Niterói: gravíssimo ataque a Nosso Senhor e a Sacerdote durante Missa Tradicional.

Um sacerdote piedoso, um grupo de acólitos expeditos e um procurador inconformado com a reverência eucarística na missa tradicional.

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e Vos ofereço o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos de Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.” (Oração ensinada por um Anjo a três pastorinhos em Fátima, por ocasião das aparições de Nossa Senhora em 1917)

anderson

Caríssimos leitores, publicamos a seguir um relato que nos chega de fiéis da Arquidiocese de Niterói acerca de um gravíssimo incidente ocorrido na última Quarta-Feira de Cinzas na igreja de São Domingos de Gusmão, em Niterói. Nossos leitores certamente conhecem o reverendíssimo padre Anderson Batista da Silva, sacerdote mencionado nos acontecimentos narrados. Pedimos que leiam o relato com atenção e atendam às nossas petições ao final.

* * *

Na Quarta-Feira de Cinzas, tudo estava pronto para a celebração da Santa Missa na igreja de São Domingos de Gusmão. Pouco a pouco os fiéis entravam na igreja e se preparavam para pedir a Graça de Deus para entrarem no espírito da Quaresma.

A cerimônia seria no “rito em latim”, ou na “forma extraordinária do rito romano”, como o então Papa Bento XVI a chamou em seu motu proprio Summorum Pontificum, que liberou esta bela liturgia a todos os padres que a quisessem celebrar, sem qualquer empecilho, bastando apenas um grupo estável de fiéis que a reivindicassem.

Nesse dia em que os fiéis receberiam na fronte o sinal da cruz com as cinzas bentas e a exortação para crer no Evangelho e converter-se, aconteceu um incidente gravíssimo e lamentável. Certo senhor, desde a sua chegada, passou a reclamar, sempre em voz alta, acerca de diversas questões (da duração, do rito, do canto gregoriano etc.), incomodando sobremaneira quem estava perto.

Chegada a hora da Comunhão, como de costume, os fiéis formavam fila em direção ao altar e, ajoelhados, recebiam sobre a língua o Corpo de Cristo, da maneira preconizada pela prática milenar da Igreja. Todos os fiéis que participavam daquela missa estavam cientes deste modo de recepção do Sacramento segundo a forma do rito, até mesmo porque o padre Anderson costuma didaticamente explicar os detalhes das celebrações antes de seu início. A Comunhão na boca e de joelhos é, neste rito, a forma padrão.

O mencionado senhor entrou na fila da Comunhão, onde continuou com sua postura de reclamação, e, ao chegar para comungar, negou-se a receber a Comunhão na forma prescrita para o rito tradicional: exigia que a hóstia lhe fosse dada na mão. O amável pastor explicou calmamente que, na forma tradicional, a maneira prescrita de recepção do Sacramento era de joelhos e na língua, e que a matéria não era de escolha opcional do fiel. Porém o homem não se conformou com a explicação e, em voz alta, exigiu novamente que o recebesse na mão. Provavelmente desejando evitar maior perturbação da cerimônia, e considerando a gravidade de negar o sacramento a um fiel, o sacerdote preferiu conceder e dar-lhe a Comunhão na mão. O homem foi gentilmente informado de que deveria então comungar. Tendo o Sacramento em sua mão, fechou-a e negou-se a comungar, dizendo que era livre para comungar como quisesse, pois a Hóstia não pertence ao padre. Gritou, além disso, que aquela não era a sua religião e que aquela Missa não existia. Nesse momento, os que estavam próximos, tanto acólitos quanto parte dos fiéis, avisaram-lhe algo que não é matéria de concessão: ele não poderia sair dali com a Hóstia consagrada. Ignorando o aviso, o homem ameaçou os que o cercavam, e disse que passaria à força. Num acesso de fúria, o homem contou, gritando, “um, dois, três!!!”, e partiu violentamente para cima das pessoas que o cercavam, como que para derrubá-las e sair da Igreja de posse do Santíssimo Sacramento. Nesse esforço, o homem foi ao chão. Os acólitos e os mencionados fiéis apenas o imobilizaram (sem o agredir) para contê-lo e conduzi-lo à sala anexa que dá entrada à sacristia, na lateral da igreja, onde poderiam recuperar de sua mão os fragmentos do Corpo de Cristo. Em seguida, todos se afastaram desse senhor sem lhe infligir qualquer agressão, o que não se pode dizer dele próprio, que, com muita violência, distribuía pontapés enquanto se encontrava no chão. Durante todo este tempo, os demais fiéis, que estavam distantes do tumulto, permaneceram devotamente rezando a Ave-Maria.

O reverendo padre Anderson, durante todo o ocorrido, parecia estarrecido; continuou segurando a âmbula na mão. (Ele não podia segurar a âmbula e intervir na situação ao mesmo tempo.) Após o tumulto, o local do incidente teve de ser purificado, conforme os ritos apropriados, pois partículas da Hóstia consagrada espalharam-se no chão.

