Bispo de Campos não irá mais à maçonaria.

Por FratresInUnum.com – Fontes informam que a palestra de Dom Roberto Ferreria Paz, bispo de Campos, RJ, em uma loja maçônica foi cancelada. Ele mesmo o teria informado em reunião com parte do clero da diocese do norte fluminense.

Dom Roberto Ferreria Paz

Dom Roberto e seminaristas da diocese de Campos, RJ.

O anúncio da palestra do bispo de Campos em uma loja maçônica causou alvoroço entre os católicos na internet. O bispo, por sua vez, tentou se justificar em um vídeo publicado em seu perfil no Facebook, no qual mantinha firmemente seu compromisso de prosseguir com o evento.

Mas, parece que não foi só aos simples fiéis que ele não convenceu: o cancelamento teria se dado a pedido do Núncio Apostólico, Dom Giovanni d’Annielo, que estará por Campos em dias próximos à programada e lamentável confraternização epíscopo-maçônica. Nossas fontes informam ainda que o bispo abordou o assunto rapidamente, já mudando de assunto, dando a impressão de que queria que o cancelamento não fosse amplamente comentado.

23 Comentários to “Bispo de Campos não irá mais à maçonaria.”

  1. Ah, o orgulho!

    Por que não há diálogo com satanistas? E com terroristas?

    Ah! Vá plantar batatas episcopais, com todo o respeito! Jesus mandou evangelizar e não dialogar!

    Dom Mayer deve estar se revirando no túmulo com um sucessor desses.

  2. Pediria a gentileza ao FIU em publicar uma foto dos seminaristas junto de seu Bispo, em conformidade ao que está na legenda ( ironia… )… na foto, faltaram os seminaristas junto de seu Bispo ( ironia…).

    Voltando.

    Não à toa, padre Chesnard, no século XIX, dizia que todo sofrimento surge a partir da desordem e vem para castigar a desordem… a desordem em não se viver a integralidade da Doutrina de Nosso Senhor e de Sua Única Igreja, que é um único Corpo Místico e social… a desordem em se aceitar o convívio com o Liberalismo, a “boa nova” de satanás, faceta exotérica e social do gnosticismo maçônico.

    Não tem mais nada de importante a se fazer além de ir ao shopping??? Rezar, talvez… se é que isso é importante…Daqui a pouco irão para a praia, em algum feirado prolongado, como “monges” e “freiras” que conheço daqui de São Paulo…

    Não à toa padecemos o que padecemos.

    Alexandre V.

    • “Pediria a gentileza ao FIU em publicar uma foto dos seminaristas junto de seu Bispo, em conformidade ao que está na legenda ( ironia… )… na foto, faltaram os seminaristas junto de seu Bispo ( ironia…).”
      Então é minha vez de ser irônico: se você lê uma legenda que comenta determinada foto, e nessa legenda está escrito que naquela foto há tais e tais pessoas, a lógica manda qualquer um deduzir que as pessoas mencionadas na foto são as comentadas na legenda.

    • Em qual cânon do Direito está proibido aos eclesiásticos algum momento de descanso? Quero citação, se não o argumento é falacioso.

