De saída (II).

Como prevíamos, outro jurista abandona a Ujucasp por conta da chancela de seu moderador, Dom Odilo Pedro Scherer, Cardeal Arcebispo de São Paulo, à “homenagem” carnavalesca a Nossa Senhora Aparecida. 

Por Catarina Maria B. de Almeida | FratresInUnum.comA União dos Juristas Católicos de São Paulo (Ujucasp) perde mais um membro. Desta vez, o canonista dr. Edson Sampel se desliga da associação pelo mesmo motivo que o desembargador dr. Dip, isto é, por discordar da autorização dada pelo arcebispo de São Paulo para a malsucedida “homenagem” a Nossa Senhora Aparecida no desfile de carnaval. Eis, abaixo, trecho da carta que dr. Sampel endereçou ao presidente da Ujucasp e aos integrantes da entidade:

“São Paulo, 1.º de março de 2017.

Exmo. sr. dr. presidente da União dos Juristas Católicos de São Paulo (Ujucasp).

Irmãs e irmãos.

(…)

2) Tenho participado dos debates cibernéticos desta sociedade sempre com argumentos ad rem; jamais com argumentos ad hominem, em consideração aos consócios.

3) Manifesto-me, sem respeito humano, embasado em inconcusso direito de expressão, assim estatal (cf. artigo 5.º, IV, da constituição da república) como canônico (cf. cânon 212, § 2.ºdo C.I.C.).

4) Move-me, outrossim, a correção fraterna (cf. Mt 18,15).

5) Consumatum est! Perpetrou-se a profanação da imagem de nossa Senhora Aparecida. Com efeito, ensina santo Tomás de Aquino que “toda irreverência às coisas sagradas será injúria feita a Deus e terá razão de sacrilégio” (II-II, q. 99, a. 1.º).

6) Eis a tradução do cânon 1171 do C.I.C.: “as coisas sagradas, destinadas ao culto divino, sejam tratadas com reverência e não se empreguem para uso profano ou não próprio a elas, mesmo que pertençam a particulares.”

7) A Igreja não deve ser politicamente correta! Leia-se, a propósito, a lucipotente ensinança do papa emérito: “Ela [a Igreja católica] ainda tem poder de provocação, que é aguilhão e sinal de contradição, ou, como diz são Paulo, skandalon (…) Isso mostra que ela significa alguma coisa e que não se pode simplesmente passar por cima dela, passando à ordem do dia” (O Sal da Terra, p. 101).

8) Entre outras vicissitudes, causaram bastante desconforto certas incongruências na PUC-SP, coirmã da Ujucasp, denunciadas pelo confrade dr. Dávio Júnior e pelo confrade resignatário dr. Dip, bem como o silêncio da colenda cúria metropolitana aquando da “passeata gay” no território da Arquidiocese de São Paulo, no exato instante em que os confrades redigíamos um livro contra a ideologia de gênero.

9) O beneplácito à escola de samba constitui apenas a gota d’água.

10) Posto isto, por discordar veementemente da autorização politicamente correta concedida pelo ínclito moderador da Ujucasp e arcebispo de São Paulo (purpurado digno de toda deferência e devoção), permitindo-se, assim, a equivocada “homenagem” momesca à nossa Senhora Aparecida, hic et nunc, nos termos do artigo 7.º, I, do estatuto,desligo-me desta sociedade .

P.s.: um sotaina, conhecido de longos anos, perguntou-me: o que você acha? Se Bergoglio fosse o ordinário da Arquidiocese de São Paulo, daria ele a autorização à escola de samba? Respondi: acho que não/ a escola de samba ficou em 7.º lugar e nem sequer conseguiu veicular o mínimo de “evangelização”, isto é, não logrou “informar” aos foliões que nossa Senhora Aparecida é Maria, a mãe de Jesus (bela assessoria!)/ as baianas travestidas de nossa Senhora Aparecida não fazem alusão ao candomblé (sincretismo)? Não são as baianas que todo ano lavam a escadaria da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, na Bahia?/ informou há pouco dr. Dávio Jr. que Jesus não foi mencionado no desfile (não deveriam cantar no samba-enredo que a homenageada nasceu há dois mil anos, se chama Maria etc; qualquer homenagem sempre faz isso)/ o brilhante advogado e confrade dr. Rodrigo Pedroso acaba de expor mais uma incoerência da PUC-SP, coirmã da Ujucasp, qual seja, a nomeação de Haddad, ex-prefeito de São Paulo, de linha comunista, para integrar órgão importante da universidade.”

9 Comentários to “De saída (II).”

  1. Deixo consignado meus cumprimentos pela valorosa e corajosa atitude dos insígnes juristas católicos que se desligaram da União dos Jusristas Católicos que demonstraram por essa atitude serem defensores da honra de Nossa Senhora. Parabens, Nossa Senhora Aparecida os abençoe e que outros os sigam.

