Papa expressa pela primeira vez sua opinião sobre aparições de Medjugorje.

AVIÃO PAPAL, 13 Mai. 17 / 06:34 pm (ACI).- No marco dos 100 anos das aparições da Virgem de Fátima, durante seu vôo de regresso a Roma, o Papa Francisco expressou pela primeira vez sua opinião pessoal sobre as presuntas aparições marianas do Medjugorje, na Bosnia-Herzegovina.

O Santo Padre explicou que “todas as aparições ou as supostas aparições pertencem à esfera privada, não são parte do magistério público ordinário da Igreja”.

No caso de Medjugorje, recordou, Bento XVI estabeleceu uma comissão “de bons teólogos, bispos,  e cardeais, dos bons, dos bons”, presidida pelo Cardeal Camillo Ruini.

“Ao final de 2013 ou ao início de 2014 recebi do Cardeal Ruini o resultado”, disse.

“O relatório Ruini é muito, muito bom”, destacou.

O Papa precisou que no caso de Medjugorje “deve-se distinguir 3 coisas: as primeiras aparições, quando eram crianças. O relatório mais ou menos diz que se deve continuar investigando isso”.

Sobre as “supostas aparições atuais”, disse Francisco, “o relatório tem suas dúvidas”.

“Eu pessoalmente sou mais malvado, eu prefiro a Virgem Mãe, nossa Mãe e não a Virgem Chefe do Escritório Telegráfico, que todos os dias envia uma mensagem a tal hora. Esta não é a Mãe de Jesus”.

“Estas supostas aparições não têm tanto valor, e isto o digo como opinião pessoal, mas está claro”, assinalou.

“Quem pensa que a Virgem dizia: ‘venham que amanhã a esta hora direi uma mensagem a essa gente’? Não, distingue-se 2 aparições”.

O Papa precisou ainda que “o centro do relatório Ruini é o fato espiritual, pastoral, pessoas que vão ali e se convertem, gente que encontra a Deus, que muda de vida, mas para isto não há uma varinha mágica ali”.

“E este fato espiritual, pastoral, não se pode negar”, asseverou.

“Agora para ver as coisas com todos estes dados, com as respostas que me enviaram os teólogos, nomeou-se este bispo bom, bom porque tem experiência, para ver como vai a parte pastoral. E ao final se dirá algo”, assinalou referindo-se a Dom Henryk Hoser, nomeado este 11 de fevereiro como “enviado especial” a Medjugorje.

Tags:

18 Comentários to “Papa expressa pela primeira vez sua opinião sobre aparições de Medjugorje.”

  1. Essa tola heresia indica que quem pronunciou tais palavras nunca pode ter sido Nossa Senhora:

    1- “É preciso respeitar cada pessoa na sua fé. Nunca se deve desprezar alguém por causa de suas convicções. Os crentes se separaram uns dos outros; mas Deus dirige todas as confissões, como um rei os seus súditos, por meio de seus ministros. Somente Jesus Cristo é o Mediador da salvação.” O trecho sublinhado é herético. Nunca Nossa Senhora diria tal heresia. Logo, a aparição de Medjugorje é falsa.

    2- “Não se pode ser cristão sem respeitar os outros, sejam eles muçulmanos ou ortodoxos… Em Deus não há divisões nem tantas religiões. Fostes vós a criar as divisões no mundo. O único Mediador é Jesus.”. De novo, a expressão de uma doutrina contrária à Fé, no texto que coloquei em negrito. Nossa Senhora jamais poderia ter dito tal erro. A aparição de Medjugorje, portanto, é falsa.

    3- “Certo dia, padre Tomislav pediu a Nossa Senhora, através da vidente Jelena: “Querida Mãe, como pôde Jesus rezar a noite inteira sem se cansar?” Ela respondeu: “Jesus teve um grande desejo de Deus e de salvação das almas”. As palavras que coloquei em negrito são um absurdo. Jesus é Deus e não pode ter desejo de Deus.

