguma forma de adiantada degenerescência senil e de anacronismo ideológico mental.
      Um homem como ele só pode estar na vanguarda. Essa é a condição comum, aliás, do nosso maravilhoso episcopado nacional.
      (Alguém já viu as estatísticas se evasão católica nos últimos três anos?)

  3. Se os números em si não são lá mais confiáveis, o Datafolha atesta, contudo, o óbvio: que a dissolução social do catolicismo avança a passos largos, e que, naturalmente, a chegada de Francisco ao trono de Pedro em nada contribuiu para reverter essa tendência. Aliás, nem poderia, afinal de contas, o pontífice já se provou deveras desinteressado pela tarefa missionária fundamental à Igreja, o que não deixa de ser algo surpreendente vindo de um jesuíta. “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” já não parece mais comover esses tristes velhos que parasitam há tanto o episcopado brasileiro, e o mesmo se pode dizer dos que ora circulam nos corredores vaticanos. Duas faces de uma mesma crise: na Europa e nos EUA, secularização, na América Latina, protestantização. No meio, uma Igreja comandada por ineptos repulsivos, que muito provavelmente sequer devotam certeza na fé que dizem professar por ofício.

    Não deixa de ser um “milagre” que em meio a tamanho derretimento entre os fieis que o número de vocações continue a crescer, conforme deve ser atestado no próximo anuário da CNBB. Segundo reportagem recente da IstoÉ, o número de padres no mesmo período parece ter crescido entre 12% a 15%. E é aí que mora o “perigo”, afinal, a maioria desses neosacerdotes são conservadores, carismáticos ou tradicionalistas, e um punhado cada vez menor de “progressistas”. Deve ser por isso que o Papa Francisco dizia-se desagradado com a formação nos seminários. Talvez queira ele que o Brasil tenha o mesmo destino de sua Argentina, que, se por um lado, ainda é massivamente católica, por outro vive uma crise aguda de vocações. Por óbvio, o progressismo é a antessala do ateísmo, e, naturalmente, um jovem que se familiarize com a literatura que o subsidia desde cedo acalanta o ódio pela Igreja, por Deus e por tudo o que é belo e bom neste mundo. Diferentemente dos ateus enrustidos encastelados no episcopado católico, que ajudam, pouco a pouco, a envenenar o Corpo Místico de Cristo de dentro para a fora, como uma verdadeira infecção.

    Enquanto Francisco estiver em Roma, não há esperança alguma para a Igreja no Brasil e no mundo. Continuará a vagar qual uma barca sem timoneiro, ladeando perigosamente os rochedos. Mas a quem crer em Deus não é dado perder as esperanças, sem prejuízo para a própria fé. Tenho esperança de que ainda viveremos no nosso tempo os primeiros passos para o recomeço.

  4. “Um cristão que nãp seja revolucionário não é cristão”.

    Isso resume a mentalidade desses impostores da Teologia da Libertação! Eles estão pouco se importando com o êxodo do rebanho Católico para as seitas protestantes. O que eles querem é prosseguir na mesma cegueira de implantar a todo custo esse modelo gramsciano de igreja: Católica só no nome e comunista na práxis e na doutrina.

  5. Quando esses fariseus da CNB do B vão admitir que a culpa do fracasso do catolicismo mundial é culpa do CV II?

  6. Muito interessante é a porcentagem daqueles que referem “mais ênfase na moralidade” para trocar a igreja católica pela evangélica pentecostal: 58%.
    mais uma machadada na Exortação “Amoris laetitia”!

  7. Será que no momento em que disse o trecho 2 Cor 4 4 apontou para si?
    Se o fez, agiu muito bem, pois durante mais de 20 anos tem havido de parte da CNBB com os comunistas no poder uma perfeita harmonia e sintonismo: eles implantando suas ideologias revolucionarias sem sentirem nenhum incômodo!
    D Steiner e certos coirmãos do episcopado esquerdista ou os não aderentes aos vermelhos promoveram-nos com apoio daqueles e silencio desses, raras conhecidas exceções, quando não alguns ostensivos e favoraveis aos politicamente corretos!
    Todos deveriam por grave dever de consciencia os denunciar de forma enfática; no entanto, aquilo com que nos deparamos em mais de 2 duas décadas foi e tem sido condiscípulos irmanados no mesmo ideal, já que inexiste resistencia a eles em implantarem e solidificarem o material-ateísmo no Brasil!
    … “a não participação do clero na política é uma diferença importante”… = nem para avisar o povo ante eleições de se precaver de eleger seus carrascos, os sanguessugas comunistas em varios PCs!
    … Porque tanta corrupção na política”… = Elegem os conspiradores e mafiosos comunistas, uma quadrilha estilo PCC, CV, FARC ao poder e deles esperar o quê?
    … “Citando o papa Francisco ele diz que a maneira de se antepor a essa migração é oferecer “esperança, alegria verdadeira para expulsar as quimeras… e preencher o vazio profundo nas pessoas”.
    Quer quimera maior que manter os caóticos comunistas no poder esperando deles o acima, que odeiam o Senhor Deus, sua Igreja, os cristãos e são falanges infernais?
    Além disso, jamais, sob hipótese alguma doutrinar o povo denunciando os falsos profetas protestantes, crias de Lutero, hereges, um bando de relativistas, alienados à fé, que são os pastores e suas seitas, as quais hoje a maioria quase total pentecostalista são canjerês?

