Papa Francisco marca o ‘Dia pela Vida’ com eufemismo para a palavra aborto.

“Interrupção da gravidez”. Eufemismo já condenado por São João Paulo II.

Por Voice of the Family | Tradução: FratresInUnum.com –  O papa Francisco marcou o “Dia pela Vida”, na Itália, adotando o eufemismo do lobby pró-aborto “interrupção da gravidez”, ao invés da linguagem que descreve com precisão o assassinato de crianças no ventre de suas mães.

p-zasanpietro-semivuota-giornatavita2017

Dia pela Vida de 2017 com Francisco, fracasso de público.

Em sua mensagem, o Santo Padre diz algumas palavras promissoras, encorajando uma “ação educativa corajosa a favor da vida humana” e lembrando à multidão reunida que “toda vida é sagrada”. Infelizmente, ao invés de se referir ao aborto, ele adota a terminologia utilizada pela indústria do aborto. Na verdade, a forma das palavras usadas pelo Papa Francisco foi especificamente condenada pelo Papa João Paulo II, em sua encíclica Evangelium Vitae:

Precisamente no caso do aborto, verifica-se a difusão de uma terminologia ambígua, como « interrupção da gravidez », que tende a esconder a verdadeira natureza dele e a atenuar a sua gravidade na opinião pública. Talvez este fenómeno linguístico seja já, em si mesmo, sintoma de um mal-estar das consciências. Mas nenhuma palavra basta para alterar a realidade das coisas: o aborto provocado é a morte deliberada e direta, independentemente da forma como venha realizada, de um ser humano na fase inicial da sua existência, que vai da concepção ao nascimento. (Evangelium Vitae, No. 58)

Expressões como “interrupção da gravidez” e “terminação da gravidez” são usadas pelo lobby pró-aborto – pessoas que promovem ou realizam a matança de crianças – para camuflar a realidade do aborto. O termo “interrupção da gravidez” é particularmente ofensivo, como se a vida do nascituro não fosse  “interrompida” pelo aborto. Com  efeito, é permanentemente encerrada – nunca mais poderá ser retomada. O uso de tal linguagem pelo Papa Francisco reflete uma crescente convergência de linguagem, políticas e idéias entre as autoridades do Vaticano e o movimento internacional pelo controle populacional.

Papa Francisco declarou-se “satisfeito” com as metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para 2030 que exigem “o acesso universal à saúde sexual e reprodutiva”. Esses termos são usados por agências das Nações Unidas, organizações internacionais e muitos governos nacionais para promover o acesso universal ao aborto e à contracepção.

O Vaticano já recebeu várias personalidades entre as mais influentes no movimento de controle da natalidade, como Professor Jeffrey Sachs, que participou de pelo menos dez eventos no Vaticano durante o pontificado atual. Paul Ehrlich, que advoga pelo aborto compulsório e esterilização em massa, e que será um palestrante convidado em um evento organizado conjuntamente pela Pontifícia Academia das Ciências e a Academia Pontifícia das Ciências Sociais no final deste mês.

O Conselho Pontifício para a Família (PCF) produziu um programa de educação sexual que contém imagens obscenas. Dr. Rick Fitzgibbons, psiquiatra e Professor Adjunto do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família, na Universidade Católica da América, e que vem trabalhando com crianças que foram vítimas de abuso sexual por parte do clero e com sacerdotes envolvidos em tais abusos, depois de rever o programa do PCF, disse:

“Na minha opinião profissional, a ameaça mais perigosa para a juventude católica que eu já vi ao longo dos últimos 40 anos é esse novo programa do Vaticano para educação sexual, intitulado “Ponto de Encontro – Curso de Afetividade e Educação Sexual para Jovens“.

Ele continuou:

Eu fiquei particularmente chocado com as imagens contidas neste novo programa de educação sexual, algumas das quais são claramente pornográficas. Minha reação profissional imediata foi que essa abordagem obscena ou pornográfica é um abuso tanto psicológico como espiritual contra a juventude.”

As estimativas mais conservadoras indicam que mais de um bilhão de vidas humanas em fase de gestação foram perdidas desde a legalização do aborto em quase todo o mundo durante o século XX. Essas mortes excedem o número de pessoas mortas em todas as guerras ao longo da história humana registrada, onde as estimativas de mortes variam entre 150 milhões a 1 bilhão.

