Papa Francisco impede proposta de intercomunhão de bispos alemães.

Por LifeSiteNews, 4 de junho de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com – Apenas um mês após ter indicado aos bispos alemães que encontrassem uma decisão “unânime” acerca da possibilidade de um cônjuge protestado caso com um Católico receber a Sagrada Eucaristia, o Papa Francisco mudou de rumo e bloqueou a proposta de intercomunhão dos bispos alemães.

Em uma carta enviada ao cardeal alemão Reinhard Marx, “com expressa aprovação do Papa”, através do Arcebispo Luis Ladaria, S.J., prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o Santo Padre interrompeu a publicação do documento dos bispos alemães sobre a intercomunhão que iniciou a controvérsia.

O experiente vaticanista italiano Sandro Magister publicou a íntegra do carta em italiano nesta manhã, após a agência católica austríaca Kath.net divulgar a história.

Na carta de 25 de maio, Dom Ladaria informa ao Cardeal Marx, presidente da Conferência Episcopal, que resumiu ao Papa Francisco o encontro, de 3 de maio, entre partes opostas dos bispos alemães e oficiais do alto escalão do Vaticano sobre a controversa proposta.

O encontro foi convocado após sete bispos alemães enviarem uma carta ao Vaticano expressando sua oposição à votação de 20 de fevereiro, ocorrida na conferência dos bispos alemães, permitindo a um cônjuge protestante receber a Eucaristia se, após fazer um “sério exame” de consciência com um padre ou outra pessoa com responsabilidades pastorais, ele ou ela “afirmar a fé católica”, desejar pôr fim a um “sério sofrimento espiritual”, e “tem anseio por satisfazer a fome de Eucaristia”.

Então, o Cardeal Reinhard Marx, presidente da conferência de bispos alemães, esclareceu que a proposta não exigia que o cônjuge protestante se convertesse ao catolicismo.

Em uma carta de 22 de março ao Vaticano, sete bispos afirmaram não considerar a votação “correta”, pois o assunto da intercomunhão não é “pastoral”, mas “uma questão de fé e unidade da Igreja, não sujeita a voto”.

Em sua carta de 25 de maio, Ladaria, então, informa a Marx que o texto proposto pelos bispos alemães “levanta uma série de assuntos significantes”. Ele adiciona que o “Santo Padre, portanto, chegou à conclusão de que o documento não está pronto para ser publicado”.

O chefe doutrinal do Vaticano dá a Marx três razões para a decisão:

  1. A questão de admitir cristãos evangélicos em casamentos de mistos (diferentes credos) à Comunhão é um assunto que diz respeito à fé da Igreja e tem relevante para a Igreja universal.
  2. O assunto afeta as relações ecumênicas com outras Igrejas (e.g. os ortodoxos) e comunidades eclesiais que não devem ser subestimadas.
  3. A decisão afeta a a interpretação da lei da Igreja, especialmente o cânon 844, que permite a comunhão a protestantes apenas em caso de “grave necessidade” [morte iminente].

Ladaria, posteriormente, informa a Marx que os “dicastérios competentes” da Santa Sé foram encarregados de “produzir oportunamente um esclarecimento a essas questões a nível de Igreja universal”. Isso indica que a questão da intercomunhão não é mais deixada à conferência episcopal alemã, como o Papa Francisco originalmente determinou — uma decisão que o Cardeal Willem Jacobus Eijk, da Holanda, chamou de “completamente incompreensível”.

Foram copiados na carta de Dom Ladaria cinco bispos alemães, incluindo o Cardeal Rainer Woelki, de Colônia, e Dom Rudolf Voderholzer, de Regensburg, vice-presidente da comissão doutrinal da conferência de bispos alemães e único alemão membro da Congregação para a Doutrina da Fé. Os dois bispos estão entre os signatários da carta ao Vaticano contrária à proposta e ao subsídio pastoral aprovando a intercomunhão.

Também foram endereçados em cópia três defensores da proposta: Dom Karl-Heinz Wiesemann, de Speyer; Dom Gerhard Feige, de Magdeburg, presidente comissão de ecumenismo da conferência episcopal; e Dom Felix Genn, de Munique.

6 Comentários to “Papa Francisco impede proposta de intercomunhão de bispos alemães.”

  1. Atención, hay un pasaje muy peligroso que dice: “El Santo Padre ha llegado a la conclusión de que el documento no está maduro para ser publicado”.

    Por lo tanto, no es un documento herético, sino un documento que por ahora no puede ser divulgado, si no puede ser por el momento, sin duda será más tarde, y se realizará la intercomunión.