  8. Com isso, com essa heresia endêmica, os poderosos de Mitra (tanto os do Brasil quanto os da Casa Santa Marta) conseguem somente duas coisas: por em risco a própria salvação e fortalecer a oposição que busca a glória de Deus e a vida eterna com os olhos voltados para o Céu e os corações ao Alto. O povo não está com eles e eles sabem disso.

  9. Como há joios misturados no trigo, meu Deus!
    Padre Gobbi, do Movimento Sacerdotal Mariano-MSM, já alerta sobre a Maçonaria Eclesiastica infiltrada na Igreja.
    Pessoal,
    Estamos vivendo as páginas do Apocalipse. Falsos pastores, discípulos de Judas Iscariotes, em breve declararao um novo Cisma, que já vigora subliminarmente nos porões da Sinagoga de Satanás.
    Conheço pessoalmente este bispo, ligado à Teologia da Libertação do Boff. Ele era o mestre dos noviços no seminário franciscano que frequentei. Lamentavel tudo isso que somos obrigados a ouvir, ao vivo e a cores, essas heresias todos os dias.
    Vamos nos consagrar aos corações de Jesus e de Maria, a última tábua de salvação da humanidade.
    Vem, Senhor Jesus!
    Não tardeis!
    Será que haverá fé qdo o Senhor retornar?!?

  10. A cada dia que passa o mito propagado sobre o “fenômeno Francisco” fica mais indefensável.

  11. Pwimer- Saudações – Confesso que quando comecei a ler sua “resposta” a minha pergunta, isto é, se alguém sabia a que “loja” pertencia D. Steiner, preocupei-me de como encontraria tempo para provar o que afirmei. Suspirei tranquilo quando percebi ao final que era apenas uma eutrapelia de sua parte. Salvo engano crasso meu… Rezemos e lutemos pela Santa Igreja de Deus.

  12. Isso desanima… como que nós, leigos, vamos nos manter firmes, constantes e inabaláveis em meio a declarações tão bombásticas por parte do clero? São esses mesmo os “Ministros de Nosso Senhor”? Nem o carrasco exército romano foi tão insano com Nosso Senhor como o clero vem sendo há vários anos… Nosso Senhor veio a essa Terra e os primitivos demoraram 33 anos para mata-lo, sei que se fosse nos dias de hoje não demorariam nem 33 minutos para assassinarem Nosso Senhor. Sou apenas um pagão que vai na contra-mão dessa triste reportagem mas, não deixo de me chocar com esse clero populista amigo dos homens e inimigos de Deus!

  13. E eu que jurava que Steiner ia ganhar a cátedra de Aparecida. Felizmente errei!

    Esse papagaio de mitra e seus pares possuem uma pobreza verdadeira, a do vocabulário. Seu palavreado é muito modesto e a repetição litânica dos termos nas suas falas dói ao ouvido: justiça social, solidariedade, fraternidade, diretrizes, comunidades, opção pelos pobres, luta, povo de Deus, serviço, vivência… sequer parecem estudados! Padre Vieira, a quem Fernando Pessoa chamou de “imperador da língua”, Bernardes, Franca e outros gigantes da oratória sacra brasileira esmurrariam o púlpito se vissem essa decadência não só espiritual, mas cultural do clero nacional.

    Deus, dai-me coragem para rezar por dom Steiner e seus iguais, pois por mim não consigo. Eu os odeio.

  14. “Diz a sabedoria popular: Padre santo, povo piedoso. Padre piedoso, povo bom. Padre bom, povo aceitável. Padre aceitável, povo tíbio. Padre tíbio, povo ruim. Padre ruim, povo corrupto. Padre corrupto, povo péssimo”.

    “Até o péssimo Diógenes ensinou algo aproveitável: andava ele por Atenas com uma vela acesa na mão, ao meio dia, procurando um homem. Hoje devemos andar de vela acesa em uma das mãos, com um terço na outra, procurando um bom padre. Hoje, devemos andar de terço na mão rezando a Deus que nos conceda santos sacerdotes”.

