Dom Airton transferido de Campinas para Mariana.

“Promoção” estranhíssima…

Papa transfere arcebispo de Campinas (SP) para a arquidiocese de Mariana (MG)

Por CNBB – O Papa Francisco nomeou nesta quarta-feira (25), o novo bispo da arquidiocese de Mariana (MG). Aceitando a renúncia de dom Geraldo Lyrio Rocha, o Papa nomeou como novo arcebispo dom Airton José dos Santos, até então arcebispo de Campinas (SP). A decisão de Francisco foi comunicada pela Nunciatura Apostólica no Brasil.

Dom Airton é bispo desde dezembro de 2001, quando o então papa João Paulo II, o nomeou bispo auxiliar para a diocese de Santo André (SP). Em agosto de 2004, foi nomeado também por João Paulo II bispo da diocese de Mogi das Cruzes (SP), onde ficou até fevereiro de 2012, quando o então papa Bento XVI o nomeou arcebispo metropolitano de Campinas (SP).

Dom Airton José dos Santos

Nascido na cidade de Bom Repouso, no Sul de Minas Gerais, no dia 25 de junho de 1956, dom Airton foi ordenado sacerdote em dezembro de 1985, por dom Cláudio Hummes, então Bispo da diocese de Santo André.

Em sua trajetória atuou como diretor e formador na Casa de Formação dos Seminaristas da Filosofia do Seminário Diocesano de Santo André; coordenador diocesano da Pastoral Vocacional; coordenador diocesano da Pastoral Familiar; membro do Conselho de Presbíteros; e membro do Colégio de Consultores. Depois de 2 anos em Roma, onde obteve o Título de Mestre em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, foi nomeado chanceler do bispado e ecônomo da diocese. Dom Airton também foi secretário do conselho episcopal do Regional Sul 1 da CNBB (São Paulo) e atualmente é presidente do mesmo Regional. Foi também membro da Comissão Episcopal para os Tribunais Eclesiásticos de Segunda Instância.

Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), enviou saudação em nome da entidade ao novo arcebispo de Mariana (SP).

Confira, abaixo, a saudação na íntegra:

Saudação da CNBB a dom Airton José dos Santos

Brasília, 25 de abril de 2018

Prezado Irmão, dom Airton José dos Santos.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) envia saudação ao senhor pela sua nomeação, publicada nesta quarta-feira, 25 de abril, pelo Papa Francisco, como novo arcebispo de Mariana (MG).

A missão que o senhor já cumpriu como bispo auxiliar em Santo André (SP), como bispo de Mogi das Cruzes (SP) e como arcebispo metropolitano de Campinas (SP) o conduz a um sereno abraço ao pastoreio da arquidiocese de Mariana (SP).

Saudamos sua nomeação com as palavras do Santo Padre, Papa Francisco, pronunciadas em encontro com Irmãos bispos no mês de setembro de 2016, em Roma: “Não tenhais medo de propor a misericórdia como resumo daquilo que Deus oferece ao mundo, porque o coração do homem não pode aspirar a nada de maior. Se isto não fosse suficiente para ‘dobrar o que é rígido, aquecer o que é gélido, endireitar o que está desviado’, o que mais teria poder sobre o homem? Então, estaríamos desesperadamente condenados à impotência. Teriam, porventura, os nossos temores o poder de contrastar os muros e abrir passagens? Por acaso as nossas inseguranças e desconfianças são capazes de suscitar docilidade e consolação na solidão e no abandono? Como ensinou o meu venerado e sábio Predecessor, é ‘a misericórdia que põe um limite ao mal. É nela que se expressa a natureza muito peculiar de Deus, a sua santidade, o poder da verdade e do amor’. Ela é ‘o modo como Deus se opõe ao poder das trevas com o seu poder totalmente diverso e divino’, precisamente ‘o poder da misericórdia’ (Bento XVI, Homilia, 15 de abril de 2007)”.

Em Cristo,

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB

21 Comentários to “Dom Airton transferido de Campinas para Mariana.”

  1. Antes que algum incauto faça qualquer comparação entre Campinas e Mariana, manifesto como mineiro, que é um grande pesar para nós a situação em que se encontra a Arquidiocese de Mariana entregue à espúria TL já há algum tempo. Mariana foi a primeira diocese de Minas Gerais que abrangia Vila Rica – Ouro Preto a então capital do Estado. É a arquidiocese onde se encontra o maior tesouro patrimonial religioso do Brasil, que engloba as obras de Aleijadinho, Mestre Ataíde e também compositores sacros como Marcos Coelho Neto entre outros. Mariana já foi a referência na formação de sacerdotes, desde a reforma de Dom Viçoso, grande bispo contemporâneo e da mesma linha de Dom Vital. O seminário de Mariana foi uma excelência na formação do clero e também de vários intelectuais leigos que por lá passaram. Se em algum tempo, dia Minas Gerais teve fama de religioso, muito se pode atribuir ao seminário de Mariana, antes do Concílio, obviamente.

