Importante: Dom Athanasius Schneider e bispos do Cazaquistão lançam ‘Profissão sobre verdades imutáveis a respeito do sacramento do Matrimônio”.

[Atualização – 02/01/2018 às 19:19] Corrispondenza Romana acaba de anunciar que dois bispos italianos, Dom Luigi Negri e Dom Carlo Maria Viganò aderiram à iniciativa dos bispos do Cazaquistão.

Três bispos declaram leitura de Amoris Laetitia feita pelo Papa como “estranha” à Fé Católica.

LifeSiteNews, Roma, 2 de janeiro de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com — Três bispos se pronunciaram contra a interpretação feita pelo Papa Francisco de Amoris Laetitia que permite o acesso de alguns divorciados recasados à Sagrada Comunhão, afirmando que tal leitura está causando “confusão desenfreada”, é “estranha” à Fé Católica, e disseminará uma “epidemia do divórcio” na Igreja.

three_kazakhstan_bishops_810_500_55_s_c1

Dom Tomash Peta, Dom Jan Pawel Lenga e Dom Athanasius Schneider.

Dom Athanasius Schneider, bispo-auxiliar de Astana, Cazaquistão, Dom Tomash Peta, arcebispo metropolita de Astana, e Dom Jan Pawel Lenga de Karaganda, Cazaquistão, divulgaram uma Profissão de verdades imutáveis sobre o sacramento matrinonial em 31 de dezembro, como “um serviço de caridade na verdade” à Igreja de hoje e ao Papa.

Os bispos tomaram a decisão de realizar uma “pública e inequívoca profissão da verdade” a respeito do ensinamento da Igreja sobre a indissolubilidade do matrimônio, pois afirmam “não poderem permanecer em silêncio”.

Como bispos Católicos incumbidos de defender e promover a Fé Católica e a disciplina comum, afirmam ter uma “grave responsabilidade” e “dever perante os fiéis” que esperam deles “uma pública e inequívoca profissão da verdade e da imutável disciplina da Igreja acerca da indissolubilidade do matrimônio”.

Eles observam que após a publicação do documento do Papa Francisco sobre a família, Amoris Laetitia, diversos bispos e conferências episcopais divulgaram normas permitindo a alguns divorciados recasados civilmente, que não vivem em continência sexual, receber os sacramentos da Penitência e da Sagrada Comunhão. Eles enfatizam que essas várias autoridades hierárquicas (Alemanha, Malta e Buenos Aires, embora eles não as nominem) também receberam aprovação “até mesmo da suprema autoridade da Igreja”.

No mês passado, o Papa Francisco decidiu formalmente declarar a interpretação de Amoris Laetitia feita pelos bispos de Buenos Aires como “magistério autêntico”.

A disseminação dessas normas pastorais aprovadas eclesialmente “causaram uma considerável e sempre crescente confusão entre os fiéis e o clero” e são “meios de difusão da ‘epidemia do divórcio’ na Igreja”, escreveram os bispos do Cazaquistão.

“Nosso Senhor e Redentor Jesus Cristo solenemente reafirmou a vontade de Deus sobre a absoluta proibição do divórcio”, recordaram, e a Igreja sempre preservou e fielmente transmitiu tanto em sua doutrina como em sua disciplina sacramental “o ensinamento cristalino de Cristo” acerca da indissolubilidade do matrimônio”.

“Por conta da vital importância que a doutrina e a disciplina do matrimônio e da Eucaristia, a Igreja é obrigada a falar com a mesma voz. As normas pastorais a respeito da indissolubilidade do matrimônio não podem, portanto, ser contraditórias entre uma diocese e outra, entre um país e outro”.

“Desde os tempos dos Apóstolos”, explicam os bispos, “a Igreja observou este princípio, como testemunha Santo Irineu de Lion”:

“A Igreja, embora espalhada pelo mundo até os confins da terra, tendo recebido a Fé dos Apostólos e seus discípulos, preserva esta pregação e esta Fé com cuidado e, como Ela habita uma única casa, crê da mesma e idêntica maneira, como tendo uma só alma e um só coração, e prega a verdade da Fé, ensina-a e transmite-a em uma voz uníssona, como se tivesse uma só boca” (Adversus haereses, I, 10, 2).

Após, eles recordam a advertência do Papa João Paulo II de que a confusão semeada nas consciências dos fiéis por diferentes “opiniões e ensinamentos” enfraqueceria o “verdadeiro sentido de pecado, quase a ponto de eliminá-lo”.