    • Caro Joel Y,
      Justamente por esse raciocínio que você coloca é que faz sentido a ironia.
      Qual o seu raciocínio? Ei-lo: “se você lê uma legenda que comenta determinada foto, e nessa legenda está escrito que naquela foto há tais e tais pessoas, a lógica manda qualquer um deduzir que as pessoas mencionadas na foto são as comentadas na legenda.”
      Óbvio que qualquer pessoa deveria pensar assim mas, como está na foto, as pessoas estão tão descaracterizadas, mas tão descaracterizadas, que não parecem seminaristas juntos de seu Bispo e que, sim, ocorreu alguma espécie de equívoco no ato da publicação da reportagem e, nesse sentido, faltou-lhe a devida perspicácia, sr. Joel Y, para notar tal fato.
      Tal perspicácia não faltou aos srs.Silas Vilas Silva, Rogério Amaral Silva, Roosevelt Maria de Castro e JB, como segue abaixo:
      “Sival Vilas Silva
      7 agosto, 2017 às 7:41 pm
      A foto do Excelentíssimo Sr. e Rvmo. Bispo com seus seminaristas é típico do modernismo latino americano. É emblemático, iconográfico. De fato, a Diocese de campos mudou da água pra urina, com todo respeito. Como as coisas mudam… e engraçado que lá tem os padres da AASMV, tão conflitantes com os da DC. O CVII, de fato, destruiu a Santa Igreja.”
      “Rogério Amaral Silva
      7 agosto, 2017 às 6:48 pm
      A foto não poderia ser mais moderna: um Bispo e seus seminaristas, sem suas notas distintivas, num lugar que parece ser a praça de alimentação de um Shopping qualquer (templos de consumo e seus “baais”).”
      “Rogério Amaral Silva
      7 agosto, 2017 às 7:44 pm
      Os paramentos clericais estão para os Sacerdotes, assim como a farda está para o militar. Um Padre “á paisana” rendeu-se na guerra espiritual para a qual foi convocado. E é essa a condição do clero atual, com as devidas e honrosas exceções: Sacerdotes que se imaginam num mundo idílico como Alice no país das maravilhas. Enquanto isso, nesta guerra espiritual, inúmeras são as baixas de pelotões, pra não dizer legiões inteiras, de almas tombadas à sentença das penas eternas no lugar onde Deus faz Justiça pela sua ausência.”
      “Roosevelt Maria de Castro
      7 agosto, 2017 às 8:25 pm
      Onde está o bispo?”
      “JB
      8 agosto, 2017 às 8:21 am
      Eu também procurei na foto acima e não vi seminaristas e nem muito menos bispo. Deve haver algum engano.”
      Sem qualquer espécie de ironia, despeço-me, esperando ter-me feito claro.
      Passar bem.

    • Sr. Dr. Arnaldo,
      Para quem ostenta publicamente o título de “doutor”, parece-me que não vai lá muito bem em sua interpretação de textos, aliás, simples…
      Não se faça de rogado,sr. Dr. Arnaldo, agindo com toda essa empáfia e soberba…
      Não está em questão alguma espécie de proibição ao descanso regulada pelo Direito Canônico e, sim, a inconveniência, naquilo que toca a edificação das almas, a salvação e a maior Glória de Deus, em se frequentar ambientes mundanos e fundamentados no consumismo e vã glória ( o shopping ) e facilitadores de todo tipo de pecado imaginável contra o 6º e 9º Mandamentos ( o templo do nudismo a céu aberto, também conhecido como praia ).
      O sr. me pede, equivocadamente, portanto, para que cite o CIC no sentido de justificar a minha argumentação e, como expus, fica claro que tal coisa se faz desnecessária, pois não se tratava daquilo que o sr. supunha ou tentava entabular.
      Agora é minha vez: onde está na Sagrada Escritura que Nosso senhor Jesus Cristo autorize a frequência a ambientes mundanos e facilitadores do pecado?
      Não me venha dizer nesta altura que o sr. que aparece na foto acima identificado como “bispo” iria na maçonaria para convertê-los, esclarecendo-os de seus erros… não, não seria assim pois tratava-se de um evento comemorativo e, em instante algum de sua justificativa em vídeo, fala em conversão ou cita qualquer documento dessa índole, como a Humanum genus de Leão XIII.
      Quanto aos monges e freiras que conheço e que citei acima, todos vão à praia à paisana e ficam em meio às pessoas seminuas,… e os monges surfam!
      Assim é que se trabalha pela edificação e salvação do próximo??
      Passar bem.

  3. Meus Deus do Céu: em seu vídeo ele se mostra modernista ao cubo!!! https://www.facebook.com/sinodo.campos/videos/686714641520060/ .

    Em um pouco mais de 5 minutos ele consegue juntar em saco só tudo o que não presta!!!