Após a ocorrência desse pavoroso ato de profanação e ultraje, que perturbou a paz de todos que se encontravam na igreja, o homem, após sair do local, voltou pela entrada principal e ali gritou e fez ameaças, dizendo que era procurador, e que acabaria com a vida do padre. Disse que iria à delegacia prestar queixa do ocorrido.

Especialmente triste parecia ser a situação da senhora que o acompanhava, pois parecia ser de saúde frágil e se mostrava extremamente constrangida com o escândalo promovido pelo seu acompanhante.

O padre ficou visivelmente abalado com o episódio, mas, com o passar do tempo, pensamos que não haveria mais problemas. Ledo engano. Recentemente, tomamos conhecimento de que há uma queixa-crime contra ele. O teor da acusação consistiria em que o agressor e profanador da Eucaristia teria sido agarrado pelos acólitos e fiéis próximos e arrojado ao chão. O padre seria o culpado!

Queixa-crime, ameaça de processo judicial e promessa de destruição de reputação: eis o prêmio por não haver impedido seus acólitos e a assembleia de defender Jesus na Eucaristia. Difícil imaginar lógica mais tortuosa para proceder a tão leviana acusação: o padre, provavelmente, por ser considerado tão “retrógrado” quanto o rito tridentino, foi tido como mandante de lesão corporal.

* * *

Termina aqui este relato do que aconteceu na última quarta-feira de Cinzas na paróquia de São Domingos de Gusmão. Passemos agora às petições que mencionamos no início.

1) Oferecer orações nas intenções do padre Anderson Batista da Silva. Os leitores podem se manifestar a esse respeito nos comentários ou nas redes sociais. Neste momento, mais do que nunca, suas orações serão de grande conforto e ajuda. Sejamos generosos!

2) Escrever à Arquidiocese de Niterói parabenizando-a por ter em seus quadros um sacerdote tão bravo e piedoso como o padre Anderson, que há muitos anos dá o seu melhor na defesa da doutrina e da liturgia da Igreja Católica. As mensagens podem ser postadas no Facebook da Arquidiocese e no site da arquidiocese de Niterói.

Peçam à Arquidiocese que AMPARE e APÓIE o padre Anderson contra quaisquer processos judiciais que ele venha sofrer e que não o abandone nessa aflição. Que a Arquidiocese de Niterói não se dobre às ameaças do reclamante e ao seu status social (como ele mesmo disse, seria procurador), mas norteie-se tão somente pelo zelo para com a Eucaristia.

3) Rezar por esse senhor que apareceu inesperadamente na paróquia e causou tanta confusão. Que Deus o ilumine e que ele venha a se dar conta da grande afronta que causou ao Cristo Sacramentado, do distúrbio que causou ao insultar a forma tradicional do rito, do ultraje que foi querer – em tom de desafio e desprezo pela celebração – deixá-la com a Eucaristia em seu punho, e da gravidade da ameaça que fez ao sacerdote.

Anúncios

69 Comentários to “Niterói: gravíssimo ataque a Nosso Senhor e a Sacerdote durante Missa Tradicional.”

  1. Lamentavelmente não é um caso isolado ,em 1970 no próprio recinto do santuário de Fátima aconteceu quase a mesma coisa com uma certa mulher que se intitulava pertencer a uma seita denominada ,seita de Jeová profanadora .As partículas consagradas eram enviadas para a Suíça para rituais sacrílegos de tiro ao alvo e colocadas em relações sexuais.O mal está por toda a parte .A Igreja precisa dar bons exemplos e combater com vigilância redobrada estes desmandos e sacrilégios !!

  2. Eu duvido que seja um ‘procurador’, pois se o fosse, ele saberia que é crime (artigo 208 do Código Penal) impedir ou perturbar culto religioso. Não deveriam temer esse sujeito, para mim é apenas um louco ou até mesmo um possesso que quis infestar o ambiente. E se aparecer de novo, chamem a polícia

    • Tiago,
      Os maiores ataques contra a Igreja no Brasil advém do Poder Judiciário. Senão, vejamos:
      O STF, que deveria ser o guardião da Constituição, agiu defendendo a Cultura da Morte:
      1- No caso da interrupção da gravidez de anencéfalos, admitiu o aborto eugênico não constante do artigo 128 do Código Penal. Legislou ao permitir o homicídio uterino até três meses de gestação sem nenhuma justificativa;
      2- Permitiu que a união entre pares do mesmo sexo (“casamento” homossexual), o que é legítimo, tivesse o mesmo status que o casamento, instituto que a Lei Suprema apenas admite para a união entre homem e mulher (artigo 226, § 3.º).
      3- Retirada dos crucifixos determinada pelo TJ-RS.
      4- Será que a ministra do STF Rosa Weber, a relatora da ação protocolada em favor do aborto no último dia 8 de março (dia da mulher) pelo PSOL e o Instituto Anis. Detalhe: em outros julgamentos, essa juíza já deu sinais de ser a favor da descriminalização do aborto, sendo, portanto, contrária à maioria do povo brasileiro e, principalmente, contra a Lei de Deus (“não matar”)

