O Amor Divino Encarnado. No Brasil.

Por Belém, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, o que se viu, no pouco mais de uma semana em que o Cardeal Raymond Leo Burke esteve no país, foi uma multidão de fiéis abarrotando auditórios e igrejas, ávida por ouvir o purpurado americano. Apesar do desdém de boa parte de seus irmãos no episcopado por onde esteve, a passagem do Cardeal Burke pelo Brasil foi um estrondoso sucesso. Sobre isso tudo, conversamos com Sua Eminência:

Cardeal Burke, primeiramente, gostaríamos de agradecer a sua atenção para com nosso blog. FratresInUnum já traduziu para o português inúmeros discursos e entrevistas de Vossa Eminência e nos sentimos muito honrados em colaborar para tornar a sua defesa da Fé e Moral Católica conhecida em nosso país. 

burke entrevista 1

“As ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz” (Jo, 10, 4-5). Cardeal Raymond Leo Burke: afável e disponível para com todos.

FratresInUnum: Vossa Eminência está visitando o Brasil para a publicação de seu livro “O Amor Divino Encarnado”. O que desejou abordar em sua obra?

Cardeal Burke: Desejei abordar a nossa Fé na Eucaristia como o encontro com o Senhor ressuscitado que vem a nós no Santíssimo Sacramento, trazendo o céu à terra, dando-nos os dons do Espírito Santo. Em nossos dias, por conta dos abusos litúrgicos, gosto de enfatizar a atenção à natureza sagrada da Eucaristia. A Fé Eucarística sofreu enormemente em minha própria terra natal, nos Estados Unidos, onde cerca de metade dos católicos não acreditam mais na Presença Real de Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento — este é o centro da Fé Católica: quando não se crê mais nesta verdade, não se é mais Católico.

Assim, eu quis, usando dois documentos de papas recentes, a Carta Encíclica do Papa São João Paulo II, Ecclesia de Eucharistia, e a Exortação Apostólica Pós-Sinodal do Papa Bento XVI, Sacramentum Caritatis, oferecer uma séria reflexão que ajudará as pessoas a se renovarem em seu conhecimento sobre o Senhor Eucarístico e também em seu amor por Ele.

No mês que vem, o motu proprio Summorum Pontificum completa 10 anos. Qual a importância deste documento para o aumento do amor à Sagrada Eucaristia e como Vossa Eminência avalia a sua recepção e aplicação?

O documento é importantíssimo, pois após o Concílio Vaticano II se difundiu a ideia de uma nova Liturgia, em outras palavras, de uma Sagrada Liturgia completamente diferente daquela que a Igreja vinha celebrando há séculos. Por exemplo, a forma da Santa Missa permaneceu praticamente imutável desde os tempos de São Gregório Magno. Então, o que aconteceu foi que o rito da Missa, primeiramente, foi drasticamente atenuado, muitas de suas riquezas foram eliminadas, e o que tornou a situação ainda pior foram as experiências litúrgicas do rito.

E, assim, com tantas experiências mundanas, em que o homem é colocado no centro, perdeu-se o sentido de que a Missa é ação do próprio Cristo. É Cristo que age na Santíssima Eucaristia para fazer presente sacramentalmente o Seu Sacrifício no Calvário. Assim, o Papa Bento XVI expressou de maneira muito clara, em sua carta aos bispos por ocasião da promulgação do motu proprio Summorum Pontificum, que era sua esperança de que a celebração das duas formas do único Rito Romano restauraria o sentido do sagrado na Sagrada Liturgia. Parece estranho dizer, mas, desde a promulgação do motu proprio, houve uma certa resistência da parte de alguns bispos e padres, porém, da parte de outros bispos, padres e bravos fiéis, houve um grande sentimento de alegria por terem restaurada agora a bela forma da Missa tal como foi conhecida pelos séculos. E eu vejo, por onde vou para celebrar a forma extraordinária da Missa, que há sempre um grande número de fiéis, dentre eles muitos jovens e jovens famílias, e isso me mostra que a forma extraordinária do Rito Romano é importantíssima para comunicar o dom incomparável que é a Sagrada Eucaristia. Às vezes, ouvi dizer: “Ah, teremos a forma extraordinária somente até todos esses velhos morrerem!”. Sim, há pessoas mais velhas, como eu, que amam a forma extraordinária da Missa, mas há muitos, muitos jovens, que, ao contrário de mim, nunca a conheceram quando crianças, mas vieram a conhecê-la agora e são muito, muito ligados a ela.

Neste centenário de Fátima, de que forma a mensagem de Nossa Senhora se relaciona com a Sagrada Eucaristia e os temas tratados em seu livro? 