No entanto, o papa Francisco, enquanto faz algumas breves referências ao aborto em homilias e discursos, não faz nada de concreto para mitigar este assassinato em massa. Os documentos dos dois sínodos sobre a família, que foram todos aprovados pelo Papa antes da sua publicação, ou não mencionam de forma alguma a questão, ou só fazem uma breve referência de passagem sobre a questão do aborto – o qual no mundo inteiro colocou como alvo de destruição em massa o membro mais vulnerável da família, a criança no ventre materno, e que causou danos incalculáveis aos membros sobreviventes das famílias envolvidas.

A Exortação Apostólica Amoris Laetitia, supostamente elaborada para ajudar as famílias no mundo moderno, mas que na verdade só serviu pra minar a doutrina católica sobre a natureza da lei moral, contém apenas duas referências passageiras ao aborto (nos pontos 42 e 179), e em nenhum dos dois há uma condenação da prática como um mal em si mesmo. Dar tão pouco espaço, em um documento sobre a família, a um crime que tem como alvo os membros mais vulneráveis da família no santuário que é o ventre de suas mães, reflete um descaso chocante com relação ao destino dos nascituros. A confortável co-existência do Papa Francisco com a “cultura da morte” foi exibida claramente quando ele se referiu à abortista Emma Bonino, que tem sido uma das principais advogadas do aborto na Itália durante décadas, como uma “grande esquecida”. Isso também pode ser visto em sua entrevista, de setembro de 2013, a Antonio Spadaro na qual ele afirmou que “não podemos insistir apenas em questões relacionadas ao aborto, casamento gay e o uso de métodos contraceptivos.”

O problema é que, longe de falar muito sobre o aborto, a hierarquia Católica tem sido, com algumas honrosas exceções, em grande parte silenciosa ao longo dos últimos cinquenta anos diante do maior assassinato em massa de seres humanos na história.

Hoje, Voz da Família gostaria de lembrar respeitosamente ao Santo Padre e à Igreja como um todo da realidade sobre os métodos envolvidos no aborto. Nos seguintes vídeos, produzidos pela Live Action, o ex-abortista Anthony Levantino explica o que realmente acontece durante os procedimentos de aborto.

Anúncios
Tags: , ,

22 Comentários to “Papa Francisco marca o ‘Dia pela Vida’ com eufemismo para a palavra aborto.”

  1. Assim como existe e está totalmente arraigado e cultivado na sociedade permissiva atual o Marxismo Cultural Ideológico, há também uma figura de linguagem, melhor, de pensamento, que consiste no emprego de palavras, expressões ou circunlóquios – rodeios de palavras – distorcendo o sentido associado a ele agindo noutro front, o Relativismo Cultural que se apresenta por meio de Eufemismos, caso do aborto que é um assassinato frio e cruel de uma vida, de alguém de igual direito a ela, por quem a atrozmente trucida e ainda sem ter chance de defesa.
    Que faz então o eufêmico Relativismo Cultural? Situa o caso acima com termos que não exprimem sua realidade absoluta, mas por meio de palavras ou frases que atenuam ou suprimem seus efeitos maléficos e faz com que, por ex., o abominável aborto passe a ser configurado não como tal, mas uma “interrupção da gravidez, até mesmo “profilaxia da gravidez” etc., o que de imediato deixa de ser algo tão tenebroso, ignominioso, mas algo até palatável, assim como o “acesso universal à saúde sexual e reprodutiva” que equivaleria ao “controle artificial de natalidade”.
    Dessa forma, assim como no caso do aborto que teve sua ação mitigada ou quase extinta por esse artificio, o Relativismo Cultural age noutras esferas, como: rapaz delicado = homossexual; cego = deficiente visual; mídia golpista = imprensa independente; justiça social = tomar dos pobres e doar para os ricos etc.
    “Precisamente no caso do aborto, verifica-se a difusão de uma terminologia ambígua, como « interrupção da gravidez », que tende a esconder a verdadeira natureza dele e a atenuar a sua gravidade na opinião pública. Talvez este fenómeno linguístico seja já, em si mesmo, sintoma de um mal-estar das consciências. Mas nenhuma palavra basta para alterar a realidade das coisas: o aborto provocado é a morte deliberada e direta, independentemente da forma como venha realizada, de um ser humano na fase inicial da sua existência, que vai da concepção ao nascimento. (Evangelium Vitae, No. 58), e nesse caso teria alvejado em parte ou ao todo o papa Francisco.
    Quanto à educação sexual em massa ser dispensável, pior ainda via apresentação de fotos eróticas, provocantes, seria o mesmo que ao lado desse suposto ensinamento se utilizassem videos de novelas ou edições pornôs, como a ex revista Play Boy ou similares.

