Grão-mestre da Ordem de Malta renuncia a pedido de Francisco.

Por Edward Pentin, National Catholic Register, 24 de janeiro de 2017 | Tradução: FratresInUnum.com: O grão-mestre dos Cavaleiros de Malta renunciou após uma disputa entre a Ordem e a Santa Sé, confirmou o porta-voz da antiga organização.

Segundo o porta-voz, Fra’ Matthew Festing renunciou após o papa Francisco pedir-lhe que deixasse o posto em um encontro na terça-feira, segundo a Reuters.

screen_shot_2017-01-25_at_03-28-07-1

Fra’ Matthew Festing

“O Papa lhe pediu que renunciasse e ele concordou”, declarou o porta-voz, acrescentando que o próximo passo seria uma formalidade em que o Conselho Soberano da ordem aprovaria a renúncia extremamente incomum. Normalmente, os grão-mestres ocupam o posto de modo vitalício.

A Ordem agora será administrada por seu número dois, o Grão-comandante, até que o novo líder seja eleito.

A Ordem de Malta e o Vaticano entraram em um embate, no mês passado, quando Fra’ Festing demitiu o Grão-chanceler Albrecht Freiherr von Boeselager, a terceira maior autoridade da Ordem. Pediu-se que Boeselager renunciasse e, quando ele se recusou por duas vezes, ocorreu a demissão justificada por insubordinação.

A razão ostensiva por trás do pedido de renuncia apresentado a Boeselager foi a de que ele foi considerado, em última instância, o responsável, após uma comissão de investigação, por permitir que contraceptivos fossem distribuídos pela agência humanitária da Ordem. Porém, a Ordem também alega ter havido outros fatores “confidenciais” em jogo, bem como uma “perda de confiança”.

Boeselager protestou contra as acusações e argumentou contra a forma como se deu sua demissão. Ele apelou ao Papa, que erigiu uma comissão de cinco membros para investigar as circunstâncias incomuns da demissão. Fra’ Festing recusou a cooperar, afirmando que a comissão estava interferindo na soberania e no direito da Ordem de gerir seus assuntos internos.

Também por trás da disputa estava acusações de uma ambiciosa associação alemão competindo pelo controle da Ordem, acusações de que o Grão-mestre estava sendo excessivamente autoritário, e conflitos de interesse entre os membros da comissão da Santa Sé.

Três membros da comissão, juntamente com Boeselager, estiveram envolvidos em uma doação recebida de $118 milhões por um fideicomissio na Suíça. Apesar de a documentação comprovar o contrário, o fideicomissio negou qualquer ligação com a Ordem.