Ela se relaciona diretamente, pois Nossa Senhora trata fundamentalmente da apostasia dos nossos tempos, representada, primeiramente, no comunismo ateu, filosofia que nega a existência de Deus e propõe uma relação entre nós e o mundo que não respeita a ordem desejada por Deus, e também na apostasia que traz para Igreja uma perspectiva bastante mundana, e que começa a afetar os pastores da Igreja. Especialmente, no terceiro segredo, Nossa Senhora aborda essa apostasia, em particular a falha dos bispos em ensinar a Fé de forma concreta e em defendê-la.

burke entrevista 2Para chegar exatamente ao ponto que você está levantando, a Fé abordada por Nossa Senhora é fundamentalmente uma Fé Eucarística, vinculada à realidade da presença de Cristo conosco e com a Igreja e à necessidade de sermos obedientes a Cristo em todas as coisas. E isso muda completamente a perspectiva do católico leigo, e também muda a perspectiva de padres e bispos no entendimento de que todos estamos obedecendo a Cristo e construindo o reino de Deus na Terra, e restaurando todas as coisas em Cristo.

Nossa Senhora em Fátima nos propõe um profundo programa de renovação espiritual e de uma vida mais intensa em Cristo, primeiramente, pela penitência, a importância de se praticar a penitência em nossas vidas, a importância da devoção dos primeiros sábados em reparação às ofensas feitas a Nosso Senhor, em especial no Santíssimo Sacramento, ofensas ao Sagrado Coração de onde provêm todas as graças para a Igreja.

Assim sendo, vejo meu livro como estando diretamente a serviço da mensagem de Nossa Senhora para os nossos tempos. Nós precisamos, inclusive a preço do sofrimento, buscar uma maior santidade em nossas vidas, e essa santidade provém fundamentalmente da Comunhão com Nosso Senhor na Sagrada Eucaristia.

É a sua primeira visita ao nosso país? Qual era a expectativa de Vossa Eminência antes de sua viagem e quais eram suas referências sobre o catolicismo no Brasil?

Sim, essa é minha primeira visita ao Brasil. Eu tinha uma grande expectativa porque, primeiramente, o Brasil é um país muito importante, não só no mundo, mas para a Igreja e a história do catolicismo mundial, e o Brasil é um lugar lindo e inspirador – basta olhar para todas as belíssimas igrejas aqui, e belas imagens e objetos sagrados, para perceber quão profundamente a Fé Católica está presente no Brasil. Portanto, estava esperando essa visita para me encontrar pessoalmente com a Igreja daqui. Eu a conheci indiretamente, pois ao longo dos anos tive contato com muitos seminaristas e padres brasileiros em Roma, e sempre percebi neles uma profunda Fé Católica e também uma grande alegria e entusiasmo em relação a esta mesma Fé, e agora eu vi pessoalmente, através das pessoas que participaram das Missas e dos eventos de lançamento do livro, que estão bastante comprometidas e que amam muito a Nosso Senhor e também a sua Igreja. Isso foi muito edificante para mim.

Eu sei que a Igreja aqui, como em todas as outras partes do mundo, sofreu bastante com a secularização que se originou de uma falsa interpretação do Concilio Vaticano II, que Bento XVI chama de interpretação da descontinuidade ou da ruptura, e sei que isso causou um grande sofrimento. Entretanto, detecto aqui, e acredito que isso seja um forte movimento, especialmente porque eu o vejo nos jovens, o desejo de restaurar a integridade da Fé Católica, da Liturgia Católica e da Disciplina Católica.

E agora, ao fim de sua viagem, o que mais chamou a atenção de Vossa Eminência?

Como disse, vim principalmente para fazer o lançamento do livro, mas nesses eventos tive contato com muitas pessoas e percebi essa grande sede de ouvir a Fé proclamada em toda sua riqueza. Fiéis que demonstram querer ouvir também a parte difícil da mensagem, e não simplesmente ouvir que tudo está bem. Principalmente, diante das tantas dificuldades que enfrentamos hoje em dia e do estado do mundo ateu, quando, inclusive na Igreja, ouve-se ideias confusas e às vezes erradas, vejo que as pessoas querem ouvir o que realmente Nosso Senhor nos ensina através da Igreja e qual deve ser a nossa atitude decorrente desse ensinamento.

Hoje em dia, nós, fiéis Católicos, muito frequentemente nos sentimos isolados, não só na sociedade, mas também na Igreja. Vossa Eminência poderia deixar uma palavra de confiança e esperança a bispos, padres, religiosos e leigos comprometidos em manter a Fé Católica viva em nossa época?

O que deve ser central para nós, mais importante para nós, é a nossa relação com Nosso Senhor Jesus Cristo que está vivo na Igreja, como Ele prometeu que estaria conosco até o final dos tempos. E nós devemos manter essa relação especialmente através da Sagrada Eucaristia e das nossas orações diárias, da nossa devoção, tanto ao Sagrado Coração de Jesus, como pela reza do Santo Rosário, que eu tinha intenção de mencionar anteriormente, esta grande devoção e poderosa oração incentivada por Nossa Senhora em Fátima. E, através de todas essas devoções e práticas, nós passaremos a perceber melhor e mais certamente a presença de Nosso Senhor em nossas vidas e responderemos com amor. Então, poderemos suportar qualquer isolamento, ridicularização e até a perseguição pela nossa fidelidade a Cristo, e abraçar isso alegremente por amor a Ele.