  2. O termo ‘aborto’ já é um eufemismo para ‘ASSASSINATO’.

  3. E ainda tem quem ache que não tá tudo dominado por lá…..

  4. Caro Isaías, que “este fenômeno linguístico seja já, em si mesmo, sintoma de um mal-estar das consciências”, é um dado de fato e incontestável. O escândalo aqui é que a manipulação semântica está sendo cada dia mais usada por aquele que tem o cômpito de proteger e defender a Sã Doutrina, além de confirmar os Católicos na fé.
    Jesus foi claro quando disse: “seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do maligno”.
    Portanto, o que estamos assistindo ao vivo e a cores é a ação do Maligno a todo vapor, por trás da impostura que se ergueu dentro do Vaticano.
    A tática é simples com relação ao aborto. Assim que Bergoglio ocupou o Solio Pontifício, ele disse em entrevista, para choque e decepção de todo o movimento pró-vida nascido no pontificado de João Paulo II, que a Igreja não deveria ficar “obsecada” com “questões relativas ao aborto e contracepção”.
    Como sempre, os únicos a ficarem escandalizados e soar o alarme foram os Católicos mais conservadores e tradicionalistas. O resto dos mornos, aqueles que usam anticoncepcionais como quem engole jujubas, respiraram aliviados e ainda aplaudiram.
    O problema foi o que veio em seguida, pois Bergoglio não dá ponto sem nó: muitos padres e bispos pararam de falar no assunto em suas dioceses, alguns padres e freiras no USA já desfilam abertamente em marchas do movimento feminista onde o aborto é o carro-chefe, todos os membros da Pontifícia Academia para a Vida foram demitidos e substituídos por relativistas em relação ao aborto, conferencistas pró-aborto estão sendo convidados a dar palestras no Vaticano, sem falar que qualquer padre agora pode dar o perdão para o crime de aborto no confessionário, sem levar em conta que tal pecado incorre na excomunhão latae sententiae e que o penitente, como galho cerrado da videira deveria primeiramente procurar o bispo pra ser novamente enxertado à Igreja. A cereja que faltava encima desse bolo de mentiras é a substituição da palavra ABORTO por “interrupção da gravidez”.
    Manipulação semântica nunca é uma estratégia inconsequente e inócua. Por trás dela há todo um projeto de destruição da verdade. No momento em que Bergoglio soltou aquele infame “se uma pessoa é gay quem sou eu pra julgar”, já havia toda uma estratégia pra tirar a sodomia do rol dos pecados abomináveis que clamam ao céu por vingança.
    E nós vimos isso no famigerado Sínodo das Famílias onde bispos liberais defenderam abertamente a manipulação semântica pra evitar “homofobia” na Igreja, pasmem!! Hoje graças à Bergoglio, já temos até dragqueens fazendo leitura durante as missas, militantes homossexuais com bandeira do arco-iris comungando e padres usando estolas de arco-íris pra fazer propaganda do movimento dentro de igrejas que se dizem Católicas. Tudo “gente de bom coração”, e afinal quem somos nós pra julgar?

    • Desejando que esteja cada vez melhor recuperada., prezada Gercione, v elencou uma serie de fatos estranhos que se sucedem aos poucos, sempre em ascensão até chegar ao momento atual, estando como que a jiboia vai que vai estrangulando gradativamente a vítima até à sufocação e morte.
      Nesse ponto de descobrirem certas cositas que se passavam dentro do Vaticano v tem sido pioneira entre comentaristas, sobre denuncias que vieram desde a Argentina do tempo do ainda cardeal Bergoglio e sobre “Tucho”, esse caso agora sabido, mas v o antecipou há tempos.
      Quando o chacal L Boff chega a dizer que “o papa Francisco é um dos nossos”, desafeto do saudoso Bento XVI e a midia globalista silente em relação ao papado ou o elogiando pelos seus tentáculos, temos que pensar, orar e recorrer com fé a N Senhora para nos proteger, sendo preocupante!…

    • Apoiadíssima, Gercione. Bergoglio é o pior ocupante da Sé Apostólica EVER.
      Nem os papas corruptos e imorais do Renascimento fizeram tanto mal à Igreja.

