Boff: Ajudei o papa a escrever a ‘Laudato si’. Haverá uma grande surpresa. Talvez padres casados ou mulheres diáconos.

Por Marco Tosatti, 27 de dezembro de 2016 | Tradução: André Sampaio – FratresinUnum: Leonardo Boff, o bem conhecido expoente da teologia da libertação, concedeu uma entrevista ao jornal alemão Kölner Stadt-Anzeiger. Boff, que tem 78 anos, falou livremente sobre a Igreja, e revelou alguns detalhes de sua relação com o Pontífice e de possíveis decisões futuras.

boff_-825x510A fonte da qual nós obtivemos o material que lhes oferecemos é um artigo de Maike Hickson para o One Peter Five. Sobre quanto se refere ao tema dos padres casados no Brasil, remetemos vocês a também alguns artigos que publicamos no passado acerca da matéria. É interessante notar como as declarações de Boff vão na mesma linha e direção de quanto escrevemos. Já há dois anos

Sobre a teologia da libertação, Boff diz que “Francisco é um de nós”. Em particular pela atenção aos problemas ecológicos, dos quais Boff se ocupou. O Pontífice leu os livros desse temário de Boff? “Mais que isso. Pediu-me material para a Laudato si’. Dei-lhe o meu conselho e lhe enviei coisas que escrevi… Contudo, o Papa me disse de maneira direta: ‘Boff, não me envie as cartas diretamente’.”

Por que não? “Disse-me: ‘Se o fizer, os subsecretários as interceptarão e eu não as receberei. Em vez disso, envie as coisas ao embaixador argentino junto à Santa Sé, com quem tenho um bom contato, e elas chegarão seguras às minhas mãos.” O embaixador é um velho amigo do Pontífice. ”E depois, um dia antes da publicação da encíclica, o Papa fez chamar-me para agradecer-me pela ajuda.”

No que diz respeito a um encontro pessoal, Boff falou ao Pontífice em relação a Bento XVI, que, quando Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, teve um papel importante na sua condenação: “Mas o outro ainda está vivo, afinal de contas!”. “Ele [Francisco] não aceitou isso [não aceitou o receio, a hesitação de Boff].  ‘Il Papa sono io’ [‘O Papa sou eu’], respondeu (em italiano no texto [do jornal alemão], n.d.r.). E fomos convidados a ir.”

À pergunta sobre por que a visita não se realizou ainda, Boff respondeu: “Eu havia recebido um convite e havia já desembarcado em Roma. Mas justamente naquele dia, imediatamente antes do início do [segundo] Sínodo da Família em 2015, 13 cardeais, entre os quais o alemão Gerhard Müller, puseram em pé uma rebelião contra o Papa com uma carta endereçada a ele que foi publicada – que surpresa! – em um jornal. O Papa estava irado e me disse: ‘Boff, não tenho tempo. Devo restabeler a calma antes que o Sínodo comece. Nós nos veremos em um outro momento’”.

Boff depois disse, sobre o futuro: “Esperem e vejam! Ainda recentemente o cardeal Walter Kasper, que é um estreito confidente do Papa, me disse que logo haverá alguma grande surpresa”.

Que tipo de surpresa? “Quem o sabe? Talvez um diaconato para as mulheres, após tudo. Ou a possibilidade de que os padres casados se envolvam no trabalho pastoral. Este é um pedido explícito dos bispos brasileiros ao Papa, especialmente da parte de seu amigo o cardeal Cláudio Hummes. Ouvi que o Papa quer atender ao seu pedido – inicialmente por um período experimental, no Brasil.”

Boff depois falou que uma decisão nesse sentido não mudaria nada para ele: “Pessoalmente, não tenho necessidade disso. Não mudaria nada para mim, porque faço aquilo que sempre fiz: batizo, presido a exéquias, e, se me ocorre de chegar a uma paróquia sem padre, celebro a missa com o povo”.

Leonardo Boff é, desde décadas, uma figura proeminente da teologia da libertação. Para uma biografia completa, remetemos à Wikipedia, da qual extraímos este parágrafo:

“A atividade de Boff continuou depois de 1992 como teólogo da libertação, escritor, docente e conferencista. Ele permanece também envolvido com as comunidades eclesiais de base brasileiras. Em 1993 se tornou professor de ética, filosofia da religião e ecologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), da qual é professor emérito desde 2001. Nos anos seguintes se ocupou, de maneira sempre mais profunda, de política, tornando-se um verdadeiro e próprio teórico marxista, e se converteu em um expoente do considerado Movimento Antiglobalização (sempre foi convidado, na qualidade de orador, para as reuniões em Porto Alegre). Boff esteve sempre próximo das posições do Movimento Sem Terra brasileiro. Em 2001 lhe foi conferido o Right Livelihood Award [Prêmio de Subsistência com Equidade, também conhecido como Prêmio Nobel Alternativo]. Ele se tornou um defensor de Lula no momento da eleição deste como presidente do Brasil, mas se distanciou posteriormente, acusando-o de moderantismo. Atualmente (2010) vive no Jardim Araras, uma reserva ecológica em Petrópolis, junto de sua companheira Marcia Maria Monteiro de Miranda (ativista dos direitos humanos e ecologista), e tem seis filhos adotivos.”