    Essa tola heresia indica que quem pronunciou tais palavras nunca pode ter sido Nossa Senhora:

    http://www.montfort.org.br/bra/cartas/polemicas/20040824124602/
    .
    .
    Você está completamente errada ainda ao afirmar:
    “E também a Virgem e Deus não querem que façamos coisas por obrigação, e sim por amor; amor aos nossos irmãos, amor à Ele… Portanto, não devemos ir à Santa Missa por obrigação.”
    A primeira prova de que temos realmente amor a Deus é que desejamos obedecer a sua lei e a da Santa Igreja. Sua frase acabaria levar a dizer que, não tendo amor, se está desobrigado de obedecer.

    http://www.montfort.org.br/bra/cartas/polemicas/20040817165747/

    • De acordo, Rafael Teófilo. E acrescento ainda alguns pormenores estranhos dessas supostas aparições que depõem contra a sua autenticidade:
      “(…) o texto [o da comissão investigadora do caso] advertiu que era “uma figura ambígua”; uma figura feminina que “se comporta de maneira muito diferente da verdadeira Virgem”. “Ri de maneira estranha, desaparece diante de certas perguntas e depois volta; obedece aos ‘videntes’” e “não se sabe exatamente por quanto tempo aparecerá”, indicou. Além disso, um dos videntes, Ivan Dragicevic, disse que percebeu no primeiro dia “um tremor” nas mãos da aparição. (…) Do mesmo modo, disse que, de acordo com investigações, ocorreu uma “coisa muito inusitada e grave: a aparição permite não só que alguns da multidão pisoteiem o seu véu estendido na terra, mas também que toquem o seu corpo”. “Tais histórias de tocar o corpo da Virgem, seu vestido, de poder pisar no seu véu geram em nós uma sensação e convicção de que se trata de algo indigno, inautêntico e escandaloso.” (Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/bispo-local-se-pronuncia-sobre-autenticidade-de-aparicoes-da-virgem-em-medjugorje-60836/).
      Eu, particularmente, acho que as “aparições” de Medjugorje são uma mistura de fraude humana com intervenções diabólicas. Talvez seja um plano do inferno para tentar apoiar a missa nova e a igreja conciliar em geral. E, se no meio dessa loucura, vários fiéis bem intencionados, mas iludidos, acabaram encontrando algum estímulo espiritual benéfico à alma deles, isso só demonstra como Deus permite o mal para dele tirar o bem, embora a contragosto dos agentes do mal. O demônio pensa em longo prazo: talvez para ele seja tão importante apoiar a missa nova e a igreja do Vaticano II, que ele não se negue a dar umas ‘ajudinhas’ de vez em quando a uns videntes que queiram fingir ter visões em si capazes de induzir almas boas a se aferrarem cada vez mais aos erros conciliares (e além-conciliares, como certas práticas da RCC). O demônio sabe que é preferível “dar os anéis, para não perder os dedos”: isso explicaria ele apoiar uma “aparição” que pede o Rosário mas apoia a missa nova e outros erros – o que ele perde por um lado, ganha em dobro pelo outro.
      Proponho um teste: segundo os “videntes”, Nossa Senhora teria lhes confiado 10 segredos (dez !), todos a se realizarem ainda durante a vida dos videntes e a serem anunciados ao mundo, cada um deles, três dias antes do acontecimento. Nossa Senhora também teria prometido que, ainda com os videntes vivos, surgiria milagrosamente na ‘colina das aparições’ um sinal permanente, indestrutível, espetacular e totalmente inexplicável, capaz de convencer qualquer incrédulo. Aguardemos sentados, e vejamos se algo disso se cumpre.

  2. voce esta falsificando afirmações, ela nunca falou essas coisas !

