Coluna do Padre Élcio: “Aos gentios será entregue, escarnecido, açoitado, cuspido e matá-Lo-ão”.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com

S. Lucas XVIII, 31-43
“Eis que subimos a Jerusalém, e cumprir-se-á tudo o que os Profetas escreveram acerca do Filho do homem. Será entregue aos gentios, será escarnecido, ultrajado e cuspido; depois de o açoitarem, o matarão e ressuscitará ao terceiro dia”.

Caríssimos e amados irmãos em Nosso Senhor Jesus Cristo!

Jesus caminha para Jerusalém, onde devia cumprir seu sacrifício. Caminha com passo firme, apressado, à frente de seus apóstolos, que O seguem com algum temor.

Jesus flageladoE Jesus realmente confirma as apreensões de seus discípulos predizendo o que vai acontecer. Que calma, que serenidade nas suas palavras! Quem dentre os simples homens, ciente e voluntariamente, vai se oferecer aos ultrajes, aos tormentos, à morte; quem, querendo fundar uma religião nova, não encontra melhor meio para isto, do que morrer ignominiosamente; quem, tendo o desejo de se fazer adorar como Deus, comece por se entregar à morte como um criminoso? Só um Homem-Deus poderia falar assim! Mas Ele anuncia também sua ressurreição. E tudo se cumpre ao pé da letra.

Caríssimos, por que a Santa Igreja nos fala hoje da Paixão de Jesus? Para nos preparar desde já para a celebração destes mistérios cuja memória devemos em breve solenizar; para que, durante a santa quarentena que vai se iniciar, os sofrimentos do Salvador sejam o objeto de nossas assíduas meditações. Ela quer, outrossim, pelo quadro antecipado das dores de Jesus, nos afastar das falsas alegrias do mundo, das dissipações, das desordens carnavalescas, que vão ocupar e manchar os dias que antecedem à Santa Quaresma. Nestes dias, a Igreja nos chama ao pé dos altares, para aí fazer reparação a Nosso Senhor dos escândalos aos quais se entregam tantos maus cristãos. Vamos pedir perdão para nós e por nossos infelizes irmãos.

“Eles (os apóstolos) nada disto compreenderam; este discurso era para eles obscuro” etc. Embora Jesus fale clara e detalhadamente, os Apóstolos não entenderam. Isto porque, como os Judeus, seus compatriotas, tinham do Messias uma idéia completamente deturpada daquela apresentada pelos profetas: viam-No como um futuro monarca, o mais poderoso soberano, que devia estender seu império sobre todas as nações do mundo, e evidentemente, cheios destas vãs idéias, não compreendem como as humilhações, os sofrimentos, a morte possam entrar no destino deste glorioso conquistador da terra. E este é o messias que a religião judaica espera e vai ficar esperando até o fim do mundo. Já quanto aos Islâmicos, dizem que Maomé foi este messias e que, com a garantia infalível do deus Alá, dominarão o mundo.

“Sucedeu que, aproximando-se eles de Jericó, estava sentado à beira da estrada um cego pedindo esmola”. Caríssimos, o cego que o Salvador vai curar estava à borda da estrada. Quantos que, como este infortunado, jazem à beira do caminho; quantos que sabem qual o seu destino e não trilham a senda que a ele conduz. Têm fé, mas não tem as obras. Este cego mendigava. Estes de fé morta, também, em lugar de procurar na prática da religião o alimento que reclama sua alma, e que seria suficiente para matar sua fome, vão abjetamente mendigar este alimento à toda criatura humana que passa e não obtêm nada que os possa satisfazer. A  multidão barulhenta que abafa a voz do cego são suas paixões que fazem grande barulho em seus corações; são os pensamentos levianos, frívolos, que ocupam seus espíritos; é o mundo com suas agitações, com suas zombarias, seus preconceitos, que quer  abafar a voz das consciências. Queremos servir a Deus, cumprir nossos deveres da piedade cristã; sentimos necessidade de fazer brilhar nossa fé, nas procissões, nas peregrinações, e, como se nós estivéssemos fazendo agravo ao mundo por estas homenagens solenes a Deus, o mundo se irrita, o mundo se arma contra nós, o mundo pretende nos deter, impedir com seus espetáculos barulhentos nossas manifestações piedosas: “Repreendiam-no para que se calasse”. Na verdade, caríssimos, os mundanos pretendem nos impor o silêncio e a imobilidade em nossa fé. Temos que pedir a graça de Deus para vencermos sempre o respeito humano: “E ele (o cego) cada vez gritava mais: Filho de Davi, tem piedade de mim”.

Nestes dias de carnaval, padres zelosos geralmente pregam os Santos Exercícios Espirituais (Retiro). Caríssimos, não fiquemos à beira da estrada do mundo; retiremo-nos e ali falemos só a Jesus e ao seu ministro. No Retiro Jesus vai nos falar: “Conduzirei a alma à solidão e ali lhe falarei ao coração” (Oséias, II, 14). Façamos a mesma oração do cego de Jericó: “Senhor, fazei que eu veja!” Porque nós também somos cegos. Quem sabe perdemos a luz da fé? Talvez, ao menos os olhos de nossa fé estão afetados por uma catarata avançada, a catarata do modernismo. Também a conversão de um pecador é um milagre muito maior que a cura de um cego. Fazei, Senhor, que os pecadores vejam a falsidade das máximas do mundo! Que vejam o nada dos bens da terra, dos prazeres, das honras, das riquezas; que vejam o abismo profundo em que se precipitaram com seus pecados; que vejam a desgraça eterna a que seus pecados os expuseram. Por outro lado, que vejam, Senhor, as doçuras que acompanham vosso serviço! Vejam os eternos gozos do paraíso que os esperam! Senhor, fazei que vejamos uma palavra que até aqui recusamos ver; tudo isso que as paixões, os preconceitos, as falsas doutrinas, que como espessas névoas, têm empanado nossas vistas. Ah! Senhor, iluminai nossos olhos, iluminai sobretudo estes pobres cegos que estão nas orgias carnavalescas e nos movimentos esquerdistas das CEBs: “Para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra do morte” (S. Lucas I, 79).

