Mais um record (negativo) para Francisco.

Por Gloria.tv, 2 de fevereiro de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com – Na audiência geral em 31 de janeiro, o Papa Francisco alcançou o menor comparecimento em uma audiência de quarta-feira. O padre dominicano Lawrence Lew, de Londres, estava presente e escreveu no Twitter (2 de fevereiro) que “ficou impressionado com os números baixos”.

João Paulo II teve um comparecimento médio de 32 mil pessoas e Bento XVI de 33 mil. De janeiro de 2015 a dezembro de 2017, Francisco alcançou apenas 9.041. A mídia do Vaticano editou as imagens da última audiência que mostravam apenas o primeiro bloco dos presentes.

Parece que Papa Francisco (e seu colaboradores) vai ter que aprender da maneira mais difícil que sua ideologia paleoliberal é um desastre para a Igreja e para ele também.

Tags:

15 Comentários to “Mais um record (negativo) para Francisco.”

  1. Aplausos para Mummes e para a máfia de Sainte-Poule, o bloco das desenxabidas (e maximamente fracassadas).
    Sai capeta!

  2. Um ditado meio chula do nordeste: “Deus não bate em ninguém de cacete”
    Francisco e seus companheiros de devastação pensaram que iam poder achincalhar a Igreja de Deus e ficar impunes….Pensaram que “a Igreja nunca esteve tão bem, quem sou eu para julgar”, e tantas falas mais absurdas e irresponsáveis iam se tornar magistério????
    Não se reduz a Igreja de Deus a uma seitola de ponta de esquina…
    Não se tenta destruir, coisa impossível, mais de 2000 anos de MAGISTÉRIO SÓLIDO e PERENE…
    Paulo VI pagou caro por compactuar com o piores inimigos da Igreja, os liberais, no afã de fazer as pazes entre Deus e belial, entre a CRISTANDADE e o mundo pagão e ateu.
    A Tradição atrai, cativa, causa estupor, eleva às coisas celestes e sublimes, ao contrário, a bagunça, a anarquia, sobretudo, a litúrgica, enoja, empobrece, desanima, afasta de Deus, ridiculariza a Igreja…
    Os defensores do indefensável, como os comentadores das liturgias papais pela TV, insistem em dizer que a seriedade, a cara fechada de Francisco são amostras de sua intimidade e cuidado para com as coisas de Deus….VÃO ENGANAR OUTROS…TONTOS!!!!!
    Cinco anos desse pontificado são um castigo para os nossos pecados…
    “Parece que Papa Francisco (e seu colaboradores) vai ter que aprender da maneira mais difícil que sua ideologia paleoliberal é um desastre para a Igreja e para ele também”.
    Tomara que aprendam…

  3. Não estamos vivendo uma fase propriamente conservadora. O que vivemos hoje é a perplexidade dos “mais ou menos”. É que antigamente não havia pruridos em se posicionar como “mais ou menos”, fato que se evanesceu nestes tempos do politicamente correto.
    Pois os “mais ou menos” estão inseguros nesta estreita trilha de conduta já que sentem que o mais está sobrepondo-se excessivamente com o menos.
    Francisco, porque convicto, ou porque obrigado a dar satisfação, abalou a suposta estabilidade do mais ou menos, fazendo o pêndulo tender excessivamente para o revolucionário para sobressalto daqueles que se entendem sábios e equilibrados.
    Eis que posicionamentos como “quem sou eu para julgar” o relacionamento gay abalaram o eixo daqueles que faziam tábula rasa da crise católica, pois o mais em sua grandeza pode ser um tsunami a abalar a noção de estabilidade destes.
    A realidade é que Francisco passa do ponto. Fala mais àqueles que já estão adiantados na inclinação revolucionária. Estes proclamam que ele é o verdadeiro Papa. Mas os outros extratos, começando pelos “mais ou menos”, estão ressabiados com tanta audácia.
    Assim, Francisco vai rígido na sua pretensão, mesmo que no início flexionou-se na sacada para agradar a todos. Não agrada, nem mesmo com os esforços da mídia.