  2. Também no carnaval de Las Palmas na Grande Canaria “triunfou a frivolidade blasfema”, lamentou o bispo Mons. Francisco Cases porquanto ali desfilou uma “drag queen” representando Nossa Senhora das Dores. Enquanto esse bispo considera esse dia como o mais triste de sua permanência nas Ilhas Canárias e anuncia que celebrará uma missa de desagravo, não se vê nenhuma compunção em Dom Odilo.

  3. Todo nosso o apoio. apoio dos CATÓLICOS que respeitam e lutam pela Igreja. Estamos com o Sr, Dr Edson , Obrigada por ter falado por nós.Somos Veemente CONTRA O ABUSO, que vem sendo praticado dentro da da NOSSA IGREJA, DA IGREJA DE JESUS CRISTO. A IGREJA DO SENHOR JESUS NÃO É DE VOCÊS.

  4. É isso aí, tem que sair e fazendo barulho pra esses impostores vejam que mesmo diante do triunfo do mal, ainda existem aqueles que não aplaudem.
    Se em uma platéia, um só parar de aplaudir, pode ser que outros talvez se dêem por conta de que o palhaço no palco não faz a menor graça.
    A cúria romana começou a perceber que a Praça de São Pedro vazia, a queda de visitantes em Roma, as missas vazias e os blogs que não dão trégua a cada desmando que sai do Vaticano são sinais claros e evidentes de que os aplausos pra impostura estão cessando numa velocidade vertiginosa.

  5. Pior pra quem sai. Ao se pronunciar sobre qualquer tema, é uma voz ecoando no deserto. Se ficassem, qualquer pronunciamento corporativo teria mais peso.

    • Concordo com Girolano. Agora eles vão nomear 2 da grei deles e acabou qualquer possibilidade de intervenção dos demissionários na entidade.
      Por que não protestaram e ficaram no posto? Estaria em uma posição privilegiada para a luta, fazer muito barulho e obrigar a eles o pesado ônus de demitir.
      Agora na “reserva” o peso é muito menor.
      Lamento, embora respeite a decisão dos dois, pois ficamos sem ninguém dentro da União para continuar a batalha.

  6. Girolamo, diz Santa Tereza d’Ávila: “É melhor estar sozinho com a verdade do que acompanhado por muitos no erro.” Parabéns aos dois juristas pela coerência e coragem.

  7. Aproximando-se o fim de seu ministerio, Jesus achou por bem purificar o Templo e, deparando-se com o que encontrou em seu interior, repreendeu seriamente os presentes e disse: E ensinava-lhes nestes termos: “`Não está porventura escrito: A minha casa chamar-se-á casa de oração para todas as nações (Is 56,7)? Mas vós fizestes dela um covil de ladrões (Jr 7,11) Mc 11,17, assim recordando a Unidos da Vila Maria-UVM, dessacralizando a Casa do Senhor Deus como se estivesse desfilando – com aval de certos altos hierárquicos e por omissão doutros tantos silentes, desencorajados de confrontarem os que se comportavam reprovavelmente – corporativismo?
    Se fosse naquele tempo, a UVM seria com certeza posta para fora a chibatadas por Jesus, assim como certas celebrações “auês” de carismáticos conhecidas atuais, iguaizinhas a terreiros pentecostalistas protestantes – aliás, a origem desse culto eufórico e sentimentalista é desses!
    “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles” Rm 16,17, os que ensinam uma doutrina, no entanto, praticam outra paradoxa – permitindo sacrilegios, desvirtuamento da fé e outros comportamentos de relativistas, sendo N Senhora Aparecida vilipendiada em meio ao pandemonio que é o carnaval, devendo serem notados os promotores de infamias para que caiam em si e se mudem!
    Os protestos dos 2 politicamente incorretos, quem sabe, poderiam refletir favoravelmente?

  8. Girolamo, diz Santa Tereza d’Ávila: “É melhor estar sozinho com a verdade do que acompanhado por muitos no erro.” Parabéns aos dois juristas pela coerência e coragem.

    Isso foi escrito pelo Vandré, que criticava o Girolamo, por sua vez crítico da saída dos doutos.

    Muito bem! Santa Tereza disse isso? Se disse ou não disse, não importa, importa reter é que desde nossas primeiras aulas de catecismo aprendemos que a igreja sempre criticou Martinho Lutero por ter abandonado os altares e não usado sua verve para combater o clero dentro do clero.

    Penso que haveremos de ser coerentes sempre. Afinal, com quem a razão? Quem debanda ou quem fica para reformar?

    Penso que cada caso um caso. No caso específico a saída desses membros traz muito mais desvantagens do que vantagens. Ou, em tempo, se o Desembargador Dip, por exemplo, continuar mantendo em suas decisões, viés católico, estará de bom tamanho, talvez até mais do que participando dessa associação.