52 Comentários to “Boff: Ajudei o papa a escrever a ‘Laudato si’. Haverá uma grande surpresa. Talvez padres casados ou mulheres diáconos.”

  1. Nauseante ! Que Deus possa a aliviar a mágoa que Bento XVI deve estar sentindo.

  2. eu não me acredito no que li. espero que seja uma fraude.

  3. Temos de orar cada dia mais e mais, pois vemos que esses sinais se mostram para pedir nos oração constante e joelhos dobrados…rezo muito que essa notícia seja falsa…

  4. A guinada do clero para esquerda, desde o Vaticano II, corresponde a algo bem simples: sede de poder e necessidade de sentir-se “útil”. De fato, desde muito antes do Concílio, por falta de boa teologia, falta de espírito sobrenatural e de mortificação (oh! Idade Média!) , muitíssimos da clerasia padeciam de um inconfesso “complexo de inutilidade” e de inferioridade. Sentiam-se inúteis, devedores imaginários da “sociedade moderna” que inventou o avião (dotado de 1a. classe para o episcopal liberteiro), a TV (com as gargalhadas sádicas de um tal Sílvio Santos) e a sopa Campbell de legumes sortidos vendida em lata no supermercado.

    Quando, pois, nos idos de 1960, os miasmas da esquerda dominaram de vez as classes letradas da Universidade e boa parte da política, o “clero” foi junto esperando abocanhar uma fatia de PODER na “construção do reino que também é nosso”. Dizendo renunciar à velha Igreja imperial e constantiniana, “aliada aos ricos e poderosos”, os “clérigos” aderiram à esquerda com o ÚNICO propósito de continuar em evidência, proporcionando à histrionice e sequiosidade de poder que os caracteriza, o novo ambiente de fermentação. E nessa onda surfaram as congregações e ordens mais preparadas intelectualmente, como os jesuítas e dominicanos, e mesmo os franciscanos.

    Isso explica por que chupa-cabras como Helder Câmara – a criatura mais sequiosa e obcecada por poder nascida nos trópicos desde a criação do mundo – passou de fascista a comunista. Explica também fenômenos como os Hummes e os Arns da vida – e tantos outros. Eles existem em função da pura e excessiva vontade de aparecer e manter-se em evidência, gravitando nos círculos do poder, ainda que vindouro. Feita, de fato, no Brasil, a abertura política, tipos como esses fraticelli foram rapidamente alçados aos estrelato a fim de arreganharem seus parvos sorrisos de pretensos benfeitores de Forquilhinha, do país, da humanidade, da galáxia e dos cosmos

    Genéscio Boff é fruto laboratorial e mutante desse meio, uma espécie de transgênico da heresia. Embora tido como “intelectual de vanguarda”, quando se lê seus primeiros escritos da década de 1970, percebe-se imediatamente não a novidade (coisa de si suspeita), mas a direta compilação de fontes eruditas sobre os temas abordados, como o DThC. Genéscio não é original em quase nada. Por exemplo, a tese principal de “Igreja Carisma e Poder”, a saber, que os clérigos expropriaram os direitos dos leigos ao longo da história, tese aparentemente marxista, já está expressamente enunciada nos escritos dos “reformadores” protestantes do século XVI, sobretudo os de Genebra.

    Enfim, toda essa gentalha oportunista devastou a vinha do Senhor. A Igreja católica perdeu dezenas de milhões de fieis, enfastiados com a boçalidade endêmica do “clero” TL, com suas pregações vazias e tediosas, e seu discurso barato de “justiça social”. Se o povo corre atrás de coisas como Clodomiro Vendiabo isso, muito longe de mostrar o quanto o povo seria estúpido, mostra, sim, que o discurso de Vendiabo, embora vazio e maldoso, consegue ser mais atraente que o discurso da T.L.

    Quando um pobre tem fome, ele quer um prato de comida. Ele não quer esperar a “mudança da superestrutura social” como dizem os palhaços amentais da TL. A Igreja “imperial e constantiniana” supria essa demanda. E que fizeram os palhaços empoderados da T.L.? Acabaram com a rede assistencial da Igreja. Além de tudo, além de matarem as almas, matam também os corpos, raça de víboras, flagelo do gênero humano e inimigos de Deus.