  3. O padre e seus fiéis deviam ter aberto processo criminal contra o tal homem antes que este o fizesse por sua parte. O que esse maluco fez configura muito claramente crime contra religião, previsto no artigo 208 do código penal brasileiro.
    Permitam-me reproduzir aqui as explicações de um advogado a respeito desse tipo de crime:
    “DOS CRIMES CONTRA O SENTIMENTO RELIGIOSO
    ULTRAJE A CULTO E IMPEDIMENTO OU PERTUBAÇÃO DE ATO A ELE RELATIVO
    Art. 208. Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso;
    Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.
    Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente violência.
    Sujeitos do delito: O sujeito ativo pode ser qualquer pessoa, pois trata-se de crime comum. O sujeito passivo é a pessoa que sofre com o escarnecimento, assim como a perturbação, impedimento de cerimônia ou prática de culto religioso, como também o vilipendio. Portanto, são pessoas determinadas que são vítimas, pois tanto pode ser um sacerdote, crente, rabino, padre, freira, pastor, ministro, assim como toda a coletividade praticante da atividade religiosa.
    Tipo objetivo: há três condutas diversas previstas no artigo 208 que configuram o delito, vejamos:
    a) Escarnecer alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa:
    O legislador na sua feitura de promover seu domínio com a língua pátria utilizou a palavra escarnecer ou mesmo dizer: zombar, achincalhar, troçar, mofar, ridicularizar, fazer pouco, ofender alguém publicamente em virtude de crença ou função religiosa, ao qual a crença é a fé religiosa e a função é sinônimo de cargo, exercida por pessoas determinadas como já dito anteriormente. A publicidade da ofensa entende-se, na presença de varias pessoas ou de maneira que a chegue ao conhecimento delas.
    b) Impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso:
    Impedir é paralisar, impossibilitar, evitar que se comece cerimônia ou pratica de culto religioso; Perturbar é atrapalhar, estorvar, tumultuar, desorganizar, atrapalhar, embaraçar culto ou cerimônia religiosa. Vem a convir que cerimônia é o ato solene e exterior do culto (ex. missa, procissão, batismo, casamento) e quanto a pratica de culto religioso é o ato religioso não solene (ex. reza, ensino de catecismo, novena, oração coletiva, sessão espírita). Portanto, a exemplos fáticos são: efetuar disparo com arma de fogo, provocando barulho para que os demais fiéis não possam ouvir o sermão do padre (RT, 419/293); palavrões proferidos por pessoa embriagada e de shorts que irrompe na igreja durante a missa (RT, 491/318); altos brandos durante casamento que provocam a abreviação da cerimônia (RT, 533/394). Cabe aqui ressaltar, que se configura o delito se houver uma alteração material capaz de impedir ou perturbar cerimônia ou culto religioso, porquanto, em sua substancia não configura como tal um simples desvio de atenção.
    c) Vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
    A palavra vilipêndio consiste em desprezar, menoscabar, aviltar, desdenhar, injuriar, ultrajar, portanto, pode ser praticada em ato de culto religioso por palavras, escritos ou gestos e que seja cometido na presença de várias pessoas ou de maneira que chegue ao conhecimento delas, ou mesmo pode ser praticado contra objeto de culto religioso a que prestam como o altar, púlpito (tribuna), cálice, crucifixo, livros litúrgicos, turíbulos (Vaso suspenso por pequenas correntes, usado nas igrejas para nele queimar-se o incenso; incensório), aspersório (Instrumento de metal ou madeira que se mergulha em água-benta para aspergi-la sobre os fiéis na igreja).
    Causa de aumento de pena: Será aumentada de um terço se houver violência, seja contra a pessoa como o objeto, mas além dessa causa de aumento de pena, o agente responderá, em concurso material de crimes, delito correspondente à sua conduta violenta como lesão corporal, dano, etc; sendo assim será forma majorada dos crimes contra o sentimento religioso devido ao emprego de violência.”
    (Fonte: http://drluizfernandopereira.blogspot.com.br/2010/04/dos-crimes-contra-o-sentimento.html)

  4. Perturbação de cerimônia religiosa e denunciação caluniosa. É preciso esclarecer à Polícia e ao MP os fatos com as testemunhas, e o profanador ser devidamente processado.
    Que fique o alerta: onde isso acontecer, é preciso que, se não houver maiores riscos, seja o profanador detido (qq do povo pode prender em flagrante, art. 310 e 312 do CPP) e chamar a polícia.

  5. Não sou propriamente fã nem apoiante do Rito Extraordinário. Contudo, reconheço que deve ser concedido aos fiéis que o desejem. Quem não se identificar com ele, como eu, tem sempre o novo rito.
    Missa é Missa e tem de ser respeitada, independentemente da forma como é celebrada, assim como qualquer outro culto religioso.
    Se isto aconteceu mesmo assim, é o homem perturbador que deve responder perante a justiça!

