Foto da Semana

Basílica de São Pedro, 9 de Março de 2018, dispensa comentários! Oremos pela Santa Mãe Igreja.

Fonte: https://gloria.tv/article/PqwZvZwFGxQd4epTDevfazxFb

16 Comentários to “Foto da Semana”

  1. Triste. Merece uma profunda reflexão sobre o atual momento.

  2. Uma Basílica quase vazia e pessoas as estenderem seus celulares para fotos que posteriormente serão divulgadas em suas redes sociais. Dificilmente vemos nas mãos dos fieis um terço.

    Agora perdoem-me a ignorância, mas os homens engravatados que seguem a procissão seriam seguranças?

  3. Basílica desfigurada!!!

  4. “O silêncio dos povos é a lição dos reis”. Não me recordo de quem é a frase, mas ela é muito eloquente em vista desta cena na Basílica de São Pedro, com pouca gente e muitíssimas cadeiras vazias…

  5. Ora, se já estão abolindo a necessidade de estar em estado de graça para se tomar a Eucaristia imagine só esse negócio de ir à Missa todo Domingo.

  6. Falei bobagem, a Missa foi na sexta-feira.

  7. Há mais gente cotidianamente visitando a Basilica de São Pedro com motivos turísticos,do que nas poucas vezes em que há alguma Celebração Pontíficia com Francisco…

  8. Diz o site-fonte que este evento esvaziado foi a abertura das 24 horas para o Senhor, “que consiste em manter aberta uma igreja de cada diocese do mundo para confissões durante 24 horas consecutivas”.

    Que pena que o mundo tradicional não deu ouvidos ao papa, e as tão aclamadas “multidões” que abarrotam eventos como a peregrinação Summorum Pontificum não acorreram em massa para atender o pedido do Pontífice.

    Engraçado: boicota-se o Dia Mundial para o Cuidado com a criação, por ser panteísta e gnóstico; mas boicota-se igualmente o Sacramento que reconcilia Deus e os homens.

    Esforço-me muito por entender que tipo de obediência vivem os grupos de inclinação tradicionalista…

  9. !Jope, cuanta gente!
    !Ah, que las sillas vacías son de fieles que abuchearian a Francisco, en caso de que hubiesen acudido!
    Imagino que los que han acudido son los más desinformados, turistas, etc.

  10. Antes igrejas vazias, mas sem fieis comprometidos com a Teologia da Libertação, do que igrejas lotadas com fieis adeptos da TL e sem uma consciência católica bem formada.

  11. Eu acho que a imagem (foto) faz injustiça. Estive recentemente em uma audiência Papal e os fiéis se aglomeraram na entrada e nas áreas centrais por onde o Papa caminha para pedirem a benção ou registrarem o momento com uma foto.

    Logo após a passagem do Papa todos buscam os seus lugares. O vídeo no site Glória mostra justamente este momento. Onde depois da passagem do Papa todos buscam seus lugares.

  12. Muitos já tinham saído. É só ver o início da celebração penitencial.

  13. Diante de tantas confusões, lembro que o Espirito Santo providenciou que mantivesse Bento XVI como Papa, mesmo sendo emérito?

  14. Versículos muito intrigantes:

    “17. Perguntou-lhe pela terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Pedro entristeceu-se porque lhe perguntou pela terceira vez: Amas-me?, e respondeu-lhe: Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas.”
    São João, 21, 17

    ———————————–

    “3. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz à pastagem.

    4. Depois de conduzir todas as suas ovelhas para fora, vai adiante delas; e as ovelhas seguem-no, pois lhe conhecem a voz.

    5. Mas não seguem o estranho; antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.”

    São João 10, 3-5

  15. Olá,
    Vamos ser justos. O blog tem o direito de criticar o papa Francisco, mas tem a obrigação de ser justo e verdadeiro com os leitores, sem interpretações errôneas. A informação acima está incorreta. A basílica de São Pedro naquela ocasião (celebração penitencial – 09/03/2018) estava repleta de pessoas. O fato de estar vazia naquele momento era porque os fieis tinham se dispersado para a confissão sacramental. Recomendo assistir o vídeo no link abaixo e corrigir o erro com um pedido de desculpas pelo lapso!

    Abraços,

    Marcos Roberto