      Rezemos para que o surto de avestruísmo farisaico das conservadoras não as leve direto para o quinto dos infernos, “onde há choro e ranger de dentes”.

  5. Este Papa está atuando nas tendências e preparando a opinião dos católicos para a sua pauta ideológica.

  6. O termo “metas para o desenvolvimento sustentável” também é um eufemismo para mascarar o projeto de extermínio humano (eutanásia, aborto e gênero). Mons. Sanahuja explica em “Religião Global e Poder Universal” Se Francisco está satisfeito com isto mostra o quanto ele é cúmplice desta realidade e atua conscientemente. A elite global sabe que o que depender dele e de seus assistentes as metas serão atingidas.
    Os grupos pro vida não estão interessados com o blá blá do Papa gaio de Soros, já sabem com quem estão lidando. É um cinismo diabólico falar em sacralidade da vida, discursar sobre direitos humanos, mostrar-se preocupado com os que sofrem, mas ignorar a existência de um projeto que extermina vidas inocentes aos milhares. Utilizou os mesmos eufemismos estão presentes no herético A.L ., e foi omisso na ONU, sabendo que esse projeto seria oficializado em escala global.
    Referente a educação sexual, a Familiaris Consortio diverge do A.L., por conhecer as intenções da “formação” sodomita que será oferecido às nossas crianças e jovens. Vergonhoso é que seja produzido por quem deveria defender a família e os preceitos divinos.
    Em Roma as cloacas de impurezas estão mesmo transbordando. Enquanto nossos pastores padecem da “síndrome do sapo cozido”, fazendo de conta que não está acontecendo nada de errado, Cristo e sua Esposa são cruelmente pisoteados. Vamos ver até quando.

  7. Como se sabe, o primeiro passo para derrota é adotar a terminologia do inimigo.
    Além disso, sob o ponto de vista meramente humano, a Igreja católica foi a Instituição que, ao longo de sua própria história, mais prezou a precisão dos termos estando sempre muito atenta à mínima variação semântica.

    Resta perguntar se a figura de Bergoglio ainda consegue evocar algo de católico ou ao menos algo de humanamente honesto e recomendável às pessoas honradas.

  8. Hoje. O parlamento francês aprova a lei, extensiva à internet, do crime de obstrução ao aborto. A Assembleia National, aprobó definitivamente la propuesta de ley que pretende penalizar los sitios acusados de hacer “desinformación” sobre el aborto. Se extiende también a internet el delito de obstrucción al aborto. En Francia o crime de obstrução a la interrupción voluntaria del embarazo fue creado en 1993 y será sancionado con una pena que puede llegar hasta dos años de prisión y 30.000 euros de multa. La pena máxima prevista para quién es considerado responsable de difundir “afirmaciones o indicaciones estas a inducir deliberadamente en error, por fin disuasivo, sobre las características o las consecuencias médicas de la interrupción voluntaria del embarazo”. http://www.news.va/vaticanresources/pdf/QUO_2017_040_1802.pdf

  9. Leiam o que diz Santa madre tereza de Calcutá sobre o aborto, ou Sao Joao Paulo 2. Nosso “santo padre” ao contrario deu autorizacao para todos os sacerdotes em todas as circunstancias para perdoar indistintamente o aborto. enquanto milhares lutam contra esse crime Sua Santidade manda lebrancas aos telespectadoes do Superball nos Estados Unidos. Senhor tende Misericórdia

  10. Que isso, o Papa não falou isso não, é uma equivocada interpretação de uma certa mídia tradicionalista….

  11. Notem também que os progressistas, bergoglianos, cenbbistas e semelhantes, além de evitarem falar de aborto (utilizando o eufemismo “interrupção da gravidez”), evitam sobretudo usar a expressão “contra o aborto”. Fala-se em “pela vida”… Então nunca falam em, por exemplo, “Uma conferência contra o aborto”, mas, sim, “Uma conferência pela vida”… É a linguagem mole, “água com açúcar”, condescendente, e nunca a linguagem firme de Nosso Senhor Jesus Cristo “sim, sim; não, não”.

  12. Chegamos a um ponto tão baixo, mas tão baixo que estamos tendo saudades de Paulo VI!?…
    O que está havendo com a Igreja?…
    Barbaris intra muris!!!