  4. O papa Francisco vem decrescendo de aprovação constantemente, assim como os números de retração de comparecentes às audiencias são sinais evidentes que a atual midia oposta aos progressistas está cada dia mais atuante, externando certos procedimentos outrora inviaveis por possuirem o controle total da midia e ainda inexistirem as redes sociais tão abrangentes, como atualmente, ele inclusive assediado por elas, conferindo-lhe os procedimentos, alguns dos quais não corresponderiam condizentes ao ocupante da Cátedra de S Pedro e corretamente exerceria seu magisterio.
    Assim, algo de insólito sucedeu de o ditador turco Recep Tayyip Erdoğan retribuir-lhe o gesto de visita à Turquia entre 28 e 30/11/14, em agradecimento pela sua chegada a esse país àquela data, cujo objetivo foi da ida a Roma de solidarizar-se também com ele pela oposição a Israel de tornar Jerusalém como nova capital desse país, assim como demonstrar que não aprovaria a gestão do novo presidente dos EUA, Donald Trump, incluindo-se diversas mais conversações acerca de outras questões relacionadas à conturbada região onde se encontra a Turquia, fronteiriça à Siria, atinentes a mais interesses compartilhados por ambos lados.
    Recentemente, aumentando as desconfianças nele, houve a visita a dois países sul americanos, ao Peru e ao Chile e nesse, o caso da negativa de ele ter recebido as cartas das vítimas dos supostos atentados pedófilos perpetrados por um sacerdote de nome Fernando Karadima, porém, acobertado pelo bispo Juán Barros, de Osorno, havendo suspeitas de omissão nesse assunto, aumentaram ainda mais as desconfianças, além de seus oposicionistas estarem cada vez mais questionadores e, de parte dele, de modo geral, não se justificaria de forma convincente; assim sendo, a tendencia seria de baixa, a partir das queixas nas redes sociais.

  5. A ovelha conhece a voz do seu pastor, diz as escrituras!

  6. O decréscimo de fiéis nas audiências presididas pelo Papa Francisco é um reflexo micro-histórico do que ocorreu na macro-história da “primavera conciliar” dos últimos 40 anos. Vejam o quanto cresceu o número de seitas protestantes nesse período!!! Não somente as seitas protestantes, mas também os terreiros de ritos africanos (candomblé, umbanda etc), conforme concluiu em estatísticas, Frei Boaventura Klopenburg, em seu livro sobre o espiritismo.

  7. Parece que até mesmo a mídia que apoia Francisco já está deixando ele de lado…

  8. Mas o povo católico quer um líder à altura, que demonstre sabedoria, maturidade e profundidade. Para ouvir qualquer coisa de qualquer jeito, qualquer lugar serve, não é preciso ir ao Vaticano.

  9. Imaginar que alguma lição, algum aprendizado pudesse vir a ser tirado da experiência de um malogro com que se é confrontado, é simplesmente o mínimo que se poderia esperar de qualquer pessoa sensata e coerente. Aprender com os próprios erros e fracassos, é no caso, algo que se aplica, naturalmente, àqueles indivíduos realmente regidos pelo parâmetro da sensatez e da coerência, como eixo norteador de suas vidas. Lamentavelmente, porém, como é público e notório, os envolvidos na realidade em questão, não têm dado minimas mostras de disposição a esta salutar pedagogia de “dar o braço a torcer”. Esta aberrante discrepância numérica entre a afluência às audiências papais nos pontificados anteriores e a observada neste, é de uma proporção tão monstruosa que chega a ser desconcertante. Apesar disso, na maior desfaçatez, tudo prossegue ali como se nada de mais estivesse a acontecer. Disso, pode-se depreender o quanto esta gente cínica confia na mídia globalista que lhe é aliada (e que descaradamente oculta este fragoroso fracasso do comparecimento às audiências bergoglianas). No fundo, muito mais que um mero computo de uma inquietante fração numérica, em vertiginosa queda, dos fieis presentes às cerimônias papais (e isso não apenas no Vaticano mas também no decorrer das recentes viagens à América do Sul) o que está em jogo é o trunfo com que a sórdida mafia de St. Gallen esperava contar. Trunfo este personificado no cultivo de uma clamorosa adesão e ampla afluência das massas em torno de seu “mídia star” portenho, na intenção de legitimar a agenda de desvairos maquiavelicamente arquitetada (à qual, sua Santidade, o Papa Bento XVI, constituía um obstáculo). Eis aí verdadeira razão para todo aquele cuidado extremamente meticuloso para, desde o princípio, ficar “bem na fita”. O que eles não contavam é que a farsa fosse cair por terra tão rápido. Agora, para por de vez “a pá de cal” é preciso que venha a público de uma vez por todas aquilo que há de oculto nos bastidores daquela “renuncia”.