O Papa João Paulo II erigiu a diocese de Santa Maria em Astana, Cazaquistão, em 1999, e a elevou à arquidiocese em 17 de maio de 2003, nomeando o bispo polonês Tomash Peta como seu arcebispo. No Sínodo Ordinário sobre a Família em 2015, Dom Peta, que participou como delegado do Cazaquistão, iniciou sua breve intervenção com as palavras do Beato Paulo VI pronunciadas em 1972: “Por alguma fresta, a fumaça de Satanás penetrou no templo de Deus”.

Ele, então, afirmou aos Padres Sinodais que estavam reunidos: “Estou convencido de que estas foram palavras proféticas de um santo Papa, o autor de Humanae Vitae, Durante o Sínodo do ano passado [2014], a ‘fumaça de Satanás’ estava tentando adentrar na aula Paulo VI [local em que ocorriam as sessões do Sínodo]”. O arcebispo acrescentou: “Infelizmente, pode-se ainda sentir o cheiro desta ‘fumaça infernal’ em alguns pontos do Instrumentum Laboris e também em algumas intervenções de certos padres sinodais neste ano”. [Leia a intervenção aqui.]

Na Profissão, Dom Athanasius Schneider, juntamente com os arcebispos Peta e Lenga, reiteram aos fiéis sete verdades imutáveis sobre o sacramento do matrinônio, e, “no espírito de São João Batista, São João Fisher, São Tomás Morus, da Beata Laura Vicuña e de numerosos confessores e mártires, conhecidos ou não, da indissolubilidade do matrimônio”, afirmam:

Não é licito (non licet) justificar, aprovar, legitimar, direta ou indiretamente, o divórcio e a relação sexual estável não conjugal, através da disciplina sacramental da admissão dos assim chamados ‘divorciados e recasados’ à Sagrada Comunhão, neste caso, uma disciplina estranha à toda a Tradição da Fé Católica e Apostólica.

Leia a íntegra da Profissão de verdades imutáveis sobre o matrimônio sacramental aqui.

20 Comentários to “Importante: Dom Athanasius Schneider e bispos do Cazaquistão lançam ‘Profissão sobre verdades imutáveis a respeito do sacramento do Matrimônio”.”

  1. Finalmente, bispos de uma mesma Nação – embora distante e pouco conhecida – proclamam a Verdade Imutável e “ puxam as orelhas” do Pontífice equivocado ( para usar um termo suave) e dos purpurados temerosos, amparados que estão no Magistério de sempre, na Tradição e nos dogmas da Santa Igreja.

  2. D Athanasius Schneider, como um verdadeiro apóstolo das nações vem apregoando mundo afora as verdades da fé católica, sem atenuantes ou algo que as mitiguem para satisfazerem determinados casos pontuais, nunca constantes em ensinamentos da Igreja por antecessores ao papa Francisco, sintonizado aos 2 arcebispos aí constantes.
    Até então tais tão delicados ensinamentos de permissão para recasados manterem novas uniões jamais foram objeto de controversias e ainda mais cometê-los “sem culpa”, assentados em “discernimento pastoral” de confessores etc., e sem regras pré determinadas, assim podendo, sem desvirtuarem o 6º Mandamento, acederem aos sacramentos como os cristãos fiéis à Igreja.
    Esse apoio vem a tempo bastante adequado aos restantes cardeais proponentes das Dubia e de tantos mais discordantes mundo afora cardeais, arcebispos e bispos, varios sacerdotes bastante experts nesses assuntos, além de eminentes leigos que assessoravam até papas anteriores, grandes mestres católicos lecionando em importantes cátedras da propria Igreja, como em Roma.
    Num pronunciamento na Espanha, o papa Francisco de per si admite que *”seu ensinamento conteria heresia, não sei”…, podendo ser conferido no link abaixo, ele mesmo em pessoa “duvidando de si(?)” em determinados tópicos “poderia cair em heresia” ,após os 4′ adiante, em espanhol, mais facilmente compreensível a quase todos.
    Noutro local: **Na reportagem a Joshua J. McElwee via National Catholic Reporter, 16-04-2016.
    “Há novas possibilidades concretas que não existiam antes da publicação da exortação(Al), ou não?”, perguntou o jornalista.
    “Eu posso dizer que sim”, respondeu Francisco. “Mas seria uma resposta muito sucinta”.
    Aos que estão em busca de mais informações sobre o assunto o pontífice sugeriu a leitura da apresentação escrita pelo cardeal austríaco Christoph Schönborn no dia 8 de abril, dia da publicação da exortação Amoris Laetitia.
    Nessa apresentação, Schönborn afirma que a exortação apostólica faz alguns “desenvolvimentos orgânicos” sobre a prática pastoral da Igreja aos fiéis divorciados e que voltaram a se casar.
    “Recomendo-lhes que leiam a apresentação do documento feita pelo Cardeal Schönborn”, disse o papa no sábado. “Schönborn é um grande teólogo”.
    “Ele conhece bem a doutrina da Igreja. Nesta apresentação, a sua pergunta encontrará uma resposta”.
    Spanish Original shows Francis admitted his Teaching is “perhaps a Heresy, I don’t know”.
    *https://novusordowatch.org/2015/05/spanish-original-heresy/
    **http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/553796-francisco-novas-possibilidades-concretas-aos-fieis-recasados-apos-amoris-laetitia.
    Outra desse acima: “A Amoris laetitia é um acontecimento linguístico que mudou a linguagem eclesial” – Cardeal Schöenborn(maçon?) – e analisem o conteúdo capcioso do pró Drag Queen Conchita Wurst e a mais relativistas…

