Sínodo para a Pan-Amazônia. Já vimos esse filme.

Mais um jogo de cartas marcadas? Pois foram exatamente assim os dois sínodos para a família, em que manobras das mais vergonhosas e o desprezo da vontade da maioria dos padres sinodais nos trouxeram, por fim, Amoris Laetitia.

Pois bem, leia aqui e anote em sua agenda (e reze muito, muito mesmo).

Papa anuncia o Sínodo para a Pan-amazônia

Cidade do Vaticano (RV) – Antes de rezar a oração mariana do Angelus, o Papa fez neste domingo (15/10) um anúncio surpreendente, que diz respeito de perto à nossa realidade. Após saudar todos os peregrinos e delegações oficiais de Brasil, França, Itália, México, Ordem de Malta e Espanha, países de origem dos santos recém-canonizados, Francisco disse:

“Atendendo o desejo de algumas Conferências Episcopais da América Latina, assim como ouvindo a voz de muitos pastores e fiéis de várias partes do mundo, decidi convocar uma Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-amazônica. O Sínodo será em Roma, em outubro de 2019. O objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta. Que os novos Santos intercedam por este evento eclesial para que, no respeito da beleza da Criação, todos os povos da terra louvem a Deus, Senhor do universo, e por Ele iluminados, percorram caminhos de justiça e de paz”.

Há vários meses, tem-se cogitado a realização de um encontro do Papa no Vaticano com os bispos de toda a região (9 países compõem a Pan-Amazônia) para avaliar os desafios e buscar respostas comuns para seus mais de 30 milhões de habitantes.

Em maio de 2017, o Cardeal Cláudio Hummes, Presidente da REPAM, Rede Eclesial Pan-amazônica, entrevistado pela RV, ressaltou a importância de dois aspectos fundamentais: “o propriamente missionário e evangelizador naquela região, e a questão ecológica: a importância da floresta Amazônica e a ameaça que ela está sofrendo de destruição, de degradação, de desmatamento, etc.”.

A REPAM trabalha em sintonia com a Santa Sé, Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Secretariado da América Latina e Caribe de Caritas (SELACC) e Confederação Latino-americana e Caribenha de Religiosos e Religiosas (CLAR).

Tags:

13 Comentários to “Sínodo para a Pan-Amazônia. Já vimos esse filme.”

  1. O Cardeal Claudio Hummes havia falado em ordenar padres casados para levar a Eucaristia em áreas remotas como a Amazônia.
    https://www.publico.pt/2017/03/09/sociedade/noticia/papa-francisco-aberto-ao-estudo-de-ordenacao-de-homens-casados-1764655
    Acredito que este sínodo discutirá também este assunto.

  2. Desvalorização do celibato e Ordenação dos assim chamados Viri Probati, homens casados. Primeiro com a desculpa de necessidade pastoral depois para o mundo inteiro. O Papa, numa soberba sem fim, quer reinventar a Igreja. Cláudio Hummes é o ghost writer, leia promotor, dessa maluquice.

  3. Depois de liberarem o adultério, por meio de uma Exortação Apostólica sobre a família, qual a credibilidade que ainda resta para estes hereges modernistas vestidos de bispos católicos?
    São evolucionistas. Pra eles, o mundo caminha na direção de uma ordem superior, e não na direção do caos. Daí eles buscam a graça divina ou as sementes de Deus no próprio homem, na dinâmica da comunidade e do diálogo. Não necessitam de um culto vertical e furador do círculo humano, muito menos de uma revelação estática e carcomida. O passado não lhes interessa, porque o presente é diferente, também o futuro o será, pra melhor! Estes homens não precisam de Deus, porque a energia flui de um homem para o outro. Por isso eles desejam que a corrente humana fique firme e não se quebre. Aí está uma maneira de enfurecer essa gente: quebrar a corrente deles e socar desprezos e castigos em cima deles, até morrerem de depressão pelo seu atrevimento em mexer com a Palavra de Deus.

    • De gnose em gnose a igreja vai se tornando cada vez mais antropoteísta.
      Assim como Cristo orou pelo Papa(Pedro), oremos para que o nosso Papa não se deixe seduzir pela falsa premissa; homens de boa vontade.

  4. O presbitério diz: O Senhor esteja convosco!
    O profano: Ele está no meio de nós! Não sabia disso Zé Mané?
    Que maravilha! Quanta fé e segurança! Uma fé de mover montanhas!!!

  5. Seria a partir da convocação uma Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região Pan-amazônica que dariam inicio ao fim do celibato, proposta que outrora foi ensejada por o número de sacerdotes ser diminuto na região?
    Ainda mais com a participação de D Claudio Hummes que prestigiaria as esquerdas, a CNBB que compartilha ostensivamente com elas, poderiam gerar temores de que por trás disso haveria outros planos, pois basta-nos recordar que varias fotos dos participantes da JMJ de Manaus usando até bandeiras vermelhas e vestes com as fotos do renomado carniceiro Che Guevara, havendo até bispo de lá nessas fotos!
    Em 30/11/14 foi a palavra que marcou o encontro entre o arcebispo emérito de São Paulo, cardeal D Cláudio Hummes e fiéis amazonenses, na abordagem do tema “Transformação”, evento religioso sucedido no Santuário Nossa Senhora da Amazônia – Zona Oeste de Manaus nesse mesmo domingo, durante a celebração eucarística.
    Nesse tempo, D Claudio Hummes salientou a necessidade de renovar a Igreja católica e abrir mão dos julgamentos e completou. “É preciso transformar, sem condenar o mundo e os que estão nele”, declarou o cardeal, um dos principais nomes da Igreja “católica” das esquerdas na atualidade, amigo particular do onestýcimo Lula e pareceria contrastar com: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. Rm 12,2.