Isso tudo, é claro, é o maior ato de caridade que podemos oferecer aos nossos irmãos e irmãs, tanto na Igreja quanto no mundo: um forte testemunho da Verdade e do amor que conhecemos em Nosso Senhor Jesus Cristo.

Muito obrigado, Eminência!

* * *

A você que esteve presente, ou ao menos desejou estar, em algum dos eventos com o Cardeal Burke no Brasil: escreva, na caixa de comentários, o seu relato, o seu agradecimento à Sua Eminência. Faremos chegar a ele, em Roma, em um buquê espiritual junto com nossas orações.

Anúncios

49 Responses to “O Amor Divino Encarnado. No Brasil.”

  1. Gostaria de lhe poder ter dito apenas o seguinte:
    “Muito obrigado por ter sido uma voz clara em defesa da verdade, por dizer aquilo que nós, leigos, não temos a quem dizer, e quando dizemos não somos ouvidos.
    Obrigado por sua coragem em defender a Fé e a Verdade por amor a Nosso Senhor Jesus Cristo.”

  2. É sempre bom estar próximo de um enviado de Deus, ainda mais em se tratando de um dos cardeais que tem a coragem de defender a verdade, mesmo diante dos maiores inimigos da Santa Igreja.
    Cardeal Burke, muito nos alegra a vossa presença e ação em nosso meio.
    Obrigado e que o Senhor o confirme na fé apostólica!

  3. Obrigado Vossa Eminência por vir nos visitar e trazer esse tesouro para nós! Sua fidelidade a Nosso Senhor Jesus Cristo e à Igreja nos dá força para continuar. Deus o abençoe! Foi maravilhoso vê-lo pessoalmente, agradeço a Deus e à Nossa Senhora.

  4. Estive presente ao evento aqui em São Paulo. Gostaria de agradecer a Sua Eminência pela firmeza e clareza na orientação da fé católica.
    Que Deus o abençoe.

  5. Obrigada por defender a Santa Madre Igreja e sua Doutrina. Parabéns por sua coragem e resistência em meio a hostilidades, nem sempre veladas. Continue denunciando o que está errado e o que não se coaduna com o que prega o Evangelho e as verdades imutáveis da fé católica. Conte sempre com nossas orações.

  6. Eu o vi e lhe cumprimentei, mas, por culpa de Ninrode, não podemos trocar uma palavra! Apenas gostaria de expressar meu amor a ele e agradecimento, ele é uma inspiração! As ovelhas estão acoadas, nossos pastores estão distraídos com muitas frivolidades eles não tem tempo para nós, ignoram nossos pedidos, nos tratam de modo indiferente, nos dão aos lobos, estamos sendo vendidos por um preço ridículo sendo que foi o Sangue do Cristo que nos comprou! É um banho de ânimo encontar pastores como Sua Eminência, corajoso e fiel ao Seu Senhor, ainda que desprezado pelos seus colaboradores, por ser fiel ao Dono do rebanho nos trataste da forma correta, não necessariamente como queremos mas como precisamos! Quando lhe agradeci em inglês na segunda foro o senhor pensou que eu conhecia o vosso idioma, mas não, graças a Deus um bom homem ao nosso lado traduziu! Sim reverendíssimo Cardeal, agora e enquanto viver, o senhor estará em minhas orações! Coragem, o Senhor Nosso Deus está contigo! Seu Santo Anjo da guarde trabalha incansavelmente, servindo-lhe ele serve Aquele que o enviou. Que vossa Boníssima Mãe, que um dia será minha também, interceda pelo senhor agora e para sempre como sendo seu filho predileto! A paz de Nosso Senhor e o Maternal amor de Maria Santíssima!

  7. Caríssimo e Eminentíssimo Cardeal Raymond Leo Burke,
    Obrigado por defender com tanta coragem e humildade a sã doutrina. Deus o recompense pelo enorme serviço prestado à Igreja de Cristo, não obstante tantas perseguições e humilhações que tens sofrido. Todos os dias me lembro do senhor em minhas preces. Receba o meu abraço e o de toda a minha família. Deus o proteja sempre.
    Luciano Perim Almeida
    Paróquia São Miguel Arcanjo (Guaçuí-ES)
    Diocese de Cachoeiro de Itapemirim/ES

  8. Reverendíssima Eminência, Vossa Eminência Reverendíssima, Cardeal Burke. Em nome de todos os brasileiros de fé, venho externar humildes palavras de veemente agradecimento pelo singular privilégio de termos recebido vossa honrosa visita. Vossa edificante presença entre nós, foi como um verdadeiro refrigério para nossas almas, tão precisadas. Tanto mais ainda, pelo fato de que, já há muito, nos sentimos unidos a vos, por reconhecermos em vossa reverendíssima pessoa um luminoso baluarte da fé, nestes tempos tão difíceis para a Santa Igreja. Como preito de retribuição por estes dias que passastes conosco, dias em que fostes um verdadeiro CARDEAL MISSIONÁRIO, receba o testemunho de todo o nosso apoio e clamorosa interseção. Que o Sagrado Coração de Jesus e o Imaculado Coração de Maria conduza a vos, e os demais 3 cardeais, à plena consumação da missão que lhes é confiada pelo Altíssimo.