  10. Isso é natural que ocorra. Você procura a Igreja pra quê? Fé e Moral. Coisa que este Pontificado não tem.
    Volto a dizer o que disse em outro comentário: Tentar promover Doutrina Social da Igreja sem defesa e assentamento firmes da Fé e Moral do Catolicismo é perverter a religião em seus fundamentos. É o que faz a TL e seus “libertadores”.
    A Igreja tem como finalidade a salvação das almas para Deus, isto é, o cumprimento dos Mandamentos e a distribuição da Graça para tal. A interferência na ordem temporal é um mero complemento que deve ser fundado na Moral e Doutrina Cristã, coisa que este Pontificado não tem.
    Pega mal, e é vergonhoso, para uma autoridade eclesiástica, tratar só de Doutrina Social da Igreja deturpada e falsificada, sem promover antes a Fé e Moral imutáveis da Igreja.
    Enquanto Roma pega fogo, Nero toca harpa. Todos os setores da Igreja, e de modo especial a Moral e a Liturgia, gritam por socorro. Mas o Pontífice quer falar de imigração, paz, diálogo, amizade etc… demagogia e populismo de baixo nível.
    Ele não tem competência, perícia e capacidade para ser Papa.
    Resta esperar e esperar que da próxima vez os Cardeais tenham um mínimo de prudência para colocarem alguém no trono de Pedro.
    Doutrina Social sem a Fé e Moral cristãs é absoluta e pura falácia. Ele é fraco, mais do que João XXIII, Paulo VI, João Paulo II e mesmo Bento XVI até em matéria de Doutrina Social. Somente em Meio Ambiente conseguiu fazer a Doutrina Social avançar.
    Seus discursos são muito breves, vazios de conteúdo e nada realistas. Só vai quem tem algum interesse cego por poder, ou pra passear, ou pra conseguir uma breve bênção, ou quem ainda acredita em saci pererê, curupira, fadas etc.
    Tomara que compreenda que está atrapalhando, paralisando a Igreja, e que deve deixar o Poder o quanto antes, por mais que lhe custe, para o Bem Comum da Igreja!

  11. Bom dia.É isso que dá oferecer ao mundo mais do mesmo.Pra que ir a Roma se posso ouvir o mesmo discurso TL na homilia do meu padre comunista travestido de doutrina social?

  12. Ao contrário do texto, que sugere que o Papa Francisco tenha errado a mão e agora está colhendo o que plantou, eu acredito que na verdade tudo isto foi feito de caso pensado. O plano está sendo levado a cabo com sucesso: esvaziar a Igreja em um sentido amplo, e num sentido restrito mitigar a imagem do Papa (papado), levando os fieis a pensarem que não precisam mais do sucessor de Pedro, já que tem os bispos locais (colegialidade). Quem sai perdendo não é Francisco (este sai vitorioso), e sim o Papado!

    • E se o número da plateia fosse cinco vezes maior, haveria algum triunfo para o Papado ou para a horda modernista?

  13. Paulo José Silva Valença
    Com Francisco o “número da plateia” jamais seria “cinco vezes maior”. O plano levado a cabo é justamento para esvaziar. Foi o que eu tentei explicar.