  3. Caros amigos, paz e bem!
    “E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus” (Atos 5, 38-39)
    O papa Francisco e o Rafael Teófilo (acima) estão equivocados, pois desde sempre, Nossa Senhora transmite ao mundo mensagens da parte de Deus. Desde La Salette (Franca, 1846), passando por Fátima (Portugal, 1917) e Akita (Japão, 1973), e chegando até os dias de hoje em Medjugorje (Ex- Iugoslávia, 1981).
    Apoiadores de Mediugórie:
    – padre Gabriele Amorth (exorcista mais famoso do mundo);
    – São João Paulo II (papa);
    – Antonio Socci (escritor italiano);
    – Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ (arcebispo de Salvador e primaz do Brasil);
    – Dentre outros.
    As mensagens que Nossa Senhora transmite à humanidade, notadamente há aproximadamente 100 anos, são sempre as mesmas:
    – Orar com o coração – o rosário;
    – Penitência;
    – Eucaristia;
    – Leitura da Bíblia);
    – Conversão rápida.
    Lamentável tal declaração. Pior, num tom de ironia no trato das coisas sagradas. Mas não chega a ser surpresa, principalmente partindo dos papas João XXIII e Francisco (diferentemente da posição dos papas João Paulo II e Bento XVI), pois tais papas debocham gratuitamente das últimas aparições de Nossa Senhora para a humanidade. Senão, vejamos:
    i) Papa João XXIII e críticas à Fátima (1917- Portugal):
    – “Parece-nos que devemos discordar desses profetas da desgraça, que anunciam acontecimentos sempre infaustos, como se estivesse iminente o fim do mundo” (discurso de abertura do II Concílio do Vaticano (11 de outubro de 1962).
    ii) Papa Francisco e críticas à Mediugórie (1981- Bósnia and Herzegovina):
    – “Eu sei de um tal vidente, um visionário, que recebe cartas de Nossa Senhora, mensagens de Nossa Senhora”. “Nossa Senhora é Mãe e não uma gerente dos Correios que fica despachando mensagens todo dia” ou, ainda, “onde estão os videntes que nos dizem hoje a carta que Nossa Senhora mandará às 4 da tarde?. E vivem disso”.
    Nosso comentário:
    i) Papa João XXIII: no seu processo de canonização, dispensou-se inclusive a comprovação do segundo milagre. Como foram os frutos do Concílio Vaticano II? Com a palavra o papa Bento XVI:
    No seu último discurso de despedida (14/02/13), fez uma avaliação do Concílio Vaticano II (1962 a 1965), a seguir descrita:
    “Há muita interpretação distorcida das reuniões da igreja na época, influenciada pela Mídia, que resultaram em muitas das “calamidades” que afligem a igreja católica nos dias atuais. Isso se seguiu a “muitas calamidades, tantos problemas, a vários tormentos. Seminários fecharam, conventos fecharam, a liturgia foi banalizada”. (Bento XVI).
    Moral: o Vaticano II foi uma tragédia para a Igreja, além de abolir a oração do Pequeno Exorcismo de São Miguel Arcanjo logo após as missas. Saindo o arcanjo protetor da Igreja (S. Miguel), Lúcifer fez a sua festa desde então. E “pelos frutos, se conhece a árvore” (Jesus Cristo).
    ii) Papa Francisco: como pode a maior autoridade da Igreja defender a separação de casais, promover o lava-pés com transexual, exprimir frases do tipo: “quem sou eu para julgar” (sobre os homossexuais, tb serveria para os PEDÓFILOS, para os CORRUPTOS, para os TERRORISTAS?), sugerir o limite de três filhos por casal, que na Encíclica Verde defender a criação de um órgão Supranacional para governar o mundo (acolhendo a tese dos Senhores do Mundo, do Governo da Sombra, da “Sinagoga de Satanás”), debochar, enfim, das últimas aparições de Nossa Senhora para a humanidade?!?
    Seguem algumas mensagens significativas da Rainha da Paz (Mediugórie).
    Em 14/abr/ 1982, Maria revelou:
    “Deveis saber que Satanás existe. Ele, um dia, se apresentou diante do trono de Deus e pediu a permissão de tentar a Igreja por certo período com a intenção de destruí-la. Deus permitiu a Satanás de colocar a Igreja à prova por um século, mas completou: ‘Não a destruirá!’. Este século que viveis está sob o poder de Satanás, mas, quando forem realizados os segredos que vos foram confiados, o seu poder será destruído. Já, agora, ele começa a perder o seu poder e, por isso, tornou-se ainda mais agressivo: destrói os matrimônios, fomenta discórdias até entre as almas consagradas, causa obsessão, provoca homicídios. Protegei-vos, portanto, com o jejum e a oração, sobretudo com a oração comunitária. Levai convosco objetos bentos e colocai-os também nas vossas casas. E retomai o uso da água benta!”
    01/jan/2001, em Mediugórie, Ela nos alertou que Satanás estava livre de suas correntes e convidou-nos a consagrar ao Imaculado Coração de Maria e ao Sagrado Coração de Jesus para sermos protegidos por Deus. E o que ocorreu desde então: no mesmo ano (11/set/01) atentado nos EUA e agora, a renúncia do papa Bento XVI (fev/13). O que virá pela frente não sabemos, mas temos certeza de que Deus estará ao nosso lado.
    Que o Vaticano siga o conselho de Gamaliel, sob pena de cometer uma grave injustiça e erro, a exemplo Santo Atanásio que chegou ao cúmulo de ser excomungado pelo então papa romano Libério (352-366) na época do Arianismo.
    Em Fátima (1917), na cova da Iria, transmitiu ao mundo mensagens que foram concretizadas. Avisou previamente sobre a 2ª Guerra Mundial e esta aconteceu.
    Em 01/jan/01, em Mediugórie, Nossa Senhora Rainha da Paz nos alertou que Satanás estava livre de suas correntes e convidou-nos a consagrar ao Imaculado Coração de Maria e ao Sagrado Coração de Jesus para sermos protegidos por Deus. E o que ocorreu desde então: no mesmo ano (11/set/01) atentado nos EUA e agora, a renúncia do papa Bento XVI (fev/13).
    O teólogo mariano René Laurentin, que fez uma comparação muito interessante sobre as últimas aparições marianas no mundo moderno:
    Inicialmente, em Lourdes, a Virgem aparecia de manhã. Em Fátima aparecia às 12h (meio-dia) e, atualmente, em Medjugorje ela aparece no final da tarde.
    Moral da história: Ele afirma que Nossa Senhora agora está aparecendo à tarde porque nós não estamos no começo, nem no meio, mas no fim, ou seja, estamos próximo ao final dos tempos, visto que o dia termina às 18h. O momento é de vigilância e oração.
    “Doravante todas as gerações me chamarão de bem-aventurada” (Lc 1, 48)