  9. Eminência, muito obrigado pelo seu Sim ao chamado do Senhor Jesus Cristo na sua vida. Que Nossa Senhora de Fátima o abençoe e o proteja, e que seu Anjo da Guarda lhe seja mestre nas decisões.

  10. Cardeal Burke, sou uma leiga consagrada que recebeu a graça de Deus de dedicar sua consagração pela santificação dos sacerdotes. E o que me fez perceber que Deus me pedia esta missão foi justamente ter sofrido perseguições e injustiças da parte de padres e bispos. Assim como o senhor vem sofrendo. Portanto saiba que o senhor está todos os dias nas minhas orações, pois foi por verdadeiros sacerdotes como o senhor que ofereci minha vida, como a mãe a oferece pelos filhos. Que o Amor do Sagrado Coração sempre o mantenha de pé, como Maria diante da Cruz. Grande abraço.

  11. O que mais é deficiente no Brasil são prelados, ao menos parecidos com D Leo Burke, que é ostensivo, tanto em defender a doutrina da Igreja de sempre, suas tradições, assim como denunciar os erros, venham de onde vierem.
    O caso, por ex., dos abusos à S Eucaristia com essa detestável prática de permitir a comunhão na mão e afins, em que as profanações são garantidas, como o gravíssimo pisoteio de partículas, desvios para cultos sinistros, quanto sofrimento adicional ao Sagrado Coração de Jesus poderia ser evitado; mais ainda de sermos cúmplices desses males, muito particularmente os clérigos que permitem ou o pior ainda quando querem impor essa prática nefasta!
    Isso sem contarem os que estão “comungando sem culpa” por concessões a recasados – até casais gays em sodomia – em pleno adulterio e noutras situações irregulares com aval desses, facilitando-lhes irem com mais segurança para o inferno!
    De igual forma, os comparecentes à S Comunhão desinstruídos de avaliarem o estado pessoal da alma por inadvertencia de tantos do clero – há anos que nada disso ouço em homilias – para não piorarem o que já estava deficiente!
    Se dentro do Vaticano, ao que tudo indicaria, onde já existiriam varios defensores do relativismo de forma patente, se faltassem cardeais como D Burke que lhes apontassem os erros e as investidas – de como a agenda globalista já teria avançado impunemente?

  12. Parabéns, sr. Cardeal Burke, por sua defesa da moral católica tradicional! Que o Sagrado Coração de Jesus o recompense como só Ele sabe e pode fazê-lo!

  13. “Especialmente, no terceiro segredo, Nossa Senhora aborda essa apostasia, em particular a falha dos bispos em ensinar a Fé de forma concreta e em defendê-la.”
    Interessante, isso não está na parte oficial do Terceiro Segredo revelado pelo Vaticano em 2000.
    Eu considero bombástica essa afirmação.Será que nossos digníssimos bispos entenderam?

  14. Caríssimo,louvamos a Deus por sua vida, seu ministério e sua doação em defesa da sã doutrina. Obrigada por vir até nós para nos animar e confirmar neste momento difícil que atravessamos. Seguiremos unidos nas orações e na campanha do “assalto ao céu”. Deus o abençoe e fortaleça sempre, e parabéns ao Fratres pelo zeloso apostolado.

  15. Agradeço a Deus nosso Senhor, Eminência, por sua presença no Brasil. Como fiel que assiste à Santa Missa na forma extraordinária, no Rio de Janeiro, pude participar, no domingo dia 18, da belíssima celebração em que Vossa Eminência nos reconfortou com seu testemunho de fé e de vida, nos iluminou com a riqueza espiritual e litúrgica de sua homilia, ofereceu o Santo Sacrifício do Altar e nos distribuiu o Pão da vida, fonte de salvação e sustento em meio às nossas dificuldades. Gostaria de agradecer-lhe, ainda, pela visita e, especialmente, por sua postura sincera e honesta em defesa da Santa Igreja e o sagrado Depósito da fé, bem como de transmitir-lhe meu total apoio à iniciativa dos dubia, levantados por Vossa Eminência e outros Eminentíssimos Cardeais, em salvaguarda dessa mesma fé e em prol da reta interpretação dos pronunciamentos do Magistério da Igreja. Ofereço por Vossa Eminência, por sua pessoa e por seu trabalho pastoral minhas humildes orações, confiando-o à intercessão de Maria Santíssima, e imploro a sua bênção.