    • O extraordinário Rito da Santa Igreja Romana dispensa fãs e apoiadores. Ele se basta.
      Ademais, Lutero, Calvino e Bode de Capa Preta agradecem penhoradamente Bugnini e seus promotores, apoiadores e fãs.
      E não esqueça de levar a pipoca pro ofertório inculturado do seu ebó.

  6. Sim! Defendamos publicamente Jesus Eucarístico e este Sacerdote, enquanto “eles” não viram a história da maneira que lhes interessa, para prejudicar a todos aqueles que nos ensinam o amor ao Santíssimo Sacramento e ao zelo litúrgico . Como tramaram contra o Pe Roberto Lettieri que se manteve e se mantém em silêncio de obediência .

  7. Que episódio horrível. Este homem da história mais parece uma pessoa com graves problemas mentais do que alguém simplesmente agressivo. Ao menos, é no que desejaria acreditar. Como já até registrou queixa crime, provavelmente estou errada.
    Imagino o sofrimento e constrangimento dos presentes.
    Deus os conforte e ilumine.

  8. Esse sujeito deveria procurador de Satã, bem possível, e estaria sob controle dele para tomar uma decisão diabólica dessa, ainda mais em nossa época em que ele está à vontade sob tanta formas à vista de todos – e pior ainda – patrocinado com ajuda de tantos da Igreja!
    O padre nem deve temer tal processo, dada a quantidade de testemunhas que pode arrolar em seu favor; e o sedizente procurador, ainda mais de querelas, quantas?
    Será que alguém não filmou?
    No entanto, o “procurador” se excomungou automaticamente por profanação da S Eucaristia e por coincidencia, hoje mesmo comentava acerca de um caso de uma “ministra” distribuindo a S Eucaristia de vestido de alcinhas, noutro país…
    Desde quando alguém, se eventualmente de alto cargo, vale-se de qual lei que lhe outorga direito de agredir ou cometer qualquer delito? Isso conflagra-se explicitamente em abuso de autoridade!
    Esse caça-conflitos enquadrou com sua denuncia no modus agendi marxista: “chame os outros do que v é e acuse os outros do que v faz”- Lênin.”
    Se fosse eu, talvez não lhe daria a S Comunhão por estar sem condições – também caso de policia por desrespeito!

  9. Caríssimos, Paz e Bem ! exagero ao enxergar neste episodio um autentico caso de possessão demoníaca ?, sim pois um mero “desequilíbrio emocional” não acarretaria tanto dano à honra de Nosso Senhor Jesus Cristo e ao Revmo. Padre. Tal ataque à Santa Missa não teria senão o objetivo de ofender publicamente a Nosso Senhor e Salvador e seus fieis servos.

    • Pode ser possessao demoniaca sim. Tanta agressividade e tanta insistencia em receber a Comunhao na mao. Pegar a hostia para levar embora ( e’ possivel que ele seja satanista).

    • Concordo claramente que este homem estava sob o comando do demônio
      E queria levar a hóstia para fazer algum ritual demoniaco com o corpo de nosso senhor Jesus.
      Queresma e o tempo em que o demônio está solto. Vigiai e rezai

  10. O padre deveria ter negado. Simplesmente pelo fiel por querer comungar na mão. Isso não existe. Deus está ali.
    Somente o sacerdote pode tocar em Nosso Senhor. Nenhuma mão profana tem esse direito.
    A comunhão na mão é uma desgraça sem precedentes, que em suas últimas consequências pode chegar aos excessos deste infeliz episódio.

  11. Temos passado por tempos difíceis,onde Cristo está sendo novamente crussificado,mas de uma forma pior que a primeira,onde se nega a Cristo a sua mãe a Deus,onde o mal está acorrentado as famílias,onde não há um cristão que não passa por uma provação,e muita provocação,temos que rezar muito,pois tempos piores parecem vim a nossa frente,juntamos nossas orações.Um homem bem culto respeita a todos a tudo,sabe diferenciar o certo do errado,vemos que até mesmo o saber está sendo dominado pelo mal, rezamos e pedimos crememcia a Deus, piedade a este e outros que ofendem nosso Senhor Jesus Cristo,quem nos salvou.

  12. Conte com minhas orações.

  13. Nossa Senhora tenha piedade do Padre,, e ilumina a mente desse homem maluco

  14. Senhor, tenha piedade desse homem tão pecador é injusto, digno de pena.Padre, tenha força Deus está vendo esta injustiça dos homens.Igreja Católica Apostólica Romana, seja justa com o Servo Padre Anderson, o mal não deve prevalecer nunca.