  4. O argumento do papa é muito pobre, se Nossa Senhora não pode marcar a altura das suas aparições então posso deduzir que o papa não acredita em Fátima, afinal foi NS que marcou os dias em que apareceria. Não compreendo tal limitação por parte de NS gostaria de saber com que bases teológicas é que o papa dá esses argumentos.
    É com este tipo de arrogância de quem pensa que sabe o que Deus quer e o que Deus deve querer que estamos neste lastimável estado da Igreja e do mundo. Praticamente a Igreja foi obrigada a aceitar as mensagens de Fátima, pois seria quase impossível ignorar o milagre do Sol. Mas mesmo depois da Igreja ter reconhecido Fátima , achou que sabia mais do que NS e se recusou em revelar o terceiro segredo na altura que NS pediu e continuam a teimar em não fazer a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria de acordo com o pedido de Deus.
    Neste 13 de Maio os conteúdos da mensagem da mãe de Deus foram adulteradas e transformadas numa mensagem para os pobrezinhos. Eles que façam o que a mãe de Deus disse e falem menos, se o fizerem verão milagres maiores do que aqueles que Jesus realizou nas bodas de Canã. Não admira que os milagres realizados pela Igreja sejam cada vez mais raros, os homens da Igreja recusam-se literalmente a fazer o que Deus lhes manda.