  3. Se o atual Papa preza tanto as “periferias existenciais”, aí está uma autêntica periferia da Igreja Católica a gritar por justiça.

  4. O sapateiro faz sapatos; o cozinheiro faz comida; o varredor varre; os bispos pregam o Evangelho.

    Montini devasta; Odilo carnavaliza; Carnal draga rainhas e Rifando fez um imenso trono como o do Nabucodosor.

  5. Mesmo que eles consigam o apoio de outros bispos para barrar amoris laetitia, isso é apenas um paliativo, tal qual a morfina para o câncer. A razão da crise é o CVII, e esses bispos não reconhecem isso. Eles dizem “nosso magistério é o magistério de São João Paulo II”, ou seja, a continuação do CV2. Só vejo esperanças para o fim da crise quando disserem “nosso magistério é o magistério bimilenar da Igreja” e “Dom Marcel Lefebvre e Dom Antonio de Castro Mayer tinhão razão”.

  6. Ainda Existem pastores na Igreja são capazes cde colocar suas cabecas em prol da fidelidade matrimónio indissolúvel, suportando inclusive o martírio, exemplo São João Batista e S Thomas More.
    Já Francisco e demais pastores Politicamente corretos vale a advertência:
    “Os corredores do inferno estão pavimentados com os crânios dos bispos”(São João Crisóstomo)

  7. Mais 3 que serao ignorados ou punidos por Francisco.

    • Na verdade não é punição. Os ataques que estes e outros bispos corajosos, autênticos e leais ao Altíssimo e à sã dourina, tradicionalíssima, pode ser considerada uma recompensa. Aqueles que os procuram desvalorizar e menosprezar, são dignos de compaixão. Não estão à altura da vocação que escolheram quando foram admitidos como postulantes à vida sacerdotal. Hoje desonram os compromissos assumidos diante de Deus e do povo, a quem deveriam “conformar na fé”.

  8. De quando em vez notamos um silêncio preocupante de bispos e cardeais sobre o angustiante problema criado pelo capitulo VIII de “Amoreis Laetitia”. Todavia, e damos graças a Deus, ficamos reconfortados com o aparecimento desta “Profissão de verdades imutáveis sobre o sacramento matrimonial”, redigido por estes três bispos de coragem incomum. Documentos deste tipo e teor deveriam, na nossa opinião, aparecer com mais frequencia, não permitindo aquele tipo de esquecimento sobre o assunto e o esmorecimento muito prejudiciais ao bom encaminhamento deste utilissimo serviço em favor da sã e milenar doutrina de nossa Igreja. Agradecemos, portanto, a estes três bispos por sua indômita coragem em favor da Verdade e da Igreja.

  9. Oficialmente são 3 prelados valentes + 2 bispos acima ao saberem, apoiando a iniciativa dos 3, + outros por fora e além disso a quantidade ou não de apoiadores não conta ponto, mas as qualidades desses e nisso os 3 + 2 têm de sobra!

    • Há atualmente mais de 5.000 bispos no mundo. Apenas 3 (inicialmente) + 2 (aderentes) tomaram essa iniciativa corajosa. Cadê os demais 5.000 bispos?!? Esse escândalo me fez refletir sobre a cura dos 10 Leprosos por Jesus. Somente um leproso voltou para agradecer a Cristo.
      Pior. O jornal Folha de São Paulo (leia-se Foice de SP) no dia 25 de dezembro de 2017 (nascimento do Filho de Deus) publicou um artigo (vide abaixo) blasfemo, diabólico e anticristão do suposto palhaço Gregório Duvivier sobre Jesus Cristo é todos os católicos ficaram omissos (apenas alguns pastores e políticos protestantes denunciaram tal escândalo, ajuizando inclusive ações judiciais contra a Folha). E onde estão as autoridades eclesiásticas do Brasil (CNBdoB, arquidiocese de São Paulo, Franciscanos que emitiram uma famigerada Nota de Esclarecimento sobre o presépio esoterico do convento Santo Antônio do Rio…)??? Durmindo em berço esplêndido, a exemplo do hino nacional Brasileiro. Infelizmente, joio ultrapassou o trigo na Seara do Senhor.
      https://www.google.com.br/amp/m.folha.uol.com.br/amp/colunas/gregorioduvivier/2017/12/1945744-parabens-baderneiro-comunista-defensor-de-bandido-e-prostituta.shtml