  5. Parabéns, Boff! No segundo dia de 2017 me fizeste vomitar! O que vem mais por aí?

    Papa Francisco, só lembrando: Sua Santidade tem cerca de 7 meses para consagrar a Rússia ao Imaculado Coração de Maria.

  6. Se for uma fraude ou não, pouco importa…Esse energúmeno é capaz disso e mais um pouco…

    O que não podemos é negar a coincidência das idéias de Bergóglio com as de Genésio, isso é lamentável…

    Uma coisa é mais que certa, se Bergóglio pôr em prática essa ideia de padres casados para experiência, segundo pede o seu amigo Hummes, ele sabe muito bem, que o cisma que já existe de maneira latente na Igreja, se tornará claro e clamoroso…E isso Bergóglio não quer…Seu desejo é unir alhos e bugalhos dentro da Igreja, não dividi-la mais do que já está..

    Ele já esqueceu dos 4 cardeais que, sem nenhuma dúvida, estão apoiados em tantos outros prelados, padres e leigos e não vão voltar atrás em assunto tão sério como os dubias?

    Quem aceitar se reger pela batuta de Bergóglio sem questioná-lo tem lugar na Igreja… “EU SOU O PAPA”…

    Genésio Bofado é um lixo putrefato e nojento que infeccionou e infecciona uma parte da Igreja…

    Não está acontecendo, exatamente, o que Maria Santíssima predisse em Salete e em Fátima??? Só quem se faz de cego e mouco não vê…

    2017 chegou com a graça de Deus e as bênçãos de Nossa Senhora, refugiemo-nos debaixo do manto de Maria Santíssima e não nos escandalizemos com a tragédia infernal que assola o “topo da Igreja”, sobretudo, depois do terrível 2013, de infeliz e terrível memória…

  7. É uma tristeza sem tamanho ler esse texto… dizer o quê? É um herege excomungado que dá conselhos e dita rumos a serem tomados pela Santa Igreja? Devemos olhar para o céu, pedir auxílio à Virgem Maria e com fé e amor a Deus, gritar bem alto: Exsurge Deus! Quare obdormis? Noli tardare, tempus faciendi!

  8. Deus nos defenda!!

  9. Conheci pessoalmente o Boff qdo era seminarista franciscano em Guaratingueta-SP (Sevoa: seminário de vocações adultas). Ele vivia em Petrópolis-RJ (Teologia, dos franciscanos), numa casa independente, com a sua atual companheira.
    É lamentável a libertinagem dos superiores da casa de formação (Teologia) para com o frade (na época). Eles eram e ainda são ligados à Teologia da Libertação (inclusive a editora vozes). Nossos seminários eram lotados de livros do Boff, Betto, Libânio (bem com nas atuais casas de formação (seja dos Franciscanos, Jesuítas…).
    O secretário atual da CNBB, era o mestre dos noviços.
    O papa na época era João Paulo II, muito criticado abertamente pelos formadores dos seminaristas. Tive sérios conflitos na época, pois tudo o que aprendi na minha formação cristã, era questionado no seminário, tais como: local de nascimento de Jesus (Nazaré e não Belém), data do natal, milagres (pães peixes), dogmas Marianos etc…
    Após, refletir muito, deixei a minha vocação. Ao sair, escrevi uma carta denunciando todos os absurdos que presenciei a olho nu num ambiente que se dizia católico (frades formadores q levavam amantes para seus quartos, camisinhas espalhadas pelo jardins…
    Deve ser por isso q nenhum vide de de Mediugorie quis seguir a vocação religiosa.
    E a cobrança será maior, a quem muito foi dado muito será cobrado. São Francisco nem São Bento não foram sacerdotes.
    Mas chegamos a hora dá verdade:
    2017 será o ano para separar o Joio do Trigo.
    Ainda teremos:
    -100 do Comunismo (Putin)
    -Centenário de Fátima (terceiro segredo: assassinado do bispo de branco: papa)
    – 300 anos da criação da grande loja de Londres (maçonaria)
    – 500 anos da reforma protestante
    – 70 anos da criação do Estado de Israel (1947/1948)
    Preparemo-nos para fortes combates.
    No fim, Meu Imaculado Coração Triunfará (Fátima – 1917).