    • Neste ponto concordo com o Papa sobre a regularidade das aparições.
      As “aparições” quase diárias da Virgem em Medjugorje nunca poderão se comparar às seis aparições de Fátima.
      As “aparições” mensais ou semanais de Medjugorge banalizam o sobrenatural e a figura de Nossa Senhora, e não trazem nenhuma mensagem específica; só exortações vagas e genéricas de conversão, inclusive com proposições contrárias à Doutrina. Ora, para que Nossa Senhora se prestaria a “aparecer” todos os meses ou dias para anunciar uma coisa que a Igreja já faz há dois mil anos (apela à conversão)?
      Fátima expressou três profecias específicas: o fim breve da primeira guerra, a Segunda Guerra Mundial e o avanço do comunismo. As mensagens de Medjugorge, por sua vez, não trazem nada de concreto, apenas um espetáculo midiático onde os “videntes” vivem uma vida secular dando palestras e fazendo shows de mediunidade ao invés de viverem uma vida contemplativa de recolhimento, como aconteceu com todos os videntes anteriores.
      Em Fátima tivemos o milagre do Sol. Em Medjugorge, o único “milagre” que vimos foi a projeção à fama internacional dos “videntes” com apresentações em shows, palestras e viagens internacionais.

  5. Minha fé em Medjugorje começou em 100%, passou a 80% devido a continuação, diminuiu pra 50% devido a tantas críticas que a gente ouve, baixou pra 20% devido aos excessos repetitivos e cada vez maiores mensagens com jeito de livro de psicologia e auto-ajuda.
    Agora quando vejo certo tipo de crítica manipuladora de dados (como dizer que os videntes estão enriquecendo) sem querer levar em conta a inteira doação deles ao acontecimento. Quando vejo gente forçando a barra com críticas que demonstram idéias contrárias por razões ideológicas ou porque a aparição não fala o que eles acham que devia falar… a percentagem começa a subir.
    Agora, a cereja do bolo é a “profundíssima” avaliação do papa Francisco. Diante dela minha fé em Medjugorje já tá quase 80% de novo.

  6. Teresa, com o devido respeito e pela legitimidade das suas dúvidas, queria lhe dizer que, pelo que sei, o único critério seguro para avaliar a veracidade de uma aparição é o seu perfeito alinhamento com a doutrina e a Tradição da Igreja. Se disserem que Nossa Senhora lhes veio defendendo a nova teologia, o ecumenismo, pautas políticas anticristãs, a nova moral de um mundo sem Deus, seguramente desconfie. Ademais disso, essa coisa de pisar o véu, tocar o corpo santo de Nossa Senhora, risos diferentes, etc etc, se verdadeiros, só reforçam a possibilidade de fraude. Já os argumentos do Papa Francisco contra Medjugorje são tão impertinentes que só servem para pôr o fiel simples em mais confusão ainda. Como dito ali em cima, Nossa Senhora marcou sim, dia e hora, para as aparições seguintes à de 13 de maio em Fátima, inclusive o dia em que faria o milagre para que todos acreditassem. Logo, não é por isso que Medjugorje é falso, mas por contradizer o que a Igreja sempre disse, e o que Ela própria já disse antes. Nossa Senhora não pode aparecer em Fátima — assim como em Lourdes, em Salette, etc — dizendo uma coisa e em qualquer outro lugar dizendo o contrário. Meu conselho, se é que posso dar algum, é: esqueça Medjugorje. Apegue-se à Fátima, que nem terminou ainda, mas já está mais do que provado.

