Foto da semana.

egito

Minya, Egito, sexta-feira, 26 de maio de 2017: Criança abraça o caixão de seus pais, mortos durante ataque a ônibus por terroristas muçulmanos, no Mosteiro de São Samuel, em Minya, Egito. Os cristãos viajavam a esse mosteiro, a cerca de 100 quilômetros de Minya, quando foram atacados.

Leia mais: Cristãos sobreviventes ao ataque no Egito narram impactante história de fé das vítimas

Tags:

10 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Verdadeiros mártires da fé.

  2. As esquerdas do Ocidente, que são aliadas de momento por conveniencias com os muçulmanos, por ambos se interessarem em destruir a cultura ocidental e o cristianismo católico, ainda não tomaram a frente por aqui, mas já mostrarem suas garras, a que vieram, de simples “refugiados, imigrantes” e outras situações mais senão bandos de terroristas camuflados , trucidarem-nos, impor-nos à força a sharia do politicamente correto Alcorão – o mundo “pertence” a Alah – nada mais!
    Os altos hierárquicos católicos que os apoiam estão caladinhos, dizem rezando pelas vítimas, e aqueles poderiam estar algo por detrás dessas chacinas! Como sempre, o povo paga a preço de seus desmandos, por receberem essas serpentes peçonhentas, além de satanistas!
    Antecipam a reação que deve vir fervendo em cima deles, particularmente pela entrada de Trump, dando-lhe vez e voz para apertar o cerco e influenciar o mundo e, em seus países, mantê-los acuados a ferro e fogo sob pesados bombardeios aereos, além daqui as redes sociais que insuflarão reagirem e os desterrarem de volta para de onde sairam!
    Os cristãos de lá, ao invés de o traidor Ocidente os prestigiar e os receber aqui, deixa-os de pasto a essas víboras do Islã!

  3. A nossa máxima solidariedade aos nossos irmãos coptas!

  4. É apenas uma gota do oceano da religião da PAX

    • No último ano, a Qatar Charity alocou 25 milhões para construir 43 mesquitas na Itália. Mas por trás da fundação há suspeitas de ligações com a Al Qaeda
      http://www.ilgiornale.it/news/politica/cos-qatar-finanzia-italia-moschee-e-scuole-coraniche-1405722.html

    • Um trecho: Na Itália, a maior parte do financiamento para as comunidades islâmicas são feitos por ONGs do Qatar, o Estado que agora Arábia Saudita, Egito, Bahrein, Emirados Árabes Unidos e Iêmen fecharam suas relações diplomáticas. A acusação feita em Doha é de financiar o terrorismo islâmico, obtendo dinheiro para organizações próximas à Al Qaeda, o Estado Islâmico ea Irmandade Muçulmana. “Se Deus quiser vamos conquistar Roma. Não com a espada, mas com a Dawa (proselitismo, ed)”, diz um hadith do Profeta Yusuf al-Qaradawi, o líder espiritual da Irmandade Muçulmana que predica do Qatar e das telas de Al Jazeera.

    • http://www.news.va/vaticanresources/pdf/QUO_2017_129_0606.pdf
      Trecho: Doha respondeu que são “medidas injustificadas e com base em alegações e acusações que não têm nenhuma base factual.” O Qatar sempre admitiu apoiar alguns movimentos islâmicos, mas nega conluio com o terrorismo. No fundo, há o papel da emissora Al Jazeera, acusada de incitar os terroristas, mas também as declarações Emir do Qatar, Tamim bin Hamad al Thani sobre o Irã e sobre Israel, mas Doha sustenta que foi o resultado de um ataque hacker, e não escrito por representantes do governo. A decisão, em suma, significa o abandono do compromisso qatariote de forças no Iêmen,como parte da coligação que combate os rebeldes xiitas. E, a longo prazo poderia colocar em séria dificuldade a organização da Copa do Mundo de 2022.

  5. “O Estado Islâmico é Satanás”, definiu o exorcista Gabriele Amorth sobre a ferocidade dos jihadistas (ISIS) contra os cristãos, em entrevista ao jornal Il Giorno.
    E finalizou dizendo:
    “Perguntemos a nós mesmos o que o Ocidente fez nas últimas décadas. Mandou Deus para o diabo. Acabou com as bênçãos de escolas, acabou com as cruzes, acabou com tudo, mandou tudo embora”.
    Vem Senhor Jesus!

  6. A forma como esse evento foi tratado demonstra como a mídia manipula determinados acontecimentos. Dois dias antes, se não me engano, ocorreu o atentado de Manchester, que por ter ocorrido no Reino Unido, no ocidente, recebeu um grande destaque da mídia e de famosos. Até show em favor da vítimas foi feito. Já o atentado no Egito passou despercebido pela grande maioria, apesar de ter vitimado tantas pessoas quanto o outro. Foram pouquíssimas notas e reportagens sobre o evento. Lamentável!