    • Prezado Renato, Salve Maria!
      Infelizmente os Franciscanos passam por uma grande crise, tanto vocacional como institucional. A título de exemplo, veja essa notícia:
      http://lumenrationis.blogspot.com.br/2016/10/franciscanos-abandonam-san-marino.html
      E penso que não só eles, mas todas as congregações e ordens religiosas. Ao que tudo indica a crise dos religiosos e dos sacerdotes seria o cumprimento de Amós 8, 11:
      “Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR.”
      Eu estava vendo uma pregação do Pe. José Augusto e me pareceu que ele falava de uma perseguição muito acirrada sobre a Igreja Católica, ou melhor, sobre os católicos. Lendo o seu comentário e refletindo na pregação do Pe. José Augusto, eu fico pensando será essa perseguição acirrada sobre os católicos já está próxima? Que Deus nos prepare para os tempos difíceis que estão se formando.

  10. Como diz o ditado: “o diabo ajuda a fazer, mas não ajuda a esconder”. A cada dia que passa fica mais difícil ocultar o projeto devastador de Francisco e de que grupos ele está a serviço.
    A Laudato Si por si só já é estranha. Com tantos temas urgentes (visto do ângulo da fé católica) para um Pontífice tratar, ele escolhe logo a defesa do meio ambiente. Lendo a obra de Mons. Henri Delassus “A Conjuração Anti Cristã”, não é difícil identificar no ecopapa, um autêntico representante da nova ordem, já que os temas de seu interesse estão em sintonia com os que governam nas sombras.
    Depois da estátua de Lutero no Vaticano, nada que vem dele deveria causar mais surpresas.
    Os “dúbia” do quarteto fantástico serve apenas para alertar o rebanho sobre o falso pastoreio do bispo de Roma pois Francisco não vai desdizer o que está tentando dizer nas entrelinhas (que está rompendo com a Doutrina de Cristo).
    Cada nova revelação só deve servir de estímulo para que rezemos incessantemente o santo Terço e consagremos nossas vidas e as de nossos familiares a Nossa Senhora, cujo manto será nosso refúgio seguro nestes tempos que estamos vivendo.

  11. Alguns meses atrás, em setembro (2016), saiu uma entrevista com Dom Cláudio Hummes em que ele falava de diáconos permanentes casados. Cito um trecho dessa entrevista:

    Maior presença e autonomia dos diáconos permanentes casados

    “O Papa insiste muito atualmente que as dioceses e prelazias da Amazônia invistam muito mais em diáconos permanentes casados para começar esta presença maior. É isto que ele está insistindo no momento. Depois, ele diz: ‘futuramente se verá como isso vai. Ele tem muita preocupação com isto: ter gente que mora ali dentro. Além disso, o diácono que assume uma ou um grupo de aldeias deve ter uma autonomia maior de trabalho do que tem hoje normalmente. Tudo isso significa que deve ser elaborado um esquema pastoral para que este diácono possa ter mais autonomia e sentir-se realmente responsável por esta comunidade; e não apenas alguém que ajude o padre, que é pároco de uma grande área”.

    http://br.radiovaticana.va/news/2016/09/21/card_hummes_mais_autonomia_di%C3%A1conos_permanentes_casados/1258681

    Se olharmos para essa entrevista e para notícia deste post, podemos ver que essas duas peças do quebra-cabeças do futuro da Igreja sob o pontificado do Papa Francisco, de fato, aponta para padres casados e mulheres diáconos. As coisas estão caminhando para isso. Parece inevitável que aconteçam. Talvez o problema maior será se um papa conservador irá conseguir desfazer toda revolução que o Papa Francisco e seus seguidores têm feito dentro da Igreja.

  12. Boff tem 78 anos; eu tenho 57. Provavelmente viverei pelo menos mais 20 anos; ele não viverá. Os jovens padres ordenados ultimamente, que viverão pelo menos mais 45 anos, tem posturas completamente opostas desse nefilibata proterozoico. Quem viver, verá!