  7. As “aparições” de Medjugorje podem ter de tudo, menos confiabilidade, pois nunca me deparei com pessoas que tiveram visões beatíficas e continuavam a viver como antes, como esses “videntes”, após as
    “visões” frequentando festinhas, namorando e até se casando, sem contar que “N Senhora” permitiu até um frei se amasiar a uma religiosa e admitir mais casos que evidenciavam tratar-de de tremenda farsa, comercio, talvez diabolismo!
    Essa N Senhora apareceria até sob antecipação dos “videntes”, parecendo ser-lhes cativa…
    De como mudaram radicalmente todos os outros videntes das revelações particulares aprovadas pela Igreja, recolhendo-se a conventos e após, continuamente em união estreita com o Senhor Deus, caso de Fátima!
    É fato que houveram bispos e sacerdotes admitentes desses fenõmenos como confiaveis, rarearam e depois não se pronunciarem mais em defesa das aparições; teriam refletido, teriam se enganado e seriam fenômenos pentecostalistas, típicos de seitas protestantes e de aficcionados desses, os RCCistas com as supostas “aparições e revelações”…
    Num “êxtase” de uma das videntes, passaram-lhe a mão frente a seus olhos e ela os fechou, retraindo-se…
    Os 3 bispos de Mostar unanime e categoricamente refutaram haver sobrenaturalidade: D Zanic, D Ratko e D Peric e denunciaram que os católicos declinavam constantemente nas regiões das “sobrenaturalidades” – péssimo sinal – além de desde o papa João Paulo II ir naquela de “estamos averiguando” e o papa Bento XVI, com toda razão foi bastante retrátil!
    *A “Comissão Ruini” do Papa Bento XVI investigando os fenômenos e as mensagens da Virgem Maria publicadas regularmente pelos videntes desde 1981 e a Congregação para a Doutrina da Fé aprovou uma série de restrições e recomendações em relação a Medjugorje, tais como:
    – Os fiéis católicos estão proibidos de participar nos “extases” dos videntes.
    – Os videntes estão proibidos de divulgar os textos que dizem ter recebido da Virgem Maria.
    – A paróquia de Medjugorje não será um Santuário Mariano, como desejavam os videntes.
    – Os bispos não podem acolher nas suas dioceses os videntes para darem o seu testemunho.
    – Os bispos devem recomendar aos seus fiéis que quando se deslocarem a Medjugorje como peregrinos se façam acompanhar por um sacerdote católico.
    – Os peregrinos que se desloquem a Medjugorje não devem reconhecer como verdadeiras as aparições e devem evitar qualquer contacto com os videntes, concentrando-se apenas na oração e Sacramentos.
    Estas duras medidas tomadas pela Santa Sé foram justificadas pela inconsistência teológica das mensagens de Medjugorje e com os grandes rendimentos que os próprios videntes garantiram durante todos estes anos. Os videntes são proprietários de vários hoteis, bastante lucrativos graças ao grande número de peregrinos que se deslocam até Medjugorje.
    Este “dossier” já se encontra na posse do Papa Francisco, que se deverá pronunciar nos próximos dias. Sabe-se que o Papa é bastante céptico em relação a Medjugorje e já fez duras críticas publicamente aos próprios videntes.
    O Cardeal Müller afirmou ainda que Medjugorje deverá continuar a ser considerado um local de fé e oração porque Deus consegue recolher até onde não semeia.
    *Fonte: Gianluca Barile, Vaticanista

    • Isaías, concordo com você. Eu particularmente nunca acreditei em Medjugorje, mesmo tendo presenciado os mais apaixonados depoimentos sobre as supostas aparições de senhoras devotas e até de padres.
      Estudando a vida dos supostos videntes, é difícil enxergar o mínimo de espiritualidade, o que difere muito de outras aparições marianas como Lourdes, Fátima e Medalha Milagrosa. Os “videntes” de Medjugorje me parecem muito mais interessados em arrastar ingênuos fiéis para os shows públicos e depois passar o cofrinho. Sem contar o caso do antigo diretor espiritual dos “videntes”, Tomislav Vlašić. Cujas aventuras e posterior laicização foram noticiadas por este blog há alguns anos (https://fratresinunum.com/2009/07/27/bomba-criador-de-medjugorje-reduzido-ao-estado-laical-por-bento-xvi/).
      Desta vez devo concordar com Francisco. Acho que chegou a hora de uma vez por todas a Igreja declarar oficialmente falsas tais “aparições” e acabar de uma vez por todas com essa história. Não só essa como também outras supostas aparições (como as “aparições” de Jacareí) que só servem para enganar os humildes.
      Infelizmente, muitas pessoas da mais reta intenção e boa vontade, são seduzidos por tais “aparições”, como é o caso de um frei da Diocese de Santo Amaro que é um sacerdote admirável, mas peca por acreditar piamente em tais “mensagens marianas”.


  8. Endereço do video com o “extase” acima referido.

  9. Que Medjugorje é uma farsa, já há muito vem denunciado. O que me espanta são as palavras chulas e vulgares usadas pelo Santo Padre para se referir ao fato. Isso porque Francisco é o paladino da humildade, fraternidade e simplicidade. Imagina se fosse “arrogante” e “prepotente” como era o Bento XVI (segundo as beatas de Igreja e católicos de IBGE, além da mídia, é claro).