  16. Reverendíssima Eminência, Cardeal Burke. Tive a graça de prestigia-lo aqui em São Paulo, agradeço a Deus por ser instrumento providencial d’Ele em minha vida, por meio de seu Santo Ministério. É visível em seu testemunho a devoção a Santa Eucaristia centro da nossa fé e vida, hoje em meio aos ventos contrários que enfrentamos, o senhor é o consolo em nossos corações que muito se alegra em saber que ama e guarda a Sã Doutrina e a Liturgia. Que Deus pela intercessão da Virgem Maria lhe guarde e conserve esse homem santo de Deus. Infelizmente não pude lhe agradecer pessoalmente por tudo, mas meu muito obrigado pela sua autenticidade e amor a Santa Mãe Igreja. Um abraço com muito carinho.

  17. Tenho certeza de que foi uma grande graça a presença do Cardeal Burke no Brasil. Nossas preces para que ele continue firme, dando testemunho da Doutrina de Nosso Salvador sobre a indissolubilidade do sagrado Matrimônio e sobre o respeito para com a Divina Eucaristia, e a consequente necessidade do estado de graça para recebê-la. Obrigado Cardeal Burke, pela sua coragem em defender o precioso tesouro da Fé que a Igreja recebeu do Senhor e propagou desde o inicio. Obrigado, Sr. Ferretti, pela divulgação da entrevista.
    Salve Maria!

  18. Cardeal Burke, acompanho com preocupação as mudanças por que passa a Igreja nesses últimos tempos. Saiba que o seu exemplo e sobretudo o seu testemunho nos trás esperança para continuarmos a caminhada. Que o Sagrado Coração de Jesus o proteja e o fortaleça nessa luta. Um grande abraço!

  19. O Cardeal Burke é um verdadeiro Príncipe da Igreja, que apascenta o rebanho católico. A sua obra lançada no Brasil, já está na minha coleção seleta de “livros de cabeceira”, assim como História de uma Alma, A Alma de Todo Apostolado, etc. Gratidão por aqueles verdadeiramente unidos no amor de Cristo!

  20. Sua benção Eminência Reverendíssima.
    Todos os dias rezo pelos ” dubias”, como carinhosamente os chamo, e pelo Cardeal Sarah.
    Os encerro dentro do Sagrado Coração de Jesus.
    Em março de 2016 perdi uma filha, e um dia chorando aos pés do sacrário , uma jovem me falou para oferecer meu sofrimento pela santificação do clero. Fiz isso ,e o tenho renovado todos os dias.
    Amo, amo ,amo muito a minha igreja e os meus sacerdotes.
    Agradeço a Deus por ser católica .
    Agradeço também por sua visita e ter participado da Santa Eucaristia celebrada pelo Vossa Eminência e D. Fernando em Brasília.
    Não desanime! Tem muitos fiéis rezando por todos que defende o verdadeiro magistério, a tradição.
    Ore por minha família e a alma da minha filha.
    Salve Maria purríssima!

  21. Muito obrigado. Eu rezo para que num futuro próximo os Cardeais tomem juízo e elejam Vossa Eminência como o nosso próximo Papa.

  22. É com surpresa e grande satisfação que tomo ciência da visita do Cardeal Burke ao Brasil, admirável e venerável defensor da fé católica e que carrega consigo a verdadeira identidade da Igreja, consolidada na Tradição, no catecismo e em sua santa doutrina,.Tal visita exalta um sentimento de afirmação à necessidade da presença solidária da Igreja no testemunho de fé dos que a amam, à medida que se desloca na direção daqueles que acenam no afã de se sentirem abraçados e confirmados no desejo de manifestar uma fé sólida nos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.
    Louvado seja N Sr Jesus Cristo
    Salva Maria

  23. Salve Maria!
    Reverendíssima Eminência Cardeal Burke, estive no lançamento do livro aqui em São Paulo. A simplicidade de Vossa Eminência é realmente emocionante….suas palavras fizeram o tradutor se emocionar…e outros também sentiram o mesmo.
    Nessa noite vi algumas coisas que me chamaram a atenção (essa do tradutor foi uma delas), houve outras que dizem qual é nossa realidade.
    Existem Pessoas, como Vossa Eminência que estão sempre na realidade, lutando, carregando sua cruz, mas não são todos assim….existe muito barulho, muitos falam, mas estamos “num vácuo”.
    Acredito que as passagens do Evangelho estão sempre vivas e disponíveis, à todos, todos os dias e quando se presta atenção presenciamos, ao vivo, elas acontecerem novamente.
    Na crucifixão de Nosso Senhor havia, muto barulho, muita confusão, muitos falando, mas ali estava acontecendo o maior ato de Amor….alguns se emocionaram….perceberam o que estava acontecendo.
    Vossa Eminência, seu livro é um presente, um presente para nossa realidade.