  13. Não foi sem seríssimos e bem fundamentados motivos que o Pe Malachi Martin afirmou tratar-se o Terceiro Segredo na previsão de “um castigo de ordem espiritual” – haveria algo pior? – nos termos em que abrange reedições de traidores da fé e acrescidos de perversores a repassando doutrina de forma fraudada, como o apóstata L Boff, por rebeldia doravante compondo as falanges infernais encarnadas nesse mundo pelas esquerdas, possuidoras de figadal odio ao Senhor Deus e à sua Igreja!
    “A apostasia na Igreja forma o fundo ou o contexto do Terceiro Segredo. A apostasia só está agora a começar. Mas os castigos previstos no Segredo são muito reais, castigos físicos, e são terríveis!”
    O modernista sedizente teólogo Leonardo Boff comenta a Laudato sì escrita pelo papa Francisco destacando sua contribuição, que o documento é inspirado em “teólogos latino-americanos que ficaram ao lado dos pobres” – que “pobres”… – recordando os caudilhos PSDB, comunista mitigado e, posteriormente, o histérico PT, pois ambos cuidaram seletivamente de certos “pobres”, porém, dos que compartilhavam da mafia comunista, como os membros da famiglia Silva!
    A defesa da pobreza e da degradação ambiental permeariam a Laudato sì do papa Francisco e envolveria o austríaco D Erwin Kräutler, bispo da Prelazia do Xingu como co-autor por compartilhar das teses modernistas de as considerarem superiores à degradação da fé: o ecohumanismo da Mãe Terra – se ao menos fosse verdade cuidarem dos pobres de forma real…
    “TOMEM SEVERAS MEDIDAS PARA COMBATER A FOME, A PESTE, A POBREZA, A IMPUREZA DA ATMOSFERA E CONTEMPLEM COM COMPLACENCIA A CONTAMINAÇÃO DOS ESPÍRITOS” – S Pio X.
    O texto e o tom da Laudato sì são típicos do papa Francisco e da cultura ecológica das esquerdas da América Latina, pois termos “casa comum”, da “mãe Terra”, do “grito da Terra”, “grito dos excluídos”, do “cuidado”, da “interdependência entre todos os seres”, dos “pobres e vulneráveis” da “mudança de paradigma” do “ser humano como Terra” que sente, pensa, ama e venera, da “ecologia integral” entre outros, são recorrentes dos escravagistas doutores em subjugarem as massas e sutilmente iludirem de forma não facilmente perceptível aos incautos…
    Como em Cuba até hoje: plena liberdade aos cidadãos para fazerem o que os déspotas do poder impõem, e nesse ínterim, todos de coleira no pescoço, fecho éclair na boca – e ai ai ai de quem se revoltar contra essa impostura…

  14. Eu tenho muito medo desse 2017, tenho certeza que haverá um grande teste de Fé para os que estão na Igreja! É tempo de rezar, se apegar com Deus, jamais desgrudar de Nossa Senhora, fazer penitência, jejum e abstenção! As coisas não serão fáceis…

  15. Muita gente falando nos 100 anos de Fátima e um prazo final para a consagração da Rússia. Nossa Senhora deu algum prazo fatalístico sobre isso?

    • Ela não deu um prazo fatalístico para isso, mas o padre Malachi Martin, que leu o Terceiro Segredo, quando questionado em um programa em 1997 que, se não podia revelar a data, pelo menos traçasse um paralelo respondeu que não tínhamos mais 100, 50 e nem 20 anos. A entrevista ocorreu em 1997.

    • Algumas linhas cravam 2019 como o ano limite para algumas mudanças.

  16. O sangue de São Januário que não se liquefeito por si só já é um aviso do Céu.

  17. Se formos fazer uma pesquisa na internet, veremos com certa facilidade várias notícias que mostram como a hierarquia progressista está preparando o terreno para no futuro ordenarem homens casados. E agora com a comissão que o Papa Francisco instituiu sobre diaconisas, não seria descabido esperarmos pela instituição de diaconisas ou diáconos mulheres num futuro não distante na Igreja.

    Fazendo uma pesquisa no Youtube, encontrei uma notícia de 2013 sobre um anglicano casado que, depois de se convertido à fé católica, foi ordenado padre.

    • Caro Sr. Alex:
      A ordenação presbiteral de ministros protestantes convertidos à Igreja católica é pratica comum desde João Paulo II. Todos os ministros anglicanos e alguns luteranos, quase todos casados, foram crismados, ordenados diáconos e presbíteros naquela ocasião. Lembremo-nos que nos ritos orientais existe clero casado. Somente os bispos são celibatários. Não estou aqui defendendo clero casado para a Igreja Latina, mas somente acentuando as diferenças entre a prática tradicional da Igreja e as invencionices dos doidivanas…

    • Caro Sr. Ulisses, obrigado pela explicação. Entendi a diferença, a propósito muito pertinente.

  18. Precisamos rezar para que o Papa Francisco acorde. Não há dúvidas de que ele é o Papa dos comunistas e simpatizantes dessa ideologia fajuta. João Paulo II mesmo sendo o fenômeno que foi, tendo um enorme carinho pelos pobres assim ajudando a combater a pobreza encorajou a luta contra o comunismo. João Paulo II lutou contra o comunismo. Que Francisco siga a Tradição e Doutrina Social da Igreja e não essa corja de pessoas como Leonardo Boff que querem desmantelar a Igreja.

    • Gui, o comunismo está avançando. Em nosso país, estão facilitando a entrada de bilhões e bilhões do dinheiro da China na área de infra-estrutura. É uma semente para o futuro, eles sempre planejam muito à frente.