  15. O Padre e os acólitos, agiram corretamente, pois o corpo de Cristo para nós católicos, não é uma brinquedo e motivo para tal acontecido.
    Vamos apoiar o padre, pois ele estava fazendo o que de costume ele faz , que é celebrar a missa e vamos pedir a Deus por esse senhor, que estava todo errado e que merece de uma correção das autoridades competentes nesse caso.

  16. Sinceramente isso poderia ser evitado. Pelo relato, o encrenqueiro começou a criar problemas logo de entrada. Então não consigo entender porque ninguém reagiu antes!
    O Art. 208, do Código Penal penal brasileiro é bem claro:
    Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou pratica de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso
    Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.
    Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada de 1/3 (um terço), sem prejuízo da correspondente à violência.
    Ora, naquilo que ele começou a reclamar, sempre em voz alta, a perturbar a cerimônia religiosa, ele já estava praticando um crime passível de multa ou detenção. Só por isso, o padre estava no seu pleno direito de negar-lhe a Comunhão e pedir sua retirada do local.
    Eis porque Jesus disse que os filhos das trevas são muito mais espertos que os filhos da luz! Não se negocia com demônios!

    • Conheci pessoalmente o Pe. Anderson e sei que é um sacerdote de boa vontade em seguir a santa Tradição, mas caiu em falta grave ao conceder dar a comunhão a um homem que já se mostrava inapto para receber o Corpo de Cristo. À concessão se deu o pior, o Sacrilégio. Rezemos em intenção desta reparação. E que o Pe. Anderson tenha aprendido essa dolorosa lição, não há concessões nem respeito humano que sejam maiores que o respeito e honra ao Corpo de Deus. Padre Anderson também estará em nossas orações. E que esse louco ou possesso seja convertido para a maior glória de Deus.

  17. Rezarei sim! Vou ajoelhar em frente ao Santíssimo Sacramento durante uma semana antes de começar o meu horário de trabalho. Vou jejuar, fazer penitência.
    “Que Deus nos abençoe e nos guarde, volva o Seu olhar sobre nós e tende piedade de nós”.
    Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, Amém. 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏 🙏

  18. Quando o procurador black bloc influenciado pelo diabo começou querer bagunçar a celebração deveriam ter ligado para policia para rebocar do local e quando chegasse, logo dizendo que ele se dizia procurador e se esse cargo dava direito a fazer bagunça, perturbar a ordem pública.

  19. O erro foi ter dado a comunhão ao lunático, e na mão para piorar.

  20. O fato é elucidativo. Parece que o tal ‘Procurador’ fora lá encenar uma situação meticulosamente planejada: causar tumulto, constrangimento, profanação e presumido fato criminoso para depois fazer um B.O. na Polícia. Muito estranho isso. Esse sujeito não é louco, mas um agente do Mal que busca criar uma atmosfera de intimidação. Os reais motivos? Só Deus sabe. A verdade virá à tona.

  21. Que São José interceda pela Igreja, pelo padre Anderson e por esse senhor. Estamos em orações.

  22. Eu sendo cristã, repudio o ato desse “procurador”, que foi perturbar o culto religioso. O padre manteve-se na sua postura correta. O acusador na verdade foi o agressor, sua queixa-crime só mostra o quanto é fraco, o tamanho do ódio que carrega em seu coração. Porém, sabemos que o cristão sempre será perseguido, afinal Jesus foi perseguido e crucificado!

  23. Meu Senhor é meu Deus, tende misericórdia dos envolvidos deste fato lastimável, derrame sobre o Padre Anderson Batista toda unção necessária, para que ele se fortaleça nesta caminhada rumo ao céu, e ele continue nos ajudando nesta tão maravilhosa caminhada de conhecer cada vez mais Jesus e a nossa doutrina Católica Apostólica Romana. Senhor tende piedade e misericórdia deste homem que não te conhece verdadeiramente, penetre Senhor neste coração e cicatrize as feridas, preenchendo com seu amor de pai.

  24. Reverendissimo e amado Padre hoje em nossa Passio Domini rezaremos pelo senhor para que nosso DEUS a Virgem Maria e o Santo Anjo da Guarda te protejam . E acredito que está pessoa está a serviço do nosso inimigo e acredito que o senhor como pastor tem que ter todo o amparo da Diocese de Niterói e procurar realmente se este ser tem este título que ele outorga e se não há outras situações parecidas tipo ocorrências em delegacias , em prédio se ele residir neste tipo de moradia e até mesmo no seu suposto local de trabalho . Não tema o inimigo está rugindo e procurando a quem devorar . E será que ninguém filmou este ser ?

  25. Qualquer que seja o culto religioso, nossa Legislação está bem clara o livre acesso em realizar e qualquer violação estará contra os princípios que regem tal legislação…. Se realmente ele for procurador foi muito inconsequente sua atitude… só falta dizer que ele está doente, e ou lunático… por isso existe o 190 para chamar a Polícia…e reclamar por defesa…

  26. Esse “procurador” estava procurando encrenca. Rezemos por ele porque se continuar assim vai procurar a sua própria perdição.