Anúncios

17 Comentários to “Grão-mestre da Ordem de Malta renuncia a pedido de Francisco.”

  1. A misericórdia é IMPLACÁVEL!

  2. Por que Francisco faz estas coisas? Chega a ser escandaloso, a dar bandeira demais.

  3. Podem dar as desculpas que quiserem pra tentar explicar esse embrólio na Ordem de Malta, mas o alvo visado era e é ainda o Cardeal Burke.
    Distribuição de contraceptivos pela agência humanitária da Ordem? Sim, é escandaloso da parte de qualquer organização que se diz Católica, mas o fato é que não vi Bergoglio se levantar contra o Obamacare que praticamente obrigava instituições Católicas a fazer o mesmo no EUA! Graças a Deus por Trump que vai acabar com essa abominação!
    Religiosas como as “Irmãzinhas dos Pobres” nos Estados Unidos tiveram que entrar com ação na Suprema Corte Americana, porque do Vaticano mesmo não veio nem palavra e nem apoio!
    A Suprema Corte dos Estados Unidos determinou no dia 16 de maio, de forma unânime, que o Governo não pode multar as Irmãzinhas dos Pobres por não cederem diante do mandato abortista da administração do presidente Barack Obama.
    Mas Bergoglio mesmo não deu um pio sobre o assunto ao visitar o EUA ou ao receber Obama no Vaticano! E se as Irmãs tivessem perdido na Suprema Corte e tivessem sido obrigadas a fazer o mesmo que a agência humanitária da Ordem fez ( prover contraceptivos) , obviamente que não seriam submetidas ao mesmo “comissariamento”. Isso só vale para os desafetos!
    Então eu duvido muito que um Bergoglio que recebe transexuais no Vaticano, que não vê nada de errado em casais viverem em concubinato ou receberem Comunhão em estado de adultério, esteja muito preocupado com distribuição de contraceptivos!
    A Ordem também alega ter havido outros fatores “confidenciais” em jogo, bem como uma “perda de confiança”. Ora, não havia nenhum desses fatores na Academia Pontifícia para a Vida, e no entanto a Academia foi fechada, seus membros demitidos ou substituidos, para ser reaberta sob uma nova direção mais liberal!
    E agora vemos o que estava por trás desse expurgo! Porta-vozes da cultura de morte agora tem amplo acesso ao Vaticano e ainda são recebidos e honrados como palestrantes, sem ter quem levante a voz contra eles!
    O Vaticano convidou um renomado defensor do aborto como meio de controle populacional, pra falar numa conferência maracada para o próximo dia 27 de fevereiro. Dr. Paul Ehrlich, autor do bestseller “The Population Bomb”, estará no Vaticano pra discutir “como salvar o mundo natural.” Esse famoso biologista da Universidade de Stanford defende a seleção de sexos pelo aborto e a esterilização em massa como métodos legítimos para controlar o crescimento populacional.
    Ao meu ver, muito mais escandaloso do que uma agência humanitária ligada a uma Ordem Católica distribuir anticoncepcionais, é o fato do Pontífice em pessoa ter permitido que um defensor do aborto e da eugenia como método de controle populacional, dê palestra dentro do Vaticano!
    Não se iludam! Se Bergoglio e seus asseclas tiverem que dissolver a própria Ordem de Malta ou disassociá-la completamente da Igreja pra neutralizar o Cardeal Burke, eles irão fazê-lo. Burke para eles é como um rato em uma loja de cristais e se eles tiverem que quebrar a loja inteira pra esmagar o rato, eles o farão! Rezem muito pelo Cardeal Burke.

  4. Podem discordar o tanto que quiserem. Se o grão mestre renunciou a pedido (ou à ordem) do Papa é porque também não é tão limpo nesta história ou em alguma outra qualquer. Se estivesse completamente correto não cederia à pressão. Não tem obrigação. Tudo muito nebuloso neste mundo que opera muitos milhões em dinheiro.

  5. Vi algumas reportagens dizendo que Francisco o demitiu por conta da distribuição de preservativos, dando a entender que Francisco é contra anticoncepcionais, e o fez pelo fato da Ordem estar agindo contra a doutrina da Igreja…
    Mas pelo que estou acompanhando desse caso, não me parece que a distribuição de preservativos tenha incomodado o Vaticano…

    • Você está confundindo as pessoas, o que aconteceu foi que o Papa demitiu a pessoa que puniu aquele que permitiu a distribuição de preservativos.

  6. – Il governo dell’Ordine sarà assunto ad interim dal Gran Commendatore finché verrà nominato il Delegato Pontificio.
    – The governance of the Order will be undertaken ad interim by the Grand Commander pending the appointment of the Papal Delegate.
    – El gobierno de la Orden será asumido ad interim por el Gran Comendador hasta que sea nombrado el Delegado Pontificio.
    https://press.vatican.va/content/salastampa/it/bollettino/pubblico/2017/01/25/0057/00139.html

    Gravíssimo!!! O que há atrás de tudo isto?… Não só o cardeal Burke…

    • O que mais me chamou atenção neste comunicado é que o Vaticano nomeará um delegado apostólico para a Ordem, sendo que já há nela 3 prelados responsáveis por cuidar espiritualmente dos membros da Ordem e fazer a ponte entre ela e o Vaticano: cardeal Burke (patrono), dom Antônio Franco (assessor) e dom Jean Laffitte (prelado). Os três foram nomeados pelo próprio Francisco. Qual então é a necessidade de uma quarta pessoa? Será que os três que já estão lá não são de confiança? E outra, se a Ordem é soberana e independente, como pode aceitar interferências externas?

