Reflexões da Sagrada Escritura: Restaurar em Cristo todas as coisas.

Nosso caríssimo padre Élcio está de recesso por dois meses para tratamento de saúde, pelo que pedimos suas orações. Durante sua ausência, republicaremos suas colunas mais importantes – a que segue foi publicada originalmente em 30 de janeiro de 2016.

* * *

“É n’Ele (Jesus Cristo) que temos a redenção pelo seu sangue, a
remissão dos pecados, segundo as riquezas de sua graça, a qual
derramou abundantemente sobre nós, em toda sabedoria e prudência; a
fim de nos tornar conhecido o mistério da sua vontade, segundo o seu
beneplácito, que tinha estabelecido consigo mesmo, de restaurar em
Cristo todas as coisas…” (Efésios I, 7-10).

Por Padre Élcio Murucci | FratresInUnum.com

“… A volta das nações ao respeito da majestade e da soberania divina, por mais esforços, aliás, que façamos para realizá-lo, não advirá senão por Jesus Cristo. De feito, o Apóstolo adverte-nos que ninguém pode lançar outro fundamento senão aquele que foi lançado e que é a Cristo Jesus  (1 Cor III, 11). Só a ele foi que o Pai santificou e enviou a este mundo (S. João X, 36), esplendor do Pai e figura da sua substância (Heb. I, 3), verdadeiro Deus e verdadeiro homem, sem o qual ninguém pode conhecer a Deus como convém, pois ninguém pode conhecer a Deus como convém, pois ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo (S. Mateus XI,  27).

São Pio X.

São Pio X.

“Donde se segue que restaurar tudo em Cristo e reconduzir os homens à obediência divina são uma só e mesma coisa. E é por isto que o fito para o qual devem convergir todos os nossos esforços é reconduzir o gênero humano ao império de Cristo. Feito isto, o homem achar-se-á, por isso mesmo, reconduzido a Deus. Mas – queremos dizer – não um Deus inerte e descuidoso das coisas humanas, como nos seus loucos devaneios o forjaram os materialistas, senão um Deus vivo e verdadeiro, em três pessoas na unidade de natureza, autor do mundo, estendendo a todas as coisas a sua infinita Providência, enfim legislador justíssimo que pune os culpados e assegura às virtudes a sua recompensa”

“Ora, onde está a via que nos dá acesso a Jesus Cristo? Está debaixo dos nossos olhos: é a Igreja. Diz-no-lo com razão S. João Crisóstomo: ‘A Igreja é a tua esperança, a Igreja é a tua salvação, a Igreja é o teu refúgio’. Foi para isso que Cristo a estabeleceu, depois de adquiri-la ao preço do seu sangue; foi para isso que Ele lhe confiou a sua doutrina e os tesouros da graça divina para a santificação e salvação dos homens”.

… “Trata-se de reconduzir as sociedades humanas, desgarradas longe da sabedoria de Cristo, reconduzi-las à obediência da Igreja; a Igreja, por seu turno, submetê-las-á a Cristo, e Cristo a Deus. E, se pela graça divina nos for dado realizar esta obra, termos a alegria de ver a iniquidade ceder lugar à justiça, e folgaremos de ouvir uma grande voz dizendo do alto dos céus: Agora é a salvação, e a virtude, e o reino de nosso Deus e o poder de seu Cristo (Apocalipse XII, 10).”

“Todavia, para que o resultado corresponda aos nossos votos, mister se faz, por todos os meios e à custa de todos os esforços, desarraigar inteiramente essa detestável e monstruosa iniquidade própria do tempo em que vivemos e pela qual o homem se substitui a Deus; restabelecer na sua antiga dignidade as leis santíssimas e os conselhos do Evangelho; proclamar bem alto as verdades ensinadas pela Igreja sobre a santidade do matrimônio, sobre a educação da infância, sobre a posse e o uso dos bens temporais, sobre os deveres dos que administram a coisa pública; restabelecer, enfim, o justo equilíbrio entre as diversas classes da sociedade segundo as leis e as instituições cristãs.”

“Tais são os princípios que, para obedecer à divina vontade, nós nos propomos aplicar durante todo o curso do Nosso Pontificado e com toda a energia de nossa alma” (…)

São Pio X indica, a seguir, os meios para formar em todos Jesus Cristo e assim n’Ele restaurar todas as coisas:

– Formar Cristo nos sacerdotes;

– Daí todo cuidado com os Seminaristas;

– Cuidado com os novos Sacerdotes;

– Necessidade do ensino religioso;

– Fazer tudo isto com caridade cristã;

É preciso que todos os fiéis colaborem.

Formar Cristo nos Sacerdotes:

“Que meios importa empregar para atingir um fim tão elevado? Parece supérfluo indicá-los, tanto eles apresentam à mente por si mesmos. Sejam os vossos [dos bispos] primeiros cuidados formar Cristo naqueles que, pelo dever da sua vocação, são destinados a formá-lo nos outros. Queremos falar dos sacerdotes, Veneráveis Irmãos. Porquanto todos aqueles que são honrados com o sacerdócio devem saber que têm, entre os povos com que convivem, a mesma missão que Paulo testava haver recebido, quando pronunciava esta ternas palavras: ‘Filhinhos, a quem eu gero de novo, até que Cristo se forme em vós’ (Gálatas IV, 19).