  24. Reverendíssima Eminência Cardeal Burke,
    Agradeço a Deus por sua visita em Brasília. Foram dois dias de muitas graças para nós na capital federal. Poder escutar suas palavras no lançamento do livro e o seu ars celebrandi na Capela N.S. das Dores é ver a luz de Cristo entre nós. Obrigado por defender a sã doutrina e representar este povo de Deus tão carente de verdadeiros pastores.

  25. Vox clamantis in deserto: – Parate vias Domini!

  26. Eminência,
    Com a antecipação do horário da Santa Missa celebrada pelo senhor na Paróquia de Nossa Senhora do Carmo, no Rio de Janeiro, eu e minha família ficamos impossibilitados de chegar a tempo.
    No entanto, mesmo sabendo que não assistiríamos a Santa Missa, fizemos questão de ir à igreja para manifestarmos o nosso carinho e a nossa gratidão.
    À saída do templo, quis a bondade divina que o senhor abençoasse os nossos dois bebês, um de 2 anos e uma de 4 meses, e que pudéssemos expressar muito brevemente, num gesto, o quanto lhe somos devedores pelo seu ministério, por sua coragem, pelo seu exemplo, pela sua fidelidade a Deus.
    Muito obrigado por sua visita ao Brasil! Que Deus o abençoe e o fortaleça no combate. Estamos com o senhor!

  27. Um verdadeiro pastor!

  28. Pedindo sua bênção, agradeceria se o Cardeal Burke publicasse uma reflexão sobre o motivo de tantos filhos de famílias católicas de classe média e alta se ligarem ao espiritismo. Que o Espírito Santo continue a iluminá-lo sobre a correta interpretação da doutrina católica.

  29. Tive a alegria de encontrá-lo em Roma em uma audiência privada no final de 2016. Participei da Santa Missa em sua capela.
    Depois da Santa Missa vivemos uma conversa e fiquei muito feliz em ouvir suas palavras. Realmente um homem de Deus. Nosso Brasil foi abençoado com sua presença. Todos os dias ele está em minhas orações. Rezemos pela nossa Igreja. Viva Cristo Rei!

  30. Em palavras proferidas no coquetel que foi oferecido em homenagem ao Cardeal Burke pelo IPCO em sua sede de Higienópolis, São Paulo, o Cardeal contou uma de suas reflexões: “…estando ontem em Aparecida e vendo ali a devoção do povo brasileiro por Nossa Senhora, eu me lembrei de minhas viagens a Portugal e à Fátima. E, refletindo sobre isso, me veio a cabeça a ideia de que o que Nossa Senhora disse aos pastores sobre Portugal – ‘em Portugal conservar-se-á sempre do dogma da Fé’ – tem também uma relação com o Brasil. Por assim dizer, Ela teria querido dizer Portugal e o Brasil, tal é a semelhança da fé nos dois países e a profunda ligação que eles conservam, mesmo após quase dois séculos de independência. Então, é um promessa que os srs. e as sras. deveriam tomar como sendo para si”. As palavras não são textuais, é apenas uma narrativa do que ouvi. Achei muito bonito, generoso e plausível isso.

  31. Cumprimentei-o duas vezes na sede do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, onde ele se deteve por longo tempo e se sentia muito à vontade e bem tratado, comentando assuntos elevados.

  32. Em primeiro lugar, embora distante, dobrando o joelho e beijando respeitosamente o anel cardinalício, peço a Vossa Eminência a bênção. Vossa Eminência não pode imaginar o conforto e a firmeza na fé que nos transmite juntamente com os outros três cardeais, hoje já chamados os cardeais das “DUBIA”. Agradeço do fundo do coração o belíssimo testemunho em defesa da fé, qual outro Santo Atanásio. Os verdadeiros católicos, estão rezando por V. Eminência e pelos outros três companheiros na defesa da fé.
    Sendo a Igreja Divina, não podíamos duvidar que o Divino Espírito Santo suscitaria pessoas da hierarquia da Igreja para saírem em defesa dos dogmas da Indissolubilidade do Sacramento do Matrimônio e da Presença Real de Jesus na Santíssima Eucaristia. Fostes fiéis à inspiração divina e rezamos por Vossas Eminências para que levem este bom combate até ao seu feliz êxito.
    Padre Elcio Murucci.

