Aparelhos que mantêm bebê vivo na Inglaterra serão desligados nesta sexta-feira.

Pais do pequeno Charlie, de 10 meses, queriam levar criança, que tem doença terminal, para tratamento nos EUA, mas perderam a batalha na Justiça.

O Estado de S.Paulo, 29 de Junho de 2017 | Londres – Serão desligados nesta sexta-feira, 30, os aparelhos que mantêm vivo o pequeno Charlie, bebê de 10 meses que se encontra em hospital de Londres devido a uma doença genética rara e terminal que, segundo os médicos, faz a criança sofrer muito.

Charlie Gard
O pequeno Charlie Gard, de 10 meses, está internado em Londres  Foto: Family of Charlie Gard via AP

A notícia foi anunciada nesta quinta-feira, 29, pelos pais do menino, Connie Yates e Chris Gard, que perderam a batalha judicial na Corte Europeia de Direitos Humanos (CEDH) para que Charlie continuasse respirando com ajuda de aparelhos. O casal tinha como objetivo levar o filho para os Estados Unidos para a realização de um tratamento experimental. Indignados e desesperados, os pais lançaram uma última acusação contras as autoridades britânicas e europeias.

“Nós, e principalmente Charlie, fomos terrivelmente abandonados durante todo o processo. Não foi permitido escolher se nosso filho poderia viver e nem quando e onde deveria morrer”, afirmou o casal no Facebook. Por outro lado, Yates e Gard agradeceram todas as pessoas que os apoiaram, ou desejando boa sorte ou doando dinheiro para atingir os 1,4 milhão de libras esterlinas que seriam usadas para levar o pequeno Charlie aos EUA.

Mas a ideia do casal de tentar salvar a criança agora não será mais colocada em prática devido a resposta negativa à viagem, determinando o desligamento dos aparelhos do bebê dada pelos juízes britânicos no começo do mês e da corte europeia na última terça-feira.

Charlie Gard
Chris Gard e Connie Yates, pais do bebê Charlie, queriam levá-lo para ser tratado nos EUA  Foto: Eddie Keogh/Reuters

Agora, Yates e Gard querem passar o tempo que resta com seu filho. “Ele nos deixará sabendo que foi amado por milhares de pessoas”, afirmaram. Enquanto isso, um porta-voz do Great Ormond Street Hospital, onde o menino está internado, respondeu que o estabelecimento médico “ajudará a família no que for necessário neste difícil momento e a ideia de desligar as máquinas já é antiga”. / Ansa 

13 Comentários to “Aparelhos que mantêm bebê vivo na Inglaterra serão desligados nesta sexta-feira.”

  1. Se os “pais” fossem homossexuais estaria tudo resolvido e o tratamento feito. Talvez teriam até bênção apostólica para não ferir a sensibilidade do casal e aparecer novamente na capa da Time.

  2. Decisões tirânicas como essa fazem pouco a pouco o Estado um deus que decide sobre tudo, até entre vida e a morte. A omissão da sociedade e até da maioria dos cristãos trará,num futuro próximo, um mundo terrível para nossos filhos e netos, que serão escravos. Será um mundo de aborto compulsório, esterilização obrigatória, exterminação de deficientes e incapazes, eutanásia forçada para os doentes graves, enfim o verdadeiro inferno na terra. Enquanto ainda nos resta um pouco de liberdade, é possível lutar e reverter, mas a medida que nos calamos ou somente ficamos na indignação virtual, este mundo infernal crescerá e criará raízes e humanamente será impossível de destruir.

  3. Alguém sabe se o vaticano se manifestou a respeito?

  4. “Se os “pais” fossem homossexuais estaria tudo resolvido e o tratamento feito. Talvez teriam até bênção apostólica para não ferir a sensibilidade do casal e aparecer novamente na capa da Time.” ( II )

    Teriam até um audiência privada no Palacete S. Marta com Bergóglio…

  5. Coitadinho. Uma corvadia

  6. Corte Europeia de Direitos Humanos ou Corte Europeia dos Direitos de Exterminio?
    Aqui também no Brasil existe desse mesmo modelo de Corte, pela qual os direitos dos manos da ideologia marxista são preferencialmente preservados, sempre em detrimento dos desafetos ideológicos, caso de Cesare Battisti e outros renomados assassinos, miserabilizadores do povo, serial killers ou genocidas que foram ou são ocupantes de cargos, tanto faz, sempre serão defendidos desde que estejam inseridos na ndrangheta, caso dos terroristas membros dos partidos comunistas.
    Similar ao modelo acima de assassinato do Charlie, temos os “Defensores dos Direitos Humanos” que aprovam e possuem como programa oficial de governo o aborto, gentalha que nem deveria se ostentar como defensora de direitos humanos alguns, mas como são também desequilibrados mentais, além de malvados, procedem dessa forma, como se achassem senhores da vida e da morte.
    Estando a maçonaria-ONU-globalistas da NOM por detrás de leis iniquas desse naipe e povoarem a CEDH, a resolução de ceifar essa vida “improdutiva” não poderia ser doutra forma!

  7. Faço minhas as palavras do João Bosco. Chega de indignações estéreis. Não será caso de desobediência civil pura e simples?

  8. Triste tempos esses em que uma injustiças dessas, que clama aos céus por vingança, e Deus queira que ela venha, -para ver se essa sociedade apóstata se converte-, recebe apenas um nota frouxa por parte da Santa Sé. Que Deus tende piedade de nós.

  9. Francisco que gosta de “acolher” refugiados só para aparecer na mídia, poderia muito bem em se comprometer em pagar pelo tratamento dessa criança ou incentivar católicos abastados em fazer o mesmo.
    Só que me esqueci que Francisco que aparecer bem é na mídia anti-cristã; então isso não serve.

  10. As autoridades deveriam, no mínimo, permitir que o tratamento novo e experimental se realizasse, nem que fosse só pelo progresso da ciência, já que todo tratamento novo demanda testes reais e, sendo rara a doença do bebê, não deveriam desperdiçar a chance de uma “cobaia” dessas…
    (Perdão pela aparente frieza do meu raciocínio acima; apenas quis mostrar que até de um ponto de vista estritamente naturalista e não-religioso o caso devia ter tido outro desfecho.)
    # Se se tratasse de um criminoso condenado em legítima pena de morte, principalmente se fosse um criminoso muçulmano ou de alguma ‘minoria social’, aposto que haveria protestos por parte de gente que agora apoiou a morte do bebê inocente…

  11. Fim dos Tempos. Fim do mundo. Fim da cultura da vida. Fim dos valores humanos. Fim da ética. Diabolicamente, a humanidade que trocou o Senhor da vida pelo Ídolo da morte.
    O inferno está em festa e o Paraíso em luto!
    Tristes tempos!

  12. Aqui observa-se a parcialidade dessas chamadas cortes (ou orgãos) de ‘direitos humanos”. Se o casal fosse homossexual, refugiado ou prisioneiro político eles já tinham impedido essa crueldade.