  7. As esquerdas sobrevivem de conspirações e olham apenas para as fragilidades dos desafetos, por menores que sejam servem para os interpelar o mais duro possível – basta recordarem os vampiros do PT – elas mesmas estão “imunes e impermeaveis” a erros!
    A questão dos preservativos seria uma fragilidade de que se aproveitariam, mas os erros deles jamais se desculpam, nunca se mostram errados e odeiam ser interpelados!
    Aliás, a palavra misericordia de uns tempos para cá parece estar sendo omitida pois causaria ainda mais mal-estar, pois o momento parece ser de repressão, já que diretiva da suposta “misericordia” teria sido desmascarada!
    Recentemente, 2 bispos dos EUA acordaram a mais, ajuntando-se a um coro que só aumenta, e convém que assim seja.
    Um deles, ex anglicano, D Steven Lopes disse que “os peixes vivos remam contra a maré, no entanto, os mortos vão na corrente”, uma boa análise aplicável àqueles que aceitam passivamente tudo que o papa Francisco vem ensinando, sem nada de contradizente ou mesmo de ambiguidade doutrinaria perceberem, muito ao contrario, vêem-lhe apenas ortodoxia e necessidades de ele adequar a doutrina atendente a nossos tempos atuais!…
    Por outro lado, D Thomas J Tobin, num post no Facebook, o bispo de Providence, Rhode Island, escreveu que o documento permite uma ampla gama de interpretações e é por isso que muitos prelados e comentadores têm diferentes pontos de vista sobre ele e as variações a esse respeito são as mais inúmeras.
    Ele escreveu: depois de refletir, tornou-se bastante claro que o documento do Papa Francisco sobre o casamento e a família, ‘Amoris Laetitia’ é marcado pela ambiguidade, e isso é intencional por parte do Santo Padre, penso eu.
    Isso explica por que, nos últimos pares de dias, nós tivemos interpretações muito diferentes do documento a partir de dois proeminentes líderes da Igreja — o arcebispo Charles Chaput, da Filadélfia e cardeal Christoph Schonborn, de Viena. E de muitos outros comentaristas também.
    A boa notícia é que, por causa dessa ambiguidade, as pessoas podem fazer praticamente o que quiserem. A má notícia é que, por causa dessa ambiguidade, as pessoas podem fazer praticamente o que quiserem.
    Vai entender!
    … D Chaput também escreveu que divorciados e civilmente recasados e aqueles em relacionamentos do mesmo sexo ativo e aberto não devem ocupar cargos de responsabilidade municipal, ou participar de ministérios litúrgicos por causa do potencial para o escândalo.
    “Tal como acontece com todos os documentos magisteriais, Amoris Laetitia é melhor entendido quando lido dentro da tradição do ensino e da vida da Igreja”, escreveu Chaput.

  8. Frey Matthew Festing convoca un Soberano Consejo para formalizar su renuncia al oficio de Gran Maestre
    Roma, 25/01/2017
    El Gran Magisterio de la Soberana Orden de Malta anuncia que el Gran Maestre Frey Matthew Festing, ha convocado un Soberano Consejo extraordinario para el día 28 de enero para la aceptación de su renuncia al oficio de Gran Maestre. Esto está de acuerdo con el Artículo 16 de la Constitución de la Soberana Orden de Malta.
    https://www.orderofmalta.int/es/2017/01/25/frey-matthew-festing-convoca-un-soberano-consejo-para-formalizar-su-renuncia-al-oficio-de-gran-maestre/

  9. Essa posição teológica conhecemos. Alguns Santos Doutores da Igreja a ensinaram. Até alguns Papas. Mas nunca tinha visto um Cardeal da Santa Igreja dizendo isso claramente nos dias atuais. Embora ele diga que o Papa “não está nem perto da heresia” (discutível demais, acho que está bem perto, senão nela já), vejam o que o Cardeal Burke, no decorrer da entrevista, disse. Sabemos que uma coisa é DIZER UMA HERESIA, outra é SER HEREGE. Parece-me que está inegável que heresias estão sendo ditas pela hierarquia católica há alguns anos. Agora não sou eu quem vai julgar isso e declarar nada, não temos essa autoridade. A Igreja é uma hierarquia. Pois bem… Cito:

    CWR: Algumas pessoas estão a dizer que o papa poderia separar-se da comunhão da Igreja. Pode o papa ser legitimamente declarado como alguém que está em cisma ou em heresia?