Ora, como poderão eles cumprir um tal dever, se eles próprios não forem primeiramente revestidos de Cristo? E revestidos até poderem dizer com o Apóstolo: ‘Vivo, já não eu, mas Cristo vive em mim’ (Gal. II, 20). ‘Para mim, Cristo é a minha vida’ (Filipenses I, 21). Por isso, embora todos os fiéis devam aspirar ao estado de homem perfeito, à medida da idade da plenitude de Cristo (Efésios IV, 3), essa obrigação incumbe principalmente àquele que exerce o ministério sacerdotal. Por isto é ele chamado outro Cristo; não somente porque participa do poder de Jesus Cristo, mas porque deve imitar-Lhe a imagem em si mesmo”.

“Se assim é, Veneráveis Irmãos, quão grande não deve ser a vossa solicitude para formar o clero na santidade! Não há negócio que não deva ceder o passo a este. E a consequência é que o melhor e o principal do vosso zelo deve aplicar-se aos vossos Seminários, para introduzir neles uma tal ordem e lhes assegurar um tal governo, que neles se veja florescerem lado a lado a integridade do ensino e a santidade dos costumes. Fazei do Seminário as delícias do vosso coração, e não descureis coisa alguma daquilo que, na sua alta sabedoria, o Concílio de Trento, prescreveu para garantir a prosperidade dessa instituição”.

Em seguida São Pio X lembra aos bispos algumas advertências das Sagradas Escrituras:

‘Não imponhas precipitadamente as mãos a ninguém, e não te faças participante dos pecados dos outros’ (1 Timóteo, V, 22).  ‘Guarda o depósito, evitando as novidades profanas na linguagem, tanto quanto as objeções de uma ciência falsa, cujos partidários com todas as suas promessas faliram na fé’ (1 Timóteo VI, 20 ss). São Pio X conclui sua encíclica lembrando a misericórdia divina: “Que Deus, rico em misericórdia (Ef. II, 4), apresse, na sua bondade, essa renovação do gênero humano em Jesus Cristo, visto não ser isso obra nem daquele que quer, nem daquele que corre, mas do Deus das misericórdias’ (Romanos IX, 16). (Este artigo são excertos da Encíclica “E Supremi  Apostolatus” – 1903).

Tags:

One Comment to “Reflexões da Sagrada Escritura: Restaurar em Cristo todas as coisas.”

  1. São Felipe Neri doutrinava em seu tempo que: “quem quer outra coisa que não seja Cristo, não sabe o quer; quem pede outra coisa que não seja Cristo, não sabe o que pede; quem age, e não age por Cristo, não sabe o que faz”, assim se comportando o mundo atual, repousando suas esperanças em meros artificios humanos e idem invenções para que o ser humano chegue a um ponto de ideal de plena satisfação em todas as coisas.
    No entanto, debalde será tal esforço pois, quanto mais se afasta do Reinado Social de N Senhor Jesus Cristo, mais se afunda num lamaçal de vicios e desordens de todas as modalidades, voltando a ser aquele da era pagã, caso do presente momento de caos generalizado, a nivel global, retratado diariamente na midia, em geral caótica, casos das tvs(Globo), midia esquerdista, (caso UOL, Folha de S Paulo), aos partidos comunistas.
    A missão da Igreja a realiza cada cristão, e de modo particular naqueles que se consagraram a Deus, no apostolado, que têm a mesma finalidade da Igreja: levar os homens à conversão a Deus, “à adesão plena e sincera a Cristo e a seu Evangelho mediante a fé”, que deve tender à digna recepção dos sacramentos e jamais nesse modelo atual proposto por tantos na Igreja de um ecumenismo pessimamente entendido, ao invés de promover a conversão dos pagãos e trazerem os hereges de volta para a Igreja, entram nessa cilada de “diálogo e ecumenismo” com adotantes de religiões pagãs às dezenas e com os afastados da verdade, caso dos membros do relativista protestantismo!
    Aliás, pela quantidade de pessoas deixando a Igreja, tem-se ideia que o “ecumenismo” estaria é direcionando católicos para as seitas e/ou para o indiferentismo, e nos trazendo a ideia que nas paróquias deveriam existir uma especie de MINISTERIO DA DENUNCIA, encabeçado por leigos bastante instruídos e conscientes da missão, que tanta falta faz á Igreja presente.
    Assim, se encarregarão de apontarem inimigos internos da Igreja – Pe James Martin, Pe Arturo Abascal, Cardeal D Vincenzo Paglia etc; as heresias, caso protestantismo e seus líderes; partidos comunistas com seus malvados candidatos, com suas ideologias revolucionarias e inimigos da Igreja, nomeando-os, caso PT-PSDB-Lula-FHC, PC do B etc.,que, para piorar, são aliados do Islã etc., deformando as consciencias e pervertendo o povo por implantarem perversidades, caso de consumo livre das drogas, promoção do pansexualismo, já que muito raros sacerdotes se ocupariam dessa missão!
    Nem certos juízes do STF ao lado de comunistas, Lewandowski, Toffoli etc.