  33. Eminente Cardeal Burke, valoroso Príncipe da Santa Igreja,

    Há muito acompanho de longe todos os passos de Vossa Eminência.
    Sinto na minha alma o pesar da profunda dor que Vossa Eminência tem sofrido por causa do amor a Jesus Cristo e fidelidade à sua Santa Igreja.
    Estive presente no encontro em Brasília e fiquei muito feliz com sua honrosa visita.
    Desejei ardentemente conversar pessoalmente com Vossa Eminência, mas isso não foi possível.
    Apenas queria exortá-lo para que nunca retroceda diante dos lobos que tentam destruir a Vinha do Senhor com voracidade e destemor.
    Que Vossa Eminência esteja bem seguro de que não está sozinho neste embate.
    Primeiro porque Cristo está sempre do lado daqueles que guardam a sua sã doutrina em toda sua pureza e integridade. E isso já é o bastante!
    Mas há também um número cada vez maior de fiéis ao redor do mundo que estão em plena comunhão com Vossa Eminência e com os outros três ilustres cardeais promotores das Dubia. A coragem e a fidelidade de Vossas Eminências tem proporcionado um grande refrigério nas almas dos fiéis que amam a Santa Igreja e que se esforçam para viver a autêntica fé católica.
    Portanto, tenha coragem! Siga em frente!
    Não há o que temer.
    Lembre-se sempre das palavras de Santo Atanásio quando estava no exílio: “eles tem os templos e o poder temporal, e nós temos a fé.”
    Que o bom Deus, em sua suprema providência, nos conceda que Vossa Eminência seja em breve elevado à Cátedra de São Pedro, para que tudo seja restaurado em Cristo. Desejo isso tão somente para o bem da Igreja e para o bem das almas, pois bem sei que Vossa Eminência não busca seus próprios interesses mas busca somente servir a Cristo com todo o coração, com todas as forças e com todo o entendimento.
    Quero unir-me a inúmeras outras pessoas que muito se alegraram com a visita de Vossa Eminência ao Brasil e lhe agradecer de todo o coração pelo livro de tão grande riqueza.
    Espero que Vossa Eminência tenha se dado conta de que os fiéis que foram ao seu encontro são como ovelhas sem pastor, haja vista que no Brasil a situação da hierarquia da Igreja é muito grave, de tal modo que os fiéis que guardam o tesouro da tradição não tem vez nem voz nas paróquias. São tratados com desprezo e desdém. Não há nas paróquias o menor espaço para que possam crescer no caminho da fé. Esses fiéis crescem na fé pela graça de Deus, alimentando-se e bebendo das fontes escondidas dos tesouros da Santa Igreja.
    Saiba Vossa Eminência que já não mais se ensina a sã doutrina na maioria das paróquias. Ao invés disso, fala-se de naturalismo, ecologismo e de outras coisas que não tem a menor utilidade para a santificação e salvação das almas. A maioria esmagadora dos bispos e padres repudia veementemente a celebração da Missa no rito Tridentino, ora proibindo-a, ora criando todo tipo de dificuldades. Mas, por outro lado, permitem e promovem livremente os mais sacrílegos tipos de abusos litúrgicos. E assim violam as leis da Igreja e os direitos dos fiéis sem nenhum temor da justiça divina.
    Infelizmente, essa é a triste realidade da Igreja nesta terra de Santa Cruz.
    Peço as abundantes bênçãos de Vossa Eminência para mim e para toda minha família.
    Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!
    A.R.C.

  34. Eminentíssimo Cardeal Burke
    Estive presente na Santa Missa celebrada por Vossa Eminência em São Paulo. A providência divina me presenteou por estar eu de férias na data de vossa visita ao Brasil. Ainda assim, por não estar preparado para receber o Santíssimo naquela ocasião e não ter conseguido chegar a tempo de me confessar, fiquei sem comungar e isso muito me doeu. Pensava: “não acredito que não receberei o Senhor sacramentado das mãos do Cardeal Burke”. Sei que Nosso Senhor Eucarístico é o mesmo, independente do padre que O distribui, mas na minha mente não cessava o pensamento de que talvez um dia, caso tenha a graça de chegar a ser idoso, verei a Igreja lembrar de Vossa Eminência como um Santo defensor da Fé tal qual outro Santo Atanásio. Então nesse dia pensarei: “estive presente na Santa Missa por ele celebrada e não pude receber a Santa Comunhão de suas mãos pois me encontrava indigno”.
    Vosso sermão sobre São Luiz Gonzaga e a santidade foi inspirador. Mesmo vossa presença por si inspirava santidade. As lágrimas vieram. Mas como Deus pode tirar até de um mal o bem, percebi que essa seria a lição a ser aprendida por mim. Graças a Deus hoje me confessei e tomei como propósito para não mais pecar gravemente, sempre que me encontrar diante de uma ocasião, lembrar o quão doloroso foi não poder ter comungado na Missa de Vossa Eminência.
    Nós ovelhas a tempos nos sentíamos perdidas e desamparadas. Mas nestes tempos sombrios o Bom Deus tem suscitado pastores e a vossa visita nos foi um grande consolo. Que Nosso Senhor Jesus Cristo o conserve na defesa da Fé, assim pedirei sempre em minhas orações. Obrigado Dom Burke!