  6. Mais um passo de Bergoglio rumo à destruição da Igreja. O Brasil, mais uma vez, como laboratório das experiências sombrias apocalípticas que se abatem sobre a Santa Igreja de Cristo. O que há por trás desse ‘Sínodo’ senão o objetivo de transformar, para pior, o rosto da Igreja? Em breve haverá um cisma que dará imprevisíveis desfechos para o Corpo Místico. Mas creiamos firmemente que as portas do Inferno não prevalecerão sobre a Igreja.

  7. Estamos em 2017 e Bergoglio já anuncia um evento para o fim de 2019: parece sinal de que ele não pretende “se aposentar” tão logo… (Que lástima!…)

    • O Papa já havia marcado um evento para 2019: a JMJ do Panamá.Na ocasião,disse que não sabe se ele estará presente,mas Pedro estará.
      Mas apenas marcar um evento não significa que estará presente.São João Paulo II convocou a JMJ da Alemanha,mas quem esteve presente fora o então recém eleito Bento XVI,que,por sua vez,marcou a JMJ do Rio,porém,não celebrou-a(ele diz que renunciou por isso).Outro exemplo–o mesmo João Paulo II tinha convocado a 5ª Assembleia do CELAM como sede em Roma.No entanto,nem chegou a estar vivo para ver tal evento–a Assembleia,que acabou sendo sediada em Aparecida,foi iniciada por Bento.

  8. Ou Francisco considera/prevê que esse sínodo de 2019 se realizará sob a sua batuta, ou pondera que, ainda que seu pontificado não perdure até lá, seu sucessor (um eleito, provavelmente ele assim espera, segundo sua linha de influência e pensamento) e/ou os prelados companheiros seus (da ala heterodoxa) estarão lá, e em número suficiente, para levar adiante as rupturas concebidas de antemão. Deus livre sua Santa Igreja de todo o mal.

  9. De novo com a velha falácia de a “Amazônia, pulmão do mundo”.

  10. Discurso antipapal de abertura do Sínodo da Floresta”.
    “Queridos irmãos e irmãs, povo de Deus que caminhada der esperança em esperança rumo à construção do reino que também é nosso.
    Após ter ouvido as conferências episcopais da região amazônica, e acatado com toda a humildade o parecer de meus irmãos das periferias existenciais e matagais, tenho a profunda alegria de convocar mais esse novo sínodo, do qual participarão não apenas aqueles que, em nome do povo, presidem as igrejas locais, isto é, meus irmãos, os bispos, mas também ampla parcela do povo profético – leigos e leigas, consagrados e consagradas, agentes e agentas da pastoral da floresta – para, todos juntos, sob a moção do Espírito que provoca surpresas nas estruturas do poder, agendarmos um novo plano pastoral, que será o centésimo quarto dos últimos seis meses, a fim de promover uma nova abordagem neo-ecumênica dos povos da floresta. Missão, nunca mais! Proselitismo, nunca mais!
    Queremos, todos juntos, elevar nossa voz profética para denunciar as injustiças que os estados nacionais infligem contra a total autonomia territorial dos povos da floresta. Queremos uma Amazônia livre para povos livres: igualdade para todos!
    Também, nessa ocasião, iremos promover um grande ato masoquista-penitencial para denunciar as agressões contra a liberdade religiosa dos povos da floresta perpetrada pelos missionários europeus. Quantos e quantas missionários e missionárias, no passado, em nome de uma compreensão errada e sectária do evangelho, cometeram atrocidades contra a identidade e cultura religiosa dos povos da floresta! Eles impuseram uma visão eurocêntrica e colonizadora da religião, destruindo as legítimas tradições daqueles povos. Contra essa agenda de opressão queremos dizer: “Isso, nunca mais”. Nunca mais iremos mais pregar esse evangelho de exclusão e uniformizador, evangelho branco e europeu!
    Além disso, nas comunidades que infelizmente sofreram a agressão das missões europeias, teremos que lhes devolver o direito de cultuar a Deus como seus antepassados. Por isso, determinei que o órgão vaticano “Ministério da Inculturação Religiosa Não-Eurocêntrica” promova novas modalidades de culto à natureza dentro das normas por mim mesmo estabelecidas. De fato, não tem cabimento propor uma religião de origem semita num contexto de periferias florestais amazônicas!
    Outra providência, será o imediato reconhecimento do ministério das Igrejas co-irmãs evangélicas, especialmente a de confissão luterana. Assim, vamos autorizar a concelebração ecumênica da Ceia do Senhor para aquelas comunidades ainda particularmente ligadas às velhas tradições do colonizador europeu. Naquelas comunidades que já deram um passo à frente no sentido de se .libertarem da canga europeia, vamos promover novas modalidades de culto, mais afeitas às tradições ecológicas locais.
    Nessa ocasião iremos promulgar a cartilha “Taba Comum da Mãe Joana”, em homenagem a São João XXXIII e ao beato Paulo VI.
    Tudo isso, irmãos e irmãs, agentes e agentas de pastoral, povo de Deus reunido sob o sopro do Deus das surpresas, tudo isso é apenas um passo contra toda a forma de opressão. Não quero deixar de agradecer à ONU e à G. L. El Condor Fênix Kadosh de las Cordilleras Multicolores del Rotary Renascente Porteño (sección platina), grande inspiradores da nova evangelização segundo o novo evangelho da nova igreja do Concílio Vaticano II. ”
    “Francisco”.