  19. “Francisco é um de nós.”

  20. Não acredito no Datafolha e não acredito em Papai Noel!

  21. É nojento ler os artigos e entrevistas de Boff, mas mesmo com náuseas, leio para me informar de suas heresias, blasfêmias e loucuras. Deus tenha piedade de nós!

  22. Sou um dos mais rad trad que frequenta esse fórum, sou também a favor do celibato, mas faço notar o seguinte. Do jeito que as coisas estão, se fosse necessário decidir, seria mil vezes preferível que um único HOMEM maduro (e de sólida vida matrimonial) fosse ordenado presbítero a 10 bichas que recebessem as ordens. Se pessoas sérias entrassem para o clero, tipos como Dona Bezerra ficariam sem ambiente.

    Outro dia vi um alguém comemorando o aumento de vocações. Há gente boa, é verdade, mas está longe de ser a maioria.

    Um dos males que afeta parte do clero é a evidente falta de testosterona, isso os torna molengas, ávidos por futilidades, luxos e aplausos, bem como passivos diante da evidente derrocada e esculhambação da Igreja.

    O sacramento é para gente séria e não para lambisgoias preocupadas com a qualidade do shampoo.

    • Prezado PW, pensando bem no que o senhor disse, de fato, é preferível um clero casado do que um clero celibatário e efeminado. Talvez um clero casado possa até vir a ser uma forma de a Providência prover a Igreja de vocações sadias.

    • Clero casado: vocações sadias, matrimônios destruídos (estou para ver a mulher e os filhos que vão suportar a mais completa ausência do lar de seu pater-familias)

    • Concordo. Vendo seminaristas acompanharem padres nas Missas, comumente vemos seres demasiadamente delicados. Esses indivíduos, em sua maioria, realmente se dão a aplausos e futilidades. Honestamente, gosto da filosofia das igrejas ortodoxas. Sacerdócio para eles é optativo ser celibatário. Não é isso que pioraria nossos quadros, mas sim formação de Padres que sequer acreditam nos dogmas

    • Besteira, raciocínio enganoso. Desculpe me as palavras, mas não pude me conter. O problema não é o celibato, o número de pregadores pedófilos é maior entre os protestantes do que entre os católicos !!!! Verifique, faça uma busca na web. Iste tipo de raciocínio é uma falácia !!!!! O modelo é e sempre será Cristo, o qual nunca se casou !!!!

  23. Leonardo Boff enfiado nessa tal de Teologia da Libertação, a TdL, melhor seria o nome ideal IDEOLOGIA DA COMUNIZAÇÃO, não passa de um sabotador da fé na nossa Igreja católica, a religião mais perseguida do mundo, pois aí v tem certeza de que o Chifrudo está por trás manejando seus bonecos e como detesta o Senhor Jesus!
    V duvidaria que esse picareta da TdL seria um infiltrado na Igreja a serviço dos deuses George Soros, Bildbergs, Rockfeller e mais que remontam a Baal e estão enfiados nos grupelhos a serviço dos homens de avental, filhos do deus GADU?
    Os ideologistas têm varias frentes de combate, uma delas é o braço disfarçado de religioso para seduzir as massas, na palhaçada de “opção preferencial pelos pobres” e outras tramoias; pensando bem, esses só vivem de tapeações vindas do monstro que comanda eles!

  24. Parece que ninguém percebe que colocar mulher pra celebrar Missa ou autorizar ordenação de homens casados não resolverá o problema do Ocidente. A Igreja Anglicana já fez todas essas experiências e não conseguiu resolver a questão do abandono da fé (ou ao menos da sua prática visível e comunitária), não só na Inglaterra mas em todas as partes. A crise é bem mais profunda!!!!!!!

    • Tem toda razão padre. Não só os anglicanos; os luteranos também vêm aderindo a essas práticas há algumas décadas e vá ver como anda a fé em países como Dinamarca, Suécia, Islândia e Finlândia: cada ano aumenta absurdamente o número dos que se declaram ateus e agnósticos. E mesmo com a ajuda estatal que essas igrejas recebem, vê-se cada vez mais esses estados longe de Deus, com todo o seu modernismo secular (aborto livre, casamento homossexual, eutanásia, legalização das drogas). As pessoas realmente não percebem que o problema é bem mais em baixo!