  10. Mas pelo que eu li no The Church Militant, Bergoglio já está preparando uma represália para os 3 Bispos que será uma ampla campanha para denegri-los!

    “My source in the Vatican told me that last night [Pope Francis] stayed in Santa Marta with several Vatican “press officers” and various “advisers” for a meeting on how to deal with this new and “unexpected” Correction from the Bishops of Astana. The source told me that [the pope] was furious. He went on a rampage — because he cannot stand any opposition. They heard him scream: “They will regret it! They will regret it bitterly!”
    https://www.churchmilitant.com/news/article/report-pope-prepares-counterattack#.Wk5AptRwH88.twitter

    Traduzindo: Minha fonte dentro do Vaticano me contou que na última noite [Papa Francisco] permaneceu em Santa Marta com vários “oficiais de imprensa” e vários “conselheiros” para um encontro visando como lidar com essa nova e “inesperada” Correção feita pelos Bispos de Astana. A fonte me disse que [o Papa] estava furioso. Ele surtou _ porque não tolera nenhuma forma de oposição. Eles o ouviram gritando: “Eles vão se arrepender! Eles vão se arrepender amargamente!”.

  11. Fiquei sabendo que S.Excia. D. Magnus Thronus Nabuchi, Eparca e Administrador, querendo escapar das arêas movediças em que se encontra – já muito pelo pescoço – irá também assinar a Profissão juntamente com seu zeloso e católico presbitério.

    O Emmo. Sr. Cardeal Storm, de Sebastianópolis, deixando de lado todo interesse temporal e gastronômico, também se apressa em assinar .

    O mesmo se diz do coetus acadêmico da Universidade de Navalla (Pampelunae).

    O tempo dirá…

  12. A associação Monfraco-Zuccaro, aderindo à crescente onda de passividade eclesial, e atenta ao lema “pluralidade da diversidade: uma Igreja renovada e aberta a todos e a todas (todxs)”, abstém-se de noticiar qualquer facto afrontoso ao Santo Padre, o Papa, FrancisCo. No próximo Carnaval – em que N. Sa Aparecida não será blasfemada e aviltada na passarela do samba -, a dita associação eclesial divulgará em grande estilo, na Rede Old Song, o novo hábito de suas postulantes: uma alvíssima saia rodada de baiana e camisa de mangas bufantes. Madre Francisca Enrolanda costuma ostentar o dito hábito saia em ocasiões públicas e privadas, sobretudo ao presidir o Capítulo da Sempre Morta, verdadeira pregustação monástico-laical e litúrgica de uma Ordem sempre atenta às verdadeiras necessidades da Santa Madre Igreja.

  13. ATHANASIUS: Nomen est omen. Sem mais.

  14. Está aumentando o número de bispos que estão assinando essa ‘Profissão sobre verdades imutáveis a respeito do sacramento do Matrimônio”.
    Alguns nomes de bispos que já assinaram essa profissão:

    – O cardeal Dom Janis Pujats, arcebispo emérito metropolita de Riga, Letônia
    – Dom Andreas Laun, auxiliar emérito de Salzburgo, Áustria
    – Dom René Henry Garcida, bispo emérito da diocese de Corpus Christi, no Texas, EUA.

    • Só bispos aposentados que não têm nada a perder assinam essa petição.

    • É! Tenho de reconhecer que isso é uma verdade, Leonardo. Mas não deixa de ser um alento nestes tempo em que a maioria do clero só traz decepções, salvas as honrosas exceções. A propósito, essa crise do clero, para não usar outra expressão, é um terrível castigo espiritual que se abateu sobre a humanidade, especialmente sobre os católicos.

    • Por falar em bispos aposentados, me lembrei do falecido Dom Manuel Pestana. Quando vivo, acho que era o único que ia na contra-corrente da Igreja no Brasil. Se ele estivesse vivo, acredito que assinaria essa profissão. Agora hoje, será que algum bispo brasileiro, nem que seja aposentado, será que assinará essa profissão???