Foto da semana.

soresperanza_1

CARACAS, 25 Abr. 17 / 04:00 pm (ACI).- A imagem de Irmã Esperanza, uma corajosa religiosa de 70 anos, resistindo à repressão das forças policiais venezuelanas durante a “Marcha do Silêncio” de 22 de abril, comoveram as redes sociais.

Desde o início de abril, multitudinárias manifestações pacíficas aconteceram na Venezuela contra o regime do presidente Nicolás Maduro. De acordo com a empresa de pesquisas Meganálisis, cerca de 2,6 milhões participaram durante a “Mãe de todas as Marchas” em Caracas e outros 6 milhões em outras cidades do país.

Ver imagem no Twitter

Os opositores ao regime de Maduro e a Igreja Católica no país exigiram ao governo que não reprima violentamente as manifestações civis.

Estima-se que desde o início de abril, 24 pessoas morreram na Venezuela em casos relacionados às manifestações e à repressão do governo.

No dia 22 de abril, como uma forma de recordar os mortos durante os protestos, milhares participaram da “Marcha do Silêncio” em Caracas. Muitos deles rezavam enquanto caminhavam. Entre eles estava a Irmã Esperanza.

Os agentes da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) “não deixavam passar”, disse a religiosa, ao lamentar que “começaram a lançar suas bombas”.

“Eu me aproximei do chefe, disse: como é possível? Vocês são venezuelanos, nós somos venezuelanos”, indicou.

A religiosa idosa assegurou: “Eu não tenho medo deles”.

O governador do estado venezuelano de Miranda, Henrique Capriles, elogiou a religiosa e assegurou no Twitter que “até mesmo a noite mais escura terminará com o nascer do sol. Deus a abençoe e acompanhe Irmã Esperanza!”.

Diversas contas simpatizantes do governo de Nicolás Maduro tentaram desacreditar a religiosa, assegurando que era cubana e estava vinculada a grupos de contrainteligência.

Entretanto, a Conferência Episcopal Venezuelana assegurou em sua conta no Twitter que Ir. Esperanza é “filha de Maria Auxiliadora, salesiana. Não façamos ecos de falsos rumores”.

Anúncios
Tags:

3 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Se a Igreja da Venezuela contasse com firme apoio do Vaticano desde anteriormente no desgoverno do castrista Chávez, quem sabe a situação poderia ter sido contornada ou os comunistas estariam mais acuados pela influencia dela, bem provável, pois a pressão popular e de governos estrangeiros desestabilizam e até podem ajudar depor governos ditatoriais.
    Porém, nos EUA o marxiislamita Barack Obama no poder pesou bastante negativamente em prol das ditaduras de esquerdas na A Latina, Central, além de que pareceria ter a Secretaria de Estado do Vaticano ter adotado o “politicamente correto”, deduzindo-se por se omitir em as denunciar que, de imediato configuraria aquiescencia a esses autoritarios comunonazifascistas, como Maduro!
    Idem, sucede na ilha-prisão Cuba e no gulag nomeado Coreia do Norte, ambos com carniceiros e déspotas no poder em linha sucessoria direta, como sucede nos tirânicos países árabes, cujos prepotentes governam “inspirados e representam” a deusa lua Alah!…

  2. Errata: “negativamente” seja substituído por “positivamente”.

  3. Completando “Isaías”. Vejam o twitter deste sacerdote “rebelde” venezuelano:
    https://twitter.com/PadreJosePalmar
    Alguns trechos que me chamaram a atenção:
    “Com os seguidores de satanás que estão em Miraflores não haverá nunca condições de um diálogo. PAPA FRANCISCO SIGO EM REBELDIA”.
    “É lamentável que o papa Francisco… tenha expressado tanta inestima sobre os que lutam pela dignidade da Venezuela e não diga nada denunciante sobre o narco-regime que nos faz sofrer de fome e nos mata”.
    (Padre José Palmar)
    “Com o demônio não se dialoga. Não se pode dialogar, porque ele vai vencer sempre”.
    ( Papa Francisco)