    Cardeal Burke: Se um papa professasse heresia formalmente ele deixaria, em virtude deste acto, de ser papa. Isto é automático. E, portanto, poderia acontecer.

    CWR: Isso poderia acontecer?

    Cardeal Burke: Sim.

    CWR: É um pensamento assustador.

    Cardeal Burke: É um pensamento assustador, e eu espero que não venhamos a testemunhá-lo em breve.

    http://www.catholicworldreport.com/Item/5292/cardinal_burke_no_i_am_not_saying_that_pope_francis_is_in_heresy.aspx

  10. Obrigado pela informação; Jose

  11. “O Vaticano convidou um renomado defensor do aborto como meio de controle populacional, pra falar numa conferência maracada para o próximo dia 27 de fevereiro. Dr. Paul Ehrlich,…”

    Gercione Lima , e não há nenhuma voz que impeça a ida desse homem nessa conferência?

    Quem irá se levantar contra esses convidados de Bergoglio, todos contra a moral católica, de irem ao Vaticano? Não é o momento de começar a criar, ou apoiar, caso já exista, esses grupos ou movimentos contrários a toda essas aberrações?

  12. Não faço parte do clero mesmo e por enquanto posso dizer como vejo a situação.
    Francisco se faz tudo para todos: para os adúlteros um pai bonachão, para o mundo o Papa-gaio do George Soros, para os rígidos que questionam as reformas, o implacável Javali da mata virgem.
    Evidente que o alvo é Burke e previamente intimidar a todos os que oferecem resistências às reformas.

  13. Esse papa quer destruir a Soberana Ordem Militer de Malta, que começou como uma ordem beneditina fundada no século XI na Palestina, durante as Cruzadas!
    Atualmente, a Ordem de Malta é uma organização humanitária soberana internacional, reconhecida como entidade de direito internacional.
    Atualmente, a Ordem de Malta mantém relações diplomáticas com o Vaticano e com 104 Estados, onde possui, inclusive, embaixadas! A ordem ainda possui, inclusive, representação na ONU (tendo até um Observador Internacional), e é filiada à Cruz Vermelha e a outras organizações internacionais. A Ordem de Malta atua como uma organização humanitária internacional, fundando hospitais e centros de reabilitação em diversos países, principalmente na África!
    A Ordem de Malta tem algumas características de um Estado soberano, incluindo um hino, relações diplomáticas com diversos países e Observador nas Nações Unidas, e ostenta a personalidade jurídica do Direito das Gentes. Alguns doutrinadores questionam a personalidade jurídica internacional da Ordem de Malta, no entanto a Ordem é um dos primeiros entes de Direito Internacional que estão em atividade até nossos dias. Sua presença em certas conferências internacionais se, em geral, dá sob o estatuto de entidade observadora. A ordem não costuma ser parte em tratados multilaterais, e o Estado que porventura haja com ela pactuado, o fez bilateralmente dentro de suas atribuições soberanas, reconhecendo por sua vez a soberania da Ordem.
    Alguém avise esse senhor, das barbaridades que comete, ao se imiscuir nos assuntos internos da Ordem!
    Vamos fazer gritaria, contra essa violação ao Direito Internacional!

  14. O Grão-Mestre estava preso ao voto de obediência e acatou o pedido de Francisco. Sei que a obediência é uma virtude anexa a justiça. Mas, neste caso, não consigo vislumbrar tal ato como virtuoso. Alguém poderia esclarecer isto desenvolvendo melhor tal assunto?