  27. Parabens pelo maravilhoso relato!
    Sem estar presente, me pareceu fidedigna a explanação do ocorrido!
    Conheço pessoas como este senhor que procuram pequenas coisas para extrapolar suas atitudes agressivas!
    Trata-se de uma pessoa enferma, fisica e espiritual!
    Piedade dessa pessoa !

  28. Senhores,

    Desculpem a ignorância, há algum problema em divulgar o nome deste senhor?

  29. Muito triste , se o Senhor procurador entrou na igreja é para respeitar, a Jesus em primeiro lugar, o Sacerdote, e toda a comunidade que ali está presente, se não está de acordo com o rito dá missa, não é obrigado a ficar ,mas não pode ficar perturbando a todos,uma falta de respeito com o Sagrado, e muita falta de educação, lamentável, temos que orar muito por os que não creiam, e não adoram.

  30. O ocorrido é ” lamentável” pois estamos falando da Sagrada Eucaristia! ELE que deu a VIDA por NÓS !
    Quanto a conduta do ” senhor procurador”, eu como psicóloga , católica apostólica romana, só posso enxergar ou tentar traçar um perfil deste senhor ( pois não estava presente) e me parece que sua acompanhante, uma senhora, ficou constrangida. Bom , com estes detalhes, podemos perceber que uma pessoa CATÓLICA não agiria desta forma ! Ou existe um sério desvio de personalidade e comportamento para uma pessoa agir desta forma tão agressiva e ferindo tudo que se relaciona abertamente a IGREJA CATÓLICA !
    Padre ANDERSON e acólitos agiram “sem duvida com a maior retidão e fidelidade ao proteger a EUCARISTIA “. Penso que no mundo que vivemos ” ter um titulo de poder na justiça lhe confere o direito de agredir e ficar impune”. O que passa para a sociedade MEDO!Pois não podemos nos sentir seguros .
    Clamo a Jesus que a JUSTIÇA seja realmente feita. A IGREJA é aberta porem não pode ser invadida por quem não lhe RESPEITA! Se temos algo contra então que resolvemos interiormente e não afetando e aviltando quem CRÊ! O PRECONCEITO é crime ou não é!!! Eu posso não concordar com as agressores feitas a nossa religião “mais jamais entraria em uma outra igreja que não católica com esta postura ! Fere tudo que foi constituído pela própria sociedade . Creio que este senhor deva ser orientado inclusive ” carteirada é crime ou não é mais??? Padre Anderson lamentável , triste o que aconteceu fui MESC sou catequista e me DÓI muito o fato da agressão a JESUS EUCARÍSTICO . Tenho certeza que tudo se resolvera e que o Senhor possa livrar essa alma através do perdão pelo ato insano cometido. Ninguém entra em um lugar obrigado e nem permanece obrigado .Então , ele realmente queria perturbar a ordem do local. Se eu não aceito um lugar que não me agrada simplesmente me retiro. Após ter lido o relato percebi que houve tida uma estratégia ate a hora da COMUNHÃO ….POR QUE ELE PERMANECEU?POR QUE RESOLVEU MOSTRAR SEU PODER?
    Somos cristãos e HUMILDES e tenho certeza que a Justiça ira conduzir da firma correta .
    SUA BÊNÇÃO .MEU ETERNO RESPEITO AO SENHOR , REPRESENTANTE LEGAL DE CRISTO. MARIA CÂNDIDA DIAS.

  31. Que situação terrível e constrangedora!
    Certamente o individuo está perturbado mentalmente ou então possuído pelo demônio!
    Concordo com todos que deve ser aberto inquérito e apurar responsabilidades criminais do episódio.

  32. Meus Deus…que horror. Que homem endemoniado.

  33. Ir na missa tradicional e fazer uma arruaça fora do sério é fácil – os católicos via de regra são muito mansos. Queria ver é o tal profanador valentão ir numa mesquita, na hora do culto muçulmano, e falar pelo menos: “Maomé é feio”… Aí sim ele iria ver o que é ser tratado com violência corporal…

  34. “…E pelos que não creem eu estou aqui!…” Que o senhor tenha misericórdia dessas almas que ainda não o encontraram! Força Padre Anderson!!!

  35. A Arquidiocese de Niterói certamente irá dar todo o apoio ao Pe. Anderson. Se até hoje ela, como muitas outras dioceses, paga com o dinheiro dos fiéis os salários e planos de saúde de padres que estão sendo processados por crimes como abuso de menores e outros, certamente não deixará desamparado o primeiro padre que “vira notícia” por algo realmente digno de um sacerdote.

  36. Estaremos em oração pelo Pe.Anderson,e também por esse senhor desequilibrado,coloquemos na mãos do Senhor para seja esclarecido com respeito e amor.Que Maria Santíssima o cubra o Pe. Anderson com o seu manto.

