13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima, dia das mães.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com, 13 de maio de 2018

“Há um nome na pobre linguagem humana que traduz todos os arroubos da alma e toda a sensibilidade do nosso coração.

Esse nome põe bálsamo nas feridas mais pungentes da nossa pobre vida. Ele se transforma em constelação de luzes para as noites mais apocalípticas e mais sombrias. Ele acaricia as frontes mais cansadas e decepcionadas do mundo.

1fatima

Esse nome significa o tabernáculo da amizade mais profunda e sincera. O sacrário do amor que não se cansa, da capacidade de sacrifício que não se limita, da renúncia que não se mede, do perdão que não se pode calcular.

Esse nome que está na alegria de todos os poemas, na sensibilidade de todas as músicas, no sonho de todas as artes, na ternura de todos os corações, é o nome de MÃE. (D. Antônio de Almeida Morais Júnior).

Na verdade, uma boa mãe não é mais uma mera mulher, é sempre uma santa. “Um coração de mãe”, dizia Santa Terezinha, “vale mais que a ciência dos mais peritos doutores”.

“Como o sol”, diz Alves Mendes, “ela é luz, calor, fecundidade. Como o sol alumia, aquece, alegra, move, alenta, expande, acaricia, fascina, atrai: O que é o sol perante os astros é-o a mãe perante os povos – o ponto cêntrico da vida, a fonte da família, a chave da sociedade. Cooperadora da Providência e complemento do homem, a mãe gera, nutre, educa, dá forma, brilho e esmalte à existência. É autora maravilhosa e destra escultora dos seres. Não houve ainda, e não haverá jamais, criatura mais adorável do ela é”.

Dom Ramón Jara, Bispo de la Serena no Chile, deixou-nos uma página belíssima: RETRATO DE MÃE.

“Uma simples mulher existe que pela IMENSIDÃO DE SEU AMOR, tem um pouco de DEUS; e pela constância de sua DEDICAÇÃO, tem muito de ANJO; que, sendo NOVA, pensa como uma anciã e, sendo VELHA, age com as forças todas da juventude; quando analfabeta, melhor que qualquer sábio desvenda os SEGREDOS DA VIDA; e, quando SÁBIA, assume a simplicidade das crianças; POBRE, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, RICA, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; FORTE, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, FRACA, entretanto se alteia com a bravura dos leões; VIVA, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, MORTA, tudo o que somos e tudo o que temos daríamos para
VÊ-LA DE NOVO, e dela receber um aperto de seus braços, uma palavra de seus lábios. Não exijam de mim que diga o NOME DESSA MULHER, se não quiserem que ensope de lágrimas este álbum: porque eu a vi passar no meu caminho. Quando crescerem seus filhos, leiam para eles ESTA PÁGINA: eles lhe cobrirão de BEIJOS A FRONTE, e, dirão que um pobre viandante, em troca da suntuosa hospedagem recebida, aqui deixou para todos o RETRATO DE SUA PRÓPRIA ‘MÃE'”.

“Se o homem pudesse na idade da razão lembrar o ardor de um só beijo materno, não poderia ter coragem de cometer a menor injustiça para quem o tem beijado tão ternamente… Ensinar aos próprios filhos a praticar o bem é deixar-lhes a mais preciosa herança. Desta maneira podemos asseverar ser-lhes úteis até depois da morte” (Mantegazza).