    • Corrigindo: Se em algum tempo, Minas Gerais foi relevante na tradição religiosa, muito se deve ao Seminário de Mariana

    • Li um livro muito bom escrito por um senhor que veio da região de Juiz Fora aos 10 para ingressar no seminário dos padres redendoristas em Congonhas. Isso aconteceu em 1957. No livro, conta-se com riqueza de detalhes a vida de um seminarista. Impressionou-me muito o livro, particularmente porque o cenário da história é a minha cidade. Evidentemente, outras coisas também chamaram a minha atenção, como a importância dada aos estudos e busca constante da perfeição em todas as atividades do cotidiano. Infelizmente, os ventos do Concílio chegam à região e muita coisa muda na rotina dos seminarista, mudanças igualmente bem descritas e vividadas. Recomendo fortemente a leitura, o livro se chama “Meia Vida” e o autor, Luciano Dutra Neto. Penso que a obra só deve ser encontradas em sebos.

    • Dando nomes aos bois, um dos grandes responsáveis por destruir a espiritualidade católica em Mariana foi Dom Luciano Mendes de Almeida, que atualmente está em processo de beatificação….Chega a confundir a mente, mas essa é a verdade. Conheço vários ex-seminaristas de lá, eram autênticas vocações que foram massacradas pela sujeira intra-muros, em todos os sentidos.
      Agora, tenho uma discordância do Carlos BH.
      Dizer que em Mariana ‘se encontra o maior tesouro patrimonial religioso do Brasil’ é um pouco de bairrismo. Na Bahia, em Pernambuco, e no Rio de Janeiro há uma imensidão de patrimônio histórico sacro, provavelmente maior do que em Minas – só que menos divulgado, e em pior situação de conservação.
      O que havia em Minas de superior era a originalidade do estilo, bem como a piedade do povo, coisa que atualmente está sendo esfacelada pelo clero progressista.

  2. Dom Airton estava com alguns desavenços entre clero e o povo de Campinas. Foi acusado de “não receber pobres”.

    Ha um vídeo dele sendo questionado por uma transferência…

  3. Tomara que o novo arcebispo permita a Missa Tridentina!

    • Sinto muito dizer isso: D. Airton foi bispo em minha diocese e ele não aceita a celebração do Rito Tridentino sem colocar obstáculos a mesma. Por mais que não seja necessário a aprovação do bispo para tal, lembro-me de que quando o mesmo foi consultado sobre o Rito Tridentino, mesmo com o Motu Proprio ele fez questão de que fizesse pedido oficial de autorização.

  4. Ele não seria aberto a politica do papa Francisco? Sempre, achei que ele está jundo com novo paradigma da “igreja em saída”. uma igreja pra os pobres e excluídos.

  5. Não recebe os pobres? Se for por isso transfiram o Papa ele não recebe os Cardeais so o ateu.

  6. Reiterando…

    Como escutei-ele é tido como “conservador” inclusive em materia litúrgica…

    Além do mais gosta da classe “média alta”…

    Talvez alguém de Campinas ajude a decifrar o Arcebispo.

    • Caros amigos de Mariana,
      Sou morador de Campinas há anos. Não acompanhei com rigor as ações do episcopado de Dom Airton em Campinas, mas, considerando que ocorreram poucas manifestações aqui e que sou leitor desse blog, acredito que posso contribuir com algumas percepções gerais que tive. Penso que a posição de Dom Airton, de forma geral, é de conservador moderado. Do ponto de vista de vista político ele já fez manifestações públicas e claras contra políticos que são favoráveis a bandeiras ultraliberais, como aborto, homossexualismo, contra o PNDH proposto pelo PT, etc. Se Mariana está infestada de TL, penso que devem receber Dom Airton com bons olhos, pois ele colocará um pouco de freios. Essa fala “ele não recebe os pobres”, “não é querido” é o típico discurso que os TLs querem difundir contra aqueles que lhes fazem alguma oposição. Mas penso que o reinado de Dom Airton em Mariana está muito longe de ser uma contrarrevolução, uma onda conservadora porvir, ou algo desse tipo. Muito distante disso. Penso que ele apenas colocará um pouco de rédeas. Se levarmos em conta o que vemos de forma geral no episcopado do Brasil, penso que Mariana deve ficar contente. Talvez seja por causa dessa leve oposição à TL que ele está sendo removido de Campinas. Não sei. É pura especulação. Em relação a uma possível autorização da Missa Tridentina: lasciate ogni speranza (abandonai toda esperança). Só espero que em Campinas as coisas não fiquem piores para a tradição católica, totalmente abandonada e lançada às traças há décadas….

    • Dom Airton é um pastor extremamente zeloso com a liturgia. Jamais fez diferença com ninguém, sempre tratou a todos com respeito, independente de classe social, ao contrário do que foi falado naquele vídeo ridículo citado acima.
      A Arquidiocese de Campinas é um antro da TL, infelizmente! Difícil conseguir trabalhar sem ser apedrejado por esses padres…
      A Arquidiocese de Mariana ganha um presente! Que saibam acolher este bom pastor!