  2. Mera coincidencia de bruscamente mudar de direcionamento com relação à concessão da S Comunhão a cônjuges protestantes? Seria o típico comportamento das esquerdas quando em desvantagem, recuarem, para de novo se reagruparem e depois, à oportunidade, serem mais eficientes e lograrem êxito!
    Sim ou não, certo é que o papa Francisco sofreu fragorosa derrota na Italia por a direita haver massacrado as esquerdas e, em seus mirabolantes planos para se implementarem, estão em total desacordo com as metas propostas dele; pareceria que doravante estaria acuado, até sem mais ambiente no país pois a receptividade a ele diminuiria, senão antipatias seriam fomentadas!
    Confiramos alguns desses, pois a aliança 5 estrelas / Lega pretende:
    Deportar 500.000 imigrantes ilegais
    Desincentivar os migrantes de tentarem chegar à Italia em primeiro lugar.
    Reafirmar a identidade católica da Italia enquanto registra e monitora as mesquitas
    Lidar com a taxa de natalidade em queda da Italia, oferecendo cuidados infantis gratuitos para as mães
    Acabar com as sanções contra os russos e trabalhar com Moscou para combater o terrorismo islâmico
    Afastar-se do modelo neoliberal de globalização e capitalismo monopolista
    Filmes educativos para uma possível saída do euro e da globalista União Européia
    O sucesso da coalizão abriria caminho para que outros países europeus sigam o exemplo, como já vem sucedendo, começando pela Suécia, que terá eleições nacionais em setembro, pressagiando que as esquerdas serão batidas pela oposição, além de os cidadãos suecos já não saberem a quem recorrer de pavor dos somalis, etíopes e doutros muçulmanos, pois a policia de lá recomenda às mulheres não sairem á noite ou então estarem bem acompanhadas, estando lá igual ou pior que o Rio, embora a midia quase toda midia domesticada não denuncie as calamidades, à exceção do politicamente incorreto… https://pt.gatestoneinstitute.org/

  3. Não dá mais saber quem é o pior, se o pastor ou o lobo.

  4. “Não dá mais saber quem é o pior, se o pastor ou o lobo”.
    Desde 2013 o PASTOR foi obrigado, diabolicamente, a se retirar e entregar o cajado a um falso pastor…

  5. Como é possível a quem não crer, realizar atos que necessitam de um fé? Sabemos que a Santíssima Eucaristia em si é suficiente, ou seja, uma vez realizada a Transubstanciação, a qual os protestantes não acreditam, Nosso Senhor está presente no pão e no vinho. Resta apenas as aparências das matérias, mas a substância é Nosso Senhor. Ora, meditamos alguns dias atrás na Solenidade do Corpo de Deus, os dizeres de São Paulo na Epístola e a poesia de Santo Agostinho na Sequência da Santa Missa: todos O recebem, os bons e os maus, os crentes e os não crentes, mas os efeitos são diversos. Ainda que um protestante, receba o Corpo do Senhor, as condições para recebê-Lo dignamente são as mesmas para um crente, um cristão. Relembrando o catecismo para 1ª Comunhão: estar em estado de graça. estar em jejum e saber o que vai receber. Ora, para os protestantes Nosso Senhor não está presente realmente na Santíssima Eucaristia ( o que muitos “católicos” também não acreditam). Daí porque o rito ordinário da Missa é “participativo” para os protestantes, pois as referências e as reverências foram supridas no rito novo. Sendo assim, se não creio, acredito na Presença Real, como poderei receber dignamente o Corpo do Senhor? Receber por receber a Comunhão não seria uma falta? um pecado? Novamente estaríamos descumprindo a primeira condição: estar em estado de graça. Ora, para receber a Santíssima Eucaristia requer, para atingirmos o estado de graça, a Confissão Sacramental. Tal sacramento, assim como a Eucaristia não existe para os protestantes. Como pode então haver condição para se quer pensar em admitir um herege à Comunhão? Acredito que até uma criança em preparação para a 1ª Comunhão chegaria a essa lógica simples. Caso caíssemos na loucura de um “frei” que comparou as oferendas que se encontram nas encruzilhadas como a Comunhão para os cristãos, talvez pudesse aceitar essa manobra apresentada por esses tais bispos. Mas, ainda, cremos na Presença Real de Nosso Senhor na Santíssima Eucaristia, portanto eu não crendo, e mesmo assim recebendo as Sagradas partículas, estarei cometendo um sacrilégio, comendo e bebendo a minha condenação. Os sacerdotes sabendo disso, e ainda estimulando pecam mais ainda que o infiel.

LEIA ANTES: os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição de Fratres in Unum.com. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. O espaço para comentários é encerrado automaticamente após quinze dias de publicação do post.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s