  37. Quer dizer que o escarnecedor fez uma queixa crime? Ótimo, assim saberemos sua identidade!

  38. Nossa Senhora guarde o Pe Anderson Batista da Silva e estes fiéis. Por mais Sacerdotes assim. Que o Rito Tridentino volte a ser celebrado em totalidade, toque na alma dos católicos e estes se convertam ao Sagrado. Pelo levante do Exército da Imaculada. Precisamos resgatar o Sagrado que se perdeu nas Missas de oba oba. Misericórdia Jesus!

  39. Uma pena isto tudo ter acontecido com Padre Anderson, um sacerdote fiel a Jesus e cheio de vontade de fazer o que o Pai aprouver. Padre, conte com nossas preces! Quanto ao senhor procurador… Deus sabe!!!!

  40. Forças P. Anderson
    Deus é contigo…
    Lamento muito o que aconteceu
    Em se tratando dá Sagrada Eucaristia!!!

  41. Esse louco “procurador”, profanador e demônio deveria ser preso. Estabelece o Código Penal Brasileiro (CPB) em seu artigo 208:
    Art. 208. Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou funçãoreligiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiarpublicamente ato ou objeto de culto religioso:
    Pena — detenção, de um mês a um ano, ou multa.
    Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada em um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.
    Fonte: https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/crimes_contra_o_sentimento_religioso_6_0.pdf

  42. Estou extremamente decepcionada com este ser humano criado por Deus, com a falta de gratidão e afronto a todos alí presentes. Achei desrespeitoso, um verdadeiro sacrilégio. O Senhor é realmente muito misericordioso, pois pede a igreja, via seu representante na terra, que oremos por este homem após ter violentamente agredido o santíssimo sacramento. Onde vamos parar com tanta perseguição? Agora nos envolvendo e tentando nos destruir, tentando vergonhosamente e de maneira humilhante, atingir um representante de Cristo com a Justiça, ou seria injustiça? Seria o apocalipse? Onde o encardido já corrompeu a política e agora a “justiça” dos homens? Sim, pq a justiça de Deus é na troca de amor. Ele é fiel, e com certeza o sacerdote Anderson terá a justiça divina e não dos homens. O inimigo nos rodeia a todo tempo e ele, com relação a igreja, não está se contendo somente em se revelar nos falsos profetas, ele está invadindo a nossa igreja, se rastejando aos pés da Santíssima Trindade, entrando na fila, se envolvendo em meio as pessoas de bem para estar de frente ao Senhor novamente. E como seu falso “poder” é momentâneo, precisa gritar e afrontar pra que seja notado dentre fiéis ao Rei dos Reis, ao Senhor dos Senhores, ao suplemento.

  43. Se a justiça dos homens não for feita,Deus fará!

  44. Estou em oração. Deus está no controle…

  45. Não é a primeira, nem será a última vez que ouviremos ver ou ouvir relatos contra à Santa Eucaristia. Mas fico aqui orando e pedindo à Deus que dê força e meios de lutar com esse mal que ataca nossa Igreja. Dê ânimo aos nossos sacerdotes em nome de Jesus Cristo. Amém.

  46. Engraçado que na internet há tradicionalistas tão ‘combativos’ contra os irmãos na fé (vide por exemplo aqueles inquisidores pé-de-chinelo da Montfort), e na hora em que aparece um endemoniado numa missa eles o deixam ir embora sem sequer chamar a polícia. É deprimente isso.

    • José,
      nem todos os tradicionalistas são igualmente combativos, e mesmo entre os mais combativos uma situação nova, grave e inesperada pode gerar certa paralisação momentânea, por não saber direito o que fazer no caso concreto. E já que você tocou no nome da Montfort – da qual fui membro no passado -, permita-me que eu conte que certa vez quase precisei defender corporalmente o professor Orlando Fedeli, num dia em que um bêbado entrou na capela do IBP (que ficava aberta para a rua): o professor agarrou o bêbado pelo pescoço e o arrastou pra fora da capela corrigindo-o muito duramente. O bêbado, que era um homem jovem, tentou reagir, quis insistir em voltar pra capela, mas a fúria fedeliana (santo zelo, melhor dizendo) acabou por escorraçá-lo dali. Nem quero imaginar, portanto, o que o professor faria se presenciasse uma cena de profanação como a que se deu em Niterói…

  47. Para evitar ações como essa, a arquidiocese, o padre ou os fiéis deveriam registrar um boletim de ocorrência criminal pela prática do crime de apropriação indébita na forma tentada pelo tal procurador. Com efeito, a Hóstia é um bem, no caso, um pão, de propriedade da Igreja, que é DOADO condicionalmente, ou seja, que é objeto de um negócio jurídico classificado como doação condicionada, sendo que a condição é a IMEDIATA ingestão do alimento. Se a pessoa beneficiada com a doação condicional não cumprir a condição, deve devolver o bem ao doador, sob pena de cometer o crime de apropriação indébita. E foi exatamente isso que aconteceu. Todos os presentes, e qualquer, poderia ter dado voz de prisão pelo flagrante, mas se limitaram a evitar a consumação do crime.