  10. Mediugórie é uma continuidade de Fátima (3º Segredo: “bispo de branco”)..
    E sua missão tem grande vínculo com o papado.
    Explico: Nossa Senhora Rainha da Paz começou a aparecer no mês seguinte (jun/81) após a tentativa de assassinato do então papa João Paulo II (13-maio-1981) e, no futuro, se algo acontecer com o papado (Francisco ou Bento XVI), os segredos (dez) serão revelados. Não sejamos imprudentes, aguardemos a revelação dos Dez Segredos (semelhantes as 10 pragas do Egito).
    Pessoal,
    A crença, todavia, nesta aparição não constitui dogma de fé; sendo assim, ninguém será condenado nem salvo se nelas não acreditar. A Igreja, por seu turno, se abstém, prudentemente, de pronto reconhecê-las oficialmente. A propósito, LOURDES (vidente: Bernadete) teve que esperar 33 anos e FÁTIMA (videntes: Lúcia, Francisco e Jacinta) 13 anos para confirmação da veracidade de suas aparições.
    Mediugórie me ajudou a compreender esse mundo “líquido” (Zygmunt Bauman) em que vivemos, a Ditadura do Relativismo (inclusive com a ascensão do papa Francisco no trono petrino).
    Em Medjugorje, a Virgem nos alerta que são os últimos apelos para a humanidade decaída, para que se converta, voltando-se a Deus. O tempo urge. Pedidos de Nossa Senhora: conversão rápida. Jejum (4ª e 6ª feira), confissão mensal, leitura diária da Bíblia, Eucaristia e Penitência. Resumindo: são as 5 pedras que Davi para enfrentar o gigante Golias (Satanás).
    Estamos vivendo a hora de Satanás e a humanidade mundo caminha para uma catástrofe mundial.
    “Quem reza não teme o futuro e quem jejua vence o mal” (Mediugórie).

  11. Ao que tudo indica, e com máxima verosimilhança, o ataque desferido por Bergoglio contra Medjugorje tinha pelo menos dois outros alvos: La Salette e Fátima. De fato, se a mensagem destas duas aparições se centra no binômio “penitência ou castigo”, então, quando Bergoglio, fazendo um tour por Fátima, retoma a sua doutrina espúria sobre “justiça e misericórdia”, como se fossem atributos irreconciliáveis em Deus, resta apenas concluir que ele foi a Portugal esvaziar a mensagem recebida pelos três Pastorinhos. Em verdade – e Bergoglio parece ignorar também isso -, mesmo quando pune, Deus é misericordioso, pois pune sempre aquém do que merece a culpa, como diz São Tomás.
    O fato de se evocar uma aparição mariana fraudulenta e herética (Medjugorje) na ocasião mesma do jubileu de outra que é verdadeira (Fátima), atacando o conteúdo central desta – “penitência ou castigo” – é lançar sombra e descrédito sobre todas elas.

  12. De pleno acordo com PW. Nunca é demais lembrar que o critério para se dar credibilidade ou não a uma aparição sobrenatural compete tão somente ao Ordinário local onde acontece o fato. No caso de Medjugorje, o bispo local, a tempo e modo, reprovou tais aparições, sendo tal juízo ratificado sucessivamente por outros dois ordinários locais. Portanto, as aparições são falsas e não se discute mais o assunto. Nessa matéria, não tem nenhum valor a opinião em sentido contrário de fiéis, padres, religiosos e até mesmo de bispos pertencentes a outras dioceses. Afirmar que essas ditas aparições de Medjugorje são continuação de Fátima é desconhecer por completo o real teor da mensagem de Fátima. Não tem nada a ver, a começar pela vida dos videntes. Mas, se tudo isso não é suficiente para convencer alguém que se recusa enxergar a verdade, basta seguir a pista dada por Nosso Senhor Jesus Cristo: “pelos frutos os conhecereis”. Só não me venha dizer que há frutos bons, pois muitas pessoas se convertem quando visitam o local. Ora, “conversões” motivadas por falsos milagres também acontecem aos montes nas ditas “igrejas” pentecostais protestantes e nem por isso são verdadeiras.