O cego curado seguia a Jesus, glorificando a Deus. Todo o povo, vendo isto, deu louvor a Deus. A gratidão levou o cego a seguir as pegadas de seu divino Benfeitor, Nosso Senhor Jesus Cristo. Pecadores convertidos, tal deve ser também vossa conduta. Na verdade, foi para vós um benefício inestimável poder ver a Jesus, ouvi-Lo, receber d’Ele o perdão de vossos pecados! Seríeis terrivelmente ingratos se esquecêsseis tais favores e assim retornásseis ao mundo, aos seus prazeres, às suas doutrinas insensatas. Ah! prendei-vos à Sua lei, aos Seus ensinamentos, aos Seus exemplos. Seguindo Suas pegadas, vós jamais vos podeis extraviar; nunca podereis vos enganar. Que, doravante, caríssimos, seja Jesus vosso Guia, vosso Mestre. Ele vos ensinará a verdade, Ele vos conduzirá à Pátria da Luz indefectível.

Amém!

Tags:

6 Comentários to “Coluna do Padre Élcio: “Aos gentios será entregue, escarnecido, açoitado, cuspido e matá-Lo-ão”.”

  1. O que se deveria saber de sobejo é: “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos”, Is 55,9, portanto, temos nossas mentes voltadas em mais para as coisas da terra em detrimento de distinguir os valores das celestiais, facilmente nos inserindo no “homem psíquico” a que se refere S Paulo, deixados às proprias paixões, tenta construir aqui um patrimonio de tal envergadura como se fosse passar aqui por toda a eternidade e cultuando esses sub valores, nos dificulta podermos compreender e viver o Misterio da Cruz, sem o qual não nos salvaremos!
    Os atuais eventos desses dias, o depravado carnaval e a gigantesca afluencia a ele é uma amostragem a quantas anda a fé, milhões de ex cristãos enlameando-se nesse frenesi que o diabo prepara todos os anos para seus diletos filhos!
    Excetuando os raros mesmos de sempre, doutros tantos muitos mais, não ouvi sequer, cada vez a menos ano a ano, admoestações acerca de participar dessa orgia, bacanal pagã romana modelo deteriorado século XXI!
    Reportando ao artigo anterior de o Prof Hermes Néri de ter se entendido com varios bispos da CNBB e sairem pela tangente que a Igreja não toma partido, seria falso pois seria do “partido dos omissos ou dos que deixam agir os anti Igreja livremente sem os interpelar”, portanto, seria favorável às suas incursões, inexistindo o tal “em cima do muro”, ainda fomentando o “grito dos excluídos”, correspondendo à tática marxista de instigar a inveja: sou pobre porque fui pilhado pelos “capitalistas”, nunca por partidos das esquerdas, miserabilizantes, como das aves-de-rapina do PT, da falsaria “opção preferencial pelos pobres” – apenas propagandística!

  2. Um dos melhores textos que vi ultimamente. Irei salvar para meditar o máximo que eu puder.

  3. Pe Élcio, a sua benção! Sei que não é bom elogiar o padre para que o orgulho não o tome conta, mas é impossível ficar indiferente a esse belo texto. O senhor tem uma capacidade enorme de tocar os nossos corações com suas palavras, que são as palavras de Deus. Muito obrigada. Deus lhe pague.

  4. Caríssima Márcia Menezes, primeiramente agradeço-lhe de coração. Que Deus a abençoe copiosamente!
    É claro que temos que vigiar e rezar, mas, devemos, outrossim, estar convencidos do que diz o Divino Espírito Santo: “Toda nossa capacidade vem de Deus” e não podemos esquecer nunca da advertência que Jesus fez aos seus apóstolos e discípulos e, conseguintemente, aos seus sucessores até o fim do mundo: “Se fizerdes tudo o que deveis fazer, dizei depois: somos servos inúteis”.
    Márcia, quando alguém atesta que meus artigos fazem bem à sua alma, isto é motivo de grande alegria para mim, porque esta é minha missão e sei que Deus, na Sua infinita misericórdia, levará isto em conta para purificação de minha alma. Imploro sempre as vossas orações, para que em tudo que eu escrever possa fazer bem às almas e que tudo seja unicamente para a maior glória de Deus.
    Na verdade, sou um nada pecador, e uma minhoca nojenta no anzol de Jesus: “Far-vos-ei pescadores de homens”. Amém!

    • Deus o abençoe e conte com minhas orações. Que o senhor continue a ser esse padre zeloso com o rebanho do Senhor. Salve Maria. Deo Gracias.

  5. Encontrei nosso amigo Pé
    Élcio!