    • A Santíssima Eucaristia é o próprio Senhor Jesus, presente real e substancialmente em Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

    • Que que é ILSO???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      (Homilia no flat Santa Marta?)

  48. Não pratico da mesma religião , pois caso vá a igreja dos irmãos em cristo tenho que respeitar a doutrina dos irmãos “achando certo ou errado” não me cabe o direito de opinar ns doutrina de irmãos que professam de outra fé. respeitar a fé e questão respeito e educação.

  49. bhartolomeu, só para acrescentar lenha ao fogo, informo que também já vi o atual Mons. João Clá, dos Arautos do Evangelho, em situação análoga (porém antes de ser ordenado padre). O arcebispo de Curitiba havia organizado uma adoração eucarística no centro da cidade, e chamou os Arautos para ficarem na vigília noturna. Em determinado momento da noite surgiu um grupo de 15 punks/metaleiros tentando tumultuar a adoração, e o fundador dos arautos partiu para cima deles, sendo que por muito pouco não chegaram às vias de fato. Depois outros foram se ajuntando, e a coisa ficou por alguns instantes em uma turbamulta de represálias verbais em alto volume. Para quem conhece a origem dos arautos sabe que eles teriam prazer em iniciar uma batalha campal ali. Enfim, o fato é que os punks terminaram intimidados, e saíram às pressas, com os respectivos rabos entre as pernas. Foi uma escaramuça memorável. O mais legal foi ver os arautos voltando para tenda e retomando os hinos gregorianos

  50. “Eterno Pai eu Vos ofereço as Santas Chagas de Nosso Senhor Jejus Cristo, para curar as de nossas almas ; Senhor Jejus Cristo ,perdão e misericórdia , pelos méritos de Vossas Santas Chagas!”

  51. Em minha opinião, agiram corretamente. Parabéns ao Pe. Anderson e aos fiéis de Niterói pela bravura demonstrada.

  52. Lamentável esse episódio ocorrido. Não pertenço a essa paróquia, mas sim ao Rito Tridentino realizado a mais de tinta anos na baixada fluminense na Comunidade a que faço parte há 23 anos, a qual conheço e professo. O senhor Pe. Anderson está em minhas orações. Que Deus o guarde e proteja! Felizes os que são perseguidos em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo ! Continue seu sacerdócio sem temer mal algum, Deus está contigo! Sua bênção!

  53. O que o sujeito fez é Crime de Ultraje a Culto. Ver Art. 208 do Código Penal Brasileiro.

  54. Tem outro crime mais interessante neste caso (com a pena bem maior), denunciação caluniosa… o padre não pode ficar quieto, por amor à verdade é a justiça, deve denunciar o “procurador” (de encrenca), pelos dois crimes, o do artigo. 208 e o de denunciação caluniosa… basta de impunidade e desrespeito!!!

  55. Lamentável este ocorrido. Padre Anderson sacerdote muito ungido, zeloso e com amor enorme pela igreja não merece de forma alguma passar por essa injustiça. Misericórdia deste seu filho Senhor 🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻

  56. Este senhor pode ser representado com base no art. 208 do código penal – perturbar ou impedir cerimônia ou prática de culto religioso.
    Detenção de um mês a um ano.

    Parabéns ao Pe que de forma amoroso tentou orientar este senhor.

  57. Padre Anderson e lamentável o que aconteceu .Essa pessoa , q e como devemos chamar por que nunca foi católica .Pro que católico não faz o que ele fez com Jesus. Ele eu não conheço mas o senhor eu conheço e sei como ama Jesus e os seus paroquianos

  58. Muito triste esse acontecimento. Que Maria com seu manto cubra de bençãos e proteja de todo o mal o Padre Anderson. Deus o abençoe. A partir de hoje estaremos em orações por padre Anderson.

  59. De certa forma, este episódio serviu para mostrar aos incrédulos da eucaristia, que isto não teria acontecido se a hostia fosse apenas a representação do Corpo de Cristo, pois uma pessoa, para se alterar desta maneira, só pode estar possuída pelo malígno, o qual não tem apenas uma fé, mas tem o pleno conhecimento da Real presença de Jesus na Hostia Consagrada!!!

  60. Misericórdia Jesus porque esse senhor não sabe o que faz!!!E se realmente é um procurador aí mesmo tinha que ter uma postura como tal…não usando de abuso de poder!!Parabéns ao padre e que Deus o abençoe e proteja desses demônios que aparecem para tirar a paz.

  61. Se realmente aconteceu esse fato devem-se os fiéis que viram a situação processá-lo. Denúncia-lo na corregedoria competente e etc…Infelizmente não se pode tolerar esses crimes contra nossa fé.Isso é um crime de caráter religioso premeditado por esse homem.Ele cometeu um crime contra todos cristãos católicos, ortodoxos do mundo inteiro.