Para terminar não posso deixar de contar um fato do qual fui humilde ministro de Nosso Senhor Jesus Cristo. Há 35 anos, era padre novo e Capelão dos Hospitais de Campos, RJ. Encontrei, um dia, hospitalizado um senhor de certa idade, que estava bem mal, mas que
ainda falava. Conversei com ele procurando incutir-lhe coragem e que tivesse confiança em Nosso Senhor Jesus Cristo que morreu na cruz por nós. Depois perguntei se não queria uma bênção e eu estava disposto a ajudá-lo a confessar-se para depois dar-lhe a unção dos enfermos e o viático. Respondeu-me que não queria confessar-se porque achava que para ele não havia perdão já que passara toda a vida só praticando o mal. Procurei incutir-lhe confiança na misericórdia divina. A nossa maldade, nossos pecados nunca chegam a ser infinitos; mas a misericórdia de Nosso Senhor Jesus Cristo é infinita. Por mais graves e numerosos que sejam nossos pecados o sangue de Jesus Cristo tem o poder de lavá-los inteiramente. Deus é Nosso Bom Pai que espera pecador com paciência, vai a sua procura com toda solicitude e o recebe com toda a alegria quando ele se arrepende. Mas o enfermo continuou naquela tentação de desespero da salvação. Para não cansá-lo nem aborrecê-lo, mudei um pouco o rumo da conversa. Perguntei-lhe se seus pais eram católicos. Ele respondeu: sim, sobretudo minha mãe. Rezou muito por mim, deu-me muitos bons conselhos. Nunca os segui, mas também não os esqueci, embora ela já tenha morrido há muitos anos. Por isso, padre, continuou ele, é que eu digo: para mim não há salvação. Apesar dos conselhos de minha mãe, só pratiquei o mal em toda minha vida. E eu lhe disse: Meu filho, tendo sido sua mãe como o sr. explicou, tendo ela cumprido o seu dever de estado como uma mãe verdadeiramente cristã, o sr. pode ter certeza que ela está no céu. E ainda lhe digo mais: o sr. pode ter certeza que se o sr. está tendo a graça de ter ao seu lado um padre na hora da morte, é porque sua santa mãe está lá no céu pedindo a Nosso Senhor Jesus Cristo esta graça tão grande. E o sr. pode ter certeza que ela o aguarda no paraíso. E o doente, então, começou a chorar! Deixei. Depois, dei-lhe o Crucifixo para beijar. Beijou-o e disse-me: Senhor padre, sinto neste momento que agora quero receber o perdão dos meus pecados, mas nunca me confessei. Eu disse-lhe: Meu filho, esta é minha missão. Todo o meu tempo é dedicado para salvar almas. Posso ficar aqui horas e horas se for necessário, para prepará-lo. De fato fiquei por mais de duas horas talvez. Ele não sabia nada de religião. Depois que  percebi que já sabia o mínimo indispensável para receber os sacramentos, atendi sua confissão que foi a primeira e a última. Dei-lhe a extrema-unção, o Santo Viático e a Indulgência plenária com a Bênção papal. Depois de tudo, chorando ele disse-me: sr. padre, antes de morrer quero fazer-lhe um pedido: em todos os lugares em que o sr. trabalhar conte este fato: um grande pecador se converteu na hora da morte, por causa das orações e conselhos de sua mãe santa.

Obedecendo o seu pedido, determinei que todo ano na festa das Mães, contaria este fato, como acabei de fazê-lo. Tenho certeza que esta alma ou já está junto de sua mãezinha no céu, ou está segura de um dia ter esta felicidade eternamente.

“DEEM-ME MÃES VERDADEIRAMENTE CRISTÃS, E EU SALVAREI ESTE MUNDO DECADENTE” (São Pio X).

Tags:

7 Comentários to “13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima, dia das mães.”

  1. Obrigado Jesus, por existirem padres como o Pe. Hélcio, como o Pe.Jose Edilson que acabou de celebrar na Antiga Sé na Praça XV e tantos outros como eles. Enquanto sacerdotes como esses existirem o demônio não vai triunfar.