  35. Um fenômeno sucedeu após o Concílio Vaticano II. Além das mudanças na Igreja, surgiram grupos de resistência a essas mudanças. Mas por vezes cada qual entende que o seu grupo é quem está certo o que faz gerar uma certa divergência. Mas percebo que o Cardeal Burke é a união de todas essas correntes, pois via de regra todos esses grupos admiram o valente cardeal. Neste belo contexto posso afirmar que o Cardeal Burke é verdadeiramente o símbolo do desejado frates in unum.

  36. 50 % dos norte-americanos não acreditam mais na presença real de Jesus Cristo na Eucaristia, mas “a Igreja nunca esteve tão bem”, como diz o peronista, quer dizer, só se essa tal igreja que nunca esteve tão bem for a igreja do diabo ou a de Lutero (o que dá no mesmo). Por que os duzentos e noventa anos do pontificado de João Paulo II não foram capazes de sanar a situação? Simplesmente pq Deus resiste aos soberbos e defender as doutrinas e as reformas do Vaticano II é soberba, torpeza intelectual ou ambas as coisas e outras coisinhas mais. Enquanto se apostar na desobediência, esqueçam. Pois estão a construir palafitas com teto de zinco em cima da areia movediça.e do esgoto.
    Pelo fruto se conhece a árvore. E os frutos estão para além de podre.

  37. Reverendíssima Eminência Cardeal Burke, tive o imenso prazer de prestigiar o lançamento de seu livro no hotel em Brasília, e minha emoção não é diferente do que outros já escreveram. Mas não posso deixar de registrar minha decepção com aquela cadeira vazia na mesa, na qual o acompanhava o Eminente Arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil, Dom Fernando Guimarães. Por favor, não se deixe abater se a Arquidiocese de Brasília e a CNBB, julgaram desnecessário enviar um representante. Deus é nossa força, e estará sempre com Vossa Eminência. Volte sempre.

  38. Nosso futuro papa, se Deus assim o quiser. Rezo pela sua saúde, peço a Deus que lhe reserve muitos anos de vida e agradeço a Deus por nos ter enviado um pastor em defesa dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

  39. isso sim é um cardeal que tem autoridade!

  40. Através de um amigo que me passou estas informações, quatro conselhos ele transmitiu aos fiéis que estavam com ele em São Paulo: Devoção a Nossa Senhora de Fátima, Perseverar na Tradição e sã doutrina, estudar o catecismo e morrer pela Santa Igreja se for preciso, o que o Cardel Burke vem querer dizer com estas palavras neste momento em que passa a Santa Igreja.?

  41. Um homem de fé, que está sofrendo a incompreensão e indiferença pela defesa da verdade e ortodoxia.

  42. Senhor Cardeal as vezes nos sentimos como ovelhas sem pastor,agradeço ao Senhor Cardeal porque como um Apóstolo de Nosso Senhor veio à nós Brasileiros e através do seu livro nos confirma e nos fortalece na Fé Católica.
    Ao Senhor Meu muito obrigado e volte quando pode .
    Aqui Jesus Cristo Redentor estar sempre de braços abertos a lhe acolher.
    Ernando Lino
    Rio de Janeiro 26/06/2017

  43. “Eu sei que a Igreja aqui, como em todas as outras partes do mundo, sofreu bastante com a secularização que se originou de uma falsa interpretação do Concilio Vaticano II, que Bento XVI chama de interpretação da descontinuidade ou da ruptura, e sei que isso causou um grande sofrimento.”
    Fico triste em ver que a “hermenêutica da continuidade” está fazendo estragos entre os chamados tradicionalistas a ponto de ninguém sequer questionar essa controversa, para dizer o mínimo, teoria defendida pelos chamados “conservadores”.
    Vejo muitos aqui cometendo os mesmos erros que cometi, com a visão turvada por essa hermenêutica, quando aceitei efusivamente o “acordo de Campos”, que nada mais é do que o primeiro passo de aceitação da, assim denominada por Dom Lefebvre, “tragédia conciliar”. Só consegui reabrir os olhos lendo a “Pascendi”, que já advertia para as manipulações que os modernistas (conservadores inclusive, que são “centristas” para usar um termo comum na política) fazem para tornar palatável suas visões errôneas e relativistas.
    Que o Sacratíssimo Coração de Jesus tenha piedade de nós, porque na FSSPX os “expurgos” estão avançando e só a Misericórdia Divina e a poderosa intercessão da Virgem Imaculada para evitar a capitulação.
    Sacratíssimo Coração de Jesus, tende piedade de nós!
    Imaculado Coração de Maria, sede a nossa salvação!
    São Pio X, rogai por nós!

  44. Pedro Rocha, escrevo apenas para me congratular com seu comentário, pois também vejo que mesmo os que se definem como tradicionalistas, estão cada vez mais cegos pelo conservadorismo. Não há “hermenêutica da continuidade” que possa salvar Vaticano II das suas heresias.

Trackbacks