    Fonte: O.F. (http://www.montfort.org.br/bra/cartas/outros/20060124152256/)

    São Carlos Borromeu, no seu zelo e caridade de pastor, tinha como princípio pedagógico: “ver tudo, tolerar muito e corrigir pouco” (omnia videre, multa tollerare, pauca corrigere), certamente muito válido para os dias de hoje (http://www.recantodasletras.com.br/artigos/4175841).

    Um Papa, verdadeiro, infalível, deve ter sob sua jurisdição um corpo episcopal católico, sendo que destes, alguns acabam sendo santos, outros bons, medianos e medíocres. Um Bispo santo vê tudo, tolera muito e corrige pouco, certamente muitos são os maus padres.

    Isso naquela época. Há pouco tempo já precisávamos procurar com vela ao meio-dia um Bispo mediano. Hoje procuro um que seja católico e não encontro.

    Que posso dizer do Papa?

  15. Quando essa velharada marxista morrer, vai deixar um rastro de destruição. Mas quem os substituirão? Graças a Deus, nunca tivemos um Papa brasileiro. Tomara não haver outro sulamericano.

  16. “Estamos assistindo à separação consciente e desejada entre a Igreja e a Sociedade, depois de ter sido consumada a separação entre a Igreja e o Estado” Miguel Ayuso, A Constituição cristã dos Estados.

    Isso explica a queda de porcentagem de católicos. Quantos as falhas da CNBB, para Steiner não a falhas na ação Evangelizadora. Meter a Campanha Humanista Laica da Fraternidade na Quaresma, é um acerto? E a Teologia da Libertação, Cebs e as pastorais Evangelizam? A única diferença entre marxismo e Catolicismo Nacional Do Brasil – CNBB – é que para o primeiro o “po(l)vo eleito” é o proletariado, para a CNBB o po(l)vo eleito são os pobres (excluídos). Achei curiosa a pergunta dele:

    “Mas talvez tenhamos que questionar que tipo de atuação política é essa. Refiro-me a todos que atuam na política. Por que tanta corrupção no meio político?”

    Aqui primeiramente teria que ser feita uma pesquisa a parte para responder a questão:

    Qual a porcentagem de católicos que ocupam cargos políticos?

    O Cardeal Hummes concedeu a Lula o direto de “ser católico [praticante] a seu modo”, e se trata de um modo católico que o levara para a cadeia. Talvez exista tanta corrupção na política por conta do evidente fracasso da “ação evangelizadora” do CNBB na política. Um dos frutos dessa “ação evangelizadora” na política é o Partido dos Trabalhadores, que nasceu nas sacristias do CNBB para se tornar o partido mais corrupto da história.

    Em segundo lugar, e por último, a pesquisa deveria responder:

    Qual religião professam os políticos envolvidos ou condenados por corrupção?

    Isso sim daria a verdadeira medida da “ação evangelizadora” do CNBB. Particularmente, vi muitos bons católicos se candidatarem nas eleições municipais, e por falta de apoio da igreja não serem eleitos. Enquanto, por outro lado, a mesma igreja sempre apoiou candidatos de esquerda e maus católicos.

  17. “Um cristão que não seja revolucionário não é cristão”, e dá-lhe “transformação social”… e assim vários setores da Igreja se contentam em ser uma espécie de suplência de departamentos de prefeituras municipais.

    A Igreja passando a amplificar o eco de ações de meio ambiente e de arregimentação dos mais pobres a ideologias entranhas à sua fé de berço, dissolvendo esta e realmente imanentizando as esperanças da salvação, que se reduzem à construção e entrega de conjuntos habitacionais, manejo sustentável da água e plantio de mudas etc etc.

    É bizarro o momento que vivemos. E, vejam, não sou contra a construção e entrega de conjuntos habitacionais, nem ao cuidado com a natureza, porém, é estarrecedor que a Santa Igreja Católica coloque esses itens em sua pauta, avançando sobre trabalhos que são eficientemente realizados em suas instâncias originais e civis.

    Se pelo menos os teólogos oferecessem uma visão mais… católica desses temas, mais racional, que nos ajudasse a equilibrar nossa ação no mundo e a busca por aprimoramento, de modo a não comprometer a devoção e a salvação de nossas almas, já seria de grande auxílio. Com tanta ênfase moderna no homem e sua ação direta sobre o mundo, na sociedade, em que somos formados para sermos “politizados” e “críticos” (isto é, marxistas), como não cair na imanentização da esperança, em que o trabalho avança sobre todas as outras necessidades, tomando tempo e recursos como nunca antes, e em detrimento de tudo o mais?