  4. As pessoas ligadas ao tradicionalismo deveriam acordar para a seguinte realidade: o mal está instalado na instituição, não se trata de mero equívoco, mera confusão de ordem intelectual… até meu filho de 7 anos ficou escandalizado e percebeu as lorotas e pedras de tropeço do discurso desse “bispo”…

    Alexandre V.

  5. CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

    DECLARAÇÃO SOBRE A MAÇONARIA

    Foi perguntado se mudou o parecer da Igreja a respeito da maçonaria pelo facto que no novo Código de Direito Canônico ela não vem expressamente mencionada como no Código anterior.

    Esta Sagrada Congregação quer responder que tal circunstância é devida a um critério redacional seguido também quanto às outras associações igualmente não mencionadas, uma vez que estão compreendidas em categorias mais amplas.

    Permanece portanto imutável o parecer negativo da Igreja a respeito das associações maçônicas, pois os seus princípios foram sempre considerados inconciliáveis com a doutrina da Igreja e por isso permanece proibida a inscrição nelas. Os fiéis que pertencem às associações maçônicas estão em estado de pecado grave e não podem aproximar-se da Sagrada Comunhão.

    Não compete às autoridades eclesiásticas locais pronunciarem-se sobre a natureza das associações maçônicas com um juízo que implique derrogação de quanto foi acima estabelecido, e isto segundo a mente da Declaração desta Sagrada Congregação, de 17 de Fevereiro de 1981 (cf. AAS 73, 1981, p. 240-241).

    O Sumo Pontífice João Paulo II, durante a Audiência concedida ao subscrito Cardeal Prefeito, aprovou a presente Declaração, decidida na reunião ordinária desta Sagrada Congregação, e ordenou a sua publicação.

    Roma, da Sede da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, 26 de Novembro de 1983.

    Joseph Card. RATZINGER
    Prefeito

    + Fr. Jérôme Hamer, O.P.
    Secretário

    http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19831126_declaration-masonic_po.html

    • O texto fala sobre inscrição. Poderia me mostrar algum documento que fala sobre participação. Aguardo.

    • Dr. Arnaldo, aqui está o documento que o sr. deseja: Encíclica Humanum Genus, do Papa Leão XIII (http://w2.vatican.va/content/leo-xiii/pt/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_18840420_humanum-genus.html).
      Caso o sr. não deseje ler o documento inteiro, no n. 31 está o seguinte trecho, que creio ser suficiente para sanar sua dúvida:
      “Pode parecer a alguns que os Maçons não exigem nada que seja abertamente contrário à religião e à moral; mas, como todo princípio e objetivo da seita está naquilo que é vicioso e criminoso, ajuntar-se com estes homens ou em algum modo ajudá-los não pode ser legítimo.”

    • Dr. Arnaldo, convido o senhor a ler o livro A MAÇONARIA E OS JESUÍTAS do Bispo de Olinda Dom Vital de Oliveira, obra de 1872 com registros ORIGINAIS e declarações retiradas de fontes primárias dos maiores líderes maçons do século XIX em publicações oficiais da maçonaria.
      Vale lembrar que esta obra foi o gatilho que deflagrou a famosa questão religiosa, estudada em História do Brasil e que levou Dom Vital à prisão e, depois, ao exílio na França. Soma-se a isto a encíclica Humanum Genus do Papa Leão XIII citada pelo colega acima.
      Depois de ler o livro, se o senhor ainda achar que participar das reuniões da maçonaria não é pecado, eu seria induzido a crer que o senhor está agindo de má fé.

  6. A foto não poderia ser mais moderna: um Bispo e seus seminaristas, sem suas notas distintivas, num lugar que parece ser a praça de alimentação de um Shopping qualquer (templos de consumo e seus “baais”).