  7. Caros amigos de Mariana,
    Sou morador de Campinas há anos. Não acompanhei com rigor as ações do episcopado de Dom Airton em Campinas, mas, considerando que ocorreram poucas manifestações aqui e que sou leitor desse blog, acredito que posso contribuir com algumas percepções gerais que tive. Penso que a posição de Dom Airton, de forma geral, é de conservador moderado. Do ponto de vista de vista político ele já fez manifestações públicas e claras contra políticos que são favoráveis a bandeiras ultraliberais, como aborto, homossexualismo, contra o PNDH proposto pelo PT, etc. Se Mariana está infestada de TL, penso que devem receber Dom Airton com bons olhos, pois ele colocará um pouco de freios. Essa fala “ele não recebe os pobres”, “não é querido” é o típico discurso que os TLs querem difundir contra aqueles que lhes fazem alguma oposição. Mas penso que o reinado de Dom Airton em Mariana está muito longe de ser uma contrarrevolução, uma onda conservadora porvir, ou algo desse tipo. Muito distante disso. Penso que ele apenas colocará um pouco de rédeas. Se levarmos em conta o que vemos de forma geral no episcopado do Brasil, penso que Mariana deve ficar contente. Talvez seja por causa dessa leve oposição à TL que ele está sendo removido de Campinas. Não sei. É pura especulação. Em relação a uma possível autorização da Missa Tridentina, lasciate ogni speranza. Só espero que em Campinas as coisas não fiquem piores para a tradição católica, totalmente abandonada e lançada às traças há décadas.

  8. Minas Gerais hoje é um antro de Teologia da Libertação.. Mariana-MG e dioceses vizinhas como Leopoldina-MG.

  9. Dom Airton é um servo bom e fiel. Zeloso com a Liturgia e acolhedor. É muito difícil trabalhar em uma Arquidiocese onde reina a Teologia da Libertação. E como o Albert disse acima, as vocações aumentaram muito e a piedade litúrgica. A Arquidiocese de Mariana ganhou um grande pastor!

  10. A diocese de Mariana tem uma variedade muito grande de geografia, de cidades, de público e até de clero. Em algumas cidades as pessoas são mais moderadas, em outras são medíocres e fechadas no seu mundinho local, em algumas há oásis conservadores, em outras os padres são avançados e antipáticos, em outras são imorais e escandalosos…tudo depende da cidade. É uma diocese onde, em várias cidades, os padres ainda mandam mais que os políticos, e muitos são aferrados a suas paróquias como se fossem amantes. Em termos de clero, é um ninho de cobras.

    • “Em termos de clero, é um ninho de cobras”: Corruptio optimi pessima est (a corrupção dos melhores é a pior que existe).

      Esse também parece ser o principal motivo da decadência e da derrocada vertiginosa da Igreja: a banda podre do clero, composta de embusteiros, pilantras, malandros e depravados morais de todos os perfis e matizes, sem contar os psicopatas (os quais são muitos, gélidos e macabros). Eu os conheci de perto, gente horrenda e diabólica, e provei sua perversidade.

      Toda essa podridão não me afastou um milímetro da Igreja. Pois eu sempre repito para mim mesmo:

      ” – São falsas vocações; estão na Igreja apenas para explorá-la; se tivessem coragem, iriam embora. Mas temem ficar sem a galinha dos ovos de ouro (colégios, hospitais, editoras etc), e por isso a Igreja inteira paga o pato.”

  11. Mas em Minas, na cidade de Conselheiro Lafaiete, vocês tem um santo sacerdote devoto de São João Maria Vianney, o padre Rômulo.

    • Pedro Brandão, em que paróquia o Padre Rômulo trabalha?
      Você conhece este santo sacerdote pessoalmente?
      Desde já te agradeço muitíssimo!

  12. Um bispo como Dom Geraldo de Proença Sigaud faz muita falta. Não apenas em Minas Gerais, mas em todo o episcopado brasileiro. PRECISA surgir alguns como o antigo sucessor dos Apóstolos que esteve à frente da Diocese de Jacarezinho-PR e da Arquidiocese de Diamantina, sob o risco da catolicidade do episcopado ser trocada inteiramente por academicismo moderno, demagogia e imortificação. Dom Sigaud era culto, piedoso, acessível a ricos e pobres, não por menos multiplicou muitas obras de misericórdia corporais e espirituais. Que Deus, Pai Celeste, possa tirar o Brasil da grave crise espiritual em que se encontra, da ira divina sob a qual o povo brasileiro (todos nós) se encontra, do “maritainismo” infecundo e bocó que domina a formação dos bispos e possamos ter bispos dignos desse nome.

    Nossa Senhora de la Salette, rogai por nós! São Francisco de Sales, São Tomás e São Bento, rogai por nós!