    Esse é o tipo de coisa que esperaria que D. Steiner e o episcopado em si respondesse. Não são eles os ministros do Senhor, de Sua Igreja bimilenar? E, no entanto, nos dias de hoje, nós católicos estamos vivendo o dia a dia reinventando a roda, às apalpadelas, como se o que foi discernido do Espírito Santo ao longo de tantos séculos não contivesse ensinos atemporais. E vem D. Steiner falando em “inovação”… Que tal se ele abordasse a questão da descristianização da sociedade, em que o Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo é jogado em algum escaninho obscuro e as várias instâncias da sociedade, da política e da cultura há tempo deram as costas ao legado cristão autêntico, e rumam em sentido contrário ao querido por Jesus Cristo…?

    É como indicou quem postou este item que debatemos, nas palavras de S. Paulo, se o Evangelho está encoberto mesmo para aqueles que deveriam guardá-lo… é de se perguntar se os membros do episcopado, e mesmo muitos padres, religiosos e freiras não erraram durante o discernimento vocacional. O estado de coisas hoje deixa muito o que pensar acerca disso, a ponto de supor que muitos daqueles que nos guiam no clero escolheram a vida da Igreja como um concurseiro escolhe uma carreira de grande visibilidade e vencimentos atraentes, sem se preocupar muito com o que executará na prática, contanto que os vencimentos sejam pagos em dia e que a vaga lhe reserve várias prerrogativas…

    Quanto à relação da atuação dos leigos católicos na política e o alto índice de corrupção no meio, a resposta parece bem mais profunda e difícil de apresentar de chofre. Nós brasileiros parecemos não atinar com ideias, programas, princípios, valores, bandeiras… senão, como explicar que a maioria dos partidos políticos brasileiros (todos eles socialistas em algum grau) estejam ocupados por católicos? Isso é uma aberração.

    E já que tanto se fala em meio ambiente, água e que tais, principalmente desde a Encíclica Laudato Si, porque algum vereador católico ainda não fez um projeto acerca da fluoretação da água? Há estudos confiáveis que ligam a adição de flúor nas estações de tratamento de água e o desenvolvimento do mal de Alzheimer em quem consumi-la por longo tempo, digamos, 30 ou 40 anos. Isso é tão sério que países europeus já interromperam a fluoretação da água, cautelarmente, pois que os estudos mostram (não chegaram ainda aqui na Banânia) que mesmo em porcentagens muito pequenas o flúor continua sendo radioativo…

    Cadê D. Steiner nessa hora?! rs

    Enfiaram a televisão goela abaixo em nós, a ponto de ter se tornado um caso de amor irremediável, e o que dizer do flúor acumulado em nós? Talvez aí é que entre a “Loja”, é possível que seja uma diretriz dos aventais para nos ter a todos com dentes limpinhos e vistosos, para arreganhá-los diante das produções infames do canal “Porta dos Fundos”, enquanto que estaremos depauperados de cérebro e memória…

    Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

  18. Salve Maria – Tenho ouvido de pessoas não tradicionalistas, não conservadoras, etc. e tal, termos como “o clero está acabando com a Igreja”, “isto de o Papa autorizar comunhão para amasiados não está direito”. E por ai vai. Vejam bem, isto gente do publico comum que frequenta a Igreja normalmente, Apostolado da Oração, etc.
    O que vai acontecer quando este petit peuple de Dieu, por uma especial graça do Divino Espirito Santo, perceberem o quanto foi enganado e quantos de seus entes queridos perderam suas almas por atitudes ou omissões daqueles que deveriam ser o sal da terra e a luz do mundo e foram tao omissos ou, ouso dizer, traidores da boa causa?
    A reação poderá ser inusitada e surpreendente. Fiquemos atentos para o aparecimento de falsos lideres nesta hora, destes próprios meios, que farão de tudo para amortizar tais reações.
    Já assistimos esta historia inúmeras vezes. Memento Cristeros do México.

  19. A primavera do Concílio encontra o efeito Francisco!
    Afinal, Bergoglio condenou tanto o proselitismo quanto a apologia da fé em favor do “ecumenismo”, colocando uma mordaça na boca dos católicos e proibindo-os de obedecer ao comando de Cristo de fazer discípulos em todas as nações!
    Desse modo, como a Igreja pode crescer? Pode apenas diminuir…
    Diminuir através daqueles que poderiam, mas nunca se converteram pois não houve quem lhes pregasse a verdade.
    Diminuir através daqueles que se afastam da Igreja, cansados e confusos com tanta imbecilidade, porque não vêem a Deus nesse clero “católico” modernista.
    Quem fica feliz com isso são os ecumenistas de plantão, afinal vão ter mais pessoas para “dialogar”!
    Afinal, a Igreja nunca esteve tão bem!

  20. “A Igreja se aproximou do marxismo e se afastou da dona de casa. Se ela tem um filho envolvido com drogas, não quer saber se a culpa é do capitalismo; quer que ele troque as drogas por Jesus.”
    OS SENHORES BISPOS QUEREM QUE EU DESENHE???

  21. Concordo que a prática é mais importante que os números Datafolha.