  7. Quanto funcionam as interpelações a certos procedimentos de alguns ocupantes desde os altos cargos eclesiásticos, de sacerdotes a prelados envolvidos em algo que chamaria a atenção, é o que tento temos visto a partir daqui, pois logo de imediato os questionados se apresentam para se justificarem, nem sempre argumentando de formas convincentes!
    Aliás, poderiam existir certas oportunidades em que retrocederam por pressão, mas se inexistissem as interpelações, talvez teriam sequenciado, como no nesse intento de compartilhar com os inimigos da Igreja, os diabólicos maçônicos, indesejosos de se converterem e nada oferecendo a ela em troca, mas daria impressão de os interessados em “dialogarem” quereriam a nivelar a seitas e religiões de fundamentações humanas, portanto, caóticas em si mesmas!
    Anteriormente, esse mesmo bispo estaria dando apoio a um candidato petista, Marlos Costa, pertence à facção criminosa PT, associado aos militantes anárquicos esquerdistas!
    Será que não sabia que ele pertencia a um partido abortista como programa oficial de governo, genocida, que idolatra Mao, Pol Pot, Stálin e outros carniceiros, além de feroz inimigo da Igreja?

  8. A foto do Excelentíssimo Sr. e Rvmo. Bispo com seus seminaristas é típico do modernismo latino americano. É emblemático, iconográfico. De fato, a Diocese de campos mudou da água pra urina, com todo respeito. Como as coisas mudam… e engraçado que lá tem os padres da AASMV, tão conflitantes com os da DC. O CVII, de fato, destruiu a Santa Igreja.

  9. Os paramentos clericais estão para os Sacerdotes, assim como a farda está para o militar. Um Padre “á paisana” rendeu-se na guerra espiritual para a qual foi convocado. E é essa a condição do clero atual, com as devidas e honrosas exceções: Sacerdotes que se imaginam num mundo idílico como Alice no país das maravilhas. Enquanto isso, nesta guerra espiritual, inúmeras são as baixas de pelotões, pra não dizer legiões inteiras, de almas tombadas à sentença das penas eternas no lugar onde Deus faz Justiça pela sua ausência.

  10. Eu também procurei na foto acima e não vi seminaristas e nem muito menos bispo. Deve haver algum engano.

  11. Foto emblemática da decadência de uma instituição bimilenar.

    Mas as portas do inferno…Essa é a nossa fé,

  12. “Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou queremos provocar a ira do Senhor? Acaso somos mais fortes do que ele? Tudo é permitido, mas nem tudo é oportuno. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica.” (1 Coríntios 10:21-23)

  13. A falta de distintivo religioso por parte de religiosos irreligiosos (não creio que seja o caso em tela…) pode ser atribuído à vergonha que muitos têm de se identificarem como clérigos. Tal vergonha procede do fato de se sentirem socialmente inúteis ou rejeitados. Este, aliás, foi um dos maiores moventes do sínodo que se costuma chamar “concílio vaticano dois”: é uma das raízes ocultas de todas as reformas implementadas em nome daquela assembleia herética e cismática.

    Vêm de muito tempo o respeito humano e os complexos de inferioridade e de inutilidade social de certa parte do clero. No Brasil, o movimento de desbatinização do clero foi promovido, no Pós-Desgraça, por Jorge Marcos de Oliveira, primeiro bispo de Santo André, aliás signatário do histriônico e esquerdopata “Pacto das Catacumbas” (1965).

    E, é claro, fica muito difícil frequentar certos ambientes ostentando algum sinal de renúncia e mortificação.

    Deus nos livre dessa gente.

  14. No dia 07 de agosto foi publicado em https://fratresinunum.com/2017/08/07/bispo-de-campos-nao-ira-mais-a-maconaria/ que o Bispo Dom Roberto não iria mais a maçonaria no dia 14, conforme anunciado. Entretanto a desistência se deu desde dia 02, com divulgação de comunicado interno. Entretanto, no http://vnoticia.com.br/ de 11 de agosto consta que D Roberto fará palestra para os maçons. Não houve desmentido para a mídia. Quem viver verá.
    https://www.youtube.com/watch?v=kPQqgw6TFHM. Apesar de ter se retratado junto aos católicos, a mancha deixada por sua atitude continua deixando rastros podres. Infelizmente os catolicos se deixam enganar por seus pastores.