  25. Mais uma notícia da Rádio Vaticano, na qual Dom Cláudio Hummes propõe a ordenação de diáconos casados.

    (Um excerto)

    Autonomia aos diáconos casados

    Hoje, dizem até mesmo os sociólogos, se a Igreja Católica não quiser continuar a perder grande contingente de fiéis, precisa providenciar pastores que residam na comunidade, que sejam presença constante ali. Os pentecostais assim o fazem. O Papa Francisco, diante desta nossa carência de ministros ordenados locais, continua a sugerir que se ordenem mais diáconos casados permanentes, autóctones e também indígenas, que morem e convivam com a comunidade que lhes for confiada. A esses diáconos permanentes será preciso dar uma autonomia pastoral adequada para que possam realmente assumir a comunidade com responsabilidade própria e não sejam meros encarregados da parte do padre da paróquia local. É claro que precisará do padre para aqueles que são os sacramentos da vida quotidiana dos católicos, isto é, a eucaristia, a confissão sacramental e a unção dos enfermos.

    http://br.radiovaticana.va/news/2016/11/15/card_hummes_chama_bispos_da_amaz%C3%B4nia_a_propostas_ao_papa/1272506

    Penso que se isso for colocado em prática na Amazônia poderá servir de degrau para a ordenação, no futuro, de homens casados.

  26. Será que o Papa ou a a sala de imprensa do Vaticano vai silenciar sobre isso também?

  27. Olha, aprecio todas as considerações aqui postadas. Mas uma coisa temos também que observar. Assim como o Renato Assis, também fui seminarista muitos e muitos anos. Convivi com muitas situações contraditórias, mas o que tenho observado é que o clero que tem se formado atualmente está mais amadurecido tanto espiritualmente como afetivamente. Muita gente séria e, por que não, santa que tem alavancado a formação como também a espiritualidade nos seminários. Aconteceram coisas erras? é inegável, mas também muita coisa boa, muita mesma, foi realizada. Por fim, celibato não é dogma de fé. Se resultar em mudanças positivas, que venha.

    • Deus te ouça. Que venham santos sacerdotes e fiéis.

    • Meu amigo, como padre posso dizer que a sua visão é equivocada. O que mais falta hoje na Igreja Católica (para não dizer em todas as igrejas cristãs) é ESPIRITUALIDADE. Sem isso não iremos a lugar nenhum.

    • Permita-me o amigo “Fap” acrescentar algo sobre o que eu entendo como “espiritualidade”. 1. Uma profunda vida de oração; 2. Uma intensa vivência, conhecimento e pregação da Palavra de Deus; 3. Uma profunda participação diária na Santa Missa e na sagrada Eucaristia; 4. Uma vida de perfeita busca da CARIDADE, consequência dos outros três anteriores. Veja Atos 2,42 e o amigo verá que na Igreja Católica “não existe nada novo debaixo do sol “. Não atingi tudo isso, meu amigo. Mas é isso que procuro sincera.

  28. Abri vossos corações e deixai-vos guiar por Deus. Caminhais para um futuro doloroso. Uma grande tempestade virá e a Grande Embarcação será atingida. Convido-vos a experimentardes a Graça do Senhor pela força da Oração e na Escuta da Sua Palavra. Para estes tempos de tribulações ofereço-vos como armas o Santo Rosário, a Sagrada Escritura, a Eucaristia e a fidelidade ao Verdadeiro Magistério da Igreja. Os justos beberão o cálice amargo do desprezo e da indiferença. Dias virão em que os Defensores da Fé serão tratados como inimigos. Rezai. Somente pela força da oração podeis vencer o demônio. Os lobos disfarçados de cordeiros causarão grande mal aos Escolhidos de Deus. Não desanimeis. Permanecei firmes no Caminho que vos apontei. Tudo aquilo que é falso cairá por terra. Pela perseverança de um pequeno rebanho a Igreja do Meu Jesus conservará a fé. Avante sem medo.
    (4.410 – Mensagem de Nossa Senhora Rainha da Paz, transmitida em 01/01/2017)

    • Para vós, portanto, que tendes crido, cabe a honra. Mas, para os incrédulos, a pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a pedra angular, uma pedra de tropeço, uma pedra de escândalo (Sl 117,22; Is 8,14).

  29. Algo impressiona. Não obstante saibamos que para os inimigos da Igreja de Nosso Senhor pouco importa, é impressionante como, ao contrário do que dizem, a Igreja brasileira é “tolerante” para com lobos como o Boff et caterva: cometem os piores sacrilégios e demais heresias de todo tipo – publicamente – e nada acontece. Imagina só vc chegar numa Paróquia e se defrontar com o Genésio “celebrando”?! É caso de polícia. Fala-se tanto de “justiça social”, de “moralização da política” etc., mas não é “desonestidade” (não quero dizer pior) e “injustiça” sequestrar uma instituição e ensinar o contrário daquilo que ela prega, não!? Hipócritas!