    • Este comentário está completamente errado. Segundo as normas canônicas o Ordinário do local dos fatos é somente a primeira instância de avaliação de uma revelação particular. Seria mais digno de um católico se abster de comentar sobre essas regras sem saber o básico do direito da Igreja. Vejamos o que diz as NORMAS PARA PROCEDER NO DISCERNIMENTO DE PRESUMÍVEIS APARIÇÕES E REVELAÇÕES da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé.
      III. Autoridades competentes para intervir
      1. Compete antes de tudo ao Ordinário do lugar a tarefa de vigiar e intervir.
      2. A Conferência Episcopal regional ou nacional pode intervir:
      a) se o Ordinário do lugar, desempenhando a sua parte, recorrer a ela para discernir com maior segurança sobre o facto;
      b) se o facto já pertence ao âmbito nacional ou regional, contudo sempre com o consenso prévio do Ordinário do lugar.
      3. A Sé Apostólica pode intervir, quer a pedido do próprio Ordinário, quer de um grupo qualificado de fiéis, quer também directamente em razão da jurisdição universal do Sumo Pontífice (cf. infra, n. IV).
      IV. Intervenção da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé
      1. a) A intervenção da Sagrada Congregação pode ser pedida quer pelo Ordinário, desempenhada a própria parte, quer por um grupo qualificado de fiéis. Neste segundo caso, prestar-se-á atenção a fim de que o recurso à Sagrada Congregação não seja motivado por razões suspeitas (como, por exemplo, a vontade de constranger o Ordinário a modificar as suas legítimas decisões, a ratificar algum grupo sectário, etc.).
      b) Compete à Sagrada Congregação intervir motu proprio nos casos mais graves, em particular quando o facto envolve uma parte consistente da Igreja, sempre depois de ter consultado o Ordinário e, se a situação o exigir, também a Conferência Episcopal.
      2. Compete à Sagrada Congregação julgar e aprovar o modo de proceder do Ordinário ou, se julgar possível e conveniente, proceder a um novo exame do facto, distinto daquele realizado pelo Ordinário e levado a cabo pela própria Sagrada Congregação ou por uma Comissão especial.
      As presentes Normas, deliberadas na Sessão Plenária desta Sagrada Congregação, foram aprovadas pelo Sumo Pontífice Paulo VI, felizmente reinante, a 24 de Fevereiro de 1978.
      Roma, do Palácio da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, 25 de Fevereiro de 1978.
      Franjo Cardinale Šeper
      Prefeito
      + Jérôme Hamer, O.P.
      Secretário

  13. “Mas sempre existiram essas pessoas que, sem qualquer autoridade, turbam a comunidade cristã com discursos que transtornam as almas: “Eh, não. Isso que foi dito é herético, não se pode dizer, isso não, a doutrina da Igreja é esta…”. E são fanáticos por coisas que não são claras, como esses fanáticos que semeavam intrigas para dividir a comunidade cristã. E este é o problema: quando a doutrina da Igreja, a que vem do Evangelho, que o Espírito Santo inspira, esta doutrina se torna ideologia. E este é o grande erro dessas pessoas”.
    Esses indivíduos – explicou – “não eram fiéis, eram ideologizados”, tinham uma ideologia “que fechava o coração para a obra do Espírito Santo”. Ao invés, os apóstolos certamente discutiram de maneira enérgica, mas não eram ideologizados: “tinham o coração aberto ao que o Espírito dizia.
    A exortação final do Papa foi para não se deixar intimidar diante das “opiniões dos ideólogos da doutrina”. A Igreja, concluiu Francisco, tem “o seu próprio magistério, o magistério do Papa, dos bispos, dos concílios”, e devemos caminhar nesta estrada “que vem da pregação de Jesus e do ensinamento e da assistência do Espirito Santo”, que está “sempre aberta, sempre livre”, porque a doutrina une, os concílios unem a comunidade cristã”, enquanto “a ideologia divide”.
    http://www.news.va/pt/news/papa-o-evangelho-une-e-a-ideologia-divide