    • Parabéns Padre Hélcio pela sua vocação*, Deus seja louvado e que Nossa Senhora de Fátima lhe proteja.
      Sua benção,
      Emnanoel

  2. Em 1914 explodia a primeira guerra mundial. Ao troar dos primeiros canhões, morria um dos maiores Papas da Igreja, S. Pio X. Fora eleito já em plena guerra Bento XV. Este acrescentou às Ladainhas Lauretanas a última invocação: Rainha da Paz, rogai por nós! O Sumo Pontífice exortava os fiéis de todo orbe a pedirem à Santíssima Mãe de Deus, a paz tão almejada. Nossa Senhora, como boníssima Mãe, digna-se aparecer na querida terra lusitana em Fátima, no dia 13 de maio de 1917. Veio dizer que a guerra era castigo dos pecados da humanidade. Mostrou o inferno aos três pastorinhos videntes. Em todas as aparações pedira que rezássemos o terço TODOS OS DIAS. Fez aquele apelo angustioso de Mãe: “Não ofendam mais o meu divino Filho que já está tão ofendido!
    Caríssimos, hoje dia das mães, e dia da Mãe de Deus e nossa, ofereçamos a nossa Mãezinha do Céu, esta resolução: Antes morrer do que ofender o Vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo; prometo rezar com devoção o santo Terço todos os dias e fazer penitência dos meus pecados e dos do mundo todo.
    NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE FÁTIMA! CONVERTEI OS PECADORES!

  3. Assistindo a 2 homilias nesse fim de semana, um das igrejas mais de 1500 pessoas, pensei: que oportunidade para chamada de atenção às mães, recordando-lhes: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” Rm 12,2.
    1 – Da obrigatoriedade de darem bons exemplos a seus filhos como católicas, ensinarem-nos a rezar desde a tenra idade, em casa, junto aos membros da familia, serem cumpridora das Leis de Deus e da Igreja, acompanhando-os nas catequeses, se aprendendo ou ao contrario, sendo subvertidos.
    2 – Sendo pessoas modestas, não se comportando como mulheres futeis, vestindo-se como quase a maioria de forma como as encontradas às portas de moteis, para não escandalizarem e serem iguais ou piores que elas.
    3 – Não serem consumistas, nem frequentando ou levando-os para locais indevidos, como a praias piscinas e outros ambientes de material-ateístas ou pagãos batizados, não assistindo a programas indecentes nas tvs e noutros similares e, às vezes, elas os permitindo junto a si, escandalizando-os, como nas perversas novelas e afins.
    4 – Não vivendo em matrimonios irregulares, amasiadas, pecadoras públicas, induzindo seus menores no futuro as imitarem.
    5 – Evitar de eles assistirem a “desenhos infantis” – todos – sem exceções, carregados de satanismo, alguns para eles repetirem invocações e idem mensagens que já renderam até possessão infantil, inculcando nas crianças desde tenra idade o diabolismo!
    Por ex., já no antiquíssimo “Branca de Neve e os Sete Anões”, logo ao inicio do desenho, quando o caçador está pronto para matar Branca de Neve, ao apontar um punhal para ela que está indefesa, a garota cruza os braços sobre seu rosto e com a mão faz o famoso sinal de invocação satânico – dedo chifrado – usado para invocar Satanás em rituais de missa negra e, após isso o caçador treme, cai no chão e desiste! E os mais desenhos atuais, mais ousados, cada um num esquema, embora todos na mesma direção?
    O caso relatado do Pe Elcio, muito meritorio, digno e merecedor de divulgar, e se um idem moribundo proviesse de familia, cuja mãe seria dessas inseridas em vicios acima etc., e filho a zero, nem de longinquas reminiscencias de fé?

  4. Que texto belíssimo!!!
    Sua benção!

  5. Linda conversão.

  6. É com muita satisfação. Que li este artigo piedoso deste padre que todos nós. Deveríamos ler com toda atenção. Eles são sempre ricos em argumentos de piedade. Para todos aqueles que tem reta intenção. É um lume. No meio das trevas. Em pleno século XX1 SURGIR um padre; sem ser da FRATERNIDADE São Pio X. Com ideias católicas.