Coluna do Padre Élcio: Fome da Eucaristia, Fome da Palavra de Deus.

Evangelho do Sexto Domingo depois de Pentecostes – S. Marcos VIII, 1-9

Por Padre Élcio Murucci, 30 de junho de 2018 – FratresInUnum.com

Atitude exemplar a da multidão que, por três dias havia seguido a Jesus no deserto, ávida unicamente em alimentar suas almas e despreocupada com o alimento corporal. Exemplo  muito mais para se admirar  hoje quando o mundo, com raras exceções, só tem ânsia em enriquecer e gozar. Infelizmente, os lugares de divertimento e de ráfico refervem dia e noite, ao passo que Jesus Eucarístico é abandonado nos Tabernáculos. Os sacerdotes zelosos em vão repetem as palavras de Deus.

EucharistieFelizes, no entanto, os que têm fome da Eucaristia, porque quem não come deste Alimento morrerá para sempre. Felizes os que têm fome da palavra de Deus, porque não só de pão material vive o homem, mas também, e sobretudo, da palavra que sai da boca de Deus, através de seus fiéis ministros: “Quem vos ouve, a mim ouve”.

FOME DA EUCARISTIA: Nas primeiras décadas do século XV, piratas de terra e de mar haviam invadido a Groelândia, passado a fio de espada uma pare da população cristã, e reduzido o resto à escravidão. Todas as igreja tinham sido arrasadas até o solo, e todos os sacerdotes mortos. Muitas vezes os pobres Groenlandeses tinham recorrido a Roma, onde era Papa Inocêncio VIII, mas inutilmente. O mar em toda a volta da sua inóspita praia gelara, de modo que, havia oitenta anos, nenhuma nau estrangeira ali tinha podido aproar. Privados de bispo e de sacerdotes, muitos já haviam esquecido a fé de seus pais, retornando aos vícios do paganismo. Só poucos tinham sabido conservar-se fiéis à religião. Esses tinham achado um corporal, aquele sobre o qual repousara o Corpo do Senhor na última Missa celebrada pelo último padre groenlandês. Todo ano eles o expunham à veneração pública: em torno dele os velhos, tremendo e chorando, rezavam, em torno dele as mães conduziam seus filhos para aprenderem a conhecer Jesus. Em torno dele todos se comprimiam como famintos em torno de uma branca mesa sobre a qual não tinha ficado mais do que o perfume da comida. E exclamavam: “Senhor! envia-nos depressa o sacerdote que consagre, dá-nos ainda, uma vez ao menos, a tua Carne a comer e o teu Sangue a beber, do contrário também nós perderemos a fé e morreremos como pagãos” (L. PASTOR, HISTÓRIA DOS PAPAS, v. III, pag. 448 e 449).

Caríssimos, nós temos Jesus sempre perto de nós. Contudo, pensai em quantas igrejas ficam desertas o dia todo! Pensai no número tão grande de cristãos que esqueceram até o fazer a Páscoa ou, então pensai naqueles que fazem a comunhão, sem vontade, com o coração frio e imerso nos desejos mundanos e mesmo pecaminosos. Pensai em todos aqueles que poderiam participar das Santas Missas, receber a Eucaristia e não o fazem e isto, por motivos fúteis, ou melhor sem nenhuma explicação senão a falta de fé e de amor a Jesus! Os homens não têm mais fome do Pão de vida: como farão para viver na
graça de Deus e um dia ressuscitar para a vida eterna?!

FOME DA PALAVRA DE DEUS: Lemos na vida de Santo Efrém o seguinte fato que muito ilustra este ponto que ora tratamos. Este santo, estando em oração, ouviu uma voz que dizia; “Efrém, toma alimento”. Pasmado com essa ordem, e não sabendo de onde vinha, o santo respondeu: “E que comida me darás?” Então a voz replicou: “Vai ter com Basílio: ele te instruirá, e te oferecerá o alimento eterno”. Imediatamente ele correu em busca do bispo Basílio, e achou-o na igreja, orando. Então conheceu que a palavra de Deus era a comida que ele devia tomar. E foi instruído na palavra de Deus pelo santo e sábio Bispo Basílio. Caríssimos, assim como o pão material é necessário para sustentar o corpo, assim também a palavra divina é necessária para sustentar a alma. Uma alma sem este alimento espiritual consome-se de fome, e vai perecer miseravelmente. A fé é absolutamente necessária para a salvação, pois, sem ela, como afirma S. Paulo, é impossível alguém agradar a Deus. E a fé, como assegura o mesmo Apóstolo, vem pelo
ouvido “fides ex auditu”, ou seja, a fé é alimentada nas almas pela audição da palavra de Deus. Por que é que em tantos cristãos a fé é lânguida, e por isso, morta, porque não tem a força necessária para dar frutos para a vida eterna. É uma árvore com a folhas amareladas; ou é qual lamparina bruxuleante cujo azeite está se extinguindo.