    • ‘*O terrorismo cristão não existe, o terrorismo judaico não existe, e o terrorismo muçulmano não existe. Eles não existem “, disse Francisco em seu discurso a um encontro mundial de movimentos populistas(bandos de milicianos vermelhos).
      O que ele aparentemente queria dizer é que nem todos os cristãos são terroristas e nem todos os muçulmanos são terroristas – um fato evidente para todos – mas suas palavras também sugerem que não existe no mundo uma forma especificamente islâmica de terrorismo, uma afirmação que está em flagrante contradição para o fato já estabelecido’.
      Fico aqui recordando do herejão confesso Pe Quevedo: “o diabo non ekziste”!
      * Breitbart.

    • Bom esse atrigo infelizmente bate todos os recordes do bom-senso. Misericórdia!!!!

  13. ‘*O terrorismo cristão não existe, o terrorismo judaico não existe, e o terrorismo muçulmano não existe. Eles não existem “.
    Porque o que agora está em moda é o “terrorismo Católico” e ele é o maior exemplo disso! Cada vez que ele sobe em um avião e abre a boca, comete um atentado contra a sã Doutrina. E suas vítimas são as milhares de almas que descem para o inferno todos os dias por causa da impostura que ele instaurou na Igreja.
    “Não temais os que matam o corpo, mas não têm poder para matar a alma. Temei antes, aquele que pode destruir no inferno tanto a alma como o corpo”. ( Mt, 10-28)

  14. Tudo isso é providencial.
    Estamos acostumados a dizer que algo é “providencial” quando nos é favorável. Mas também as provações são providenciais. Para os que temos mais tempo na luta, e que tivemos oportunidade de conhecer muitos bons padres e alguns bispos bons, resta transmitir aquilo que recebemos de exemplo e doutrina. A todos, cabe agora pensar de que modo será mantida e transmitida e fé uma vez que a apostasia, silenciosa ou não, do clero só sabe aumentar. Todo e qualquer bem que se pretenda fazer deverá contemplar a integralidade da fé:

    – Proclamar a divindade de Jesus Cristo e a necessidade de se professar a fé cristã e católica;
    – Proclamar a unicidade da Revelação com a consequente recusa de reconhecimento de valor salvífico das falsas religiões dos infiéis e dos demais pagãos (isso se chama intolerância dogmática).Quem se salva nessas condições, cujo número só Deus conhece, salva-se não por mediação da sua “religião”, mas apesar dela.
    – Dizer NÃO a qualquer tipo de ecumenismo e a qualquer tipo de ato ecumênico, encontros ecumênicos etc etc – os dissidentes devem convidados, instados e exortados a se converterem à fé católica, renunciando à sua “religião”, aos seus respectivos erros e superstições;
    – Considerar o Mundo como inimigo da Igreja, como se lê à saciedade nos Evangelhos e nas Epístolas e em toda a tradição dos Santos Padres e Doutores da Igreja (contemptus mundi).
    – Manter a integridade da doutrina no que concerne à moral, ensinando-a às crianças, desde muito cedo, e adverti-las sobre a maldade dos tempos e perversidade dos homens.

  15. Un amico mi ha detto che lui non puó dire niente, non accettano le sue opinioni, neppure le belle canzoni , su un sito fondamentalista cattolico. Sí, perché ci sono fondamentaliste in tutte le religioni. C’è un moderatore di cuore duro, senza tenerezza, che non sa aprirsi alle novitá dell’ altro. Dov’è la sua misericordia ? Farebbe bene pensare se stesso. Accolgo il mio fratello ? Sono aperto al dialogo e vado avanti con coraggio ? O sono chiuso, ho um cuore rigido che non sa capire la diversitá, le differenze dei fratelli. So percepire la meraviglia, la bellezza ed il mistero dell’altro ? Pensate bene. Vi auguro il meglio e per favore non dimenticate di pregare per me. Buona domenica e buon pranzo.
    ( brincadeira ; )

  16. “O que é a ortodoxia – reta fé -, perguntava-se Pavel Florenskij. A ortodoxia é o irromper de uma vida nova, a vida no Espírito. E qual o critério que legitima esta vida? É A BELEZA. É a beleza porque existe uma particular beleza espiritual, incapaz de ser alcançada com fórmulas lógicas, mas, ao mesmo tempo, é a única via para definir o que é ortodoxo e o que não o é”.

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de Fratres in Unum.com. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s