  30. Quanto ao Santo Padre, oremos mesmo por ele, e que as palavras do Boff sejam apenas agitações de serpente. SUPLIQUEMOS misericórdia à Santa Virgem para que um raio não nos caia na cabeça de vez. ConfiemoS. Mater Misericordiae, miserere nobis!

  31. Fico vendo pessoas bem intencionadas dizendo que a situação vai melhorar porque as vocações são, hoje, mais maduras “afetivamente” etc. Ora, as vocações precisam ser mais maduras, sim, mas precisam também ser integralmente católicas. Quem quer que seja que professe os erros do Vaticano II está fora do páreo neste quesito. Todo o Concílio, de fato, gira em torno da ideia de ecumenismo, não como a Igreja católica o propôs inicialmente, com Pio XII, “per reditus”, isto é, pelo retorno dos dissidentes à comunhão católica, mas por uma espécie de acomodação sincrética e não-dogmática (essa é aliás a doutrina de Bergoglio e não só) No entanto, a doutrina do Concílio nega a necessidade do retorno, “reditus” (lê-se “réditus”), e reconhece que as comunidades dissidentes são até mesmo dotadas de valor salvífico – doutrina esta negada SOLENE E EXPRESSAMENTE por todos os Papas anteriores a João XXIII.

    Foi em nome dessa obsessão doentia do ecumenismo que foram destruídas todas as instituições católicas, a começar pela liturgia. Como se sabe, Paulo VI traiu a Igreja ao impor seu missal, do qual ele fez retirar todos os elementos que desagradavam aos protestantes. À época, houve também outro Burke, chama-se Ottaviani, cardeal prefeito do Santo Ofício, que suplicou a Paulo VI que não impusesse o seu rito espúrio, fabricado com a consultoria de protestantes e outros mais. Paulo VI deu com os ombros e foi adiante. Morreu sozinho e amargurado, cercado de gente da pior espécie.

    Enquanto, pois, a desobediência de Paulo VI e todas as outras se mantiverem, esqueçam, os bem intencionados, a esperança de alguma restauração da Igreja como um todo. Pois ela não virá. Essa restauração depende de uma graça especialíssima e não merecida – e não merecida por conta da prevaricação e da obstinação que estão na origem desse castigo que pesa sobre a Igreja.

    A missa é a própria vida da Igreja neste mundo. Entendem por que a Igreja está morrendo?

  32. Jesus garantiu por suas próprias palavras: as portas do inferno jamais prevalecerão. Desde sua criação o ser humano sempre teve uma disputa dentro de si: tornar-se um ser a semelhança do criador ou ser um ser baseado nas sensações e noções de seu físico, que é meramente animal e por isso, absolutamente mortal, embora não conheça, a teologia da libertação não aponta para outra coisa, assim como a teologia da prosperidade. A promessa de Jesus deixará de se cumprir ou será que Sua questão encontrará repouso nesse fato: quando o filho do homem voltar ainda encontrará fé sobre a terra?

  33. Se o Papa responder algo sobre essa entrevista do Boff, vão perguntar por que ele não responde aos quatro cardeais sobre os Dubia. Se ele não responder, ficará parecendo que o Boff diz a verdade.
    “Sinuca de bico”!

  34. Quando eu vejo gente repetindo: “Por fim, celibato não é dogma de fé. Se resultar em mudanças positivas, que venha”, me dá um aperto no coração porque Jesus deixou pra sua Igreja um modelo de perfeição:
    “Assim sendo, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai que está nos céus”.
    E São Paulo confirma a Doutrina do Celibato em sua II Carta aos Corintios:
    “O solteiro cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor;
    Mas o que é casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à mulher e está dividido”.
    (1 Coríntios 7:32,33)
    Ora, como então alguém tem a coragem de vir repetir esse bordão modernista de que isso ou aquilo na Tradição da Igreja se não é dogma de fé pode ser mudado à revelia? Como se modernista se importasse com “dogmas de fé”!
    Desde que adotaram a tese modernista da “evolução do dogma”, já não existem mais “verdades inegociáveis”! Tudo passou a ser passível de novas interpretações nessa gestão bergogliana.
    São Tomás de Aquino diz: Bonum ex integra causa, malum ex quoqumque defectu. Ou seja: o bem vem da plenitude das coisas, já o mal vem de qualquer defeito.
    Infelizmente, os defeitos e as excessões passaram a ser a verdade e a regra nessa igreja bergogliana que não prima mais pela perfeição e nem pela pleniturde da verdade. E tudo isso vem do Maligno.

  35. Site Sinais do Reino – Principal – Artigos: Pistas sobre o Terceiro Segredo, segundo Pe. Malachi Martin, que o leu (31/12/2016) ; A “evolução” do dogma e a desnecessidade da Igreja de Cristo (04/01/2017).