A palavra de Deus é necessária não só para iluminar a mente mas também para fortalecer a nossa vontade no bem. A terra, quando não é banhada pelas águas, esteriliza-se e não produz senão espinhos; assim também o nosso coração quando o celeste orvalho da palavra de Deus não o fecunda mais. Como é triste a gente ver católicos (que na verdade, só trazem o nome) nem sequer se incomodam em ouvir ou ler a Explicação do Evangelho dos domingos e dias santos! A estes valem as palavras terríveis de Santo Hilário: quando este santo subia ao púlpito, percebendo que algumas pessoas saíam da igreja para não se aborrecerem com o sermão que ele ia fazer, deteve-se à porta da igreja e gritou: “Agora bem podeis fugir da igreja, mas um dia já não podereis sair do lugar de tormentos”.

Caríssimos, imitemos as turbas cujo exemplo nos comove e anima na leitura do Evangelho de hoje. Procuremos primeiro ter fome de Jesus na Eucaristia, ter fome da palavra de Deus, e obteremos o seu reino e o pão material ser-nos-á dado por acréscimo. Amém!

NB.: Hoje celebra-se a Festa do Preciosíssimo Sangue de Jesus; é primeira Classe e daí prevalece sobre a Domingo que é de segunda Classe. Eis algo sobre esta grande festa: Esta meditação é muito própria para nos santificar. Este foi um dos pontos de meditação assídua de Santa Catarina de Sena. Este o grito incessante desta santa extraordinária: “Banhai-vos no Sangue, mergulhai no Sangue, revesti-vos do Sangue de Cristo!”… “A alma que se inebria e se submerge no Sangue de Cristo, veste-se de verdadeiras e reais virtudes”.

Mas, evidentemente, nada mais próprio para nos excitar a amar a
Jesus do que as palavras do próprio Divino Espírito Santo nas Sagradas
Escrituras: “Cristo amou-nos e lavou-nos dos nossos pecados no Seu
Sangue” (Apoc. I, 5). “Mas Cristo, vindo como pontífice dos bens
futuros, [passando] pelo meio de um tabernáculo mais excelente e
perfeito, não feito por mão de homem, isto é, não desta criação, e não
com o sangue dos bodes ou dos bezerros, mas com o seu próprio sangue,
entrou uma só vez no Santo dos Santos, depois de ter adquirido uma
redenção eterna.” (Hebreus IX, 11 e 12).

Caríssimos, devemos ter o “sentido” do Sangue de Cristo, do Sangue
que Ele derramou por nós até à última gota. Sangue que, por meio dos
sacramentos – da confissão, em particular – jorra continuamente para
lavar as nossas almas, para as purificar e enriquecer com os méritos
infinitos da Redenção na Cruz. Este Sangue Preciosíssimo que o Verbo,
ao encarnar, tomou da nossa natureza humana, todo no-lo devolveu como
preço do nosso resgate. E Jesus o fez livremente, ou melhor dizendo,
obrigado por seu amor por nós. : “Amou-nos e lavou-nos dos nossos
pecados no seu Sangue”. Na verdade, todos os mistérios da nossa
redenção são mistérios de amor e todos, por isso, nos incitam ao amor;
mas o Mistério do Sangue de Jesus Cristo particularmente nos comove:
contemplar a efusão do Sangue de Jesus, que corre do Calvário tingindo
de púrpura o mundo inteiro, rociando todas as almas!!! Nada mais
comovente e capaz de nos obrigar a amar a Jesus sem reservas: “Sic nos
amantem, quis non redamaret?”

Conclusão melhor não poderíamos fazer do que empregando as palavras
de São Paulo: “… deixando todo o peso que nos detém e o pecado que
nos envolve, corramos com paciência na carreira que nos é proposta,
pondo os olhos no autor e consumador da fé, Jesus, o qual, tendo-lhe
sido proposto gozo, sofreu a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e
está sentado à direita do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que
sofreu tal contradição dos pecadores contra si, e não vos deixareis
cair no desânimo. Pois ainda não resististes até derramar o sangue,
combatendo contra o pecado…” (Hebreus XII, 1-5). Amém!

Tags:

One Comment to “Coluna do Padre Élcio: Fome da Eucaristia, Fome da Palavra de Deus.”

  1. Esta petição destina-se aos sacerdotes…divulguem se acharem, por bem:
    https://lifepetitions.com/petition/priests-unite-to-declare-support-for-humanae-vitae-sign-here